1. Spirit Fanfics >
  2. Jung Hoseok - Colega de Quarto >
  3. Tentando me Comunicar

História Jung Hoseok - Colega de Quarto - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura pessoas.
🌻♥

Capítulo 3 - Tentando me Comunicar


Fanfic / Fanfiction Jung Hoseok - Colega de Quarto - Capítulo 3 - Tentando me Comunicar

Acordei cansada e largada na cama. Estava claro la fora e a janela estava aberta desde que desabei na cama logo após Hoseok trazer minhas malas. Algumas roupas estavam na cama, no chão, umas penduradas em cabides e sem contar na calcinha que estava largada em meu rosto.

Tirei o tecido rendado de minha cara e o coloquei de lado. Me espreguissei na cama ainda deitada e depois fitei o teto. Quantas horas será que são? Deve ser manhã, mas estou fazendo muito calor. Aqui é assim? Está parecendo até o Piauí. 

Resmungo mentalmente e me sento na cama, soprando um fio de cabelo que estava quase entrando em meus olhos que quase não estavam abertos. Eu ainda estava com a mesma roupa que cheguei. E realmente estava cansada, mas não tinha percebido esse detalhe. Acho que deveria estar na minha cara ontem.

Fico em pé e pego em minha mala, uma pasta de dentes, minha escova e a escova de cabelo. Vou até o banheiro que ficava dentro do closet — que por sinal era muito grande — e me deparo com um enorme espelho. Me encaro com uma cara rabugenta e ponho o que tinha em minhas mãos em cima da pia de mármore meio amarelado.

Respiro fundo e tento dar um sorriso fechado a mim mesma.

— Vamos lá. Você tem que se arrumar. 

Mais ou menos meia hora se passou e saí de dentro da banheira, me sentindo a mulher mais poderosa de todo o mundo. Sabia que duraria pouco tempo, então tentei aproveitar ao máximo aquele momento. Me enrolei na toalha deixando minhas pegadas molhadas no chão do banheiro sentindo o piso frio sob meus pés.

Arrepiei dos pés a cabeça, depois escovei meus dentes. Peguei a escova de cabelo e comecei a escová-los. Eles realmente estavam magníficos naquela manhã. Estava tão macio, que parecia até meu travesseiro de penas de ganso. Não posso exatamente chamar de meu, mas está no quarto em que vou dormir de agora em diante, então, acho que posso dizer que é meu.

Saí dali tão calmamente que até eu mesma me surpreendi. Calcei minhas sandálias e joguei as roupas que ainda restavam dentro da mala em cima da cama. Peguei cabides e fui as guardando de pouco em pouco. Deixei apenas uma peça de roupa que eu iria usar em cima da cama — um macaquinho jeans e uma blusa amarela escrito em português: viva como se fosse seu ultimo dia.

Parecia um pouco estranho, mas tinha alguns gostos peculiares. Por exemplo frases de motivação em camisas chamativas. Isso era estranho, mas era legal na época em que comprei. Depois que me adaptar em Seoul, depois que começar a trabalhar, vou com certeza comprar lindas e elegantes roupas pela internet. Não que esse apartamento luxuoso esteja fazendo minha cabeça a achar que sou uma patricinha. Só acho bonito pessoas que usam roupas elegantes.

Passo um pouco de gloss em meus lábios e dou uma estalada. Meu celular estava em cima do criado mudo, descarregado. Pego meu carregador que havia guardado na gaveta e procuro uma tomada por ali. Por sorte tinha uma dentro do closet. 

Estranho, não podia ter uma no quarto mesmo? Bom, não vou mais procurar, até por que, não estou afim. Já achei uma mesmo, o que importa achar outra agora?

Abro a porta do meu quarto e vejo Hoseok com um prato de comida sentado a mesa. Será que ele tem costume de almoçar durante o café da manhã? Ou é assim aqui na Coréia? Dei de ombros aos meus pensamentos e fui lhe cumprimentar.

— Bom dia, Hoseok! Dormiu bem?

— Bom dia! Dormi sim, e pelo jeito você também, não é? Ouvi seus roncos a noite inteira.

— O que? Eu nem ronco!

— Claro que não. Se sinta a vontade, tem lámen dentro de uma panela. Fiz o suficiente para nós dois.

— Vocês tomam lámen no café da manhã?

— Café da manhã? — Ele ri. — Não está na hora de tomar café da manhã. Não viu as horas?

— Não... Por que?

Ele pega mais um pouco de seu lámen com seu Hachi e me olha engraçado.

— São duas da tarde. — Ele levanta suas sombrancelhas com um tom um pouco arrogante.

— Serio?! Me desculpe, não vi a hora!

— Não se preocupe. — Põe o que tinha no Hachi na boca e come. — Você tem seus motivos para acordar tarde. Afinal, você chegou de uma viajem de dezenove horas ontem. Isso é normal, não se importe.

— De qualquer jeito, me desculpa. Prometo que amanhã meu alarme tocará as sete horas da manhã! Estou pensando em antes de tentar encontrar um emprego, fazer um curso online de coreano. Quando estiver melhor, posso sair por ai sem preocupações. O que acha?

— Séria ótimo, acho que assim é mais prático. Você é bem inteligente, Helena.

— Obrigada.. — Minhas bochechas ficam um pouco rosadas. — Então, vou comer. 

Me viro de costas e vejo um prato limpo em cima da pia. Abro a panela e realmente, tinha uma quantidade enorme de lámen ali. Acho que vai dar para jantarmos também. Será que ele acha que por eu ser brasileira, como de mais? Ele não está errado, mas já é exagero. Bom, não tenho do que reclamar.

— Você sabe quando começam as aulas?

— Só ano que vem, estamos em novembro. As férias começaram nesse mês. Poderia aproveitar esse tempo para aprender mais a língua.

— Entendi. — Pego o Hachi que tinha ali e tento pegar o lámen com ele. — Você... Tem garfo? — Pergunto apreensiva.

— Não sabe usar hachi? — Ele pergunta, incrédulo.

— Não... — Faço um biquinho inocente. 

Me sinto uma inútil agora.

— Eu não tenho talheres, só hachi. Sente-se, eu te ensino a usar, venha. — Ele faz sinal com a mão para que eu me aproxime. Me sento ao seu lado ao envés de ficar a sua frente, seria mais eficiente para ele me ensinar assim.

— Abra sua mão. — Ele mandou.

Faço o mesmo que ele diz. As vezes ele encostou em minha mão para ajeitar as coisas erradas que eu fazia. Depois de minutos, consegui segurar aquele maldito lámen, que já esfriara com o tempo. Finalmente comi e senti meu estômago roncar quando encostei a comida em minha boca.

— Eu não fazia idéia de que estava com tanta fome assim. A última vez que comi foi dentro do avião.

— Faz muito tempo então, se alimente direito, não quero uma inquilina passando mal em minha casa.

— Não sou sua inquilina, apenas moramos juntos. Não te pago aluguel. — O olhei e comi um pouco do lámen.

Vi novamente seu lindo sorriso aparecer em seus lábios. Devolvi o sorriso um pouco forçado de minha parte, mas acho que ele engoliu. Estava um pouco sem vontade de fazer esforços, mesmo que precisasse disso pra sobreviver. Ou então deixava que Hoseok me sustentasse enquanto eu ficava o dia inteiro deitada na cama. 

Mas não podia simplesmente fazer isso e deixar tudo em suas mãos. Terminando o almoço, lavei o que tinha sujo e fui em meu quarto pegar meu notebook que deixei em cima da cama. O levei até a sala e me sentei no sofá.

Pesquisei sites com curso online grátis de coreano. Por sorte aprendia rápido, e com certeza saberia me comunicar antes que as aulas começassem. Agora, essa era minha meta. Aprender mais uma língua em três meses.

 

 

 

 

Continua?


Notas Finais


Obrigada por lerem pessoas. Até mais.

♥🌻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...