História Joker: The Psychopath Anarchist - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Neste capítulo, podemos ver Arthur Fleck começando a criar o desejo de matar, mesmo ainda sem saber se ele realmente sentia prazer com tal ato, mas ainda sim, ele está se descobrindo.

Capítulo 3 - A Boate


*De início, Arthur Fleck chegava em casa cheio de sacolas de compras, ele teria dado uma passada no supermercado, ele então se aproximava da bancada e deixava as sacolas ali, ele pegava os itens quê cada um tinha e então iria colocando na geladeira, após terminar de guardar na geladeira, Arthur começava a preparar um café da manhã para sua mãe, fazendo um pão com ovo e um café, ele colocava tudo na bandeja e então levava até o quarto de sua mãe, chegando lá ele falava animado*

-Bom dia mãe!

*Sua mãe estava assistindo televisão, logo ela olhava surpresa para seu filho*

-Feliz! Você já está acordado? Você não tinha pegado o horário da tarde?

*Dizia Penny confusa, pegando a bandeja*

-É eu sei, por isso aproveitei e fui até o mercado fazer essas compras pra você! Espero quê coma bem, mãe.

*Dizia Arthur acariciando os cabelos de sua mãe. Ela então emocionada beijava a mão de seu filho*

-Muito obrigada meu filho...você é realmente o amor da mamãe

*Arthur sorria animado. Após umas horas, Arthur chegava no seu local de trabalho ("HaHa"), lá estavam Larry e Brandon jogando cartas, Larry então falava*

-Eae Arthur! Como é quê vai?

*Arthur respondia enquanto iria pegar um café*

-Eu vou bem, e vocês?

*Brandon respondia por Larry*

-A gente tá ótimo, hoje tá todo mundo com o melhor horário, também né, é sexta feira!

*Arthur voltava com seu café, olhando para os dois sorrindo e dizendo*

-Pois é, sexta feira...vou ficar 5 horas no meio da rua dançando com a fantasia de palhaço, maneiro né?

*Larry respondia*

-Legal, hoje eu vou me vestir de sapinho, alegrar as crianças, eu adoro crianças!

*Brandon comentava*

-Eu também adoro crianças, mas hoje eu só vou ir de palhaço no centro fazer alguns truques de mágica, as crianças adoram!

*Larry então dizia*

-Ah beleza, eu vou fazer o seu pau desaparecer então

*Arthur começava a rir, Brandon se estressando com o comentário idiota de Larry, respondia*

-Vou fazer ele parecer na sua bundinha

*Larry retrucava*

-Ah qualé seu bolota?!

*Arthur começava a rir descontroladamente*

-HAHAHAHAHAHHA!

*Brandon olhava para seu melhor amigo rindo, logo se estressando*

-AH QUALÉ ARCHIE, ATÉ VOCÊ?!

*Larry comentava*

-O Arthur tem um senso de humor quê eu admiro muito!

*Brandon retrucava*

-Ah cala sua boca ae o nanico!

*Arthur continuava a rir, ele ficava ali rindo por 3 minutos, Brandon ficando mais estressado começava a inflar as bochechas*

-ARCHIE, JÁ NÃO TEM MAIS GRAÇA!

*Arthur tampava a boca com muita força, mas ele não conseguia conter seu ataque de risadas, Larry então começava a rir junto a Arthur*

-O BOLOTA INFLOU AS BOCHECHAS, PARECE UM BALÃO DE GÁS HÉLIO!

*Arthur chegava a cair no chão de tanto rir, Larry acabava caindo da cadeira pelo mesmo motivo de Arthur, fazendo Brandon se levantar e sair andando irritado pro banheiro*

-Filhos das putas.

*Após toda aquela risada, Arthur teria passado 5 horas dançando no meio da cidade, e então voltando para o seu trabalho, ele guardava sya fantasia de palhaço no seu armário e logo após o trancando, logo ele via Brandon entrando com sua roupa de palhaço, ele dizia olhando para Arthur*

-Eae, longo dia né?

*Arthur respondia*

-Pois é, eu não entendo essas pessoas, elas passam e não tem nenhuma reação positiva, todas tem a mesma expressão, por quê o mundo está ficando tão sério desse jeito, Brandon? Eu realmente não consigo entender...

*Brandon respondia, retirando sua roupa de palhaço e então colocando no armário, logo após ele começava a colocar uma roupa mais elegante, um terno preto e etc*

-A cada ano quê se passa, as pessoas tendem a ganhar novos problemas, relacionamento, família, problemas financeiros, essas coisas, levando a eles a fazerem essas caras de tristeza ou de morte, eu entendo você. Por isso trabalho com crianças, crianças não tem problemas na vida, nem financeiros, nem em relacionamento, e se tiverem também, eu posso fazer elas esquecerem dando uma bela risada, por isso amo meu trabalho Archie.

*Arthur abria um sorriso, tendo gostado das boas e sábias palavras quê seu amigo havia dito, logo ele olhava para Brandon confuso, não entendendo todo aquele traje elegante, fazendo ele perguntar*

-Ah....por quê essa roupa?

*Brandon olhava para seu amigo com um sorriso, ajeitando seu terno*

-Eu estou indo numa boate, arrumar umas gatinhas sabe? Tô precisando me animar

*Arthur perguntava com uma cara de desaprovação*

-Mas Brandon, você é casado!

*Brandon fazia uma cara de repulsa, respondendo a Arthur*

-Naaah, minha mulher anda meio estressada esses dias, até meus cafunés ela anda rejeitando

*Logo, Sam (Samuel) chegava ali com o mesmo traje elegante de Brandon, ele então comentava sobre o quê Brandon tinha dito sobre sua mulher*

-É claro, com essas mãos de elefante você vai acabar afundando ela na cama, LITERALMENTE!

*Arthur se segurava para não soltar sua crise de risadas novamente, fazendo então Brandon encarar Samuel com um olhar mortal, respondendo ao comentário de Samuel*

-ESCUTA AQUI SEU FILHO DA PUTA

*Brandon quando iria partir pra cima de Sam, Arthur se jogava na frente dos dois, logo dizendo*

-Hey Brandon! Calma! Não precisa levar pro pessoal, lembra, aqui dentro tudo é na brincadeira! E se o Bred ver vocês dois caindo na mão aqui dentro, os dois vão acabar se ferrando....

*Brandon respondia, ajeitando suas mangas*

-Voce está certo, Archie...desculpa

*Arthur olhava para Sam confuso, perguntando*

-Ué...por quê essa roupa, Sam?

*Sam respondia*

-Ah, o Brandon me convidou para ir com ele na boate, por isso estamos usando a mesma vestimenta

*Arthur olhava para Sam com o mesmo olhar de desaprovação quê olhou para Brandon, fazendo ele cruzar os braços*

-Mas Sam, você também tem uma mulher....

*Sam respondia rindo, negando com a cabeça*

-Naaaaaah, nosso casamento é aberto, ela não liga para essas coisas.

*Sam olhava para Brandon, dizendo*

-Eae, bora?

*Brandon respondia*

-Sim sim, bora bora

*Antes de irem, Brandon olhava para Arthur um pouco pensativo*

-Hey....por quê você não vem conosco? Vai ser legal! Você nem tem um par, então você vai chegar lá tranquilo!

*Arthur olhava para Brandon um pouco assustado e meio sem jeito, respondendo a ele*

-M-mas eu nem tenho um terno, Brandon! E-eu nem tô muito interessado nesse tipo de coisa!

*Sam dava uma risada, Brandon respondia a Arthur colocando a mão no ombro dele*

-Relaxa meu amigão, não precisa ser tão formal para ir numa boate, na verdade, quase ninguém vai desse jeito, a gente tá indo assim por gosto mesmo. E cara qualé, você é um maluco tipo mega maneiro! As meninas vão se amarrar em você!

*Sam olhava para Arthur, erguendo uma sombrancelha, e colocando suas mãos na cintura, então perguntando*

-Alias, Arthur...você ainda é virgem?

*Arthur permanecia em silêncio, Brandon então falava olhando nos olhos dele*

-Vamo cara, aceita, se você precisar de ajuda em como chegar nas mina, o irmão Brandon te ajuda! Só bora! Tá comigo ou não tá comigo?

*Brandon levantava seu branco e então fechando sua mão, fazendo um tipo de "toca aqui" para Arthur, esperando o mesmo corresponder. Arthur ficava olhando para Brandon por alguns segundos, mas logo depois sorrindo e então tocando na mão dele, finalizando o "toca aqui".*

*algum tempo depois, Arthur, Bradon e Samuel chegavam na boate, uma casa noturna cheia de luzes roxas, não tinha muita iluminação, Brandon então olhava para Arthur e perguntando*

-Hey, tá com grana aí né?

*Arthur perguntava*

-Grana? Precisa de grana....?

*Brandon batia em seu próprio rosto, olhando para Arthur*

-É lógico! Para poder passar a noite com uma dessas gostosas você precisa pagar! Você endoidou?! Por quê não me disse antes quê não tinha grana?!

*Arthur olhava para Brandon um pouco sentido*

-Mas eu te disse quem nem querer eu queria vir...

*Brandon colocava a mão no bolso de sua calça, puxando sua carteira e então abrindo, ele então dava 500 reais para Arthur, dizendo*

-Toma isso aí, aproveita, mas vai ficar me devendo!

*Arthur negava o dinheiro, negando com a cabeça, Brandon dizia*

-Vamos logo Arthur! Como você recusa ficar com essas gostosas! Você sabe quê pode me pagar quando puder, eu nunca liguei para datas ou algo do tipo, pois você sempre cumpre com sua promessa e eu confio em você! Apenas aceita essa porra!

*Arthur então acabava aceitando o gesto de Brandon, pegando o dinheiro, a primeira coisa quê Arthur fazia era ir até o barman e pedir uma cerveja, ele então pagava pela bebida e começava a beber, Samuel e Brandon simplesmente teriam desaparecido dali, Arthur começava a se perder em seus pensamentos*

-Hm...será quê minha mãe vai ficar bem sem mim por lá? Ela não vai conseguir fazer o jantar sozinha....vou tentar não demorar muito, meu máximo vai ser 2 horas, depois disso eu vou embora

*Ele pensava nisso enquanto bebia a garrafa de cerveja, ele olhava para o lado e via um homem moreno em sua direção, ele estava usando um traje elegante, ele estava com alguns cordões de ouro e um óculos escuro, ele se aproximava de Arthur e então perguntava*

-Fala aí truta, você é novo por aqui não é...? Nem deve saber como chegar nas gatinhas eu imagino...quer umas dicas?

*Arthur olhava para o homem com um pouco de vergonha, respondendo ele*

-A-ah, bem...realmente sou novo por aqui, mas eu tenho um pouco de dificuldade nessas coisas...hehe....

*Arthur falaca passando a mão em seu cabelo, o Homem então respondia*

-Tranquilo, chega mais quê eu te ensino como

*O Homem se levantava e então saia andando, Arthur seguia o homem ainda segurando sua garrafa de cerveja, o Homem começava a conversar com as garotas, fazendo elas gamarem nele, ele ficava conversando com ela durante um tempinho, após isso ele voltava até Arthur e falava com um sorriso convencido*

-Viu? É fácil, ela quer uma coisa e eu quero a outra, simples. Agora vamos beber, preciso me animar.

*Arthur então saia junto com o homem para beber a cerveja, por incrível quê pareça, Arthur terua bebido só uma garrafa, já o outro homem teria bebido umas 3, ele já estava bem bêbado, logo ele se levantava e iria em direção até uma portinha dos fundos, Arthur o olhava confuso, fazendo ele pensar*

-??? Será quê ele está passando mal? Acho quê eu devia ir lá ajudá-lo.

*Arthur andava até a portinha e então veria a seguinte cena, o Homem estava assediando uma menor de idade, ele ficava acariciando o corpo dela de cima oara baixo, a menor estava muito assustada, logicamente Arthur ficava bem frustrado com aquilo, mas ele não sabia o quê fazer, o Homem então falava com a garotinha*

-Bora virar a noite com o papai aqui bebê...?

*Arthur olhava para o homem bem bravo, logo ele iria se aproximando dele e falando bem alto*

-HEY! Isso é errado! Se afasta da garota! Cheia de mulheres lá dentro e você querendo o corpo de uma criança?! Isso é errado cara!

*O Homem olhava para Arthur, mostrando o dedo para ele. Eles estavam num beco quê levava para a cidade novamente, aquilo não era dentro da boate, a criança estava ali pois estava esperando a mãe dela sair do seu horário de serviço, Arthur então simplesmente se deixava levar pelo ódio e empurrava o Homem, o homem socava a cara de Arthur bem forte e falava pra ele*

-Mulheres são mulheres seu mané! Em alguma hora ela vai crescer e vai virar uma dessas garotas quê tá lá dentro! Só tô acelerando o processo! E se você quer brigar, vem pra cima!

*Arthur levava aquele soco e então colocava a mão em sua bochecha, ele ficava encarando o homem com um olhar mortal, ele simplesmente pegava sua garrafa de cerveja quê ele estava bebendo dês do início e a batendo contra a parede, fazendo a garrafa quebrar, ele então começava a enfincar a garrafa na barriga do homem em uma velocidade absurda, o Homem simplesmente recebia aqueles ataques, ele não conseguia se defender, Arthur então finalizava enfiando a garrafa no coração do homem, fazendo ele cair no chão, Arthur estava meio sujo de sangue, ele olhava para trás e então e dizia*

-Relaxa menina, ele não vai mas te atormentar!

*O quê era meio esquisito, é quê a garota nem estava mais ali, Arthur começava a pensar se ela tinha fugido, mas então ele olhava para o corpo morto do homem, Arthur ficava paralisado com aquilo e entao entrava para dentro de um banheiro quê tinha ali, ele começava a limpar suas mãos rapidamente e ele ficava se encarando no espelho, começando a sentir uma leve culpa do quê tinha feito com aquele homem. Logo assim, Arthur já limpo, voltava para dentro da boate e então começava a procurar por Brandon, ele ficava andando para lá e para cá, mas não o encontrava de jeito nenhum, logo então, Arthur parava em um corredor e se encostava na parede, era uma parte meio deserta da boate, ele colocava suas mãos sobre a cabeça e então não parava de pensar sobre o homem ele teria acabado de matar, logo 3 homem apareciam ali e ficavam encarando Arthur, um deles falava*

-O seu viado, foi você o desgraçado quê matou nosso parça?

*O outro comentava*

-Você foi o último a sair com ele para aquele beco...tu perdeu a noção do perigo meu parceiro?

*O outro falava*

-Relaxa, nois vai te encher tanto de porrada, quê você vai ir pro inferno rapidinho, seu filho da puta

*Então eles começavam a se aproximar de Arthur, ele então lentamente virava seus olhos para os três...*

*em alguns minutos, Arthur já teria matado dois deles, enquanto um ainda estava vivo, Arthur ficava pisando na cara do terceiro várias vezes enquanto ficava rindo, o som da boate era bem alta, então ninguém ouvia o barulho das pisadas ou dos gritos do homem*

-HAHAHAHAHAH! HUHAHA! HAHAHAHAHAHAHA!

*Arthur não entendia o motivo de estar rindo, mas ele continuava enquanto continuava a pisar na cara do homem, ele então pegava no pescoço dele e então começava a esfregar a cara na parede, depois fazendo ele socar com o rosto ali várias vezes, fazendo o homem desmaiar, Arthur ficava olhando para eles, já teria parado de rir, novamente aquele sentimento estranho voltava, Arthur não estava com as mãos sujas de sangue, ele então saia da boate sem nem se despedir de seus amigos, Arthur corria até seu apartamento e chegava lá, ele entrava para dentro de casa e corria pro seu quarto, ele retirava seu casaco e então se deitava na cama, ele ficava olhando para o teto. Arthur não parava de pensar no fato de quê ele teria matado 4 pessoas em um só dia, então, ele começava a achar graça daquele ato quê ele tinha cometido, fazendo ele cair na gargalhada*

-hahaha...Hahahahahahahhahahahahahaha!

*No outro dia, Arthur estava na sala de sua psicóloga, ele estava com um cigarro na boca, ele ficava olhando para o chão enquanto ficava rindo, mas logo ele parava, Cloe, sua psicóloga perguntava*

-Bom...como foi sua semana?

*Arthur respondia ainda olhando para o chão*

-Foi bem....bom, na verdade meio estressante, tive quê ir 4 vezes para a outra parte de Gotham devido ao trabalho, as coisas andam piorando muito pra mim ultimamente....haha...

*Ela balançava a cabeça, tendo entendido aquilo*

-Entendi...como anda o trabalho?

*Arthur a respondia*

-Bom, basicamente foi o quê eu disse....estressante.

*Ela perguntava*

-Como foi sua sexta? Viu aquele filme quê falou quê iria ver com sua mãe?

*Arthur então olhava para Cloe, ele se lembrava das mortes quê ele tinha causado, fazendo ele cair na gargalhada novamente*

-HAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHA! HUHU! HUHUHAHAHAHAHAHAHAHAH!

*Ela olhava para ele confusa, perguntando*

-O filme era de...comédia?


Notas Finais


Espero quê tenham gostado, obrigado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...