História Joker - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Hunhan, K-pop, Park Chanyeol
Visualizações 4
Palavras 1.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, espero que gostem dessa fanfic do Chanyeol.

Boa leitura a quem optou por ler essa fanfic.

Capítulo 1 - Begin; house of cards.


Begin: House of cards- Bts

Segunda-feira.- 23:30 Pm.

Era mais um inverno que as ruas de Seul se tornariam sangrentas, o Joker estava de volta, mais uma vez a estação que era tão linda para alguns, para quem trabalhava no departamento policial de Seul- Dps- era uma estação que se tornava um caos, já que o assassino havia voltado para acabar com a paz que havia sido reconquistada a pouco tempo com ajuda da Detetive e advogada Choi Min Hee. A mesma era a próxima detetive que iria cuidar desse caso que durava a mais de dois anos.

Min-Hee olhou  para seu assistente que estava olhando indignado para o exame que a perícia fez sobre o corpo da vítima do Joker.

— Ela morreu de overdose- Luhan falou vendo a garota concorda.— Slide, se a pessoa usar mais de três ela pode ter sérios problemas"

—Ela iria morrer de qualquer modo, os anticorpos serão destruídos no automático.

Luhan apenas balançou a cabeça com a resposta da garota, sabia que sua superior estava pensando em quem o Joker iria atacar da próxima vez, também sabia que a detetive era esperta e que tinha seus contatos fora do departamento, o que facilitava muito mais o trabalho dela. Min-Hee mexeu no óculos e olhou para a tela do celular, já era mais de duas da manhã e os dois continuavam trabalhando para pelo menos conseguirem organizar as coisas do caso e manterem as coisas em ordem para o dia seguinte.

Terça-feira

31 de outubro de 2018.

Min-Hee entro no departamento indo direto para sua sala, o Joker havia feito mais uma vítima e aquilo havia estragado seu humor que nunca foi dos melhores também, mas não custava deixar ela ficar em paz consigo mesma naquela manhã. A garota entrou em sua sala dando de cara com seu chefe, Kim Junmyeon, a única pessoa que ela devia respeito dentro do departamento de polícia

—Detetive Choi, bom dia.— Junmyeon sorriu, vendo a mesma balançar a cabeça.

—Bom dia.— A mulher sentou-se em sua mesa.— As duas vítimas morreram de overdose, uma misturou Slide com bebida é a outro não aguentou o efeito e se entregou aos encantos do Joker.

—O que irá fazer para achar o vendedor de drogas?— O homem foi direto ao assunto.— Sua fonte confiável?"

Min-Hee assentiu e deu um papel com um número para o maior, sabia que para conseguir as informações para saber quem era o tal vende de drogas, precisava de dinheiro para conseguir essa tal informação que era necessária para que eles tivessem pista para chegar no Joker que estava deixando a detetive incomodada. Junmyeon saiu da sala detetive vendo ela sair logo atrás, sabia que ela iria fumar, por mais que ela deva largar esse vício no tabaco, ela continuava a fumar por motivos que ela não iria contar a eles.

[...]

Chanyeol olhou a mulher na frente do departamento, sabia muito bem quem era ela e porque ela estava alí, a mesma era a nova detetive do caso que envolvia ele e sua obsessão por causa discórdia na cidade. O mesmo sabia que ela estava montando um castelo de cartas encima desse caso e que se ele deixasse aquele castelo chegar a última carta, seria o fim dele e tudo que planejou durante três anos, não iria deixar ela destruir tudo.

Chanyeol viu os olhos negros por baixo no óculos de grau redondo lhe acompanhar até certo ponto e direcionar a atenção para algo que seria mais interessante para ela. Por mais que ele estivesse certo em achar ela uma ameaça eminente para seu pkano, não tentaria nada contra ainda, pois esta acabou com quase todo mercado negro de drogas em um mês, sabia que a morena não brincava em serviço e isso podia ser um grande obstáculos. Park balançou a cabeça e seguiu para sua casa, teria uma vítima para matar e deixar sua marca de Joker novamente na cidade.

[Horas mais tarde]

Chanyeol deixou o corpo da garota em um lugar que seria fácil de encontrar, queria saber como a detetive iria reagir ao saber que ele matou a filha do governador da cidade, apesar de não esta ligando para oque aquele babaca iria sentir ao descobrir que sua filha estava morta e ainda teve relações sexuais com ele por pura vontade. O maior saiu andando de forma calma daquela área e mandou mensagem para seu chefe avisando que o trabalho estava feito, não demorou muito para ele ver os carros da polícia chegarem junto com uma moto que era de Min-Hee.

A detetive olhou para vítima e passou a mão nos cabelos negros, não acreditava que ele tinha assassinado a filha do governador, ela teria que explicar a Kim Seokjin que sua filha estava morta e que foi o Joker que havia matado ela por livre e espontânea vontade, como todos os outros cem assassinatos que foram feitos em três anos de existência de Joker.

— Senhorita, ela teve relações sexuais antes de ser drogada.— Luhan falou vendo a superior concorda. — Mas a droga não foi Slide.

— Eu já tenho um hipótese de qual seja a droga— Min-Hee acendeu o cigarro.— Avise a Junmyeon que amanhã irei chegar mais tarde que o normal.

— Cuidado com esse informante, ele vende informações que não devia.— Luhan falou vendo a garota assentir.

Min-Hee esperou todos se retirarem do local para chamar para seu informante que devia chegar logo, até porque este sabia que a garota não tolerava atrasos. A mulher viu o mesmo homem de mais cedo passar, não que ela achasse normal ele estar vagando por aí, mas porque ele estava fazendo compras naquele horário ou ele era um doido qualquer, mas ela não ligava para oque o homem fazia ou deixava de fazer, era livre arbítrio.

—Observando alguma coisa?— A voz do informante fez a garota se virar.— Meu dinheiro.

— Primeiro a informação.— A garota jogou o cigarro no chão.

—O homem que vende não me revelou seu nome, mas ele fica em uns do beco que fica perto dos bordéis— O informante falou vendo a garota concorda.

— Obrigado pelas informações— Min-Hee entregou o envelope de dinheiro e subiu na moto.— Até a próxima, Kim.

Min-Hee deu partida na moto e seguiu rumo para sua casa, sabia que quando chegasse lá, Luhan já estaria dormindo. Desde quando Luhan terminou com Sehun a detetive mora com o chinês que era seu melhor amigo em alguns termos. Min entro em sua casa vendo aquele breu que lhe era reconfortante e um tanto bom, já que sempre viveu nas sombras de seu "Pai" que ela nunca mais viu, achava que estava morto ou desaparecido mesmo, este foi um dos homens que acabou com sua infância e lhe tornou uma pessoa fria e calculista.

A morena seguiu para o seu quarto e tirando as luvas pretas, olhando as cicatrizes que estavam sua mão, toda vez que olhava aqui lembrava daquela noite de Halloween trágica na sua vida, mas não podia mudar nada, afinal. Tudo por um bem maior.



Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo e ate o próximo.

Obrigado por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...