História Jully M. Fitz - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Aria Montgomery, Ezra Fitzgerald
Tags Adoção, Ariamontgomery, Aventura, Brasil, Brazil, Castpll, Ezrafitz, Ezria, Família, Jullymfitz, Pll, Prettylittleliars
Visualizações 13
Palavras 868
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Uma Supresa.


Jully:

Logo depois que acabou no estudo, nós passamos no shopping, Aria Queria comprar mais tinta para a impressora, para ela conseguir publicar o  livro dela. Ezra muito paciente concordou, e eu claro também.

Era incrível estar do lado deles, era incrível sentir a sensação de ter uma família, uma família que eu nunca tive. E uma família que eu nunca cheguei a ter, nem mesmo uns 5%.

Era demais pra mim, cada detalhe, eu havia aprendido com a vida a dar valor às coisas mais novas, mais simples, até mesmo um banho de chuva, um brigadeiro de panela, um vento, um banho gelado ou quente, um bom livro, um bom café, cada toque, cada som, cada palavras, cada gesto de carinho, cada perdão, cada desculpas. É importante termos isso dentro de nós, que a vida não é somente estudar, e trabalhar, a vida é muito mais do que isso, se você não dá valor às pequenas coisas da sua vida, seja boas ou ruins, reviva! Pois você está vivendo de uma maneira vazia.

Depois de tudo que tínhamos para fazer, finalmente consegui chegar na casa dos fitz's, acanhada cheguei na Aria e perguntei se eu poderia fazer uma visita a uma pessoa, já que, eu estava perto de Hampton, Aria concordou. Ezra também. Falei que eu iria de bicicleta, e que eu estaria em segurança.

Eles concordaram. Determinaram um horário para mim voltar e disse para mim ter cuidado, eu acenti.

Desci do prédio, fui a garagem e peguei a bicicleta, subi nela, e fui até Hampton, mas não em Hampton,fui para o prédio vizinho. Sim, eu fui para a casa de Marcos.

A casa era grande, no máximo, dois andares, uma casa muito bem cuidada, grama amparada, e anões de jardins. Subi na varanda, e bati na porta, aliais, toquei a campainha. Uma mulher ruiva atendeu, sorriu ao me ver, e eu sorri de volta.

Então eu disse:

-Oi, tudo bem? O Marcos está?

A mulher intrigada respondeu:

-Esta sim Querida, você é a......?

-ah, oh! Me perdoe, sou a Jully, sou integrante do orfanato Hampton, aqui do lado.

A mulher surpresa disse:

-Claro, claro. Vou chamá-lo está bem? Gostaria de entrar?

-Nao, não. Eu espero ele aqui.

A mulher encostou a porta, demorou uns 15 minutos, e a porta se abriu. Eu fiquei de costas,porém senti um perfume  masculino no ar, e então virei. E foi ali que eu vi o Marcos pela primeira vez, Marcos era magro, mais alto que eu, usava óculos, ruivo e bem branquinho. Tinha umas sardas no rosto que pareciam sujeirinhas laranjadas, quando ele me viu ele abriu o maior sorriso.

-Jully!!!!!! Oooooi raio de sol. Que surpresa te ver aqui.

Eu com vergonha, mexi no cabelo como sempre e disse:

-Ooi Marcos,eu .....

Ele me cortou:

-Jully, como está fora de Hampton?

-Ah, você se esqueceu?, Ontem foi a visita dos Fitz's......EU mandei papéis pra você mas....mas... Você não recebeu, eu.... Fiquei preocupada e..... Esperei uma oportunidade para vir..... Te ver.

E ajeitei os cabelos mais ainda.

Marcos sorriu. E disse:

-Booom Jully.....a verdade é que...

De repente, senti um cheiro conhecido no ar, era o cheiro da......da....da.... Não pode ser ela, não pode ser mesmo.... Essa não era a....

DHAPNE???????

-Dhapne???? O que você está fazendo aqui?

Dhapne sorriu meia encabulada. E disse:

-Oi Jully.  Eu estava visitando o Marcos, ele é meu.....amigo próximo.

E sorriu e deu as mãos para Marcos.

O meu chão caiu. Sumiu. Derreteu. Por isso, Marcos havia sumido, não estava cheio de compromissos estava namorando com outro alguém, e não um outro alguém qualquer, com uma pessoa que me detestava!!!!!

Com os olhos cheios de lagrimas, olhei pra ele e disse:

-Entao....é verdade?

Marcos ficou sem jeito e com um olhar triste e disse:

-Jully, eu posso explicar, foi assim, quando você me disse que iria embora de Hampton, eu senti que era pra valer, então,eu passeando por aí conheci Dhapne, e passamos a conversar e a se gostar. Não mandei cartas porque eu realmente estava ocupado, mas eu estava escrevendo para você. Eu ia escrever. Eu juro.

Cortei ele no meio do caminho.

-Entao, você trocou a nossa amizade por ela???????? Ela??, Que sempre me humilhou? Que sempre me odiou? Como pode fazer isso comigo?, Com a nossa amizade? Eu confiei em você, confiei. CONFIEI!!!!! E você me traiu, traiu a minha amizade Marcos. Nunca mais quero te ver, e ainda bem que vou embora, assim não tenho que olhar pra você novamente!

Subi na bicicleta largando ele ali, com lágrimas nos olhos dobrei a esquina, estacionei a bicicleta no estacionamento e subi no elevador chorando. Assustados com a maneira que eu cheguei, Aria e Ezra compreenderam o meu momento, e me deixaram quietas. Eles, com muita atenção e ouviram, e Aria me deu conselho e de que nunca mais deixaria ninguém me humilhar e me trair e se por acaso acontecesse, eles estariam ali para cuidar de mim.

Sorri com o cuidado deles, a atenção que me deram, foi mais do que importante pra mim, eles me acalmaram com um grande pote de sorvete de coco e limão e eu nunca fui tão feliz como eu era.

O sábado passou rápido, e eu queria que eu tivesse para sempre aquela sensação mal sabia eu que realmente seria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...