1. Spirit Fanfics >
  2. Jujutsu Kaisen - Hyperreal >
  3. O dia que o clima me fez conhecer a lua.

História Jujutsu Kaisen - Hyperreal - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - O dia que o clima me fez conhecer a lua.


Fanfic / Fanfiction Jujutsu Kaisen - Hyperreal - Capítulo 15 - O dia que o clima me fez conhecer a lua.

Sukuna estava boquiaberto, sentindo todo seu corpo arrepiar e lembranças sombrias surgir em sua mente - o que ela descobriu? Até onde os espelhos mostraram a ela?- ele olhava a imagem que a muito anos conhecia .


Gojo estava surpreso em olhar o que antes a garota descrevia ser seu pesadelo, mas aquela imagem a sua frente não tinha nada de assustador - ela está até mais bonita...- o sensei comparou com a outra aparência da garota.


  S— hey- ela parecia deslumbrante,  rodopiou monstrando sua aparência para o professor .


S— meu Deus eu to feia!?- ela olhava os dois homens boquiabertos , sem reação.


S— hey - ela deu dois estalos com a ponta dos dedos , o que os fez acordar do transe.


 GS— eu to.....- ele passou a mão pelo cabelo — uau.


Sol sorriu.


GS—Pelo visto , os espelhos te mostraram bastante coisa ...- ele ainda olhava admirado para a garota — vamos para a sala conversar sobre?!


Sol assentiu e virou em direção a Itadori.


Sukuna olhava a menina , observando cada detalhe e então  viu o rosto surpreso e assustado o encarar.


S— Sukuna?!!?


A garota olhava surpresa , pensava que era Itadori, não tinha prestado tanta atenção no outro rapaz ,pois estava animada se mostrando ao sensei (haha)


Os dois se olharam tímidos e Gojo parecia incrédulo olhando aquela cena de fora.


Sukuna estava rendido , não sabia que expressão mostrar , mesmo a sua cara parecendo de um sadico , ele na verdade não sabia muito bem que expressão fazer.


A garota olhava o rei das maldições e sentia em seu corpo toda as sensações que viu no espelho, lembrou do sabor daquele homem - suspirou - e reparou cada detalhe do rosto que esboçava raiva.  Queria acaricia-lo .


A tensão instalada no ar estava incomodando Gojo , que não sabia que diabos estava acontecendo.


GS— ei vocês...- Sol voltou seus olhos assustada para o sensei e Sukuna continuava a encarando.  — vamos?


S— a .... - ela voltou seu olhar novamente para o rei , ela queria fazer várias  perguntas a ele —  sim vamos.


GS— Algum problema Sukuna? Você estava vindo em minha direção falar algo?


Sukuna voltou sua palavra ao homem


RS— Resolva o que tem que resolver , depois eu falo com você . 


Então ele foi deixando Itadori tomar conta.


Sol e Gojo acenavam para Itadori que abria seus olhos e olhava perplexo para a situação.


IY— filha duma ....- ele se referia a Sukuna e olhou para as duas pessoas a sua frente. — hey....


Itadori olhou a garota que estava em contraste com seu professor- quem é essa?...Sol?- Ele arregalou os olhos.


S— Você mentiu sobre seu “uau” sensei - ela deu um leve empurrão no homem — humpf 


GS— acho que ele só está impressionado Sol.


Os dois foram andando , não dando bola para o menino que estava todo confuso .


S— Hey- a garota virou sua face para a de Itadori.


E o vento apareceu na hora certa, ao virar a menina tinha um sorriso ponta a ponta e a brisa levou seus cabelos para trás a dando um ar de realeza , Itadori estava impressionado com tamanha beleza da noite no meio do dia e quando a menina o encarou  ,o garoto sentiu seu corpo formigar .


S— venha com a gente, tenho coisas interessantes a falar. - ela esperou o garoto se juntar a eles — parece que você gostou mesmo dos meus cabelos negros hm.


Itadori deu um riso tímido, arrumou sua postura e se juntou ao grupo.


S, GS— e se a gente assustar a Catarina? - os dois falaram juntos e se olharam travessos batendo as mãos.


S— NOSSA VAI SER INCRÍVEL, Ela viu como era a imagem no espelho, a alma dela vai sair do corpo. -falava animada , planejando como iria fazer.


GS— eu filmo , eu filmo - ele dançava amimado junto com Sol.


Itadori ria de seus amigos e continuava a sentir aquele sentimento de anestesia em seu corpo.




Ao entrarem na sala os três se sentaram em suas cadeiras formando um círculo .



GS—estou animado.

S— eu também , vocês vão surtar com a fofoca.


Os dois olhavam a menina que agora trocou para a sua aparência normal.


GS, IY- O QUE? - Sol balançava a cabeça confirmando .


S— Vamos lá.  - ela se ajeitou —quando eu entrei na sala dos espelhos uma coisa muito macabra aconteceu - ela gesticulava com as mãos fazendo o clima — a pior parte foi quando uma música muito estrondosa e um grito aterrorizante ecoo naquele quarto e quase me deixou surda .


Gojo lembrou do grito e pensava que era de sua aluna.


S— Era o mesmo grito que eu escutava nos meus sonhos e que ficou na minha cabeça por dias , aí uma voz surgiu do completo nada pedindo pra eu virar e....


Os dois estavam focados prestando toda atenção no show da menina.


S—BUMM- sol trocou para sua versão lua e os dois deram uma leve recuada para trás.


S— sim essa foi a minha  reação e pior que ela estava toda acorrentada na parede , machucada e desnutrida - eles olhavam sem entender.


S— aí ela se soltou da corrente e juntou as nossas testas- agora eles estavam aterrorizados — GENTE ELA SEGUROU O MEU ROSTO E FEZ EU ME APROXIMAR DELA.


S— ela pediu pra eu olhar fundo nos olhos dela e procurar a verdade ... - a menina abaixou seus olhos lembrando de tudo o que viu e voltou seu olhar para Itadori.


Ela o olhou e lembrou de Sukuna - eles eram tão parecidos .... tão doce ... tão amável ...- menina balançou a cabeça e começou a contar  das coisas que descobriu.



Ela gesticulava, fazia os movimentos que viu , falou com estranheza da pequena Eliza que era sua filha em alguma vida , cantou um trecho da canção e seus amigos se animavam e se surpreendiam com o que a garota falava,interagiam curiosos. Então Sol que estava de costas encenado como ela estava no rio virou e encarou Itadori.


S— E então .... - a garota virou completamente ainda olhando nos olhos do garoto — eu vi ...


A garota lentamente sentou , estava envergonhada de falar e o garoto parecia entender de algum modo .


S— Eu vi o Sukuna - ele sentiu seu corpo esquentar.


Gojo ficou boquiaberto e colocou seu corpo para frente querendo saber mais 


Itadori foi para trás olhando corado pra a garota.


Sol olhava para Itadori lembrando tudo que viu e levou seu olhar para a boca do garoto.


S— Eu e Sukuna ... já nos conhecemos a tempos. - a garota desviou o olhar.


Gojo olhava incrédulo para Sol e pra Itadori.


 GS— Conhecidos?!? Como assim ...


Sol estava envergonhada ,mas prosseguiu sua fala.


S— Nós já ... Nós já fomos amantes - fechou os olhos e sentiu seu corpo arder.


IY— então é por isso que ele já sabia seu nome- sussurrou baixo.


GS— PERA PERA PERA - o homem levantou na animação— VOCÊ e SUKUNA? A quanto tempo?


S— Eu não sei ao certo , mas ele ainda não tinha quatro braços e ... ainda não era um ser abominável- a garota nem sabia como era possível ele ter se tornado o que se tornou.


GS—MEU DEUS .- ele foi em direção a garota — Sol você pode saber quem é a feiticeira.


Itadori olhava curioso para a garota e sentia Sukuna se acalmar dentro dele - aqueles sonhos  - ele pensou.


S— Que feiticeira?


GS—Sukuna foi morto por uma feiticeira jujutsu. - ele começou a explicar - depois de muitos morrerem , conseguiram descobriu uma fraqueza dele e a usaram para matá-lo, mas ninguém conseguiu dados concretos da identidade da  garota ou se ela realmente existiu , só tem um livrou com poucas informações dela na biblioteca e ainda tá em enoquiano.


S— um da capa dourada? - o sensei confirmou — está comigo, porém eu não tenho nenhuma lembrança de como o sukuna morreu ...


S— o espelho me falou que tem selos escondendo verdades em mim que só vão ser quebrados com o toque de quem o fez - fitou  Itadori .


GS— Sukuna você tem algo a dizer?


IY— ele está calado como uma pedra.


S— ah -deu de ombros — se possível gostaria de falar com ele depois.


Sukuna apareceu na bochechas de Itadori.


RS— Posso conceder esse pedido. Na hora certa eu falo com você .


Sol estava ingenuamente feliz com a resposta ,mas sentiu seu celular vibrar e tirou sua atenção .


Gojo fazia perguntas aleatória para Itadori e Sukuna “ como vc não falou isso” e etc .



                            Mensagem


*Fushiguro 🐺*

Hey, quer assistir um filme mais tarde?



Sol sorria boba para a mensagem.

                                                 * sol *

                               Simmm, que horas e          onde?





Gs— hey, sol - Gojo olhava curioso pra garota que sorria boba para o celular  - hmmmmmmm tá de namoradinho hmm


Sol olhou tímida pro sensei.


S— err não, err - a garota ficou sem jeito e tentava  se esquivar.


Iy— se você soubesse quem é, ia ficar mais surpreso ainda - itadori falava de canto com braços cruzados e dando de ombros 


Sol abriu a boca em choque.-quando ele soube? Será que Megumi contou a ele?- ela pensava


S— e você sabe por um acaso?!?


Ele acenou com a cabeça afirmando.


Sol suspirou fundo ,levantou balançando a cabeça não acreditando.


S— aff - ela foi saindo da sala.


Gs— quem é? Ei volta aqui, Itadori me fale. - ele aprecia desesperado para matar sua curiosidade.


Itadori foi saindo da sala também  para se esquivar da curiosidade do sensei.


GS— meu alunos sempre tão cheios de segredos. - ele olhava o vazio da sala — bom , eu preciso saber mais sobre o caso de Sol.


Sol e iatadori andavam lado a lado indo em direção ao dormitório, tinha um clima tímido no ar. 


A garota não conseguia dar uma palavra com Yuuji , que tentava puxar assuntos aleatórios, a menina só conseguia sentir coisas estranhas em seu corpo como :formigamento, timidez, saudades...

Não conseguia fingir que estava tudo bem.


IY— err... - ele parou de andar o que fez a garota olhar para ele.


IY— eu não sei o que você viveu com o sukuna , mas ... parece ter sido bem intenso ,já que os dois ficam com esse clima - ele balançou as mãos no ar .


O clima era tenso, tão pesada que poderia ser apalpado.


S— desculpa Itadori é muita informação pra minha cabeça e está muito recente .


IY— eu sei, eu sei. Mas , saiba que eu gosto da sua amizade e eu não misturo a minha vida com a do sukuna , serei seu amigo caso precise.


A menina olhava o garoto que sorria sutilmente, ela entendi que não tinha como Itadori  saber o que passava na cabeça dela , em uma semana a sua vida foi colocada de cabeça para baixo e agora ela sabia que já amou o rei das maldições  e que  seu corpo estava tendo reações muito diversas ao estar do lado do receptáculo dele... - ele não tem culpa- Sol balançou a cabeça e sorriu.


S— Você é tão bom Yuuji, obrigada de verdade , prometo que irei absorver tais informações ... com o sukuna , de maneira que não afete a nossa amizade , mas eu preciso de um tempinho para raciocinar bem as coisas....


Itadori olhava sol , ela era tão bonita , ele sabia que seu corpo também reagia de maneira diferente , mas ele gostava da garota , não no sentindo paixão, mas eles tinham um grande potencial de amizade.


S— e então - Itadori voltou a prestar atenção — como você soube de mim e  fushiguro?


Itadoria virou o rosto fazendo bico.


S— ele contou para você????- ela rodeava o garoto , esperando uma resposta.


IY— óbvio que não - ele falava fazendo bico — eu vi vocês dois no refeitório...


A cara de Sol foi ao chão e sentiu a vergonha tomando conta do seu corpo.


S— meu Deus .... seu espiãozinho-  a garota deu uma leve empurrada em Itadori e os dois riam.


Continuaram o caminho , agora sem o clima tenso , as risadas comuns entre os dois pairavam pelo ar.


Ao chegarem no divisor dos dormitórios , os dois se olharam e tinham um sorriso bobo no rosto.


S— bom , quando eu for assustar a Cat, eu ligo para você e o sensei, ok? 


IY— hahaha, você é maluca - a garota soltava uma risada — ok.


Sol foi andando para entrada do dormitório feminino.


S— não vá espiar eu e o fushiguro hoje  ein.


Itadori ria e balançava a cabeça enquanto ia entrando no dormitório masculino. 

Seu corpo estava mais leve que o normal, sua cabeça parecia estar em paz - o sorriso dela...- ele lembrava e ao perceber  balançou a cabeça - é só o sukuna... droga- ele foi ao seu quarto.



Maki , Catharina , Megumi e Nobara estavam treinando no estádio.


C— ISSO NÃO É JUSTO- ela falava ofegante — USAR ESSA CURUJA COM CARA DE TITÃ MANDÍBULA.


Maki e Nobara riam da garota .


MF— mas a gente tá treinando .


Catharina corria com a vida .


C— VEM SE GARANTIR NO SOCO GAROTO.


Megumi balançava a cabeça negativamente.


IY— hey 

S— hey.


Os dois chegaram ao mesmo momento no recinto.


Todos olhavam para eles e um sorrisso bobo apareceu no rosto de Sol e Megumi.


C—SOCORRO SOL- a garota estava na outra ponta do gramado — O MEGUMI TÁ TENTADO ME MATAR.


Sol olhava para sua amiga  que esboçava desespero no rosto e ia indo em direção a ela.


S— MAS VOCÊ EIN, BEM ESQUECEU OS LEQUES.


Megumi ia seguindo com os olhos a garota passando correr  e sentiu Itadori colocar a mão no seu ombro.


IY— mano disfarça mais a tua cara - Megumi olhou com desdém para seu amigo — justamente, sua cara sempre é assim , aí a Sol passa e você fica com a cara boa, não tem nem como não saber.


NK— o que vocês estão fofocando aí?!


MF— Nada - Nobara não acreditou e ficou enchendo o saco de megumi.


os dois foram indo para a arquibancada olhar as duas alunas de Maki se virando contra o shikigami de Megumi.



S— ue, vocês não vão treinar com a gente?


MZ— já treinamos o bastante. - Itadori ficou quietinho , não estava afim — E como foi lá na sala dos espelhos?


Sol encarou a plateia , olhou Megumi e depois Itadori, ela ainda não queria contar o que havia acontecido, de fato.


S— muita coisa , como por exemplo isso.


Sol saiu correndo em direção ao shikigami e instintivamente conjurou um bastão  que virava duas katanas quando separada no meio.


A garota sentia seu poder percorrer sua corpo e seu cabelo e olhos brilhavam ,mas ela não percebeu o brilho.



NK— meu Deus , agora ela é uma super sayajin?!?!? - Nobara falava em choque.


todos olhavam deslumbrados.


A garota corria em direção a grande ave  que vinha em sua direção, em um pulo  ela acertou suas katanas em cada pata do animal que caiu no chão.


Sol estava agachada no chão com suas katanas para trás e sutilmente levantou e foi em direção ao grande animal que soltava raios. 


Em volta de seu corpo a garota tinha uma barreira que a protegia, igual aquela em shibuya ,mas agora ela tinha consciência de como fazer e como deixar para ficar certo em volta de seu corpo.


A garota se aproximava sem medo dos raios e colocou sua mão no animal , fechou seus olhos e sentiu sua energia indo para sua mão.


S— regeneração. - a grande quantidade de energia  foi de encontro ao animal , que teve suas patas de volta.


Todos olhavam supresso e boquiabertos.


O ave voltou para o ar e Sol a seguia com o olhar e sentiu um mão em suas costas.


C— Sol? O que? -Cat a olhava um pouco assustada,porém admirada.


Sol virou sorrindo e viu pelo olhar de sua amiga que estava brilhando.


S— foi uma das coisas que eu descobri na sala dos espelhos- ela respirou fundo e sentiu a sua energia ficando calma, fazendo o brilho dissipar.


S— eu tenho muita coisa pra te contar.


MZ— É O QUE , VEM LOGO AQUI. - a professora estava animada chamando suas alunas.


Sol e Catarina foram de encontro ao pessoal.


Fushiguro estava sem palavras, ele já achava Sol linda, mas quando viu a garota naquele estado ele perdeu todo o conceito do que admirava pois aquilo tinha sido demais ,a garota parecia um ser de outro mundo, algo que ele nunca imaginou presenciar. Ele se sentiu intimidado quando ela se juntou a turma, ele não sabia como reagir.


Nobara ,Maki  e Catarina olhavam com brilho nos olhos  e fizeram uma série de perguntas.


Sol contou sobre os ocorrido, menos a parte da mulher de cabelos negros, pois ainda queria assustar sua amiga e nem falou de Sukuna, pois não sabia como a galera e principalmente Fushiguro iria reagir .

Itadori apenas ficou calado, se a garota não queria contar agora é por que ela tinha um motivo.

O sol foi indo embora e a noite foi tomando conta .


A tarde tinha sido bem produtiva, Catarina e Sol tinham treinado bastante com seu senpais .


Maki planejava testar todo as habilidades de Sol para que tomassem consciência do que ela seria capaz.


Sol olhou seu celular e viu que já estava quase na hora de seu encontro com Megumi.


S— hey, eu preciso ir .


Sol levantou e viu que Megumi parecia ter se esquecido, pois ele a olhava confuso.


C— ir pra onde?


S— Eu tenho muita coisa pra pensar , estou exausta- mentiu e foi descendo a arquibancada — obrigada pelo treino de hoje - reverenciou seus amigos e foi indo para seu quarto.



A garota pegou seu celular e mandou uma mensagem para Fushiguro.


*sol*

Ainda vai rolar?

*Fushiguro 🐺*

  sim, vou pedir pizza, qual sabor você quer?

                            

                                      * tanto faz...eu amo pizza*



*😑😑😑*


                                        * quatro queijos *

*ok, te espero*



Sol estava fazendo sua dancinha de animação, mas lembrou o quanto estava com vergonha e se enrolou em baixo das cobertas por estar envergonhada.

- porra , porque eu me perco com esse garoto- ela rolava de um lado para o outro - argh a gente já se beijou Sol  para de ser besta -  aí ela lembrou que eles ia ficar sozinhos no quarto dele e deu um pequeno gritinho .


A garota encarava seu armário - eu coloco lingerie?? Não ... mas e se.... não- ela olhava profundamente seus pijamas e lingeries.


S— um pijama bonito e uma calcinha bonita , porque aí não vai deixar tão na cara assim... 


ela pegou um conjuntinho ,era uma blusa de setin azul petróleo claro, que tinha renda enfeitando o tecido  nas bordas e  o shorts  era do mesmo tecido ,mas a renda ia por cima de todo o tecido , separou uma calcinha branca rendada e delicada -vai que ...- pensou.

 

A garota tomou seu banho e se vestiu, não passou maquiagem , apenas fez seu skin care e arrumou sua sobrancelha, passou seu melhor perfume e colocou um grande casaco para passar pelo frio do lado de fora até chegar no quarto do garoto.



-eu estou a beira  de um surto- a garota pensava enquanto encarava a porta de Fushiguro - bora corpo mexa-se - ela sentia as borboletas voarem em seu corpo todo e sua bochecha corar.




Fushiguro arrumou seu quarto todo , estava nervoso com a chegada  de Sol -para Megumi, vocês já passaram por outras coisas- ele tentava controlar sua ansiedade .


* toc, toc ,toc*

 - droga,droga ,droga - o coração do garoto acelerou no mesmo  instante .


Ao abrir a porta e seus olhos pairarem no rosto da garota, Megumi perdeu o ar ao ficar encantado - tão linda -ele pensava olhando o rosto corado de Sol, a olhou dos pés a cabeça - meu Deus , o que uma mulher dessa tá fazendo na minha porta ?!- ele se sentia inferior ao ver ela naquele pijama ,que a deixava tão sexy e fofa.


S— hey. - ela disse tímida 


MF— hey... a - ele se tocou que tinha que dar passagem para a garota entrar no quarto.


Sol segurava seu surto interno ao encarar o garoto e entrar no quarto. 


Megumi fechou a porta e deu atenção  a garota.


S— eu to tão tímida... - ela soltou uma risada .


MF— só você mesmo pra ter coragem de falar essas coisas - o garoto foi por trás de Sol e a abraçou e sentiu o perfume da garota invadir seu olfato— que perfume gostoso .


Fushiguro afastou o cabelo do pescoço da garota e inspirou de perto aquele aroma, sentiu a pele da garota arrepiar.


MF— fique a vontade hm- ele foi tirando o casaco de Sol e o pendurou atrás da porta.


S— agora eu to bem mais tímida ,obrigada.


Os dois caíram na gargalhada.


A vergonha só durou alguns minutos, logo os dois estavam na cama comendo pizza e falando diversos assuntos , até esqueceram do filme que planejavam assistir.


S— ei, tem uma coisa que eu quero te mostrar.


Sol saiu da cama e ficou  parada olhando para o garoto que estava curiosos.


S— err , espero não te assustar.


Sol fechou seus olhos e começou a se concentrar em sua outra metade , sua feição lua.


Fushiguro  olhava para a garota que agora tinha seus olhos fechados - eu hein, o que ela vai me mostrar.... - a feição do garoto foi ao chão .


A garota agora trocou com sua feição lua, a transformação acontecia em segundos, seus cabelos estavam anoitecidos e ao abrir seus olhos e encarar o garoto a sua frente ela viu que ele estava boquiaberto.


MF— uau ... eu to ... sol? - Megumi a olhava incrédulo do que estava vendo-aquilo era alucinação?- pensou


S— eu descobri lá na sala dos espelhos, não contei por que eu planejo assustar Catarina - a garota sentou na cama, ficando perto de Megumi.


S— essa era a imagem que me atormentava antes ... e eu descobri que ela faz parte de mim , mas não sei como.

 

Fushiguro estava encantado, olhando como aqueles olhos escuros eram lindos e como aquele cabelo preto ficou perfeito . Ele passou as mãos nos cabelos de Sol.


MF— os espelhos falaram algo mais? - a garota o olhou e ele aprofundou seu olhar com o dela.


S—Que tem selos em minha alma , dos quais os toques de amor de quem o fez vão quebrá-los. - ela desviou o olhar.


MF—hm...- a cabeça de fushiguro se encheu de questionamentos. — Vou estava aqui para te ajudar , caso precise.


Sol viu a expressão do menino mudar - e se eu contasse de Sukuna? Como ele iria reagir?- ela pegou na mão do garoto que tocava seu rosto.


S— Gosta do que ver? - deu um sorrisinho.


MF— eu estou completamente fascinado, nunca pensei que você conseguia ficar mais linda.


Megumi olhava fundo nos olhos negros a sua frente e aproximou seus lábios .


MF— você está incrívelmente admirável, assim como a lua .


Sol se rendeu aquele homem que a admirava - esse beijo... - ela sentia seu corpo estremecer .


Eles juntaram seus lábios e a sincronia foi tomando conta, Sol colocou suas mãos no cabelo do garoto e ia arranhando suavemente da cabeça até o pescoço, a garota passou sua língua pelos lábios de Fushiguro e foi o beijando da boca, passando pelo queixo e pescoço, onde mordia e deixava pequenos chupões.


Megumi sentia seu corpo ser tomado pelo desejo, pegou a cintura da garota e a colocou sentada em cima dele - filha da puta, por que você me deixa tão duro- ele pensava enquanto sentia a garota rebolar em sua ereção.


Sol estava se sentindo linda,mas ela não sabia como era sua feição com sua metade lua , ela preferiu trocar para sua aparência conhecida.


Ao se afastarem e encontrar os olhares .


MF— Meu Deus você ...- ele olhava Sol com sua apercebida cotidiana, mas aquele rosto inocente estava tomado pelo desejo do diabo , o que a fazia  ficar tão sexy em contraste com aquela aparência angelical.


Sol mordeu os lábios , sabia que o garoto gostava do que via , ele estava rendido e a garota aproveitou isso.


Ela empurrou para que ele deitasse ,  o encarou e o tesão tomou conta do seu corpo - eu não vou da pra ele, mas eu vou fazer ele me desejar até não aquentar mais - pensou , olhando o garoto que usualmente tinha uma cara de dominador , está tão submisso nas suas mãos.

Sol passou sua língua em seus lábios e sentiu o pau do garoto pulsar , ela começou a rebolar por cima de fushiguro, que tentou colocar a mão na bunda da garota ,mas foi interrompido por um tapa em cada mão. 

Agora ela voltou a beija-lo, o beijo era fogoso e delicioso , lentamente ela passou suas unhas no abdômen do garoto por debaixo da blusa.


Fushiguro estava gostando da experiência, nunca foi tomado daquele jeito , nem imaginava que Sol tinha tanta pegada assim .


Ele sentiu sua blusa ser levantada e viu a garantia o admirando.


S— você é muito gostoso - ela falou arranhando a pele exposta ,mordendo a boca e sarrando sua intimidade na do garoto.


Maldosamente a garota se pôs apoiada  em quatro apoios por cima do garoto e começou a dispersar beijos apartir do pescoço de Fushiguro e os levou até o abdômen, passando sua língua e olhando nos olhos do garoto , que gemia com os toques.


-porra- ele pensava ao ver aquele olhos olhando profundamente- faça alguma coisa, reaja - ele não conseguia tomar uma atitude, estava rendido aos toque de Sol , estava tudo tão gostoso.


A língua de Sol foi chegando perto do cos da calça de Megumi e ela passou suas unhas por onde tinha lambido enquanto mordiscava suavemente a pouca pele antes do pau ereto.


A garota se levantou e encarou o garoto , passou suas duas mãos desde o pescoço até o cos da calça.


S— Como você está duro aqui Fushiguro...- ela passou uma mão na ereção do garoto que arfou. — você gosta do que eu estou fazendo?- Sol perguntava com uma voz sexy,mas com um olhar inocente,propositalmente .


-essa garota sabe me enlouquecer- ele apoiou suas costas no batente da cama - eu vou entrar no jogo também- ele colocou a mão no rosto de Sol e viu a garota chupar seu dedo indicador- porra ,desgraçada - ele  ficou perdido na admiração ,viu a garota se aproximar um pouco e tocar sua ereção.

Sol chupava o dedo indicador de fushiguro, segurando seu pau e olhava fixamente os olhos desejosos do gartoro, ela começou a masturba-lo ainda por cima da roupa.

Sutilmente retirou o dedo do garoto da boca e deu um leve beijo.

S— É isso que você quer que faça ,aqui? - ela deu uma leve apertada no pau de Megumi e voltou a passar suas unhas no abdômen do garoto o arrepiando inteiro.

Megumi já estava ficando impaciente de tanto desejo e vontade da garota, ali seu limite tinha sido quebrado, ele pegou Sol pelo pescoço e aproximou seus rostos.

A garota gemeu com a atitude de Megumi, era isso que ela queria, vê-lo sair de si.


Megumi ia abrir a boca para falar algo, mas Sol lambeu sua mão e a colocou no pau do garoto  , por dentro da calça.


Ele gemeu com o leve susto.


Ela começou a masturbar-lo ,sentia todo aquele conteúdo pulsar na sua mão e mordia os lábios de desejos, ele a olhava nos olhos e gemia suavemente com as carícias, ainda segurava o pescoço da garota e a aproximou para beija-lá.


Ela fazia as carícias enquanto o beijo  rolava e então começou a intensificar fazendo o garoto se perder entre gemidos .


A menina interrompeu o beijo e foi sussurrar no ouvido do garoto.


S— Eu devo admitir que eu estou admirada- ela mordeu o lóbulo da orelha de Megumi — Você é tão grande e grosso , que me faz duvidar se eu consigo colocá-lo na minha boca .


E ali foi o fim , Megumi  pegou a mão de Sol que estava no seu pau e inverteu as posições .


Ele ofegava e olhava a garota ficar sem reação por baixo dele .


Sol estava admirando aquele homem maravilhoso por cima dela , estava à espera dele a possuir .


MF— eu sei bem o que você planejou - ele prendeu as duas mãos de Sol para cima com uma mão e começou a beijar o pescoço da menina — Mas vai ser eu quem vai  te levar pro deliro  e não dar o que você quer - ele sorriu sadico.


Sol tinha sido descoberta e sorria ansiosa.


Fushiguro tirou sua blusa e a usou para amarrar os pulsos de Sol , a garota rebolava excitava no garoto que estava entre suas pernas. Megumi terminou a amarração e sentia a intimidade da garota desejando a sua, ele pegou  o rosto da garota e a encarou - esses olhos cheios de luxuria- ele mordeu os lábios, pois gostava da visão.


MF— essa feição de anjo com atitude de demônio é o que me fascina em você - ele pressionou seu pau na intimida da garota— é o que me deixa tão duro e faz eu perder o controle.


Ele voltou ao pescoço de Sol e foi descendo seus beijos ao seio da garota , ele sultimente levantou a blusa deixando os seios à mostra - isso é a visão do paraíso - ele se afastou para olhar.


Ele olhou aquela cena de Sol amarrada , com seu rosto tímido por está sendo olhada e seus seios  excitados .


S— você está me deixando tímida, fushiguro- ela falou desviando seu olhar .


Megumi ficou mais excitado ainda .


MF— shiu , eu estou admirando você e não te dei permissão pra falar hm - Sol sentiu sua intimidade arder com as falas e Megumi subiu a blusa da garota até a sua boca — abra a boca .


Sol olhava profundamente nos olhos de fushiguro - que tipo de demônio eu despertei?!?-  ela  abriu a boca e sentiu sua blusa sendo levemente colocada lá.


MF— feche - e assim Sol obedeceu , ele acariciou o rosto curioso da garoto — boa garota.


Megumi voltou a admirar a garota , ela estava tão submissa que nem parecia a mesma de antes .


Ele mordeu a boca e começou o seu trabalho , começou a chupar os seios da garota e roçar as intimidades ,ele a via morder a camisa e arfar o corpo , subia seus beijos até o pescoço da garota , deixando chupões e mordiscadas , beijava o queixo e voltava o caminho para os seios.


Ele pegou os seios com suas duas mãos e os juntou e começou a passar deliciosamente sua língua de um mamilo para o outro , colocou uma mão no pescoço da garota e pressionou, sua língua se encontrava no mamilo esquerdo enquanto sua mão brincava com o direito.


Sol estava no paraíso, sabia que estava molhada ao ponto de sentir seu líquido escorrer, ela sabia que Megumi tinha pegada ,mas estava supreendida.


Megumi  levantou e Sol reprovou a atitude.


MF— você é tão deliciosa - ele acariciava o rosto de Sol e foi passando suas mãos por todo o corpo da menina , e segurou o shorts da garota —  imagino como deve ser gosto te beijar aqui - ele só estava esperando a aprovação de Sol.


Ele levemente retirou o short da menina e encarou aquele calcinha delicada na menina e estremeceu o rosto com desejo


MF— posso? - ele abriu as penas da garota que assentiu  com desejo .


Megumi começou beijando as coxas da garota  e passava seus dedos na intimidade da garota por cima da calcinha.


MF— porra , você tá tão molhada , isso é tudo por minha causa? - ele sorria ao ver a garota afirmar com a cabeça.


MF— ei olhe pra mim- ele falou com uma expressão dominante.


Sol estava envergonhada, estava muito exposta ,muito rendida mas estava tomada por desejo e fez o que Megumi ordenou.


O garoto passou seu dedo na intimida de Sol e levou seus dedos a sua boca para experimentar o líquido da menina - porraaaaa - ela achou delicioso atitude do homem.


Megumi ao sentir aquele gosto delicioso , fechou os olhos - como pode ser tão perfeita? - ele foi tirando a calcinha e admirou a buceta da garota - meu pau vai explodir- ele admirava a intimidade da garota e olhou para o rosto de Sol que estava corado.


MF— Por que a timidez? Eu quero te ver gemer .


Ele foi levando seu rosto para os lábios íntimos da garota .


MF— não vou mentir , quem está passando vontade sou eu.


Ele lambeu toda a vulva da garota , que arfava , a língua de fushiguro ia passando por toda a região e levemente sugou o  clítoris e lá ele começou a beijar.


Sol estava sentindo seu corpo tremer, estava tão excitada que seu clítoris  parecia mais sensível, o oral de Megumi de longe foi a melhor que teve em sua vida.


Megumi lambia o clítoris de Sol , de cima para baixo e começou a rotacionar sua língua , fazendo a garota começar a rebolar na sua cara.


Ao sentir a buceta de Sol rebolando , Fushiguro não aguentou o tesão que sentiu.


Fushiguro levantou e bruscamente colocou Sol de quartro. 


Por um momento o garoto se arrependeu de ter feito isso , pois a visão era perfeita demais pra ele conseguir segurar seu pau.

Ele  ficou de joelhos na cama admirando a visão : Sol de quatro era uma amostra de como seria o paraíso.


Ela  empinava completamente para fushiguro, estava tão tomada de desejo que seu corpo agia por conta própria.


MF— caralho - ele estava totalmente impressionado e viu Sol  começar a rebolar , mostrando que o queria logo.


Sol se sentiu uma gostosa quando ouviu Megumi sussurrar aquela palavra e então começou a rebolar para que ela a penetrasse de uma vez.


Fushiguro passou suas mãos na bunda da garota e disparou dois tapas bem forte em cada lado , e a garota gemia e afirmava com cabeça querendo mais .


Megumi caiu de boca voltando a chupar a garota , passava sua língua no anus da garota e apertava a bunda empinada dela, passou a chupar novamente a vagina que estava mais molhada que antes - meu pau deve tá pra me bater - ele soltou um riso enquanto pensava  o quanto queria senti-la e voltou a chupar a garota .


Sol não estava mais aguentando,ia gozar em breve , seu corpo começou a tremer com a língua deliciosa do garoto em seu clítoris , ela gemia e rebolava incontrolávelmente e sentiu fushiguro agarrar sua bunda e intensamente lamber seu clítoris- porra - a garota sentiu seu ápice chegar e desaguar na boca de Megumi.


Fushiguro ao sentir o gozo de Sol , começou a passar a língua da entrada da vagina até o clítoris da garota - deliciosa- ele sugava todo aquele líquido e sentia sua ereção doer de desejo.


Ele voltou a ficar de joelhos olhando aquela cena, Sol o olhava com os olhos desejos , ela tinha suas mãos jogadas a frente , ainda amaradas , seu rosto estava deitado de lado e mordia a blusa que estava na boca.


O pau de Megumi pulsava e ele respirava fundo.


Sol estava arfando e se empinando pra fushiguro- esse filho da puta , vai conseguir ?- ela estava pra vender sua alma ao diabo só para ter o pau de Megumi a penetrando.


A garota então , levantou-se e tirou a blusa que estava na sua boca e a deixou em algum canta da cama, então foi para o colo de Megumi ,passando seus braços amarrados por trás da cabeça de Megumi e começou a rebolar no colo do garoto.


Ela sentia o pau duro como pedra de Fushiguro a desejar ,ele pulsava ao senti-la deslizar ainda por cima da roupa.


S— Gumi- ela jogou sua cabeça para trás deixando sua boca no ouvido do garoto. — Você tem certeza que não vai me dar o que eu quero? - ela começou a rebolar mais intensamente— a minha buceta tá te desejando tanto e o seu pau tá doido pra sentir o quão molhada ela está.


Fushiguro estava de olhos fechados lutando contra seu orgulho, ele sentia Sol rebolando no seu colo e sentia o líquido dela molhando onde ela estava rebolando. - eu não vou aguentar- ele segurou a cintura da garota e pressionou contra o seu pau .


S— Me fode do jeito que você tanto deseja - ela  falava entre gemidos e tirou seu braço que antes estava por trás da cabeça de Megumi e voltou a ficar de quartro  — É assim que você quer me quer? - ela rebolava no garoto e falava com a voz manhosa.


Ele passou a mão pelo seu rosto ao ver a quela cena deliciosa.


Fushiguro levantou da cama e pegou a camisinha que estava na sua escrivaninha - foda-se meu orgulho - ele se despiu e voltou para trás da garota  que agora deslizava sua buceta molhada no pau de Megumi que gemia .


-meu Deus isso vai caber? - ela pensava sentindo a intimidade do garoto - faz meses que eu não transo com homens e ainda pego um pau desse? Aí foda-se , na verdade me fode- ela sentiu um tapão na sua bunda e se empinou.


Fushiguro estava tomado pelo desejo , segurou seu pau e o direcionou a entrada da garota e vagarosamente foi colcoando na buceta molhada da garota , estava tão apertada, molhado e quentinho que sentiu o gozo quase vindo - se controla porra.


Sol sentiu como se estivesse perdendo a virgindade novamente, mas não era uma sensação ruim , era aquela dor prazerosa , ela sabia que ia sentir isso , fazia meses que ninguém a penetrava , esteve só se relacionando com mulheres passivas .


-que paraíso - eles pensavam em conjunto, cada um sentindo o seu desejo ser realizado.


O corpo da garota arrepiou com os movimentos do garoto e os dois começaram a gemer incontrolavelmente.


Fushiguro sentia um prazer absurdo enquanto seu pau  estava sendo apertado naquela intimidade molhada e macia - filha da puta gostosa - ele estava no paraíso , seu pau estava tão duro ao sentir o que finalmente desejava .


Sol viu que Megumi parecia se segurar então mordeu  boca e começou a rebolar de quartro para o garoto que arregalou os olhos e com tanto prazer sentou por cima dos joelhos . A garota continuou a rebolar e gostava de ouvir os gemidos incontroláveis do garoto.


eles se encaixavam perfeitamente , a buceta de Sol recebia com todo o prazer do mundo a rola de Megumi e ela aprecia saber que ele se sentia do mesmo jeito.


S—Gumi, puxa o meu cabelo .- falou gemendo enquanto rebolava e viu o garoto mudar seu olhar para um modo demoníaco . Sol mordeu seus lábios esperando o garoto.


Fushiguro via seu pau se deliciando da buceta de sol quando ouviu a garota pedir pra puxar seu cabelo - agora quer eu vou te foder- ele empurrou o tronco de Sol para que ela ficasse totalmente empinada para ele , pegou o cabelo da garota ,enrolou na sua mão e começou a penetrar a garota violentamente a fazendo gritar de prazer.


O garoto estava quase chegando no seu limite e sentiu a vagina de Sol contrair , apertando mais o seu pau - Ela vai gozar ? - ele viu o corpo da menina tremer e ouviu os gemidos ficando mais altos.


Bruscamente ele a puxou pelos cabelos , fazendo ela sentar no seu colo e ele tapou a boca dela .


MF— eu sei que você quer gritar enquanto eu te fodo - ele continuava os movimentos intensamente fazendo a garota fechar os olhos — e eu também quero te escutar gritar , mas temos vizinhos muito próximos, então geme só para mim.


Sol mordeu os lábios e deixou sua cabeça próxima ao ouvido de Megumi que segurava o pescoço e a cintura da garota .

 

Megumi beijava e chupava o pescoço da garoto, enquanto sentia o corpo da garota padecer.



S— faz eu gozar no seu pau delicioso,vai mais forte - ela falava gemendo e sentiu o garoto morder seu pescoço com as palavras que deu.


Fushiguro passou seu braço na cintura de Sol e via seus seios pulando , sentia sua buceta o apertando e então ele foi mais forte - eu não vou aguentar mais - ele delirava com o gemidos da garota em seu ouvido .


O corpo dos dois estavam em sintonia, era como sentir um fluxo contínuo de energia fluindo entre os dois.


Sol sentiu seu orgasmos vir e seu corpo tremer completamente, ela jogou sua cabeça para trás e sentiu Megumi ir mais rápido .


S— eu ...vou ..- ela não conseguiu completar a frase, sentiu seu corpo ser tomado por prazer e seu ápice chegar .


Megumi sentiu orgasmos de Sol em seu pau o que fez o homem chegar no seu limite, enquanto estocava profundamente na buceta da garota o orgasmos dela fez com que tudo ficasse mais gostoso, estava mais lubrificado, apertado e quente , ele não aguentou e gozou poucos segundos que ela .


Os dois caíram na cama ofegando e sentindo o efeito do pós orgasmo .



Megumi retirou seu pau, jogou a camisinha fora e voltou a abraçar o corpo da  garota.


S,MF— isso foi perfeito- os dois falaram juntos e riram pela sincronia.


Sol começou a fazer carícias no cabelo e rosto de Megumi - você é perfeito- ela pensava olhando o semblante e os detalhes do garoto.


Fushiguro abriu seus olhos e viu que Sol sorria enquanto fazia carinho nele - você é perfeita - ele sentia os toques o arrepiar .


-foi melhor do que eu poderia imaginar- os dois pensaram e nem se passava na cabeça um do outro que tinham o mesmo pensamento.


Fushiguro entrelaçou o corpo da garota no seu e os dois adormeceram abraçados .


Notas Finais


Oie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...