História Jovens Rebeldes - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 3
Palavras 4.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Capítulo 03


No quarto de Larissa Manoela, Giovanna Chaves e Mharessa Fernanda:


Giovanna Chaves: Eu vou te dar uma surra! (Me aproximo dela também)

Larissa Manoela: Experimenta para você ver se eu não arranco todo esse seu cabelinho de Polly Pocket loiro.

Giovanna Chaves: Você já chega aqui no quarto achando que é a dona de tudo! Ainda por cima jogou esse seu suco no cabelo da minha amiga!

Larissa Manoela: Ah, você tá preocupada com o suco? (Abro minha bolsa e pego outro) Fica calma, amiga. (Abro o suco) Também tem para você. (Jogo todo no cabelo dela)

Giovanna Chaves: Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiin!! Sua louca! (Grito com raiva e desespero, enquanto passava a mão em meus cabelos)

Larissa Manoela: Fica calma, querida. Esse suco de uva combinou muito com seu cabelinho fashion. (Digo provocando)

Giovanna Chaves: Eu não vou ficar no mesmo quarto com você, nem sonhando garota!! (Puxo Fernanda e saímos do quarto)

Larissa Manoela: Adoro! (Grito rindo)

Na cantina do colégio:


Ana Vitória: (Entro) Oi Ivan, oi Leeh! (Reparo na bagunça) O que aconteceu aqui?

Ivan Parente: Oi Aninha. E o que aconteceu aqui foi que a... (Olho para os lados para ver se não tinha ninguém) A capetinha da filha do diretor, jogou os lanches todo no chão. Para que? Para o idiota aqui limpar!

Ana Vitória: A Raíssa Chaddad fez isso? (Digo chocada) A troco de que, gente?

Ivan Parente: Essa mesmo! E a troco de que ninguém sabe! Essa garota é perturbada, isso sim!

Letícia Cannavale: Vou te contar uma coisa, Aninha! Essa garota não tem um pingo de bondade no coração.

Ana Vitória: Eita, para fazer uma coisa dessas ela não tem mesmo. Vocês querem uma ajudinha para arrumar isso aí?

Ivan Parente: Claro que preciso, olha só a sujeira que aquela menininha do demo...

Letícia Cannavale: Não precisa, Aninha! Deixa que o Ivan toma conta disso tudo.

Ivan Parente: Dona Leeh, eu tô cansando sabia? Hoje eu trabalhei de mais.

Letícia Cannavale: Trabalhou no que criatura? Você não fez nada! Só fez comer que é a única coisa que você faz.

Ivan Parente: O Que? (Digo chocado) Dona Leeh, me responda uma coisa! Quem foi que lavou a louça hoje?

Letícia Cannavale: Lavar a louça não chega nem perto do que eu trabalho todos os dias! Agora pare de chilique, e vá arrumar.

Ana Vitória: (Risos) Só vocês dois mesmo para me fazer rir, em!

Na sala de estar:


Matheus Ueta estava sentado na sala estudando. Lucas Santos chega.


Lucas Santos: Haha, eu já vi de tudo... Só que não sabia que existia nerd nesse colégio. (Pego o livro dele)

Matheus Ueta: Ei! (Levanto) Me dá o meu livro, eu estou estudando! (Digo tentando pegar de volta)

Lucas Santos: Nada Disso! Por que? Vai fazer alguma coisa? (Digo rindo) Vacilão, tanta coisa para fazer e você vai estudar?

Matheus Ueta: Eu gosto de estudar! Quero ter um futuro melhor para mim.

Lucas Santos: Hahaha! Deixa de ser babaca, até parece que você vai ter algum futuro do jeito que é nerd. (Digo rindo)

Matheus Ueta: Se eu estudar posso ser empresário. E você se continuar desse jeito, no futuro vai trabalhar carregando carroça! (Digo com medo)

Lucas Santos: O que foi que você falou? (Jogo o livro dele no chão e o empurro fazendo ele cair)

Thomaz Costa: (Chego e vejo a cena) Deixa o muleque em paz, seu otário!

Lucas Santos: (Me viro para Thomaz) Não deixo, você vai fazer o que?

Thomaz Costa: Vou quebrar toda tua cara, é isso que eu vou fazer!

Lucas Santos: Quem te chamou aqui?

Thomaz Costa: Ninguém, mas quando o assunto é bullying eu sou o primeiro a vim defender! E se você não deixar o cara sossegado, você vai ser comigo!

Lucas Santos: E-e v-você acha que eu tenho medo de você? (Digo com frio na barriga)

Thomaz Costa: Se você não vazar daqui agora, você vai ver que você tem sim! (Me aproximo dele)

Lucas Santos com medo Thomaz, sai da sala de estar.


Thomaz Costa: (Estendo a mão para ele se levantar) Tá tudo bem com você, cara?

Matheus Ueta: (Seguro na mão dele e levanto) Tô bem sim! E obrigado por me defender, ninguém nunca fez isso por mim.

Thomaz Costa: De boa. Só que não deixa ele te fazer essas coisas não, quando ele ficar te provocando é só você encarar também!

Matheus Ueta: (Pego meu livro do chão) É que eu não gosto de encrenca.

Thomaz Costa: Não é que você não goste. É que você tem medo, e isso você não pode ter.

Matheus Ueta: Tá bom. Valeu aí mais uma vez, você foi muito gente boa comigo.

Thomaz Costa: Que nada cara. E se aquele babaca mexer com você de novo, é só me chamar que eu resolvo com ele, firmeza?

Matheus Ueta: Beleza.

Na diretoria:


Dalton Vigh: Eu ainda não posso acreditar que a Giovanna fez aquilo na frente de todo mundo. O que vão pensar do colégio agora?

Raíssa Chaddad: Aquela garota não tem limites pai. Eu não sei o que deu na cabeça dela de ter feito aquilo.

Dalton Vigh: Isso é falta de educação, isso sim. Mas também acho que ela não faria isso do nada, alguém botou algo na cabeça dela dizendo que o pai dela não ia vir.

Raíssa Chaddad: Que nada, pai. Ela fez aquilo sozinha. Mas também se perguntar para ela quem fez isso, ela vai dizer que sou eu. Aquela garota me odeia.

Dalton Vigh: Claro que ela não vai te culpar, aquela garota fez aquilo porque é sem modos mesmo.

Raíssa Chaddad: Mas pai... Mudando de assunto, vamos falar sobre a contratação daquela cozinheira.

Dalton Vigh: Minha filha, eu já te disse que não tem mais conversa. A dona Letícia vai ser contratada sim, e ponto final.

Raíssa Chaddad: Mas pai, a comida daquela coisa besta é horrorosa! Como vai permitir que ela sirva lanches vagabundos para os alunos do seu colégio?

Dalton Vigh: Raíssa... Eu não vou permitir que fale assim da dona Letícia. Ela não merece ser tratada assim!

Raíssa Chaddad: Merece sim, e ainda merece muito mais pior.

Giovanna Chaves: (Entro na sala e bato a porta com força) Olha aqui, diretor! Eu não vou ficar no mesmo quarto que aquela selvagem!!! (Digo gritando com raiva)

Dalton Vigh: (Me levanto bravo) Giovanna Chaves! Cadê o respeito?! Não sabe bater na porta antes de entrar não? E antes de falar algo se cumprimenta a pessoa!!

Giovanna Chaves: Oi, senhor diretor! Tudo bem? Como vai a vida? O céu tá lindo hoje, né? Pronto! Agora resolva o meu caso!!

Dalton Vigh: Além de fazer aquela pouca vergonha lá no teatro, agora está tentando fazer gracinha?!?

Giovanna Chaves: AFF, aquilo já passou! Mas resolve o meu caso diretor, por favor! Eu não posso conviver com aquele bicho!

Dalton Vigh: A quem você está se referindo, menina?

Giovanna Chaves: A garota que está no meu quarto!! Ela é terrível, tire ela de lá ou me troque de quarto!!

Dalton Vigh: Nada disso! Não vou te trocar e nem trocar ela de quarto, pois as listas já estão completas! E você sempre se deu bem com suas amigas, sempre ajudou elas quando elas precisavam. Por que isso agora?

Giovanna Chaves: Porque eu sou popular, as minhas amigas me adoram. Mais a selvagem não! E acontece que se ou ela ou eu não sair daquele quarto, eu saio desse internato!

Dalton Vigh: (Me sento) Ah, claro. Como se o seu pai fosse permitir uma coisa dessas.

Giovanna Chaves: É sério, diretor! Faz isso por mim? Eu sou, e sempre fui uma aluna inteligente e educada, e você sabe disso!

Dalton Vigh: Eu sabia disso até o acontecido de hoje de manhã.

Giovanna Chaves: Olha aqui, o acontecido de manhã foi pelo motivo da sua filha ter falado uma mentira para mim dizendo que meu pai não ia vir ver minha apresentação!

Raíssa Chaddad: Nunca que eu faria isso! Porque está mentindo, Giih? (Digo com uma cara de sonsa)

Dalton Vigh: A Raíssa jamais seria capaz de fazer uma coisa dessas! E mesmo se fosse, isso não justifica seu ato de dançar quase pelada na frente de todos!

Giovanna Chaves: Ok, vai ser assim então? Não vai me trocar de quarto?

Dalton Vigh: Não, e minha palavra não vai ser mudada de jeito nenhum!

Giovanna Chaves: Ok! Então fique aí com sua vida mais ou menos, e com a mentirosa dessa sua filha! (Saio e bato a porta com força)

Raíssa Chaddad: Você viu como essa menina não gosta de mim, papai? Até me acusou! (Faço cara de triste)

Dalton Vigh: Não fica assim, filha! (Abraço ela) Eu sei que não foi você, pois jamais você faria uma coisa dessas.

Raíssa Chaddad: Não mesmo, papai.

Na piscina do colégio:


Gustavo Daneluz vê Fernanda Concon tomando um sol de maiô. O jovem fica encantado com a beleza dela e vai até a garota.


Gustavo Daneluz: (Chego nela) Bela vista, né? (Digo olhando para Fernanda)

Fernanda Concon: Bela vista, mesmo. A piscina desse colégio é maravilhosa.

Gustavo Daneluz: E quem foi que disse que eu estava falando da vista da piscina? (Sorrio malicioso)

Fernanda Concon: Ah, é? (Olho para o rosto dele) Tava falando de que então?

Gustavo Daneluz: Nada não, esquece. Aliás como é o seu nome, gata?

Fernanda Concon: Eu me chamo Fernanda, muito prazer.

Gustavo Daneluz: Eu me chamo Gustavo, e o prazer é completamente meu. (Dou um beijo na bochecha de Fernanda) Está gostando do primeiro dia de aula? (Puxo assunto)

Fernanda Concon: Mais ou menos, porque esse primeiro dia de aula tá igual todos os anos que eu estudei aqui.

Gustavo Daneluz: Estuda aqui no colégio há quantos anos, gata?

Fernanda Concon: Há uns 3 anos. E você é um dos bolsistas novatos, né? Nunca te vi por aqui.

Gustavo Daneluz: Sim, sou sim. E vim estudar nesse lugar só para zuar. Mas, o que vocês fazem para se divertir aqui?

Fernanda Concon: Várias coisas, tem nem como falar. Mas também as coisas que fazemos são tudo contra as regras. (Sorrio)

Gustavo Daneluz: Ata, rsrs! Mas, e beijar na boca? É contra as regras? (Sorrio malicioso)

Fernanda Concon: (Entendo onde ele quer chegar) Sim... Mas como eu te disse, aqui não obedecemos regras. (Sorrio maliciosa)

Gustavo Daneluz: O que acha então de não cumprirmos essa regra, gata?

Gustavo Daneluz e Fernanda Concon olham um para o outro e avançam um beijo quente e rápido com muita pegação. Gustavo coloca a mão nas nádegas dela, e ela coloca a mão no pescoço do jovem enquanto ainda se beijavam.


No corredor:


Giovanna Chaves anda passando batom e arrumando o cabelo. Thomaz que também passava na hora estava lendo um livro. Os dois se esbarram sem querer, e olham um para o outro por alguns segundos.


Thomaz Costa: Me Desculpa... Eu estava distraído e acabei não te vendo... (Digo olhando para os olhos dela)

Giovanna Chaves: Sem problemas, eu também não tinha te visto. (Sorrio ainda olhando para ele)

Os dois continuam se olhando. Será que era amor a primeira vista? Os dois vão se afastando um do outro com troca de olhares.


No quarto de João Guilherme, Thomaz Costa e Gustavo Daneluz:

João Guilherme pega sua mochila e tira dentro dela uma garrafinha com álcool. Ele bebe um pouco, e quando vai dar outro gole, é interrompido por alguém batendo na porta. Ele esconde a garrafa de baixo da cama.


João Guilherme: (Abro a porta) O que você quer? É o outro colega de quarto?

Gustavo Daneluz: Isso mesmo! (Entro) E prazer para você também, meu chará. (Jogo minha bolsa em cima de uma cama)

João Guilherme: Caraca, onde você tava que só foi chegar agora?

Gustavo Daneluz: Tava fazendo a prova dos bolsistas, e pegando uma novinha ali na piscina. (Sorrio me achando)

João Guilherme: Aí sim, você é dos meus! (Sorrio) Pegou quem?

Gustavo Daneluz: Uma tal de Fernanda, e vou te contar... A bixa é uma gostosa que só!

João Guilherme: Conheço, ela é gostosinha mesmo. Só que é a mais rodada do colégio, então nem pensa namorar.

Gustavo Daneluz: E quem falou de namorar aqui, meu filho? Meu lance é ficar e sair fora.

João Guilherme: Pode pá, concordo em números e graus. Para que namorar, se solteiro todas vão querer?

Gustavo Daneluz: Exatamente meu bom, exatamente! (Digo sorrindo)

João Guilherme: Bora dar uma volta pelo colégio, meu chará?

Gustavo Daneluz: Oxi, meu negócio é só com menina, meu filho! (Risos)

João Guilherme: Haha! Você entendeu. (Ataco um travesseiro nele) Vamos aí. (Digo saindo do quarto)

Gustavo Daneluz: Vamos. (Saio do quarto também)

Na sala diretoria:


Dalton Vigh: E você quer ser professor de que? Porque professor aqui não falta.

Murilo Cezar: Eu poderia ser professor de educação física, matemática, português, tanto faz! Só queria trabalhar aqui.

Dalton Vigh: (Vejo as listas) Acontece que aqui não há nenhuma vaga para um professor novo.

Myrian Rios: Dalton, eu acho que há uma vaga para professor, sim.

Dalton Vigh: De que, Myrian? Está lotado, não dá para ninguém mais entrar!

Myrian Rios: Mas, a professora de português mandou me avisar que saiu do colégio.

Dalton Vigh: (Me levanto com raiva) Como assim? Isso não pode acontecer! O meu colégio agora virou uma algazarra foi? Antes de ela sair do colégio tinha que falar comigo!

Myrian Rios: Ela falou que não tinha um pingo de paciência com "adolescentes chatos" que só sabem bagunçar.

Murilo Cezar: Viu aí? Mais um motivo para o senhor me contratar aqui, eu sei lidar muito bem com adolescentes rebeldes.

Dalton Vigh: É melhor essa mulher nem ter a cara de pau de querer voltar para o colégio, porque se não vai escutar poucas e boas!!

Murilo Cezar: Oh? Eu não tenho o dia todo para ficar esperando a resposta, não! Vai me contratar ou não vai?

Dalton Vigh: Bom, já que não tenho escolhas você pode sim ser o novo professor de português. (Me sento na cadeira)

Murilo Cezar: Opa! (Abro um sorriso) E eu começo quando, Dalton?

Dalton Vigh: Você começa hoje mesmo. Quanto antes, melhor.

Murilo Cezar: Obrigado. E a primeira aula deles começa que dia, e que horário?

Dalton Vigh: Começa amanhã, às 7:00. Espero que o senhor não se atrase!

Murilo Cezar: Pode confiar que não vou. Obrigado Dalton, e obrigado Myrian. (Saio da sala da diretoria)

Myrian Rios: E aí? O que achou dele?

Dalton Vigh: Não fui nem um pouco com a cara desse rapaz, mas vamos ver se ele é um bom professor mesmo.

Myrian Rios: Eu gostei dele, tem cara de ser um bom professor.

Letícia Cannavale: (Entro na diretoria) Olá Dalton, olá Myrian. Queria saber se fui contratada para ser a nova cozinheira?

Raíssa Chaddad: (Entro na sala da diretoria também) Claro que não foi! Seu lanche é horrível, nunca que meu pai vai admitir você trabalhar aqui!!

Dalton Vigh: (Me levanto) Raíssa! Cadê o respeito que eu te dei, filha?

Raíssa Chaddad: Ficou lá em casa! Não contrata ela não, pai. Por favor!

Myrian Rios: Raíssa, é seu pai que tem que tomar essa decisão e...

Raíssa Chaddad: Por acaso alguém te chamou na conversa, coisa intrometida? Não, né? Então cala a sua boca!

Dalton Vigh: Raíssa! (Grito com raiva) Você já tá passando dos limites! E a dona Letícia foi contratada, sim!

Letícia Cannavale: Sério? (Abro um sorriso)

Dalton Vigh: Sim. E lá na cantina está o horário dos lanches dos jovens.

Letícia Cannavale: Obrigado senhor Dalton. (Saio da sala com um sorriso enorme no rosto)

Raíssa Chaddad: Que burrada você foi cometer pai? Essa idiota não sabe...

Dalton Vigh: Nem se atreva a falar!

Raíssa Chaddad: Que saco! (Esbarro de propósito em Myrian e saio da sala)

Dalton Vigh: Desculpa pelo comportamento da minha filha, Myrian. Depois que a mãe dela morreu ela ficou assim, mesmo.

Myrian Rios: Hum, não tem problema! (Dou um sorriso falso mas cheia de raiva)

--


(Anoitece o dia)


--


No quarto de Larissa Manoela, Giovanna Chaves e Mharessa Fernanda:


Giovanna Chaves entra no quarto com um sorriso enorme no rosto.

Larissa Manoela: O que foi? Leu um livro de contos de fadas? (Digo lendo)

Giovanna Chaves: Não, mais conheci um menino lindo que... (Percebo que quem perguntou foi Larissa) Não te interessa!

Larissa Manoela: Tá muito nervosinha hoje, é melhor tomar um calmante, barbie. (Digo olhando para o livro)

Giovanna Chaves: Oh garota, eu não consegui convencer o diretor a sair do mesmo quarto que você, então para de ficar enchendo minha paciência!

Larissa Manoela: Quem começou a encher a paciência foi você, quando chegou em mim ofendendo o meu estilo.

Giovanna Chaves: Mas precisava jogar esse suco de uva em mim? (Digo com raiva) Eu tinha feito o meu cabelo ontem, e você estragou ele todo com esse seu suquinho!

Larissa Manoela: (Olho para ela e dou um sorriso) Ué, mas eu fiz isso para o seu bem. Fique sabendo que seu cabelo ficou bem mais lindo agora. (Risos)

Giovanna Chaves: Olha aqui, eu não vou permitir de jeito nenhum que você fique me zuando, tá entendendo? (Me aproximo dela)

Larissa Manoela: Não! (Levanto e me aproximo também) Por que? Vai fazer o que, garota? Me bater? Ah, é! Você não tem forças suficiente para fazer isso.

Mharessa Fernanda: (Entro no quarto gravando um vídeo) Hi girls, Hi boys! Tudo bem com vocês? Comigo está tudo ótimo! Voltei para mostrar mais uma parte do meu primeiro dia aqui no colégio...

Larissa Manoela: Ah, era só o que me faltava mesmo! Além de uma barbie, também tem uma blogueira no quarto. (Reviro os olhos)

Mharessa Fernanda: (Percebo a presença delas e desligo a câmera) Oi gente, desculpa de chegar assim, não vi vocês aí.

Larissa Manoela: Claro, já entrou gravando vídeo sem nem olhar para os lados.

Giovanna Chaves: Não liga para essa idiota. Prazer! (Estendo a mão) Eu me chamo Giovanna, mas pode me chamar de Giih.

Mharessa Fernanda: (Cumprimento ela) Prazer Giih, sou Mharessa. E você? (Me refiro a Larissa) Como se chama?

Larissa Manoela; Me chamo Larissa. Mas também não precisa se fazer de sonsa que você viu muito bem meu nome na porta!

Giovanna Chaves: Oh garota, você não tem nenhum pingo de educação mesmo, né? Não sabe conversar sem agredir, não?

Larissa Manoela: Minha paciência com você já tá zero por cento, então não me provoca, loira oxigenada da roça.

Giovanna Chaves: "Loira Oxigenada"?!? Olha aqui, você não vai falar assim comigo não sua selvagem! (Me aproximo dela de novo)

Larissa Manoela: Opa, selvagem não! (Me aproximo dela também)

Mharessa Fernanda: (Separo as duas) Ninguém vai brigar aqui não. Vamos parar com isso! E olha só, se for para conviver com isso todo dia vou sair desse quarto!

Giovanna Chaves: (Sento na minha cama) Eu já tentei fazer isso também, mas o diretor não deixou.

Larissa Manoela: Uma pena, pois seria ótimo dormir sem ter que sentir o cheiro ruim desse seu perfume! Vou até ir tomar um ar. (Saio do quarto)

Mharessa Fernanda: Por que vocês já não se gostam? Acabaram se conhecer.

Giovanna Chaves: Porque não! Essa garota não é, e nunca vai ser a minha amiga. Ela é insuportável!

No quarto de João Guilherme, Thomaz Costa e Gustavo Daneluz:


João Guilherme: Ih, vacilão demais você! Só hoje peguei umas dez minas!

Gustavo Daneluz: Mais você só pegou isso tudo porque eu deixei, meu filho! E também eu peguei sete, nem faz tanta diferença.

João Guilherme: Não faz tanta diferença mas era você que tava falando que era o "garanhão" e que ia pegar mais que eu. (Risos)

Gustavo Daneluz: Isso, vai rindo! Só vai rindo, amanhã você vai ver como eu pego muito mais gata!

Thomaz Costa: (Entro no quarto e me deito na cama com um sorriso no rosto)

Gustavo Daneluz: Ih, olha lá João! Parece que nosso colega de quarto pegou mais minas que a gente. (Risos)

João Guilherme: E aí, Thomaz? Quem foi que você pagou para estar tão feliz? (Risos)

Thomaz Costa: Ninguém, só estou pensando mesmo. (Faço uma cara séria, disfarçando)

João Guilherme: Dúvido! Quando um homem fica feliz assim é por que tá pensando em alguma menina, ou até menino caso seja...

Thomaz Costa: Sai dessa! (Jogo um travesseiro no João) Meu lance é mulher! E estão achando que eu sou vocês é?

Gustavo Daneluz: Quem gosta de homem aqui não é a gente, não. (Risos)

João Guilherme: "Ain, vem aqui meu gato sarado deixa eu te dar um beijinho" (Digo zuando Thomaz)

Thomaz Costa: Nossa, as menininhas estão cheias das graças hoje, né? (Digo revirando os olhos)

Gustavo Daneluz: Sim, estamos! (Risos) Mas agora, falou aí para vocês! Já tô é no segundo sono. (Deito na cama e desligo o abajur)

João Guilherme: E eu vou lá na cantina pegar um copo de água. (Digo saindo do quarto e fechando a porta)

Thomaz Costa: E eu, vou tomar um banho. (Entro no banheiro do quarto)

Na sala de estar do colégio:


João Guilherme e Lucas marcaram de se encontrar na sala de estar. Lá não tinha ninguém, pois já era hora de todos irem para o quarto dormir. Larissa vê Lucas andando em direção para a sala, e resolve seguir o garoto. Ela se deita atrás do sofá da sala se escondendo para ver o que o garoto estava aprontando.


João Guilherme: E aí, meu pato? Conseguiu pegar as chaves do carro do diretor? (Digo baixo para ninguém escutar)

Lucas Santos: Tá na mão! (Abro um sorriso)

João Guilherme: Vamos se divertir um pouco, então! (Digo sorrindo, e esfregando as mãos)

João Guilherme e Lucas Santos saem, e Larissa Manoela segue os dois.

Na cantina:


Letícia Cannavale estava preparando mais lanches para o café da manhã dos jovens. João Camargo andando no colégio afim de beber uma água vai até ela.


Letícia Cannavale: (Vejo ele e levo um susto) Aiiii! O que é isso? Quer me matar do coração?

João Camargo: Mil perdões, Leeh! É que estava com sede e vim buscar um copo de água aqui na cantina.

Letícia Cannavale: Ok, e não foi nada. Um copo de água? (Pego e sirvo para ele) Aqui está, Camargo.

João Camargo: (Bebo) Muito obrigado! (Coloco na pia o copo) O que você tá fazendo acordada até agora, Leeh?

Letícia Cannavale: Tô fazendo os lanches para os jovens para amanhã de manhã.

João Camargo: Agora de noite? Tá muito tarde, Leeh.

Letícia Cannavale: É para deixar tudo pronto, porque se for fazer amanhã eu vou demorar muito e os alunos vão ficar com fome.

João Camargo: Ata. Então também é por isso que eu senti um cheiro maravilhoso de pão. Hum, me dá um para comer?

Letícia Cannavale: Nada disso, é para os alunos. E agora você tá dando uma de Ivan é? (Risos)

João Camargo: Eu não, só estou com uma fome enorme mesmo. (Risos) Mas, e aí? O senhor diretor te contratou para você estar aqui ainda?

Letícia Cannavale: Contratou sim. Só que a filha dele você sabe como é, não está nem um pouco feliz de eu ter que trabalhar aqui.

João Camargo: Aquela menina me tira é do sério! Só fica criticando o que os outros faz.

Letícia Cannavale: Ela é muito mimada, o senhor Dalton não ensina nada para ela, só fica a mimando, fazendo tudo que ela quer.

João Camargo: Nem me fale, eu não tenho um pinguinho de paciência com jovens mimados.

Letícia Cannavale: Até que eu tenho, com alguns... Mais essas menina tira qualquer um do sério.

João Camargo: Concordo! (Bocejo) Mas agora tchau, Leeh! Já vou ir dormir.

Letícia Cannavale: Tchau.

João Camargo: E você deveria fazer o mesmo, em! (Grito enquanto saio andando)

Letícia Cannavale: O dever me chama! (Grito para ele rindo)

No estacionamento fora do colégio:


João Guilherme e Lucas Santos vão andando devagar até o carro de Dalton. Larissa Manoela chega e dá um susto neles.


Larissa Manoela: Buh! (Grito dando um susto neles) Tão achando que vão onde sem me levar? (Sorrio)

João Guilherme: (Me assusto) Nossa, quer nem matar do coração? O que você tá fazendo aqui, garota?

Larissa Manoela: Vim zuar com vocês também. E aí, vão deixar?

Lucas Santos: Claro que não! Nenhuma garota vai ir com a gente.

Larissa Manoela: Ixi, quer ficar sozinha com o seu amiguinho aí é? (Digo rindo)

João Guilherme: Nossa, muito palhaça você. Mas fica tranquila, você também vai. (Sorrio)

Lucas Santos: O que? Você ficou louco? Ela vai estragar toda nossa diversão. Menina não sabe zuar, João!

João Guilherme: Mas ela deve saber. E ela vai sim com a gente! Se você estiver incomodado é só vazar, fiote! (Pego uma garrafinha de álcool no meu bolso, e com a chave abro a porta do carro) Vamos nessa!

Larissa Manoela: Sério que você vai levar isso para se divertir, garoto? (Olho para ele com uma cara estranha)

João Guilherme: E o que tem? Entra no clima vai garota! (Abro e dou um gole do álcool)

Lucas Santos: Ele acha que isso é diversão, sempre leva alguma bebida quando vai sair. (Sussuro para ela)

Larissa Manoela: Não sei, que diversão tem isso! (Reviro os olhos, entro no carro e sento no banco da frente)

Lucas Santos: Onde você tava com a cabeça quando quis aceitar de ela ir com a gente? (Sussuro para João)

João Guilherme: Ela não vai estragar nossa zueira, pode confiar. (Entro no carro e sento no banco do piloto)


Lucas Santos entra no carro também, e senta no banco de trás. João vai pilotando em muita alta velocidade, e fica dando zig zag com o carro. João Guilherme dirige e passa vários sinais vermelhos com o carro ainda em alta velocidade.


Lucas Santos: Jo-João... É melhor você ir mais devagar, não? (Digo com medo)

Larissa Manoela: Ah, o que foi? O bebezinho vai chorar, vai? É um homem ou um saco de batata? (Digo zuando ele)

João Guilherme: Ih, sai daí medroso! (Digo rindo e dando um gole da garrafinha)

Larissa Manoela: Haha, são só mais dois sinais vermelhos e o diretor perde a carteira! (Digo com animação)

João Guilherme passa mais um monte de sinais vermelhos. Os jovens estavam se divertindo muito fazendo aquilo. Mas a diversão durou pouco. Um homem estava andando de bicicleta, e o carro onde João estava pilotando estava indo com muita velocidade em direção ao homem. Todos ficam desesperados.


Larissa/Lucas: João! Olha o moço! (Gritam os dois desesperados ao mesmo tempo)

João como estava um pouco bêbado, estava zonzo e acabou não vendo o moço. O homem tentou desviar, mas o carro foi com tudo em cima do homem e da bike dele. João em seguida bate o carro em um poste que tinha mais para frente. Os jovens ficaram bem, mais o homem acabou desmaiado. Larissa, João e Lucas descem do carro.


Larissa Manoela: Ai, meu deus! (Coloco a mão na cabeça) Será que ele morreu? (Grito desesperada olhando para o moço) Moço? Moço? Moço, fala comigo. (Abaixo e fico balançando ele para ver se estava acordado)

Lucas Santos: É melhor a gente vazar daqui, isso vai dar um b.o enorme! (Preocupado)

Larissa Manoela: Nada disso, seu sem noção! A gente não vai vazar daqui antes de ele acordar!

João Guilherme: Larissa! Você por acaso ficou louca? Isso pode dar polícia! A gente tava dirigindo sem carteira, e ainda por cima estávamos bebendo! (Desesperado)

Lucas Santos: A gente tava bebendo? Uma vírgula! Só você aqui que bebeu.

Larissa Manoela: Eu já disse e não vou repetir! A gente não vai sair daqui até ter a certeza de que ele está vivo!

Lucas Santos: Eu não sei vocês, só sei que a minha pessoa está fora de b.o! (Saio andando)

Larissa Manoela: (Levanto e seguro ele) Olha aqui, seu escroto! Você tava junto nessa e vai continuar até o fim!

João Guilherme: Ela tem razão, Lucas. A gente não pode sair daqui e deixar o homem aí desmaiado. Vou ligar para o meu pai.

Lucas Santos: Ah, sabia! E tudo por culpa dessa garota, que inclusive não tinha nem que ter vindo com nós. (Digo bravo)

Larissa Manoela: Isso João, liga para ele. E você! (Aponto para Lucas) Nem tente fugir!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...