História Jungkook ( Florzinha, eu sou Gay! ) Shot-fic HOT! INCESTO! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Daddy, Gay, Hetero, Hot, Incesto, Jeon Jungkook, Kim Taehyung, Shot Fic, Yaoi
Visualizações 293
Palavras 2.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Kkkkk sei lá!😂😂😂

Capítulo 1 - Duvidando do coleguinha...


Fanfic / Fanfiction Jungkook ( Florzinha, eu sou Gay! ) Shot-fic HOT! INCESTO! - Capítulo 1 - Duvidando do coleguinha...

 

 

{ Jeon Jungkook On× }

 

 

 

 

Jk: aiiai, então tá, daqui a pouco te ligo, acho que a peste da minha filha acabou de desenbarcar... Pera, será que é ela mesmo? Xau  viado, depois falo contigo. - desligo o celular e tento erguer meu corpo pra apurar minha vista. Passo a mão pelo cano liso de aço e desço às escadas indo de encontro com a anta que estava parada no meio da multidão feito um cachorrinho perdido. - Pirralha! É tu não é? - chego mais perto da menina esguia baixinha de cabelo bagunçado e óculos de grau.

 

(×): quem é você?

 

Aff, pronto, lá vai a pirralha sonsa se fazer de lerda. Levanto a placa com seu nome escrito.

 

Jk: tendeu? Ou quer que eu desenhe?

 

(×): perdão moço, acho que o senhor se confundiu. - a nerd faz uma expressão enfim surpresa ao ver um grupo da sua mesma espécie segurando balões e vai correndo até eles.

 

Jk: ué... Mas... - olho em minha volta e quando menos espero alguma coisa me acerta nas costas me fazendo tombar pra frente e quase cair.

 

Sn: papaaaai!!!

 

Jk: ai desgraça, eu tenho problema de coluna inferno!

 

Sn: kkkkkkkk sentiu a minha falta?

 

Jk: eu não mas o meu chinelo sim, e ele quer te dá um abraço! - ela desce das minhas costas e eu me aprumo passando a mão nas no local que deu uma travada.

 

Sn: Você não mudou nada. - a pestinha vem pra minha frente e sorri com a mesma carinha traquina de antes.

 

Ao analisar rapidamente o seu perfil fico  calado enquanto engulo seco - carai ela mudou muito, de onde essa menina tirou essas coisa?  - pego no ombro dela a olhando por inteiro. -

 

Jk: filha?

 

Sn: oi pai - responde alegre e sorridente. -

 

Fixo meus olhos nos dela e junto minhas sobrancelhas.

 

Jk: não me diga que a piranha da sua mãe te pagou umas trinta mil cirurgias?

 

Sn: quê ? - ela fica meio desconfiada. - por que tá perguntando isso, pai? -

 

Jk: nada não, de qualquer forma você não tem jeito mesmo. - jogo minha cabeça pro lado. - e isso é um fato, você não puxou a minha beleza inigualável então não andianta tentar mudar o seu destino, você é um patinho feio minha filha. Mas o papai te ama mesmo assim, tá? Agora apanha essas plaquetas do chão porque deu um trabalho da porra pintar isso tudo com esse teu nome esquisito, de quebra o pincel ainda tava velho e quebrado aquele arrombado. Vem logo, não demora senão vamos perder a condução.

 

Sn: Você não tá de carro pai? - ela me alcança no caminho. -

 

Jogo minha franja pro lado com ajuda do mindinho e a olho sem muita importância.

 

Jk: foi isso que eu quis dizer.

 

Saímos do aeroporto e entramos no carro.

 

Sn: pai, a mamãe disse que você tá namorando, é verdade?

 

Jk: não sei... - ligo o motor -

 

Sn: pai, você tá estressado?

 

Olho pra ela através do retrovisor.

 

Jk: tenho algum motivo pra isso?

 

Sn: não sei. Bom, é que, eu só queria te dizer que apesar de não nos vermos a 13 anos, eu não guardo nenhuma mágoa.

 

Jk: claro que não. A culpa não foi minha da lacraia da sua mãe ter um Gay panic e me impedir de te ver.

 

Sn: é, na verdade eu sei que a culpa não foi sua, mas de qualquer forma, quero que saiba que estou com você em toda e qualquer situação.

 

Sinto a ponta do meu nariz arder como se eu estivesse prestes a chorar.

 

Jk: ai, não fala assim, você me deixa sensível sua pirralha esquisita.

 

A mesma se apoia nas costas da minha cadeira e coloca o rosto pela brechinha me olhando.

 

Sn: não disse que sentiu a minha falta, nem sequer me deu um abraço.

 

Jk: ai eu sei, sou um pai desnaturado.... - limpo minhas lagrimas com a parte de cima do pulso.

 

Sn: não é não.

 

 

 

 

 

(...)

 

 

 

 

Depois de quase 2h de trajeto, chegamos em casa. 

Destranco as portas e saio do carro.

 

Dou a volta e bato na janela fazendo com que a pequena se acorde assustada.

 

Jk: chegamos, flor. Desça do carro e traga as malas.

 

Sn: poxa pai, me ajuda, vai?

 

Aff... reviro os olhos destrancando o porta-malas.

 

Jk: o que tem aqui dentro, chumbo?

 

Sn: hahaha não. - ela pega a mala  de rodinhas e uma mochila.

 

Jk: a porta tá aberta, é só empurrar.

 

Sn sobe na minha frente e eu vou logo em seguido. Quando chego no corredor já avisto a porta entreaberta. Tiro os sapatos e os deixo na entrada.

 

Empurro a porta branca e entro largando as duas malas azul marinho no carpete.

 

Jk: filhaaaaa, não esquece de tirar os sapatos! Não aguento mais limpar essa bagaça dessa casa!!!

Um silêncio total em resposta. Onde ela se meteu?

 

Vou até a cozinha e não a vejo, passo pelo corredor olhando de quarto e quarto mas nada dela. Por fim, chego no final do corredor e ouço o som de algo pesado caindo sobre o chão.

 

Jk: Taehyung? - ele estava só de toalha na porta do banheiro frente à frente com Sn.

 

Sn: papai, v-você não me disse que... Ai desculpa. - ela corre pra sala e eu cruzo os braços olhando pra cara dele.

 

Jk: satisfeito? Seu puto. Agora que já exibiu seu corpinho escultural, pode pegar suas roupas e sair.

 

V: desculpa meu bem, eu pensei que vocês fossem demorar mais.

 

Ele tenta me tocar mas eu me saio dos seus braços.

 

Jk: afff tá todo molhado Taehyung, sai pra lá.

 

Ele sorri sacana.

 

V: todo molhadinho do jeitinho que você gosta, meu docinho... - O Kim me abraça por trás levando às mãos ao meu íntimo e eu pulso de excitação só com aqueles mínimos toques atrevidos do loiro. Ele aperta já me tendo duro em sua mão e eu arfo soltando um gemido sôfrego 

 

Minha voz sai falha

 

Jk: nã-não podemos... A Sn, minha filha, e-ela tá aquih... - seguro o maxilar dele e o mesmo deposita um chupão em meu pescoço.

 

V: tá bom, dessa vez você se safou, mas na próxima eu te pego.

 

Jk: tá, tá, tá bom, agora troca de roupa e vai embora. - dou uma tapa na bunda dele. - gostoso. - O safado pisca pra mim mordendo o lábio e adentra o banheiro.

 

Vou até a sala e vejo Sn sentada no carpete com os olhos vitrados na Tv assistindo BoB Esponja feito uma criança.

Jk: tá fazendo o quê aí parada? Por acaso suas roupas vão criar pernas e se jogar no guarda-roupa?

 

Sn: tá pai, eu já vou. - se levanta ainda olhando pro desenho e pega a mochila arrastando pro quarto.

Jk: opa! - ela quase dá de quina com a cara na parede mas eu a protejo erguendo o braço.

 

Sn: obrigada papai, você tem reflexos muito rápido.

 

V: que cena mais linda, papai e filhinha agarradinhos feito uma família feliz... - fala Taehyung enxugando os fios com uma mão só.

 

Jk: heeee não gostei nada desse seu tom hein?

 

V: calma meu biscoito, eu tô só brincando... Sem maldades hehehe.

 

Sn: "biscoito"?

 

Solto ela e bato minha camiseta azul claro como se estivesse tirando a poeira.

 

Jk: não dê ouvidos pras demência que esse sem noção fala. Agora vai pro quarto menina! - grito e ela sai correndo. -

 

Taehyung coloca a língua pra fora.

 

V: sabe o que tava parecendo?

 

Jk: das mil e quinhentas opções pervertidas da sua mente depravada? Não, vai, fala...

 

V: tava parecendo aqueles pornô que o pai pega a filh... - antes dele concluir eu bato no braço dele. - pra fora, A-G-O-R-A !

 

V: fui! - ele deixa a toalha de rosto no meu ombro e vai embora. - me liga love! -

 

Jk: tomar no cu Taehyung - passo a chave na porta e fico parado no centro da sala pensando no que fazer até porquê minha rotina não poderia continuar a ser a mesma já que agora tenho alguém pra me responsabilizar.

 

Caminho até a porta do quarto e a vejo dobrando suas roupas, ela boceja se espreguiçando e em seguida coça os olhos. Deve estar com sono.

 

Encosto minha cabeça na parede e fico a observando por um tempo. " ela cresceu tanto, e eu nem posso acreditar que passei 13 anos sem nem ver uma foto sua, minha garotinha de 3 aninhos virou uma moça, muito bonita por sinal

Suas pernas são roliças e finas, sua pele bronzeada e seus seios parecem cheios e fartos, dá vontade de..."

 

Jk: PERA, QUÊ? - bato na minha testa.

 

Sn: pai?

 

Jk: o que é?

 

Sn: falou comigo?

 

Jk: bom, se o seu nome for "pera, quê? " ... Sim.

 

Sn: você é sempre assim?

 

Jk: "assim" como?

 

Sn: estreçado, irritadiço, "odioso" - ela acha graça e sorri no final.

 

Não, só quando não me sinto a vontade.

 

Jk: tá achando graça? Então vem me ajudar a fazer o jantar, e quando der 18h liga pra lacraia da tua mãe, pra depois ela não dizer que eu te contaminei com uma 'Gay-rebeldia'

 

Sn: rsrsrs tá, ok!

 

"Fomos pra cozinha e fizermos dois pratos de miojo com um molho branco de camarão. Sentei no sofá e ela nos meus pés, essa pirralha parece um cachorrinho. "

 

Sn: pai, você já assistiu Star vs as forças do mal?

 

Jk: é aula de ciência é?

 

Sn: kkkkk não pai! É um desenho!

 

Jk: nunca nem vi, mas vamos assistir um filme, desenho é chato.

 

Sn: tem algum filme bom pra assistir?

 

Jk: hánnn, sei lá. Você tem?

 

Sn: minha amiga me deu um DVD, não vi muito bem de quê era... Deixa eu ir lá buscar.

 

Jk: vai, aproveita e traz o sal, você não temperou a massa.

 

Sn: desculpa, esqueci!!! - ela vai e volta com um envelope cor salmão.

 

Sn: o sal.

 

Pego o sal e jogo no miojo.

 

Sn: pai, já que não tem ninguém aqui, vou tirar meu short porque tá me apertando...

 

Meus olhos arregalam e meu coração acelera por algum motivo o qual desconheço ou prefiro não acreditar... Droga, meu fluxo sanguíneo vai aumentar - o que tá dando em mim? Deve ser amor, amor paterno! -

 

Sn: pai? - indaga com a mão no flash do jeans.

 

Enfio todo macarrão na minha boca e bebo o copo de de soda vindo a me engasgar.

 

Sn: pai! - bate nas minhas costas.

 

Jk: ai, tô bem...

 

Sn: vai com calma pai. - tira o short e deixa no chão, dá a volta no sofá e apoia o joelho colocando o envelope entre nós.

 

Sn: aqui está.

 

Jk: abra... - termino meu miojo e viro a tigela bebendo o caldo.

 

Sn: O azul é a cor mais quente. Conhe esse pai?

 

Minha garganta quase engasga pela terceira vez mas eu engulo seco fazendo com que meus olhos encham de lágrima.

 

Jk: quem é essa sua amiga?

 

Sn: é uma garota lá da escola, eu disse pra ela que viria passar as minhas primeiras férias aqui com você e ela me deu esse DVD de presente, disse que é muito bom.

 

Jk: é... É bom

 

Sn: então vamos assistir?

 

 

"Bom, se é apenas um filme de romance entre duas adolescentes, que mal há não é mesmo?"

 

Jk: ok, coloca lá.

 

Sn se ajoelha no chão e a blusa sobe deixando seu bumbum perfeitamente redondinho a amostra.

 

Jk: vishhh coloca logo esse DVD menina, nem eu que tô velho... Afff - olho pro lado balançando meus pés de nervoso.

 

Sn: pronto! - senta do meu lado e encosta a cabeça no meu ombro se alisando feito um gato como se implorasse para que eu lhe acolhesse em meu colo. Levanto o braço e ela deita a cabeça na minha perna recolhendo os pés pra cima do estofado.

 

Sn: ela é bonita não é?

 

Jk: a pirua de azul? É, é bonitinha.

 

O filme se estica até que chega numa cena onde a garota de madeixas azuis começa a fazer sexo oral na parceira, a morena começa a gemer e se acontecer

 

No momento tive vontade de gritar de tanto que tava me contendo ali, senti um certo incómodo então me mexi mas ela não saiu do lugar.

 

Arfei me encostando.

 

Jk: Sn... Acho que tá na hora de ligar pra sua mãe... - ela continua parada. Coloco seus fios para trás e vejo que a mesma dormiu.

 

Jk: glória deuxxx!!! - tiro ela devagarinho e deito sua cabeça no sofá. Levanto, desligo a Tv e saio da sala indo pro banheiro.

 

Fiz xixi, lavei as mãos, enxuguei, passei no quarto dela e trouxe um cobertor.

 

Jk: boa noite... - sussurro cobrindo ela -

 

Sn: papai me dá um beijo...

 

Jk: o quê?

 

Sn: um beijo de boa noite.

 

Me ajoelho e pego em seu rosto virando pro meu. Beijo sua testa e acaricio a bochecha.

 

Jk: boa noite, flor.

 

Sn: te amo papai...

 

Jk: eu, ...também. - levanto e vou cambaleando até minha cama, chegando lá me jogo e apago por completo.

 

 


Notas Finais


Obg Toddynhooos💕💕💕

Bjs 💜

De💗

Cereja 🍒

Seus Toddynho safado😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...