1. Spirit Fanfics >
  2. Jonaka- Unidas por uma escolha >
  3. Maxwell Jones

História Jonaka- Unidas por uma escolha - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Hii leitores♡
Obrigada pelos lindos comentários nos últimos capítulos. Eles me dão força para seguir e continuar a postar.

Boa leitura~~

Capítulo 5 - Maxwell Jones


Fanfic / Fanfiction Jonaka- Unidas por uma escolha - Capítulo 5 - Maxwell Jones

P.O.V NATHÁLIA OFF

    P.O.V JOANA ON

 

Já se passaram cinco dias desde que aterrissamos em Toronto. Finalmente conhecemos nosso apartamento, que apesar de pequeno, era limpo e organizado, com móveis de qualidade e uma decoração satisfatória aos meus olhos. Nós começamos a pagar o aluguel a partir da semana que vem, e para isso, precisaríamos de empregos novamente, então a primeira coisa que fizemos no dia seguinte ao da chegada foi ir em busca de um trabalho.
 

 

Cada uma de nós conseguiu coisas diferentes, o que eu achei inesperado, já que levamos currículos e fizemos entrevistas nos mesmos lugares. Eu tive a sorte de não ser aceita em nenhum. Mas tudo bem, pois recebo muito mais trabalhando de babá das famílias do bairro. O único problema foi conciliar os horários de estudo com os de trabalho. Inicilamente era tudo um caos, - mesmo com minha organização- felizmente, aos poucos, me acostumei com a correria na nova cidade.

 

 

As aulas são diferentes do que eu esperava. É tudo tão descontraído e todos se respeitam muito, pelo menos na minha sala é assim. Só não consigo acompanhar tudo, pois meu inglês ainda precisa evoluir um pouco. De resto, é tudo muito incrível, quase um sonho. Apenas por eu não ter conseguido passar em Medicina Clínica na Universidade de Iorque, e ter recebido uma bolsa para o curso de Nutrição, que está bem longe do que eu sonhava...

 

 

Futuramente, estarei mais forte e mais sábia, então conseguirei passar sem muito esforço. Trabalharei duro para isso, pois se não consegui hoje, foi apenas por minha falha e falta de estudo.
 

 

Todos esses pensamentos rodeavam minha mente enquanto eu me deslocava a caminho da sala de aula B20, que ficava no andar de cima. Essa é a pior parte de não termos sido aceitas ambas as três na mesma universidade, tenho que andar sozinha pelos corredores, pois uma semana não foi suficiente para fazer boas amizades. Até conversei com uma ou outra pessoa, mas todos parecem ser veteranos demais para se tornarem íntimos de uma novata.
 

 

Após subir os lances de escada, andei até a metade do corredor, chegando à sala. Nem todos estavam presentes, apenas duas garotas conversavam no canto da sala e as outras cinco pessoas estavam sentadas mexendo nos celulares. Exceto um indivíduo. Ele tem cabelos loiros e olhos escuros. Pele clara e é magro. Gosto de seu estilo, simples e casual. Por falar nisso...não me lembro de tê-lo visto durante essa semana, nem pelos corredores, nem nas aulas. Se bem que eu evitei observar demais as pessoas aqui. O garoto observa seus arredores até eu aparecer na porta. Seus olhos se voltam na minha direção. Nos encaramos por um milésimo de segundo antes de desviarmos os olhos para o chão. Não tenho costume de conversar com muitas pessoas, eu tento, mas dependendo de quem for, me sinto fora da zona de conforto e me torno uma completa tímida.

 

Sigo em frente e caminho em direção às classes, são duplas com um tipo de banco duplo também. Sento em uma mesa vaga na frente, para me ajudar a vencer a timidez. Assim, não conseguiria ver quando alguém olhasse para mim. O restante dos alunos vai chegando conforme o horário de início da aula se aproxima. A professora chega cinco minutos antes do alarme tocar.

 

Ela tem um sotaque britânico, que faz com que eu entenda ainda menos o que ela diz. Finjo estar anotando em meu caderno, para não ser vítima de alguma pergunta. Ela para de falar e então começa a dizer alguns nomes. Eu temo o pior: aulas em dupla. Não conheço ninguém e não sei falar fluentemente. Serei muito útil para minha dupla! (Ironia)

 

Meu nome é repetido duas vezes pela Senhorita Field. Eu levanto a mão, num impulso. A professora volta a seu tablet e olha para frente em seguida

 


- Maxwell Jones.- seus olhos vagam pela sala após chamá-lo e param logo na minha vertical- Vocês serão uma dupla durante minhas aulas.
 

Olho para trás, buscando meu par. O garoto loiro que me viu entrando sorri. Por que justo ele? Já não bastava nosso clima estranho mais cedo...
 

 

Ele faz um gesto para que eu me sente no banco, ao seu lado, que estava vazio. Faço que sim com a cabeça e pego minhas coisas, indo na direção de "Maxwell Jones". Nome difícil de pronunciar. Coloco os pertences em cima da mesa e sento-me em seguida.
 

 

Não tenho tempo para respirar. Ele já está falando comigo, mas não entendo muita coisa, apenas que eu posso chamá-lo de Max. Não me concentro muito bem enquanto nos olhamos, ele é mais bonito do que parece. As palavras não fluem da maneira que eu imagino. E acabo soltando apenas um:

 


- Ah ...legal!- sorrio, apesar de estar me sentindo uma estúpida

 

Viro para frente numa tentativa de colocar o cérebro pra funcionar.

 


- Então...você tem um apelido? - Max continua tentando puxar assunto enquanto a professora anuncia as duplas restantes

- Eles...hum...me chamam de Jo. - falo mais segura, mas sinto a vergonha fluíndo nas minhas veias

 

 

Não pensei que falar com um desconhecido fosse tão complicado. E pensar que até hoje eu não tinha problemas em me comunicar na universidade...

 


- É fofo.- ele fala e parece deixar de me encarar, não sei, estou apenas olhando para a parede - Você parece envergonhada

 

 

Ah ótimo...agora ele já percebeu meu estado. Estou prestes a respondê-lo, mas a Sra. Field volta a falar. Dessa vez ela parece estar explicando o conteúdo. Não entendo algumas expressões... talvez sejam gírias. Bufo de raiva. Me sinto tão burra por não acompanhar todos.


- O que foi?- Max pergunta largando o lápis que usava para anotar. Ele parecia estar entendo tudo.
 

Se eu disser que não é nada, vou continuar sem entender e depois serei burra para sempre. Não é o que eu quero.

 


- Eu não...entendi- paro e penso nas palavras que iria dizer em seguida.- tudo que ela disse.

 

Ele parece tentar entender o que eu quis dizer.


- Esquece.- digo sem ânimo e rabisco o canto do caderno

- Não não, eu entendi.- ele ri- Posso te explicar o conteúdo depois da aula se você quiser.- Max parece falar mais devagar agora, como se tivesse entendido meu problema com o inglês

- Ok. Obrigada...mas...pra mim, o pior é me expressar. Entender eu até entendo.- tento falar o mais limpo possível e falho de novo

- Tudo bem. Eu posso te ajudar com isso também.- ele sorri e estende a mão- O que você acha?

- Sim...Obrigada.- sorrio e aperto a mão dele

 

Já não me sinto mais sob pressão. E acho que tenho um novo amigo.





~Quebra de tempo~



 

A aula foi bem básica. Descobri que o verdadeiro motivo de sentarmos em duplas é porque teremos um longo trabalho pela frente, que ocupará um trimestre inteiro, apenas para a parte da confecção. Se quero me destacar, vou precisar ajudar Max, ao envés de ser um peso para ele. Mal nos conhecemos e já precisei pedir ajuda.

 



- Aqui Jo.- ele me entrega seu caderno- Pode copiar as anotações, anotei praticamente cada palavra que ela disse. Parece estranho, eu sei, mas se não for assim, não consigo estudar bem.- Max se atrapalha e fala rápido, ele quase empurra o caderno contra minha barriga, mas não me importo, pois acabo de descobrir que temos algo em comum

 


- Nossa...eu achei que era a única que anotava cada coisinha.- rio e ele ri também- Obrigada de novo.

 


Guardo o caderno dentro de minha mochila, que pende sob um de meus ombros.

 



- Sério?- ele parece surpreso- Que bom! Vamos ser uma ótima dupla.

- Sim. Bom...já vou indo. Até amanhã.- aceno com a mão e começo a virar de costas para ele

- Ã-ahm...espere Jo. Você não quer me passar seu número?- Max pergunta, me fazendo parar onde estou

 

Quê? Meu número para ele? Fazem só quatro horas desde que sei seu nome... Que cara mais sem noção.


- Não. O que é que você tá pensando?- viro e pergunto confusa com um tom sarcástico em minha voz- Só porque conversei com você não significa que estou interessada.


 Pela primeira vez hoje falei fluentemente inglês sem nem precisar pensar antes de pronunciar as palavras. Chocada e orgulhosa ao mesmo tempo.


- E- eu pensei...você sabe...seria bem melhor para o trabalho. Mas se prefere se comunicar só pessoalmente...tudo bem.- Max está vermelho e com a mão atrás da nuca


 

Eu sou uma grande gênia...O único cara que poderia se interessar por mim futuramente e eu já parto pra cima sem motivos...Agora ele pensa que sou uma tigresa, pareço um bicho do mato. Agora meu problema para conversar volta como num estalar de dedos.




- A-Ah desculpa...eu fui meio impaciente...- começo a ficar mais vermelha que ele e minha voz está trêmula- Tchau.- falo baixinho e saio andando o mais rápido que posso
 

 

Consigo ouví-lo me chamar, mas continuo. Que vergonha! Eu deveria perguntar a mim mesma: Quem EU penso que sou? Só porque ele pediu meu número, não significa que está me paquerando. Eu deveria ter imaginado que tinha relação ao trabalho. Só não sei como vou olhá-lo nos olhos amanhã. Quero me enfiar num buraco e não sair mais.









Notas Finais


Aviso que eu ainda não havia dado: Fotos dos capítulos representam os personagens/estilo dos mesmos.

Espero que tenham gostado do Max •-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...