História Julieta - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, RenJun
Tags Donghyuck, Haechan, Julieta, Mark, Mark Lee, Markchan, Markhyuck, Nct, Nct Dream, Romeu
Visualizações 30
Palavras 619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


alo alo marciano

Capítulo 2 - Haechan


— Mark, será que dá pra você deixar de ser uma anta por um segundo sequer?

— Que saco, Donghyuck, é só andar, não é?

— Não parecendo um animal.

O canadense o encarou feio, sendo devolvido na mesma medida. Suspirou derrotado, voltando para o canto do palco. Donghyuck cruzou os braços, impassível.

— Três, dois, um, entra.

Caminhando o mais lenta e delicadamente possível, foi para o centro do palco, torcendo para que Donghyuck não abrisse mais o bico para reclamar. O garoto era impossível, reclamava do jeito que andava, da sua expressão, se deixasse reclamaria até do jeito que respirava.

— Ok, foi melhor do que as outras vezes, mas ainda precisa melhorar essa expressão.

Revirou os olhos, finalmente relaxando o corpo. Poxa, ser obrigado a atuar em um papel feminino em uma peça de teatro era terrível, praticamente uma tortura, era difícil, trabalhoso e seu orgulho era pisoteado a cada segundo.

— Você é chato mesmo. — Minhyung comentou, sentando-se ali mesmo onde havia parado sua caminhada.

— Suportar você não é uma das coisas mais fáceis. Aliás, por que está aqui, hein? — sentou-se também, mas fazendo questão de manter distância.

— O pé no saco do diretor me colocou aqui — explicou com uma expressão antipática.

— E por que ele nos obrigaria a ter que aguentar a sua presença insuportável aqui? — arqueou a sobrancelha com ironia.

— Porque, aparentemente, ele me odeia muito pra fazer eu ter que olhar pra essa sua cara horrível todos os dias.

— Ai, Mark, sem tempo, irmão, vai se foder.

— Você continua um doce, Haechan — sorriu de lado.

— NÃO ME CHAME DE HAECHAN, SEU BOBOCA! — ameaçou jogar seu tênis no garoto, que já se protegia com os braços enquanto ria. — Idiota... você sabe que eu odeio esse apelido.

— Qual o problema? É fofo.

— Fofo vai ser a sapatada que tu logo vai levar, vai vendo.

— Desde quando a gente começou a se odiar mesmo?

— Desde quando você me jogou no lago da escola na terceira série, seu babaca.

— MEU DEUS, É MESMO! — Mark ria escandalosamente e Donghyuck lhe encarava furioso. — Mano, foi ótimo!

— Mark, eu só espero que você exploda.

— Você tem zero moral, esqueceu que você jogou tinta guache na minha cara pra se vingar?

— E daí?

— E daí que eu sou alérgico, seu merda! Minha cara ardeu que nem o inferno. — Agora Minhyung que lhe olhava furioso.

— Foda-se, irmão. Vai, a gente tem que ensaiar, você ainda tá péssimo.

— Ah, pega leve, Donghyuck. Eu jogo basquete, não é como se eu tivesse facilidade com movimentos delicados.

— Sem desculpas. Aliás, você não tá indo nos treinos?

— Tô proíbido. — Mark cruzou os braços e formou um bico emburrado. Donghyuck quase achou fofo, mas lembrou que era Mark Lee.

— Que merda você fez agora?

— Tô meio fodido nas minhas notas. O diretor falou com meu pai, ele ficou puto e me proibiu de treinar até que eu recupere elas, mas ainda assim eu preciso de alguma atividade extracurricular pra me ajudar no boletim. Essa decisão ficou com o diretor e eu acabei caindo aqui.

— Caralho, que bosta. — Hyuck realmente sentiu pena do garoto, mas, novamente, lembrou que era Mark Lee.

— Pois é, tinha um jogo chegando com os Pinewoods do colégio Haneul, mas agora vou ter que ficar de fora. — Ele suspirou com o semblante triste.

— Ah, poxa... — Não sabia o que dizer e coçou a nuca perdido, não sabia lidar com pessoas tristes. — Não sou bom em consolar pessoas.

— Tudo bem, não precisa se preocupar... Haechan — piscou, dando um sorrisinho sacana em seguida.

YAH! Eu realmente tava me sensibilizando com a sua situação, seu idiota! — Dessa vez tacou seu sapato bem na cabeça do outro, que exclamou um "ai!" ao mesmo tempo que ria. — Nossa, você estraga os climas.

— Calma, Haechannie!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...