História Jovens Rebeldes - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 5
Palavras 3.951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Capítulo 05


Na sala de estar:


Larissa Manoela: Eu ainda não estou acreditando nisso, que saco! (Digo brava)

João Guilherme: Nem eu! Só de pensar que vou ter que ficar trancado aqui no final de semana inteiro dá até tédio! (Cruzo os braços)

Larissa Manoela: E isso por que? Porque eu fui idiota de seguir vocês. Um bando de sem noção que não sabem o que fazem!

João Guilherme: Oh, Larissa? Eu tô escutando ainda, sabia?!?

Larissa Manoela: E é pra ouvir mesmo! Tá achando o que? Que eu falei isso para você não escutar é?

João Guilherme: Eu não peguei o seu braço e te forcei a ir, não! Você foi de intrometida mesmo, porque ninguém havia te chamado.

Larissa Manoela: Só que o diretor e ninguém ia saber de nada, mais você foi idiota ao ponto de inventar de beber aí acabou batendo o carro!

João Guilherme: (Me aproximo dela) Qual foi, garota? Tá me chamando de alcoólatra? (Digo bravo)

Larissa Manoela: E se for? (Me aproximo também) Vai fazer alguma coisa, garoto?

João Guilherme se aproxima mais ainda de Larissa Manoela e a boca dos dois ficam de frente a frente uma da outra. Eles ficam assim por alguns segundos. Thomaz, Giovanna, Mharessa E Gustavo chegam.


Gustavo Daneluz: Ixi, gente! Acho que acabamos cortando o clima do casal... (Risos)

Larissa Manoela: (Me afasto) Que casal, muleque? Tá vendo algum casal aqui?!? (Disfarço envergonhada)

João Guilherme: Exatamente! Eu não vi nenhum casal aqui, também... (Disfarço envergonhado)

Giovanna Chaves: Ah, vão se fazer de sonsos? A gente viu muito bem que vocês estavam quase se agarrando aí. (Risos)

Larissa Manoela: Então você está precisando de óculos, barbie!

João Guilherme: O que vocês estão fazendo aqui? Era para vocês estarem na sala de aula, não?

Thomaz Costa: Estamos aqui porque a aula do professor de história é Insuportável, aí a gente deu um jeito de vazar daquele inferno.

Mharessa Fernanda: Aquele homem não para de falar um segundo, acho que ele nem respira direito!

Giovanna Chaves: Eu acho que o pessoal que ainda tá lá já devem estar mortos de tanto tédio daquela aula.

Dalton Vigh: (Chego) Que absurdo é esse dentro do meu colégio?! Seis alunos fora da sala de aula? Estão cabulando?! (Grito bravo)

Larissa Manoela: Por que você tem que falar tudo gritando? Fala mais baixo! Aqui não tem nenhum surdo!

Dalton Vigh: Que falta de educação é essa?! Fale direito com o seu diretor!!

João Guilherme: O que ela quis dizer é que a gente veio aqui beber uma água, e já estávamos voltando para sala.

Dalton Vigh: Assim eu espero! Não quero alunos rodeando pelo colégio em hora de aula, Isso é contra as regras! (Saio)

Thomaz Costa: Caramba! Aqui não pode nada, pô? Pensei que esse colégio aqui seria mais irado, só que com essas regras que ficam nos prendendo, não dá.

Giovanna Chaves: Concordo, aqui tem regras para tudo! E isso dá muita raiva! Até cantar aqui é proibido.

Larissa/ Mharessa/Thomaz/Gustavo: O que?!?!? Cantar é proibido nesse colégio? (Gritamos)

João Guilherme: Sempre foi assim! O diretor odeia músicas, e aí não deixa os alunos catarem aqui no lugar. (Reviro os olhos)

Thomaz Costa: Mano?! Como alguém proíbe as pessoas de cantar? Isso não é um colégio, e sim uma prisão!

Larissa Manoela: Concordo! Gente, eu sabia que esse colégio era chato! Mas para chegar a esse ponto? Mano!

Mharessa Fernanda: Só que vamos fazer o que? Quem manda aqui é o diretor, não podemos fazer absolutamente nada, o que sobra é obedecer a regra dele.

Gustavo Daneluz: Pois é! Mas agora é melhor a gente voltar, antes que o Insuportável volte e nos pegue aqui ainda. (Reviro os olhos)

Thomaz, Mharessa, Giovanna, E Gustavo saem. João e Larissa se encaram com um olhar envergonhado e depois saem também.


Na cantina do colégio:


Ivan Parente: Vou te contar uma coisa, essa mulher é louca! Ela fica falando coisas que não dá para entender nada!

Letícia Cannavale: Louca nada, Ivan! Ela é a nova professora de inglês, aí ela tava tirando onda com a sua cara.

Ivan Parente: E isso é jeito de zuar? Eu já ia pensar que ela era um alienígena falando daquele jeito!

Letícia Cannavale: Deixa de ser bobo, Ivan! (Risos) Você que não estuda direito, e aí acaba não sabendo as coisas.

Ivan Parente: Me chamou de burro, dona Leeh! Tá vendo como a senhora me trata? Como se eu fosse um animal. (Faço drama)

Letícia Cannavale: Mais você é um animal, um animalzinho que eu amo e sempre vou amar, ok? (Risos)

Ivan Parente: Gente, parece que tiraram o dia para zombar da minha cara! Como assim?

Murilo Cezar: (Entro na cantina) Oi Leeh, oi Ivan! Tudo bem com vocês?

Ivan Parente: Oi, professor Murilo! Tudo bem sim. (Cumprimento ele)

Letícia Cannavale: Olá professor, Murilo! Está tudo bem sim, e com você? Tudo bem? Como foi o seu primeiro dia de aula? (Sorrio)

Murilo Cezar: Foi bom! Muito bom mesmo, ainda mais quando os alunos são educados e muito inteligentes. (Sorrio)

Ivan Parente: Ah, não! Outro louco não! Inteligentes aqueles jovens podem até ser, mas como assim eles são "Educados"?

Murilo Cezar: Eles me trataram super bem. Ficaram quietinhos na minha aula, e não deram nenhum trabalho. Por que?

Letícia Cannavale: É que os alunos daqui são um pouco bagunceiros, entende? (Risos) Mas se eles não deram trabalho na sua aula, parabéns! Você é um ótimo professor.

Ivan Parente: Se eles não bagunçaram na tua aula, é que gostaram de você.

Na sala da diretoria:


Dalton Vigh: Professora de inglês? Eu não me lembro da outra professora antiga ter pedido demissão.

Myrian Rios: Ela pediu, sim. Lá no final do ano, se esqueceu? Até te deu uma carta! Você é muito esquecido, Dalton!

Thaís Melchior: Tão esquecido que até esqueceu que foi ele mesmo que me contratou aqui nesse colégio.

Dalton Vigh: Esse colégio tá mesmo virando uma bagunça! Os professores estão saindo sem mais nem menos!

Myrian Rios: Você queria o que, Dalton? Tem gente que não gosta do seu colégio, e tem outros que gostam. A gente não pode mudar nada da opinião deles.

Dalton Vigh: Não sei, como! Pois o meu colégio é o melhor da cidade.

Thaís Melchior: Will you give me the answer or will I have to wait all day, my love? (Cruzo os braços e reviro os olhos)

Myrian Rios: (Risos)

Dalton Vigh: O que?

Thaís Melchior: Você vai me dar a resposta se eu vou trabalhar nesse colégio, ou não?

Dalton Vigh: Já que não tem jeito, o que eu vou fazer? (Reviro os olhos) Sim, você está contratada e começa hoje.

Thaís Melchior: Hoje?!? Não posso dar matéria para eles hoje! Eu ainda nem sei o que passar! (Digo desesperada)

Dalton Vigh: E desde quando isso virou problema meu? Vá logo para a sala, você num queria trabalhar aqui? Então cumpra com o seu dever! E vai ser hoje porque quanto antes melhor!

Thaís Melchior: Ok, ignorant old man! No need to talk like that either! (Saio da sala)

Myrian Rios: (Risos) Ah, Dalton! Se você entendesse o que essa professora falasse, você ia ficar louco da vida! (Risos)

Dalton Vigh: Ela faz isso para me provocar! Sabe que eu não entendo, e fica falando inglês! (Digo bravo)

Na sala de aula:


Thaís Melchior entra na sala e todos os meninos começam a assoviar.


Gustavo Daneluz: Caraca, com uma professora dessa eu não vou conseguir me concentrar na lição não, hein! (Risos)

João Guilherme: Ae Professora! Você acredita em amor a primeira vista? Ou eu devo passar aqui mais uma vez? (Sorrio)

Thomaz Costa: Professora? Acabamos de nos conhecer, mas reparei que temos algo em comum: nós respiramos. Isso só pode ser o destino, vamos nos beijar? (Risos)

Lucas Santos: Você caiu do céu, professora? Porque só pode ser um anjo! (Sorrio)

Gabriel Santana: Você tem Instagram, prof? Porque meu pai mandou eu seguir meus sonhos. (Risos)

Guilherme Vieira: Você é o feijão que falta no meu arroz, professora! (Risos)

Léo Belmonte: Você não é pedreira, mas está a fim de rebocar minha boca com seu batom? (Risos)

Filipe Bragança: Roubar é pecado? Sim? Então você já deveria estar no inferno, porque roubou meu coração. (Risos)

Os meninos começam a rir, e as meninas ficam furiosas.


Giovanna Chaves: Calem a boca! Que falta de respeito com a teacher, seus idiotas! (Grito)

Gustavo/João/Thomaz/Lucas/Gabriel/Guilherme/Léo/Filipe: E aí, professora? Você vai dar uma chance para a gente? (Dizemos dando risada)

Thaís Melchior: Claro que vou, vou dar sim. Vou dar uma chance enorme, de todos vocês calarem a boquinha.

Todos as meninas começam a gritar.


Mharessa Fernanda: Podiam ter ficado sem essa em meninos! (Risos) Mandou bem professora!

Thaís Melchior: Bom dia, pessoal. Eu me chamo Thaís Melchior, e sou a nova professora de inglês de vocês. (Sorrio)

Gustavo Daneluz: Gostosa demais, cara! (Sussuro para João Guilherme)

João Guilherme: Gostosa é pouco! Essa mulher é maravilhosa! (Sussuro para ele de volta)

Thaís Melchior: Hoje eu não vou passar lição para vocês, só que vou fazer perguntas e quero que todos me respondam em inglês.

Maísa Silva: (Levanto a mão) Só que nem todo mundo aqui sabe falar em inglês.

Thaís Melchior: Não se preocupe, quem não souber eu explico. Bom, você! (Aponto para Giovanna Chaves) Como é o seu nome? Onde nasceu? E sua matéria favorita?

Giovanna Chaves: My name is Giovanna Chaves, I was born in Rio de Janeiro and my favorite subject is English. (Sorrio)

Thaís Melchior: Parabéns! (Sorrio) Hum... Você! (Aponto para Maísa Silva) Qual sua matéria favorita? Onde nasceu? E qual o nome de seus pais?

Maísa Silva: My favorite subject is math, and I was born in Sao Paulo. My mother's name is Cassia and my father's name is Roberto. (Sorrio)

Na sala de estar do colégio:


João Camargo estava sentado em um dos sofás lendo um livro. Raíssa chega e se senta ao lado dele.


Raíssa Chaddad: Oi, Camargo! Tudo bem? Como anda a sua vida? Meu professor mais favorito de todos! (Sorrio)

João Camargo: Anda muito bem, Raíssa. Mas por que o interesse? O que houve para você estar falando tão carinhosamente comigo? (Paro de ler e olho para ela)

Raíssa Chaddad: Nada, apenas queria conversar o meu professor preferido! (Sorrio falsa)

João Camargo: Diz logo o que você quer e depois vá direto para a sala de aula, pois lá é o lugar onde a senhorita devia estar.

Raíssa Chaddad: Ok, vou ser direta! Bom, você sabe que eu não gosto de fofocas e essas coisas, e tals né?

João Camargo: Hum?

Raíssa Chaddad: Só que acontece que aquela briguinha do Thomaz e do Gustavo, e o desmaio da Mharessa e a preocupação da Giovanna era tudo uma grande farsa!

João Camargo: Como assim, farsa? Ficou louca? Eles não tem nenhum motivo para fazer isso, Raíssa.

Raíssa Chaddad: Certeza? Se lembra que todos os alunos dizem que sua aula é horrível e que dá muito sono?

João Camargo: Quem falou isso da minha aula espetacular!?!?!? (Levanto e grito bravo)

Raíssa Chaddad: Quase todos dizem, menos eu claro. (Sorrio falsa) Então... Vamos continuar. Eles só fingiram aquela cena idiota para caírem fora da sua sala.

João Camargo: Não, não, não e não! Os meus alunos jamais seriam capazes de fazerem um absurdo desses!

Raíssa Chaddad: (Levanto) Camargo, deixa de ser lerdo! Eles só inventaram aquilo para saírem fora da sua aula que eles dizem dar sono neles.

João Camargo: É verdade... (Começo a raciocinar) Mas... Será que aqueles quatro seriam capaz de uma coisa dessas??

Raíssa Chaddad: Claro que sim, pode confiar em mim. Aquela cena toda, era tudo mentira.

João Camargo: Ah, mais eu juro que isso não vai ficar assim!!! (Jogo meu livro no chão de tanta raiva) O que eles pensam que eu sou? Palhaço?!?!? Que absurdo!!

Raíssa Chaddad: Concordo, e sabe o que você poderia fazer? Contar tudinho para o meu pai, pois ele vai dar uma punição naqueles quatro que te fizeram de trouxa.

João Camargo: Concordo! Eu vou agora mesmo conversar com o senhor, Dalton! (Digo bravo) Obrigado Raíssa, muito obrigado mesmo! (Saio andando)

Raíssa Chaddad: (Risos de maldade) Quem disse que sou boazinha? Haha!

Na sala de aula:


O sinal toca.


Thaís Melchior: Bom, não vai dar mais tempo de eu continuar, então a gente continua com as perguntas na próxima aula, tudo bem? Foi um prazer conhecer vocês. (Saio da sala)

Todos os alunos saem também. Os únicos que não saíram foram Lucas Santos e João Guilherme. Lucas Santos fica arrumando sua mochila antes de sair, e João Guilherme fica na sala para falar com ele.


João Guilherme: (Vou até Lucas) E aí, Lucas? Como é que anda a sua vida, "meu brother"?

Lucas Santos: Tô de boa. (Continuo a guardar o meu material na mochila)

João Guilherme: É claro que você está, até porque não tem motivo para você não estar bem, né? (Encaro ele)

Lucas Santos: Não mesmo! (Termino de arrumar as minhas coisas e saio andando)

João Guilherme: (Seguro ele) Espera um pouco! A gente vai trocar um papo, muleque.

Lucas Santos: Fala!

João Guilherme: Você é muito safado!Participa do plano, faz a roubada toda e depois foge do b.o com a maior cara de santinho, né!?

Lucas Santos: Olha aqui, João!Primeiramente, se você foi burro ao ponto suficiente de beber enquanto dirigia o problema é seu! Segundamente, eu tinha falado faz tempo que se acontecesse algo ruim eu ia ser o primeiro a sair vazado! E terceiramente, me solta! (Digo sério)

João Guilherme: Eu não vou te soltar nada, seu otário! (Digo bravo) Você só é amigo na hora de se divertir, aí quando é na hora de pagar pelo que fez você é o primeiro a sair correndo igual uma galinha!

Lucas Santos: Olha aqui! Quem começou a deixar de ser amigo aqui esse alguém foi você! A gente éramos como irmãos, aí depois que a Larissa apareceu você nem anda mais comigo! (Empurro ele) Qual foi, fioti? Tá querendo se achar para a gata?

João Guilherme: Eu não me acho, porque aliás nem perdido eu estou! E eu ando com ela porque pelo menos ela não é uma amiga falsa como você! A gente fez a merda e a Larissa só ajudou! Pois foi ela que esteve comigo na hora que a merda aconteceu. Ela não me deixou lá para se ferrar sozinho com o meu pai! A garota fez a baderna junto a gente? Fez! Mas ela que insistiu para ajudarmos o cara, e não sairmos correndo igual dois covardes! Ela é uma garota de atitude, já você não passa de um vacilão!

Lucas Santos: Ain, nossa! (Risos) Beleza, eu não vou falar mais da sua namoradinha pode ficar tranquilo com ela, meu parça! Porque eu não vou mais andar com mimadinho, idiota, trouxa, retardado, vacilão e falso! Não sou mais, teu parça!

João Guilherme: E quem disse que eu quero ser o teu? E se essas suas ofensas eram para me deixar bravo, ao invés de você estar me dando raiva, nesse momento você está me fazendo sentir muita pena de tu.

Lucas Santos: Olha aqui, muleque! Se você não sair do meu caminho agora, eu vou quebrar toda essa tua cara!!!! (Grito bravo)

João Guilherme: Ah, vai? (Risos) Só estou esperando! Quando é que vai ser? Hoje? Amanhã? Depois de amanhã? Ano que vem? No próximo século? Fala aí a data. (Sorrio)

Lucas Santos: (Respiro fundo) Eu não vou perder o meu tempo com você! (Saio da sala e bato a porta forte)

João Guilherme: Ué, tá fugindo de novo? (Grito provocando) É um vacilão, mesmo!

Na sala da diretoria:


João Camargo: (Entro) Senhor, Dalton!!! Eu preciso ter uma conversa bastante séria com você! (Grito bravíssimo)

Dalton Vigh: Isso são maneiras de entrar, Camargo? Que educação é essa para um professor?!? (Digo bravo)

Raíssa Chaddad fica atrás da porta ouvindo toda a conversa deles.


João Camargo: Mil perdões, senhor Dalton! É que eu tinha que falar com o senhor, sobre um assunto bastante sério!

Dalton Vigh: O que aconteceu dessa vez? Outra aluna está dançando quase pelada? Extraterrestres invadiram o colégio? Ou minhocas mataram um aluno? (Risos)

João Camargo: O que? Como assim uma minhoca matou um aluno? O bichinho é tão pequeno que não consegue fazer mal a...

Dalton Vigh: Eu estou zuando com a sua cara, Camargo! (Grito) Fala logo o que você tem para falar e sai daqui.

João Camargo: O que eu quero falar é que teve quatro alunos dos primeiro colegial que cabularam a minha aula!!

Dalton Vigh: (Levanto bravo) Como assim!?!? Cabular é extremamente proibido aqui no meu colégio!!! Que alunos foram esses?!

João Camargo: Giovanna Chaves, Mharessa Fernanda, Thomaz Costa e Gustavo Daneluz! Eles fingiram que estavam passando mal, e fingiram uma briga só para saírem da minha aula e ficarem andando pelos corredores!!!

Dalton Vigh: Hoje já foi dois alunos que aprontaram, agora são quatro de vez?!? Convoque todos aqui, agora!!!

Na cantina do colégio:


Todos os alunos estavam na cantina para almoçar, pois já eram 13:00.

Larissa Manoela: É sério! Eu e o João vamos ter que ficar aqui o final semana inteiro trancados nesse colégio!

Thomaz Costa: Caraca! (Risos) Dessa vez vocês se deram muito mal, em mano!

Mharessa Fernanda: Mas o que foi que vocês aprontaram para ficarem aqui no colégio no final de semana todo?

Larissa Manoela: A gente ia fazer o diretor perder a carteira dele, aí pegamos o carro dele e ficamos passando um monte de semáforos vermelhos. Só que aí, um homem estava andando de bicicleta e como o João estava meio bêbado ficou zonzo e não o viu, aí acabamos batendo com tudo no cara, que acabou desmaiando ali mesmo. Só que aí o cara ficou bem, mas o carro do diretor nem tanto assim. (Risos)

Mharessa Fernanda: Vocês ficaram loucos de vez? Isso é muito perigoso gente! O que vocês fizeram foi errado.

Gustavo Daneluz: Mano! (Risos) Isso sim, é o que eu chamo de aventura!

Thomaz Costa: Aventura nada, cara! Eles podiam ter se machucado feio, e ainda por cima poderiam ter matado o homem!

Giovanna Chaves: O que poderia se esperar dessa selvagem também? (Reviro os olhos)

Larissa Manoela: Melhor selvagem do que ser uma barbie falsificada! Aí garota, me deixa em paz.

Giovanna Chaves: Você quer paz sendo que você é a própria capeta em pessoa? Faz favor, né! (Digo rindo)

Larissa Manoela: Ah, é? E se você falar mais uma palavra eu arranco toda essa sujeira que você chama de cabelo! (Me aproximo dela)

Giovanna Chaves: Ah, é? E se você fizer isso eu quebro todas as minhas unhas rasgando elas na sua cara! (Me aproximo também)

Thomaz Costa: Oh, Oh, Oh! Vamos parar com essa briga sem motivo? (Separo elas)

Gustavo Daneluz: Sai da frente, Thomaz! Deixa as meninas brigarem em paz. (Risos)

João Camargo entra na cantina.


João Camargo: Os alunos Mharessa Fernanda, Thomaz Costa, Giovanna Chaves E Gustavo Daneluz Onde estão? (Grito)

Mharessa/Giovanna/Thomaz/Gustavo: (Levantamos a mão)

João Camargo: Venham comigo os quatro! O diretor quer ter uma conversa com vocês.

João Camargo sai. Logo atrás saem os outros quatro, sem entender nada o que estava acontecendo apenas o seguem.


Ivan Parente: (Chego em Larissa) Quer alguma coisa, minha jovem?

Larissa Manoela: Não precisa, já estou de saída! (Levanto e saio andando)

Na sala de estar:


Ana Vitória: Matheus, eu gostei muito da aula de hoje. E os professores são bem legais, né? (Sorrio)

Matheus Ueta: São sim, principalmente o professor Murilo. Ele é muito gente boa, nem entrou no colégio e eu já estou adicionando ele na minha lista dos professores favoritos. (Sorrio)

Ana Vitória: Eu também! Só não gostei muito da aula de história, porque eu não entendi absolutamente nada do que o professor explicava. Ele fala muito rápido!

Matheus Ueta: É? Pois eu gostei muito da aula dele, e sempre gostei. O professor Camargo pode ser daquele jeito doido dele, mas até que eu gosto.(Risos)

Ana Vitória: Mil perdões, mas com aulas de história eu não vou nem um pouco com a cara! Nunca entendo muito sobre isso.

Matheus Ueta: De tarde a gente pode estudar junto lá na biblioteca, o que acha?

Ana Vitória: Legal, pode ser. Aí você me ajuda em história, e eu te ajudo em uma matéria que você tenha dificuldades.

Matheus Ueta: Então você me ajuda em inglês, porque nisso eu não entendo nada.

Ana Vitória: So you mean you don't understand anything in English? (Risos)

Matheus Ueta: Golpe sujo, Ana! (Risos)

Lucas Santos vê Matheus Ueta e Ana Vitória em uma parte da sala e vai até os dois para provocar.


Lucas Santos: Caramba! Eu não sabia que hoje eles iriam abrir as portas do zoológico, cara! (Digo rindo)

Ana Vitória: Ei? Por que você não nos deixa em paz? A gente não te fez nada, e nunca te fizemos! Por que sempre fica nos zuando?

Lucas Santos: Porque é divertido, simples assim! E eu adoro ver essas duas carinhas com tristeza. (Risos)

Matheus Ueta: Só que a gente não te fez nada para você fazer bullying com a gente! Então se você não parar, eu vou falar com o senhor diretor, Dalton!

Raíssa Chaddad: (Chego neles) E você acha que meu pai vai ligar? (Risos) O Lucas tá mais do que certo em ficar zuando vocês dois, porque não passam de uns nerds.

Ana Vitória: Eu sou nerd, sim! E com muito orgulho! Pois amo estudar!

Lucas Santos: Estudar e além de tudo comer capim, né vaca? (Risos altos)

Raíssa Chaddad: E esse macaco aqui... (Aponto para Matheus) Adora comer banana! (Digo rindo muito)

Larissa Manoela e João Guilherme vêem a cena e vão até os quatro.


Larissa Manoela: Vocês não tem o que fazer ao invés de ficar enchendo o saco dos outros não?!

Raíssa/Lucas: (Olham para João e Larissa e cruzam os braços encarando)

Larissa Manoela: Não conseguem enxergar o quanto são ridículos fazendo esse tipo de coisa? Seus covardes! Vão arrumar o que fazer!

Raíssa Chaddad: Ninguém te chamou na conversa coisa intrometida!

Larissa Manoela: Não me chamaram mais eu quis me intrometer! E digo uma coisa, se vocês se meterem com esses dois de novo, eu arrebento cada um!

Raíssa Chaddad: Você não pode me bater! Eu sou a filha do diretor, e caso você encoste um dedinho em mim eu...

Larissa Manoela: Você pode ser filha de quem quiser até do presidente do Brasil, mas não vai ficar humilhando os outros desse jeito! (Digo brava)

Lucas Santos: Chegou a menina que gosta de se achar a dona do pedaço! Por que não fica quietinha e segue teu rumo, garota? (Digo bravo)

João Guilherme: Porque ela não quer! E se você tiver algum problema. (Me aproximo) É só se resolver comigo, muleque!

Raíssa Chaddad: Vamos embora, Lucas. Eu é que não quero ficar ouvindo as lições de moral desses dois ridículos!

Raíssa Chaddad puxa Lucas Santos e os dois saem da sala de estar.

Ana/Matheus: Muito obrigado, gente. Sério, muito obrigado mesmo por nos defender.

João Guilherme: Que nada, tá de boa! Conta com a gente para o que precisar, pode pá?

Larissa Manoela: Isso mesmo! E olhem aqui, não deixem esses idiotas fazerem isso com vocês, não! Isso é bullying não pode acontecer!!! Caso isso volte a se repetir fale comigo, ou vão até a diretoria falar com diretor.

Ana Vitória: A gente vai sim. E muito obrigado novamente por nos defender! Vocês foram incríveis. (Sorrio)

Na sala da diretoria:


Dalton Vigh: Vocês devem saber o porquê de eu ter chamado os quatros aqui, certo?

Thomaz Costa: Quando o senhor explicar é claro que a gente vai saber, mas por enquanto vamos ficar na dúvida, velhote.

Mharessa Fernanda, Giovanna Chaves e Gustavo Daneluz começam a rir.

Dalton Vigh: Se acha muito engraçado, né Thomaz Costa? Se acha o engraçadão! Só que eu não acho nada de engraçado quatro alunos cabular aula!!!! (Grito bravo)

Giovanna Chaves: Que alunos fizeram isso?!? Meu Deus! Isso é um tremendo de um absurdo!!! (Me faço de sonsa)

Gustavo Daneluz: É... Quem cabula aula só pode ter pro-problemas... (Digo tentando disfarçar me fazendo de sonso)

Dalton Vigh: Não finjam jovens, eu sei muito bem que foram vocês! A Raíssa falou tudo para o professor Camargo!!! (Digo bravo)

Giovanna Chaves: Claro! Quem mais podia ser? (Reviro os olhos)

Dalton Vigh: Vocês irão receber uma punição por causa disso, jovens! Não pensem que isso vai ficar assim.

Mharessa Fernanda: E qual vai ser a punição, diretor? (Digo com medo)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...