História Jomaz - Descobertas no amor - Capítulo 17


Escrita por:

Visualizações 180
Palavras 2.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Alucinação


(Thomaz)

Todos ficam se olhando confusos

João: Thomaz? Você está bem mesmo?

Thomaz: como assim? Óbvio que estou bem. Por que a pergunta?

Larissa: acham que você é louco

Thomaz: eu não sou louco

Biel: ninguém está dizendo que você é

Thomaz: ela disse

Marina: Thomaz, eu não disse nada. Nem abri a boca

Thomaz: não você, ela - eu aponto para perto da porta - disseram que ela estava morta

Eles voltam a se olhar confusos

Biel: Thomaz, acho que você precisa descansar um pouco

Thomaz: não, já descansei o suficiente, agora quero explicações suas

João: minhas?

Thomaz: da Larissa

Marina: eu vou pedir uns exames médicos, e pedir para que um grande colega meu venha examinar o Thomaz - ela sai

Biel: tá, agora vamos conversar

Thomaz: agora fala onde você esteve Larissa

Biel: a Larissa morreu Thomaz

Thomaz: já falei, olhem pra trás, ela está bem al...

Larissa: nem tenta - me interrompe - eles não conseguem me ver

Thomaz: como assim?

João: "como assim?". Ela se matou, envenenou a si mesma

Larissa: não disse, sou praticamente invisível aos olhos deles?

Thomaz: por que?

Biel: não sabemos. Ela preferiu se matar ao ser presa

Larissa: você... não lembra

(Eu leio o papel e o amasso. Ao olhar pro Luckas eu me sinto mal e desmaio. Quando cai bati a cabeça no chão)

Larissa: pela sua cara, você se lembrou. Você bateu a cabeça

Thomaz: não.... não não 

João: Thomaz. Ela morreu mesmo, sentimos muito

A Marina entra com um homem

Marina: esse é meu amigo Guilherme Boury. Ele vai..."ver" como você está

Thomaz: "ver"? Acha que estou louco?

Guilherme: você bateu a cabeça Thomaz. Os exames não tinham nenhum problema

Thomaz: está dizendo que sou louco?

João: está dizendo que talvez o problema não seja físico. Você amava a Larissa

Guilherme: talvez o problema seja passageiro, talvez ele va embora daqui à 1 dia

Thomaz: tá

Marina: isso vai te ajudar Thomaz, prometo

Larissa: só não vai mostrar fraqueza. Você sempre foi fraco, principalmente quando se trata do João

Thomaz: quer calar a porra da sua boca, sua vadia

Biel: Thomaz! A Marina só quer ajudar

Thomaz: que? Desculpa Marina, não falei com você

Guilherme: falou com a...Larissa?

Thomaz: sim

Larissa: quanto mais você fala de mim, mais eles te acham louco

Thomaz: só queria que você não estivesse aqui - olho pra parede - a culpa disso tudo é sua

Larissa: mas eu não estou aqui. Estou morta

Thomaz: e o bilhete?

Larissa: era minha letra?

Thomaz: você não escreveu o bilhete?

Biel: que?

Thomaz: Larissa não escreveu o bilhete

João: pergunta quem foi? - todos encaram ele sérios

Thomaz: quem escreveu o bilhete?

Larissa: eu falei, não sou a Larissa. Sou um fruto da sua mente traumatizada - ri

Thomaz: então como sabia que  voce....ela não está viva

Larissa: você foi pro funeral da Larissa, conhece a letra dela. É óbvio que por ser uma criação do seu cérebro eu sei disso

Thomaz: então eu estou louco?

Larissa: não, você está com um problema. Vamos dizer que você está com um trauma

Thomaz: trauma? Como assim eu estou com um trauma?

Guilherme: muito bem, tenho que saber, que trauma é esse?

Thomaz: qual é o trauma Larissa?

Larissa: quer que eu conte? - asceno que sim com a cabeça - qual seria a graça, se eu te falasse - ela ri novamente

Thomaz: droga - me viro pego um vaso e lanço nela

Quando percebi que ela havia sumido

Guilherme: deixe-me a sós com o Thomaz, por favor

Todos saem do quarto

Thomaz: eu não estou louco. Eu juro

Guilherme: apenas me explique, quando isso começou

(João)

Nós saímos do quarto

João: vocês acham que o Thomaz vai ficar bem?

Marina: claro que ele vai. Você está bem Biel?

Biel: estou é só que....O Thomaz me preocupa, esse papo de Larissa está meio estranho

João: eu também achei

Marina: o Guilherme é um ótimo médico. Não se preocupem, mas agora tenho que ir. Ainda estou trabalhando - ela vai embora

João: precisamos conversar

Biel: fala

João: o Thomaz, tem alguém?

Biel: que? Como assim?

João: sei lá, ele levou alguém pra casa de vocês. Sabe se ele está com outra pessoa

Biel: não, ele não está

João: muito obrigado - digo animado

Biel: de nada. Você está cansado?

João: não - ele me olha - um pouco

Biel: vem comigo

Biel pega minha mão e me leva para uma sala

João: oque que é isso?

Biel: os médicos descansam aqui

João: que legal

Biel: pois é

João: por que estamos aqui?

Biel: você é muito próximo do Thomaz. Então quis cuidar de você

João: acho que já sabe que nós terminamos - pego um pote de bolachas e ofereço a ele, se aproxima pra pegar

Biel: você ainda pensa nele?

João: por que a pergunta?

Biel: você pensa no Thomaz ou não

João: não

Biel: ótimo

Ele me puxa pela cintura e me beija, nos olhamos

Biel: desculpa, eu não sei oque deu em mim

João: mas eu sei - o beijo

Ele tira a camisa dele e me joga no sofá. Biel sobe em cima de mim e me beija enquanto desabotoava a minha calça, ele a tira junto com a sua

Ele me beija novamente e eu tiro minha camisa ficando apenas de cueca

João: você é irmão do Thomaz

Biel: e daí, eu quero você - aperta minha bunda

João: eu também te quero - aperto seu volume, e ele sorri pra mim

Ele fica por cima de mim, e nós tiramos nossas cuecas

Biel: espero que esteja preparado

Biel me penetra

João: ahhh

Ele me masturba e voltamos a nos beijar. Ele ia aumentando cada vez mais as estocadas, me fazendo gemer cada vez mais alto. Biel tampa minha boca com a mão dele

Biel: eu...sei que está ótimo mas...geme um pouco mais baixo

Nós continuamos transando até ele gozar em mim e eu gozar em seu abdômen

João: isso foi ótimo

Biel: é. Ei, olha oque você fez

Aponta para seu abdômen

Biel: pode limpando agora

João: sim senhor

Eu passo a língua em seu abdômen e vou descendo, e começo a chupar seu pau

Biel: isso aí....ahhhh - pega em meus cabelos

Coutinho: doutor Campos aqui está os prontuários que o senhor me....pediu - entra com tudo

Biel: aí droga

Ele se levanta correndo

Biel: sinto muito

Coutinho: oque fazem aqui?

Biel: esse é meu amigo João, meu nome é Biel. Olha cara, desculpa mesmo, mas não chama ninguém

João: já vamos sair eu prometo

Coutinho: muito bem

Biel: obrigado

Coutinho: eu não terminei

Biel: oque você quer?

Ele fecha a porta e sorri, eu e Biel nos olhamos sem entender. Ele abaixa a calça e a cueca até os joelhos, deixando um pau de 20 cm totalmente duro na nossa frente

Biel: oque você vai querer cara?

Coutinho: quero que a putinha venha me chupar também

João: se for pra sair daqui sem que ninguém saiba do que aconteceu, por mim tudo bem

Coutinho: e a outra putinha vai cuidar do nosso amiguinho aí

Ele aponta para meu pau que estava duro

Biel: sem chance. Não sou disso

Coutinho: tá posso chamar os seguranças, eles vão adorar tirar vocês daqui

Biel: tá

Eu me ajoelho na sua frente e coloco seu membro em minha boca, fico chupando ele da base até a cabeça, paro e vou para suas bolas

Ele me faz parar e me manda pro Biel, nós dois fazemos um 69 enquanto ele se masturbava no sofá assistindo a gente. Biel goza em minha boca, quando ia gozar Biel para 

Biel: agora sai - saio de cima dele

O homem se levanta do sofá, se ajoelha e goza na cara do Biel

Coutinho: isso é pra putinha aprender a respeitar as ordens - da um tapa em sua cara, e olha pra mim

Eu termino de me masturbar e também gozo em sua cara (Biel), ele tira foto desse momento

Coutinho: agora se vistam e saiam daqui

Biel se levanta e pega um pano pra limpar o rosto

Coutinho: oque é isso?

Biel: vou limpar o rosto

Coutinho: eu não deixei

Biel: não preciso de sua permissão

Coutinho: eu posso chamar os seguranças agora se você quiser

Eu olho para Biel

Biel: não precisa

Coutinho: ótimo, não limpe o rosto. Quero que todos vejam a putinha que você é

Os dois se encaram com raiva. Nós nos vestimos e saímos, assim que saímos Biel limpou o rosto antes que vissem ele

Eu e Biel vamos para o quarto do Thomaz ver ele

(Thomaz)

Meu irmão e João entram em meu quarto

Guilherme: isso foi o suficiente por hoje

Biel: e ele está bem doutor?

Guilherme: não se preocupem, esse problema do Thomaz é passageiro

João: passageiro quanto?

Guilherme: dentro de 12 horas vocês já podem relaxar

Biel: mas o Thomaz...

Guilherme: já pode ir pra casa

Biel: obrigado

Guilherme: de nada

O doutor sai

João: 12 horas? Só isso

Thomaz: nem acredito também

Biel: tá, se troca pra irmos, só vou assinar uns papéis e você poderá ir - sai do quarto

João: que bom que está melhor

Thomaz: é

João: eu me preocupei bastante

Thomaz: obrigado

João: pelo que?

Thomaz: por ficar comigo. Mesmo quando terminamos

João: eu gosto muito de você Thomaz

Thomaz: eu também

Estávamos tão perto que parecia que íamos nos beijar. Fomos nos aproximando

Enfermeira: ele acordou - entra correndo

Thomaz: Luckas - me levanto

João: quer uma cadeira de rodas?

Thomaz: pra que? Eu estou bem

João: sei lá, nos filmes eles usam. Bem ou mal

Thomaz: mas isso não é um filme, série ou uma história

João: tá bem

Thomaz: podemos ver ele?

Enfermeira: claro, venham

Nós a acompanhamos até o quarto do Luckas

Thomaz: eae campeão. Como está?

Luckas: bem

João: ficamos muito preocupados com você

Luckas: por que? Oque aconteceu?

Thomaz: bateram no chão em que você e a Bruna estavam?

Luckas: Bruna?

João: o Henrique vai ficar muito feliz ao vê-lo

Thomaz: ele é um bebê

João: agora bebê não pode ter sentimentos?

Thomaz: pode, mas um bebezinho de poucos meses?

Luckas: esperrm

João: oque foi?

Luckas: quem é Bruna?..... E  esse tal de Henrique?

Thomaz: Bruna é sua namorada e o Henrique seu filho - Luckas ri

Luckas: Thomaz, seu sonho é ser palhaço. Agora me ajudem a sair daqui

Enfermeira: você precisa descansar um pouco. Fiquem de olho nele por favor, irei chamar o médico

Thomaz: tá

Luckas: agora que nós já rimos, onde está a Larissa e a Mahressa? - eu aperto minhas mãos com força

João: elas....morreram

Luckas: morreram? Como? 

Thomaz:  a Larissa se matou e a Mahressa...morreu em uma queda de avião

Luckas: eu já ri, mas agora. Por favor, chega de piadas

Thomaz: sinto muito - choro

Luckas: não... não - chora também. Eu seguro sua mão

João: que droga

Luckas: por que elas morreram? Por que ela se matou?

Thomaz: elas fizeram coisas horríveis. Larissa achou que esse fosse o único meio de fugir de seus crimes. Ela era uma boa pessoa no fundo, mas fez essa decisão sozinha

Larissa: é nisso que você acredita? Que "Eu" me matei sozinha? Você é realmente um frouxo Thomaz

Eu abraço o Luckas

João: vamos todos ficar bem, você, Bruna e Thomaz

Larissa: me ignorar não vai me fazer sumir. Pelo contrário, me ignorar, ignorar oque eu sinto, ou melhor, sentia. Foi por esse motivo que me matei

Thomaz: cala a boca - falo olhando a parede e João percebe

O médico entra na sala e pede para sairmos

Thomaz: eu vou pra casa, preciso de comer algo e tomar um banho

João: acho que também já vou

Nós nos despedimos e cada um foi para sua casa. Chegando em casa eu tomo um banho  e vou pra minha cama

Larissa: está pensando?

Thomaz: por que não vai embora?

Larissa: eu vou, espera mais 11 horas

Olhamos o teto juntos

Thomaz: eu amo você, mas existe gente que também amo, por que você?

Larissa: não sei, o cérebro é uma caixinha de surpresas

Thomaz: ele esqueceu deles

Larissa: é

Thomaz: estou falando sozinho

Larissa: está

Thomaz: estou cansado

Larissa: boa noite

Thomaz: está de tarde, mas boa noite também

Meu celular toca (notificação de mensagens) e vou ver quem era, eu pego o celular

Larissa: responde se você vai

Eu olho a tela de volta 

"Você vai pra escola amanhã? 

Pedro Maia"

Eu respondi que sim, me jogo na cama pra dormir, mas o celular toca denovo

Eu pego e era um vídeo que foi postado para todos. Ao abrir vejo João e Biel transando 

Deixo meu celular cair

Biel: maninho - entra no quarto - a mamãe e o Caio pediram para irmos para a sala

Eu aperto meu punho com força 

Larissa: a cara dele está bem ali, soca. Vingue-se

Eu respiro fundo

Biel: você não vai descer - aperta minha bunda

Eu dou um soco nele e ele cai ajoelhado

Biel: oque foi isso?

Thomaz: você transou com o João?

Biel: droga

Thomaz: por que?

Larissa: "eu te amo Thomaz" - fala girando em volta de mim

Biel: eu te amo Thomaz

Larissa: "foi um erro"

Biel: foi um erro

Larissa: "um deslize"

Biel: um deslize

Larissa: " mas eu te amo irmão"

Biel: mas eu te amo irmão

Larissa: tão previsível. Ele disse isso tantas vezes que desculpas perdeu o significado. "Desculpa" - para de girar

Biel: desculpa

Thomaz: tá

Larissa: tá? Você vai perdoa-lo? Lembra quando eram crianças e ele bagunçava e você apanhava no lugar dele, todas suas namoradas ficaram com ele. A Larissa te traiu com ele, e agora o João - vem até mim - essa é sua chance. Sua vingança

Eu soco o Biel mais uma vez. Ele se levanta e me empurra em uma prateleira fazendo vários livros caírem em mim. Chuto sua perna e dou um soco em seu abdômen. Ele me dá uma cabeçada e eu caio, ele fica me socando enquanto estava caído

Caio: Biel

Ele tira Biel de cima de mim

Biel: seu idiota

Caio leva Biel pra fora, minha mãe vai para seu quarto pegar uns curativos

Thomaz: Larissa? Larissa?

"Cadê ela?"

Thomaz: talvez eu realmente esteja louco 

Luciana: filho deixe eu te ajudar

Thomaz: espera mãe. Quer me ajudar?

Luciana: claro

Thomaz: preciso de ajuda

Luciana: médicos? Acho que não foi tão grave - limpa o corte em minha bica

Thomaz: mãe. Preciso de...um psicólogo. Preciso de ajuda

Luciana: sim. Que engraçado. Depois que me ligaram dizendo que você estava vendo algumas coisas eu procurei uma ajuda. Foi mal

Thomaz: não. Você fez bem, mas quem é ele

Luciana: seu nome era....Caique?....nao..Caue?..tambem nao.....Carlos...Carlos Montenegro

Thomaz: e ele é bom?

Luciana: vamos ver, vou ligar pra ele

Thomaz: obrigado

Ela sai do quarto

Thomaz: que merda

A campainha toca

Luciana: filho atende pra mim?

Thomaz: tá mãe

Desço e atendo a porta

Thomaz: Olá? Posso ajudar

Rafael: claro, meu nome é Rafael Santos, minha mãe é amiga da sua

Thomaz: claro você é o garoto que vai estudar na escola

Rafael: sim

Thomaz: desculpa, minha cabeça está ruim ultimamente. Então .... sinta-se em casa

Rafael: pode deixar - sorri

Olho seu belo sorriso

Rafael: me ajuda com as malas?

Thomaz: claro

Quando fui pegar a mala acabo me atrapalhando e tropeço. Ele tenta me segurar e me puxa. Deixando nosso rostos com apenas alguns centímetros de distância



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...