História Jornada Sombria - Percy Jackson - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Grega, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Percy Jackson
Tags Amor, Aventura, Deuses, Grover, Hades, Percabeth, Percy, Percy Jackson, Poderes, Rachel, Romance, Sexo Implicito, Zeus
Visualizações 38
Palavras 925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


~Estou sozinho, mas com todos em minha mente complexa
Lokibooks 2017

~Espero que gostem do capítulo❤

Capítulo 3 - Capítulo 2


Nico Di Angelo 

Quinto dia desde o início do Verão 

07:10 - Acampamento Meio-sangue

Estaria largado, igualmente meus cabelos negros, que se definiam mais ainda acima do sofá branco. Meus olhos que eram de uma cor tão escura quanto meu cabelo, fixaram-se num garoto de corpo levemente definido, cabelos lisos e sedosos, tão claros quanto o sol daquele início de manhã.

Enquanto o via dormir, com o rosto pesando sobre meu peito, levei uma de minha mãos geladas a sua nuca, o mesmo arrepiaria com o frio delas, mas logo relaxava, sentia meu rosto ferver, eu notei que ele não dormia, podia notar que seus olhos se mexiam de um lado pro outro com o decorrer do carinho. Aproximaria nosdos rostos, fazendo minha pesada colidisse com a do loiro, logo ficava seme reação, mas eu não era o único, o que fingia dormir também, aproximou o rosto até o meu, dando um selinho quente -Sim, literalmente, era quente..  não intenso, não que não quisesse a deixe queito...- Sorri timidamente, logo vi aquele garoto "acordar" e meu sorriso tímido ficou sem graça, então ouvi sua voz rouca e um tanto sonolenta percorrer a sala toda:

~Bom dia trevoso

~Bo-Bom dia solzinho

"Sério isso?"

Essa era a unica coisa que passava na minha cabeça, eu estava super sem graça, e ainda por cima mandava um apelido ridículo pra cima do meu namorado, que logo riria um tanto do apelido e daria soquinhos sem força em meu braço pra se controlar da risada, dava um peteleco no nariz dele do revidando os risos

-Vou te chamar de... de... de camarão se rir dos meus apelidos 

-Camarão por que?

-Seu bronzeado está feio, parece que caiu numa lata de tinta vermelha, e ficou de molho esperando secar 

O loiro olharia pro lado saindo da proximidade, e estaria de cara amarrada, como se eu realmente tivesse falado na maldade, logo eu estaria rindo, mas foi bem rápido, pois ele me olharia corado de nervoso, eu o olho aproximo nossos rostos, e aperto seus lábios, o mesmo não resistiria e riria

Com o tempo rindo, me espreguiço, e vou a janela, pra poder sentir obar puro,;mas acabei vendo Percy, passar correndo pelo chalé sete com mochila nas fostas r rosto tristonho, só pensava:

"Vai dar uma merda? 

Olharia pra trás, e veria o meu namorado -Devo ter esquecido de dizer, Will Solace o nome dele... o chamo de amor invés de Will...- Via ele, com um sorriso leve e calmo, o loiro cobria seu corpo invejável com uma camiseta regata, me olhando estranhado alguma coisa, escondendo alguma coisa 

[...]

Pov's Will Solace

Quinto dia desde o início do verão 

Mesmo horário e local

Quem notasse o que planejava iria querer me estapear uma dezema de vezes seguidas até suas mãos formigarem. Olhava Nico com um sorriso com a brincadeira que fizemos, e outro pela vontade sem cogitar se não faria o meu plano, logo levanto num pulo após colocar a camisa, e vou ao dormitório do chalé, tinha uns semideus babões, logo levo a mão aos lábios, e assobio alto e estridente, os acordando

-Levantem seus dorminhocos

Falei, logo recebi uma almofada de uma irmã, e fiz questão de começar a cantar uma música cujo ela odiava, logo eles levantavam e falavam eu unison:

-Okay Okay

Ri alto, e fui pra sala, e sai do acampamento,logo pegando um táxi com toda a exonomia dos últimos meses, só dizendo:

-Hollywood, por favor

-Como?

Disse o motorista, surpreso e estranhando isso vir de um adolescente,  e não acreditaria que tivesse dinheiro pra isso 

-Hollywood, vá para Hollywood motorista 

-Tem como pagar por acaso?

-Sim, tenho o suficiente pra pagar e ainda uns lanches, agora vá por favor 

E assim o fez, o motorista receoso, apenas o fez, logo saindo até mesmo de Long Island e seguindo as longas avenida que conectavam as cidades próximas  

[...]

Percy Jackson

Quinto dia desde o início do verão, 

18:50 - Dentro do bagageiro 

O ônibus pararia, e ouviria vozes a frente do ônibus, não qualquer voz, uma amedrontadora, seca. Puxei a minha caneta esferográfica, e a ativei, logo fazendo ser uma linda e reluzente espada de bronze celestial, cujo afetaria somente os monstros. Logo ouvi o destravamento e já estaria preparado pra golpear, o mesmo abriria e tinha um homem alto de cabelos grisalhos, com uma imensa tatuagem que cobria todo o rosto, e outro baixinho, anão pra ser preciso, com uma barba tão grande quanto o mesmo, quando me viu rosnou enquanto puxava um punhal, desferiria logo um corte em seu pescoço, que o atravessaria sem o machucar, porém a espada seguriria seu caminho com força, chocando contra a coxa do outro, a fazendo estourar em pó dourado, para meu azar, o anão atirou a adaga, que fincaria no meu ombro. 

Estaria agachado, já que não era uma local adequado para circulação, então chutei o rosto do barbudo, que cairia no chão segurando o nariz, logo sai do bagageiro e pularia encima do anão e seguraria seu pescoço pequeno, falo baixo porém sério

-Por que... pra... quem trabalha? - Ele sorriu, embora soubesse que iria o interrogar, logo pensava como Annabeth fazia falta, suas intimidações eram mais convincentes- Fale logo

-Para a T

-T? Fale sem abreviacoes 

Daria um socoo no nariz dele, que piscaria pesado para não perder a consciência, logo falava baixo quase sem som, a somente a palavra Tha, quem era Tha? Não fazia idéia, apenas segurei com força seu pescoço, até o desmaiar, e fui ao banheiro da parada, onde pude tirar a adaga, gemendo de dor, pegava a água em punhados e jogava no ombro, que podia ver se fechar em um bom tempo

Fim do quinto dia...



Notas Finais


É isso gente, por ai vem mais capítulos, tentarei postar o mais rápido possível, me perdoe se tiver algum erro, estou escrevendo pelo celular
~Tomara que tenham gostado♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...