História Joody, A Ilha Secreta - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias 2PM, A Seleção, A.C.E, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Bi Rain, Black Pink, Boys Republic, EXO, F(x), G-Friend, Got7, IKON, Infinite, Kim So-hyun, Kim Yoo-jung, Mamamoo, Monsta X, Seventeen, TWICE, UP10TION, VAV, VIXX, Wanna One, Yeo Jin-goo, Yoo Seung-ho
Personagens Amber Liu, B.I, Bang Yongguk, Hongbin, Jackson, Jacob, Jennie, Jinyoung, Joo Heon, Junho, Kang Daniel, Kim Seokjin (Jin), Kim So-hyun, Kim Yoo-jung, Lee Jihun "Woozi", Lisa, Mark, Momo, Myungsoo (L), Personagens Originais, Rain, Sana, Solar, Sowon, Sungjun, Suwoong, Wooshin, Wow, Yoo Seung-ho
Tags Achillo, Amber, Bang Yongguk, Bi Rain, Chanbaek, Daniel, Han Hyunmin, Hongbin, Jacob 'vav', Jennie, Jin, Jooheon, Junho, Kim Hanbin, Kim Minjae, Kim Sohyun, Kim Taehee, Kim Yoojung, Lisa, Markjinson, Momo, Park Jiyeon, Ryu Hwayoung, Sana, So Jisub, Solar, Sowon, Sungjun, Suwoong, Woo Dohwan, Wooshin, Woozi, Wow, Xiuchen, Yoo Seungho
Visualizações 6
Palavras 4.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa é minha primeira fanfic que posto aqui no spirit, que escrevo também, então relevem os erros.
Eu irei postar um capítulo a cada Domingo, caso não houver imprevistos.

Capítulo 1 - A Ilha Joody


Fanfic / Fanfiction Joody, A Ilha Secreta - Capítulo 1 - A Ilha Joody

    - Alteza, sua filha acabou de se formar no Instituto Joody, no dia 01 de Fevereiro de 2018, hoje de manhã, então daqui a alguns minutos ela já estará aqui. - Informou Park Jinyoung, o seu secretário pessoal.

    Jung Jihoon, mais conhecido como Rain, é o Rei de Joody, sua pele é bronzeada e seus cabelos e olhos castanhos escuros. Ele nasceu em 1982 e possui hidrocinese. 

    - Obrigado por me informar, mas quantas vezes eu já te disse pra deixar a formalidade e honoríficos de lado? - Disse Jihoon dando um sorriso gentil. - Onde está a Tae? - Perguntou.

    - Ela está conversando com a Jiyeon e mais algumas amigas no jardim, que pela voz digo ser a Amy Lee e a Victoria Song, você quer que eu a chame?

    - Não, deixa ela conversar. Hum... você poderia ver algumas informações no Instituto e descobrir mais algumas coisas sobre a minha filha, como as comidas favoritas dela? Eu gostaria de preparar um jantar especial.

    - Sim, alte... Jihoon. Já irei fazer o que o senhor me pediu, mas você que irá fazer a comida ou prefere que os cozinheiros façam?

    - Peça para eles fazerem. Estou ansioso demais, é capaz de eu atrapalhar alguma coisa, mas pergunte a Taehee se ela quer, ela pode ficar magoada se não ajudar em algo.

    Kim Taehee, é a rainha e esposa do Jung Jihoon, ela nasceu em 1980 e consegue mover metais com a sua telecinese. Seus cabelos são pretos e seus olhos têm uma tonalidade mais clara, um castanho escuro.

    - Sim, senhor. Caso necessite de mais alguma coisa é só me chamar. - Avisou Jinyoung se retirando do escritório.

    Park Jinyoung é um moço jovem, que nasceu em 1994 e possui os cinco sentidos super aguçados. Seus cabelos são escuros, assim como seus olhos. Ele trabalha com o Rei Jihoon desde a morte de seu pai, ajudando o Rei Jihoon o máximo possível. 


°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°

    - Olá, eu me chamo Kim Yoojung, Filha do Rei Jung Jihoon e da Rainha Kim Taehee. - Me apresentei quando cheguei em casa e todos estavam a minha espera, os funcionários e a minha família. - Tenho 18 anos de idade e tenho hidrocinese. 

    - Nossa, minha filha é tão linda. - Falou Jihoon, meu pai, se aproximando e me abraçando, abraço que correspondi em poucos segundos. - Puxou a sua mãe. - Falou tocando em meu rosto enquanto sorria gentilmente. 

    - Ela também puxou a você. - Mama disse enquanto aproximava. - Olá, Yoojung, sou Kim Taehee, sua mãe. - Cumprimentou me abraçando e eu pude sentir algumas lágrimas caírem em meu ombro que estava a mostra, pois meu vestido azul simples era caído na parte do ombro, mas ela se afastou e disfarçou rapidamente. - Você deve estar bastante cansada e com fome, né? - Minha mãe perguntou sorrindo sutilmente para mim e logo balencei a minha cabeça positivamente. - Então você irá descansar após o almoço, ok? Depois mostramos a nossa casa pra você e nos conhecemos melhor. - Ela falou indo até a cozinha. - Sendo seguida por uma mulher, meu pai, um homem que devia ser o pai do meu amigo Sungjun, o qual eu tive contado por um tempinho no Instituto, e um outro homem. - Mas não me importei em saber quem eram, eu estava muito exausta, os treinos no Instituto eram muito complicados fisicamente e psicologicamente. 

    Durante o almoço eu pude conhecer melhor os meus familiares, como a minha tia materna Park Jiyeon, o meu tio paterno mais novo Lee Junho e o meu tio paterno mais velho So Jisub, o qual apresentou o seu filho Park Sungjun, fazendo as pessoas que estavam à mesa ficarem surpresos por eu já o conhecer. Eu e o Sungjun contamos como nos conhecemos e o que passamos no Instituto, fazendo os mais velhos rirem com as histórias engraçadas de nós dois.

    Park Jiyeon, a irmã mais nova da minha mãe, nasceu em 1993 e possui superagilidade. Seu físico é bastante magro, seus cabelos eram pretos e seus olhos castanhos escuros. Eu não conversei muito com ela, mas quem sabe não a conheço melhor depois. Jiyeon estava solteira, mas eu conseguia ver os olhares entre ela e meu tio paterno mais novo, Lee Junho.

    Lee Junho, o irmão mais novo do meu pai, nasceu em 1990 e pode controlar e manipular a terra, pela geocinese. Seus cabelos são castanhos claros, já seus olhos são mais escuros. O seu sorriso era muito bonito, mas aparentava tristeza. Agora que pude ver, Jiyeon também não parecia feliz, eles deviam ter brigado antes do almoço.

    So Jisub, o irmão mais velho do meu pai, nasceu em 1977 e exerce o poder da cura. Ele era casado, mas, infelizmente, sua esposa faleceu, deixando ele e seu filho, Park Sungjun. So Jisub tinha o físico bastante musculoso e seu rosto marcado pelas rugas da idade, seu rosto parecia cansado, devia ter acabado de sair de um plantão do hospital, ele e Junho são os únicos que trabalham fora de casa na minha família, Junho era pedreiro/ arquiteto/ engenheiro e Jisub médico. 

    Park Sungjun, nasceu em 1992 e exerce a super força. Seus olhos e cabelos são escuros. Eu já o conhecia, passei sete meses com ele no Instituto quando eu tinha 7 anos e ele 14 anos, Sungjun já estava na última fase, a do combate corpo a corpo, ele sempre teve um ótimo controle dos poderes apenas não se dava bem em algumas matérias que eram passadas, se não fosse por isso ele ia sair do instituto com 10 anos. Eu o conheci no intervalo onde sempre conversávamos quando descobrimos ser parte da mesma família, normalmente todas as classes se juntavam no intervalo e se alguém causasse alguma confusão iria ficar de castigo, ou seja, sem contato com ninguém além dos professores. Mas depois de um tempo, sete meses, ele se formou e teve que sair do Instituto me deixando sozinha no 2° ano.

    - Vou te acompanhar até o quarto. - Mama avisou depois de perceber o quanto estava exausta. - Não deve ter sido fácil você enfrentar tudo aquilo sozinha, na minha época eu tinha o seu pai para me consolar e vice-versa. - Falou enquanto me guiava até o meu quarto.

    - Eu não estava completamente sozinha, eu conheci pessoas legais na minha estadia por lá, como o Sungjun e a Kim Sohyun, fico triste por ela não poder sair de lá. Tive um outro amigo também, mas não quero falar dele agora.

    - Tudo bem. Mas por que a Sohyun não pode sair de lá, filha? - Perguntou abrindo a porta do meu quarto, o qual tinha uma estrutura média, com as paredes em tons de bege e minha cama se localizava no centro da parede de frente a porta, ao lado esquerdo da cama tinha um banheiro, e uma janela em cima dela, junto com uma mesinha do lado direito e um lustre no centro do teto. - Não fizemos muita coisa porque queríamos que você ajeitasse do seu jeito.

    - Ok, tudo bem. A Sohyun só pode sair de lá se alguém a contratar ou adotar, ela já sabe controlar os poderes, apenas não tem para onde ir. Sohyun também se formou hoje.

    - Os pais dela a tiveram antes do casamento? - Perguntou e eu afirmei. - Fico triste por ela, mas quem sabe não damos um jeito nisso mais tarde. Não compramos um guarda roupa pra você ainda, mas tem aquela mala ao lado da sua cama que está cheia de roupas, então você pode escolher alguma que combinar melhor com você. Amanhã podemos ir comprar as suas coisas. Ah, e também tem a sua mochila, um dos seguranças trouxe pra cá no caminho. Estou indo. Yoojung, eu senti muitas saudades sua, muito mesmo. - Falou me abraçando. - Fico feliz por você estar aqui comigo. - Disse se afastando e depositando um beijo na minha bochecha.

    - Também senti muitas saudades sua e do papa. - Falei antes dela sair do quarto. - Vou tomar um banho e depois irei dormir, preciso dormir direito pelo menos uma vez na vida. - Falei para mim mesma. 

    Abri a mala, colocando ela no chão perto da minha cama, as roupas da mala eram muito bonitas, mas optei por uma calça legging preta e uma regata da cor salmão. Depois de escolher as roupas fui ao banheiro, tomando um banho rápido e ao terminar me deitei, dormindo rapidamente.


    Quando acordei olhei para o relógio que tinha na porta e era 9 horas da noite. Eu passei mais de 8 horas dormindo, diferente do tempo em que estudava no Instituto Joody, pois eu tinha que estudar doze matérias desde os meus quatro anos e sem contar com a introdução, controle, treinos e combates dos poderes, sempre ia dormir as 11 horas da noite e as aulas começavam as 5 horas da manhã, todos faziam o mesmo, não tínhamos tempo para nada além de treinar e estudar, ficávamos cansados a maioria do tempo, e o pior de tudo é que somos obrigados a ir para o Instituto assim que nascemos, os funcionários de lá que nos dá o nosso nome, eles que nos ensina quase tudo, não temos nenhum contato com o mundo de fora enquanto não sabemos lidar completamente com os nossos poderes ou as matérias dadas, assim não temos contato com os nossos pais durante esse tempo. O bom é que a partir do momento que você sai do Instituto você é declarado maior de idade, independentemente da idade.

    - Licença, princesa Yoojung, você está acordada? - Perguntou um homem que batia na porta e logo em seguida a abrindo lentamente.

    - Sim. - Falei me sentando. - Me desculpe, mas quem é você? Eu lembro de ter te visto mais cedo, mas eu não sei o seu nome.

    - Desculpa por não ter me apresentado mais cedo, mas achei melhor me apresentar depois, no caso agora. - Se desculpou. - Me chamo Park Jinyoung e sou o secretário do seu pai, nasci em 1994 e tenho os cinco sentidos apurados. Vim aqui para te avisar que seus pais estão numa reunião e eu terei que te mostrar a casa. Irei me retirar, mas quando você estiver pronta é só me chamar.

    - Como você irá escutar? Ah, lembrei, esquece, não perguntei nada. - Falei fazendo o secretário sorrir, mas ele se retirou rapidamente do quarto. 

    O sorriso dele é muito bonito, ele também é, acho que me apaixonei. Com certeza namora. Brinquei em meus pensamentos, já que Jinyoung poderia ouvir caso eu falasse ou sussurasse. 

    Me levantei da cama e fui até o banheiro para me ajeitar e ficar mais apresentável na frente de pessoas bonitas, como o Jinyoung e o Sungjun. Arrumei meu cabelo num coque deixando uns fios de meu cabelo castanho médio soltos. Escovei meus dentes e lavei meu rosto, passando uma maquiagem leve depois de secá-lo, a qual eu tinha trazido na minha bolsa, junto com alguns presentes simples que eu ganhei no Instituto e algumas roupas que deixei de lado após ver aquela mala que tinham separado para mim. Quando terminei de passar a maquiagem fui escolher uma blusa de frio, pois ficar apenas de regata não era muito bonito. Fiquei muito indecisa sobre qual escolher, mas no final eu resolvi pegar uma blusa estilo social preta com flores em tons de vermelho, que mostrava a regata por trás, já que era um pouco transparente. Me olhei novamente no espelho do banheiro e chamei o secretário.

    - Desculpe a demora, eu estava ajeitando uns papéis dos seus pais. Você quer conhecer qual cômodo primeiro?

    - Vamos começar pelo salão principal e depois subimos no segundo, terceiro e quarto andar, tem terraço? - Perguntei e o Jinyoung assentiu, logo me levando até o salão principal, todos os andares eram conectado pelas escadas. 

    - Aqui é onde comemoramos datas festivas, como o aniversário do rei e da rainha e futuramente o seu, que será em setembro, também comemoramos o aniversário dos seus tios e do seu primo; e comemoramos casamentos, como o do seus pais e do seu primo. - Mostrava o salão, bastante sofisticado e grande, tinha grande lustres no teto e um palco no centro do salão, que já estava com três microfones preparados. - Íamos comemorar a sua chegada assim que você chegasse, mas a rainha Taehee discordou da ideia, ela disse que você chegaria muito cansada e, como sempre, a rainha estava certa. - Eu não consegui ouvir muita coisa depois que ele disse que o Sungjun se casou, eu fiquei chocada, ele não havia me dito e eu nem havia visto a esposa ou esposo dele.

    - Pera, o Park Sungjun é casado? Desde quando? Nem fiquei sabendo, ele nem me contou durante o almoço, eu também não vi a esposa ou esposo dele. 

    - Ele deve ter esquecido de te avisar, mas seu esposo não estava presente porque ele havia levado o irmão mais novo para o hospital. O senhor Park se casou no final de setembro do ano passado, seu esposo se chama Lee Suwoong, ele nasceu em 1995 e tem o poder da cura, ele trabalha no Hospital aqui perto, mas estava de folga hoje, só que quando o irmão passou mal ele teve que o levar, já que não pode usar o poder de cura sem supervisão. Seu irmão se chama Kim Wooseok, mas o chamamos de Wooshin, nasceu em 1996 e exerce a criocinese, ou seja, ele pode manipular e controlar o gelo. Amanhã você pode conhecer eles ou até hoje dependendo da hora que eles chegarem. Vamos até a cozinha agora. - Falou me guiando até uma porta que ficava mais próxima do lado direito do salão, abrindo essa porta vi um corredor com quatro portas, duas de cada lado. - As últimas portas é onde ficam os armazenamentos de comidas. Essas primeiras é para as cozinhas. - Falou abrindo a porta para uma das cozinhas. O tamanho da cozinha era médio, os móveis era todos interligados, criando três linhas retas de fogões, bancadas e pias, as geladeiras ficavam encostadas na parede do fundo. Tinha cinco cozinheiros preparando o jantar. - Normalmente o jantar sai umas 18:00 horas, mas mudamos o horário hoje para você poder se alimentar melhor.

    - A outra cozinha é idêntica a essa? - Perguntei e ele afirmou. - Então não precisamos ver a outra. Eu já vi a sala de jantar mais cedo, mas não lembro de muita coisa, você pode me levar para lá novamente? - Perguntei e ele me guiou me levou para fora daquele corredor, entrando em uma porta que ficava mais para o lado esquerdo do salão. A sala de jantar tinha uma tonalidade mais escura comparado com os outros cômodos, marrom misturado com dourado e prata, as cores do salão, a sala de jantar tinha um grande lustre no centro, a mesa era bastante grande no centro com 16 cadeiras, 7 em cada lateral e uma no término e começo da mesa. - Obrigada por me mostrar esse cômodo novamente.

    - Por nada, vamos até o segundo andar agora, lá é onde fica o escritório, a sala de reunião e os quartos da família real, há treze quartos e duas salas no total, um para seus pais, um para você, dois para seus tios, um para sua tia, um para o seu primo e esposo, um para o irmão dele e restante é para outros familiares que possam vir, o escritório fica na última porta no fim do corredor e é interligada com a sala de reunião, por dentro. 

    - Vamos pular os andares dos quartos, não quero invadir o espaço privado das pessoas. - Falei subindo para o terceiro andar.

    - Então teremos que ir para o terraço, pois os próximos andares são apenas quartos, o terceiro andar é para visitas ou caso ocorra alguma Seleção e o quarto andar é para os funcionários. No terceiro andar tem 12 quartos, com banheiro, cada um com duas camas de solteiro, uma mesa para estudos e dois quarda-roupas. Já no quarto andar tem 34 quartos pequenos, mas todos têm guarda-roupas, apenas cinco tem cama de casal, 2 lavanderias, 2 banheiros com vários vasos sanitários e 2 banheiros com vários chuveiros.

    - Jinyoung, já houve alguma Seleção desde o começo de Joody? - Perguntei enquanto acompanhava Jinyoung até o terraço.

    - Sim, em 1886, depois de um ano do descobrimento dessa ilha, ocorreu a primeira seleção e a primeira sociedade, o John Joody passou por uma seleção já que ele dizia não gostar de ninguém, apenas queria uma pessoa que pudesse continuar com a família real e foi assim que ele conheceu a Alice Ju, e houve outra em 1904 com o filho do Joody, Hall Lah, que no final se casou com a Jiji Nal. Até agora só houve duas seleções na realeza.

    - Talvez ocorra uma terceira, pois não estou afim de esperar o meu príncipe encantado chegar. - Falei quando cheguei no terraço, o terraço era como um jardim, rodiado por grama e uma sala de vidro com variedades de flores, havia alguns bancos para as pessoas sentarem e observarem a paisagem ou conversarem. - Wow, isso daqui é lindo. Eu estou curiosa sobre uma coisa, você tem algum relacionamento? - Perguntei o fazendo dar uma leve risada.

    - Tenho. Tenho dois namorados, Mark Yien Tuan e Jackson Wang, Mark é de 1993 e Jack é de 1994, como eu, Mark controla fogo e Jack a força, os dois também são funcionários daqui, Mark é um dos cozinheiros e Jack um dos seguranças. 

    - Wow, já tava esperando que você tivesse um, mas dois me surpreendeu. - Falei, aquilo realmente me surpreendeu. - Deve ser bastante comum as pessoas se surpreenderem com isso, né? 

    - Sim, mas já nos acostumamos. Os seus pais já terminaram a reunião, a senhorita gostaria de ir até eles? - Perguntou Jinyoung me deixando um pouco confusa.

    - Sim, adoraria. Já ia te perguntar como você sabia que eles terminaram a reunião, mas ainda bem que pensei melhor antes de perguntar. Mas se você pode escutar tudo que acontece nesse castelo, você escuta quando alguém tá fazendo aquilo?

    - Aquilo? - Perguntou Jinyoung rindo sutilmente. - Primeiro, eu só escuto o que eu acho importante pra mim. Segundo, os seus tios paternos não fazem, já que não são casados e são heteros, seus pais também não e sua tia também não, apenas o Sungjun e o Suwoong fazem, já que não precisam se preocupar em engravidar o parceiro por houver uma probabilidade de os métodos contraceptivos derem errado, mas de qualquer maneira eu não fico escutando o que não acho importante. E terceiro, que curiosidade é essa, Princesa?

    - Nada não. Eu vou te chamar de Jin, ok? - Perguntei e ele assentiu. - E pode me chamar de Yoojung. - Falei enquanto corria para o segundo andar, onde o Jinyoung disse que ficava o escritório, chegando no local desejado meu pai me pediu para entrar e foi isso que eu fiz, Jinyoung disse que iria conversar com o Mark.

    - Que bom que você está aqui, filha, já iria te chamar. - Meu pai disse quando entrei na sala, minha mãe estava sentada em uma cadeira próxima a do meu pai. - Quero te passar as informações básicas da nossa ilha. - Ao falar isso meu pai se sentou na cadeira próxima da minha mãe e eu me sentei na cadeira de frente para minha mama, já que tinha duas cadeiras.

    - Após terminarmos de falar com você nós iremos falar uma surpresa. Então, Yoojung, você deve saber que vivemos em uma ilha secreta, nos escondemos do mundo de fora e que nos localizamos no centro do Triângulo de Bermudas, desde 1885, sendo descoberto por John Joody, assim sendo o nome da ilha, Joody, nossa população é de 250.891 habitantes, nossa população e nós somos chamados de Joosians, nossa moeda oficial se chama Ody, a nossa língua oficial é Dyense. Além disso o nosso povo é diferente de qualquer um, pois temos poderes. Temos cinco regras, claro, há outras, mas essas são as principais: não ter filhos antes do casamento; todos os Joosians irão ao Instituto assim que nascer, todos aqueles que possuírem habilidades; proibido tentar ou fugir de Joody; sempre haverá uma troca de rei e rainha quando o filho ou filha fizer 20 anos de idade; e, por último, mas não menos importante, já ser considerado maior de idade após sair do Instituto. Se alguém ter um filho antes de se casar, o filho será levado diretamente para o Instituto, não tendo nenhum contato com os pais, só sairá do Instituto se alguém o adotar ou o contratar. É o Instituto que escolhe o nome das pessoas, os pais não tem nenhuma influência. Os únicos que podem sair da ilha Joody são os que podem se teletransportar, com o objetivo de conseguir comida para nosso povo, ou aqueles que tentam fugir, mas os fugitivos perdem o poder até voltar, o que demora por volta de um ano, mas só com a autorização do rei e da rainha.

    - Como vocês sabem se alguém foge daqui? Assim, não tem muitos fugitivos, mas há, como vocês conseguem capturá-los de volta? O Instituto nunca nos disse isso, não importa quantas vezes perguntássemos eles falariam que não podemos saber. - Falei enquanto lembrava das aulas de história em que o meu questionamento não era respondido.

    - Assim que o bebê nasce é colocado um localizador que se espalha por todo o corpo, sendo impossível de retirar o localizador. Só o Rei, a rainha e os policias tem acesso a localização das pessoas, quando uma delas tenta fugir é captado pelo radar, por isso os policias são a maioria velocistas, para alcançar o fugitivo, quando capturamos o fugitivos nos retiramos a habilidade e damos uma moradia para eles em outro país, mas eles poderão voltar quando quiser, mas com a condição de não contar nada sobre nós, aí quando a pessoa volta nos devolvemos a habilidade. Acho estranho eles não falarem sobre isso, eu não lembro de ter proibido isso, preciso conversar mais tarde com o Jinyoung sobre. - Meu pai falou segurando a mão da minha mãe.

    - Você deve saber como ganhamos o nosso poder, mas irei falar por precaução. - Minha mãe começou a falar. - John Joody acabou parando aqui do nada, ele estava num barco de emergência, pois o navio em que ele estava quebrou durante a navegação, junto com mais dez pessoas, e acabou parando no meio dessa ilha, ele e outras cinco pessoas eram cientistas, três eram médicos e dois eram pedreiros/engenheiros/arquitetos. Nessa jornada ele acabou descobrindo uma pedra, uma pedra não, várias, e eram bem bonitas, ele e os outros 10 resolveram pegar todas que achassem e guardá-la, pois ela chamava bastante atenção, mas depois de alguns dias eles perceberam que estavam com habilidades a mais, tipo, um dos cientistas começou a fritar uma banana do nada, outros iam para um lugar mas nem tinham se movido e etc. Depois de algumas pesquisas que eles fizeram com o que tinham eles perceberam que aquela pedra estava dando os poderes a eles. Como eles não queriam dar o prestígio para todos, já que tinham muitas pessoas egoístas e competitivas, então eles resolveram criar uma sociedade só para eles, onde só poderiam entrar aqueles que eles poderiam manipular para um bem melhor, como as crianças, e amigos confiáveis. Então eles se separam, uns foram a procura de outras pessoas e uns para construir a cidade. E foi assim que surgirmos. 

    - YooJung, daqui a dois anos você vai virar rainha, eu não precisei me preocupar na minha época pois já sabia que iria casar com a sua mãe desde o Instituto, mas você já tem alguém em mente? Quer andar pela cidade a procura de alguém? Ou prefere fazer a seleção? - Perguntou meu pai.

    - Acho melhor eu fazer a Seleção, irá ser mais rápido. Como vocês se conheceram e por que só me tiveram ou vocês têm outro filho ou outra filha no Instituto? - Perguntei fazendo os dois se entreolharem sorrindo.

    - Nos conhecemos quando estávamos na fase de controle, não sabíamos controlar as nossas habilidades e por não saber controlar a hidrocinese me deram o apelido de Rain, por eu sempre molhar meus colegas de classe. Eu sempre emiti o fato de eu ser um dos possíveis reis, mas quando me declarei para a Tae também contei esse fato, o que a surpreendeu, já que ela pensava que as pessoas da realeza fossem metidas. A minha sorte era que o sentimento era e ainda é recíproco, sentimento que durou desde a segunda classe até agora. Nós terminamos as aulas no Instituto no mesmo dia, quando a Tae tinha 17 e eu 15 anos de idade. - Falava meu pai com um sorriso bobo no rosto, o que dava pra perceber que ele era e ainda é muito apaixonado pela minha mãe. 

    - Não temos outro filho, você é nossa única filha, eu não posso engravidar novamente, pois posso morrer, mas não quero arriscar tanto assim, ter uma filha bela e inteligente como você, Yoojung, e um marido tão dócil e bondoso como Jihoon, é tudo que eu preciso. - Falou enquanto seus olhos lacrimejavam rapidamente.

    - Futuramente quero poder amar alguém como vocês se amam. Mas, pai, se o não usamos mais aquelas pedras para termos poderes, já que passa pela genética, por que ainda as guardamos aqui?

    - A predra consegue esconder a ilha inteira, ela nos protege do mundo de fora, além de que a força magnética que ela tem faz os automóveis aéreos e aquáticos que passam por perto virem até a nossa fronteira, a praia, pelas fortes tempestades, nós resgatamos a tripulação que servirá como empregados do nosso povo e os automóveis servem para podermos criarmos mais coisas. Mas o ruim é que não sabemos a origem dessa pedra apenas sabemos que o Joody a encontrou. Os nossos antecedentes nos ajudaram a ter água potável para bebermos, casas para vivermos, trabalhos para nos sustentarmos, a energia e a internet. Nós da realeza temos contato com tudo relacionado ao Instituto e a cidade. Ah, já ia esquecendo, a pedra nos dá efeitos colaterais, como a nossa aparência asiática.

    - Senhor Jung e senhoritas Kim's, o jantar está pronto. - Avisou Jinyoung quando meu papa abriu a porta, já que Jin havia batido segundos antes. 

    - Venha jantar conosco, leve seus namorados também. - Meu pai falou para Jin. - Depois eu preciso conversar com você sobre algo. - Jinyoung assentiu.

    - YooJung, não conseguimos te contar a surpresa, mas depois contaremos, ok? - Falou minha mama acariciando meu cabelo e eu assenti, depois ela me ajudou a levantar e me acompanhou, junto com o papa, até a sala de jantar. - Suwoong e Wooshin devem ter chegado, então você irá conhecer eles, os namorados do Jinyoung também, é bem normal eles se juntarem a nós no jantar, eles são os funcionários mais confiáveis que temos, então adoramos passar um tempo com eles, além de eles serem lindos, até mais do que o Jinyoung. 

- Não acho que exista ser humano mais bonito que o Jinyoung. - Falei rindo junto com minha mama. - Mas não vejo a hora de conhecê-los


Notas Finais


Então é isso, espero que gostem.
Os namorados do Jinyoung seriam assim tão bonitos como a Taehee falou ou a Yoojung tem razão em achar que o Jinyoung seria mais bonito que Mark e Jackson?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...