1. Spirit Fanfics >
  2. Jungkook imagine (Traição) >
  3. Enterro

História Jungkook imagine (Traição) - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - Enterro


Fanfic / Fanfiction Jungkook imagine (Traição) - Capítulo 37 - Enterro

P.O.V Jungkook

Hoje seria o enterro da mãe da S/N. Era 5:30 A.M e eu não conseguia parar de pensar em como seria o dia de hoje. Parece que ela não vai superar esta morte. Preciso dar todo apoio, mostrar o quanto a amo e levá-la em vários lugares para distrair sua mente. 

Ainda era cedo mas queria preparar tudo pra S/N. Sei que ela não tem forças para continuar, ou pelo menos ela acha que não. Decidi sair pra comprar as coisas por mais que não tenha nada aberto. Com cuidado levantei e saí.


[...]

P.O.V S/N

Assim que acordei vi Jungkook sentado em uma cadeira em frente a cama, lendo um jornal.

S/N: Está sentindo tanto tédio assim?

Jungkook: Por quê?

S/N: Jornal.

Jungkook: Só estava esperando você acordar.

S/N: Desde quando você é atencioso?

Jungkook: Desde sempre.

S/N: Aham sei.

Jungkook: Comprei seu café da manhã.

S/N: Por que você tá agindo assim?

Jungkook: Porque não tive chance de fazer antes.

S/N: É só por que minha mãe morreu?

Jungkook: Não, é por que eu amo você.

S/N: Pare de brincar com sentimentos.

Jungkook: Estou sendo sincero.

S/N: Aham...

Entro no banheiro e faço minhas higienes matinais. O enterro da minha mãe é hoje às 16:00. A ficha ainda não caiu, estava sentindo um vazio em meu peito, como se uma parte de mim tivesse ido pra um lugar distante. Eu quero ser forte mas não consigo. E lá estava eu chorando enquanto tomava banho. Eu destruí tudo em minha volta e afastei todos de mim. Não posso escutar meus pensamentos, preciso de música ou algo que distraia minha mente. Sinto que vou morrer, na verdade que eu deveria ter morrido. Saio do banheiro, só de toalha, e vou direto prps braços do Jungkook. É nos braços dele que eu me sinto segura.

S/N: Sinto que eu deveria morrer.

Jungkook: Não, você não deveria e nem vai. Porque eu preciso de você aqui comigo, e não só eu mas os meninos também. Eu vou te proteger.

Ficamos abraçados por um bom tempo até alguém bater na porta.

Jungkook: Deve ser os meninos.

S/N: Sério? O que eles tão fazendo aqui?

Jungkook: A gente é amigos S/N. Passamos por problemas, dificuldades, alegria, juntos. - Disse sério. - Vai vestir uma roupa.

S/N: Estou indo.

Jin: ABRE A PORTA.

Jungkook: Calma, A S/N tá trocando de roupa.

Visto qualquer roupa e vou abrir a porta.

Jin: Seus anjos chegaram.

S/N: Meu Deus! 

Tae: Achou que iria passar por isso sozinha?

J-Hope: Se achou, achou errado.

Namjoon: Somos uma família.

Jimin: Abraço em grupo?

Jin: Vamos.

Fizemos um abraço coletivo.

Jin: Que horas é o enterro?

S/N: 16:30.

Jin: O que você quer fazer nesse tempo?

S/N: Agora?

Jin: Sim.

S/N: Não sei.

Jin: Se você quiser, a gente pode ficar conversando ou jogando.

S/N: Pode ser.


[...]

Chegou a hora. Eu estou com medo e meu coração dói. Todos estávamos de roupas pretas. Fomos direto pro cemitério.  E lá estava minha mãe dentro daquele caixão. Ela tava pálida e gelada. Olhos fechados com um vestido branco. Tinha flores por todo lado. Minhas mãos não parava de tremer e eu não conseguia parar de chorar. Meus irmãos estavam lá, ambos pareciam irritados comigo ou me odiando. Após parar de chorar fui até eles.

S/N: Por quvocês estão estranhos?

Jay Park: Já acabou com o teatro?

Hyunjin: Pode parar, a gente sabe que você não se importava com nossa mãe.

G-dragon: Você é adotada.

S/N: Não é um teatro, é o que eu estou sentindo. Eu me importava e não é porque eu sou adotada que eu não deveria chorar ou sentir falta dela.

Jay Park: Deixa de ser falsa.

G-dragon: Pois é. Nem a gente gostava dela. Além disso a gente também nunca gostou de você, só eramos gentil.

S/N: Vocês são uns monstros.

Hyunjin: Pelo menos a gente não é falso. Vamos sair daqui antes que ela nos contaminem.

G-dragon: Adeus pirralha.

Jay Park: Até nunca mais.

Os três foram embora. E meu dia só piora mais. Achei que não tinha como piorar mas estava errada. Todo tempo fiquei ao lado da minha mãe. Percebi que quem se importava com ela era eu. Senti um pouco de culpa por deixá-la aqui com esses moleques. E chegou a hora de dizer adeus pra minha mãe, mas ela sempre iria estar no meu coração. Deixei uma flor azul com um pequeno texto.  Dei um beijo na sua testa e enterraram ela.

De lá fomos pra casa. Eu anda não acreditava e não sabia o que ia fazer da minha vida. Mas vou deixar pra pensar isso amanhã. Assim que chegamos apenas tomei banho, coloquei meu pijama e dormir.


Autora: e quando vocês menos esperam, eu lanço um capítulo novo. I lov




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...