1. Spirit Fanfics >
  2. Jungkook Is My Destiny >
  3. Onde estava?

História Jungkook Is My Destiny - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


oi amorzinhos💕
tudo bem?
espero q gostem❤
obrigada pelos favoritos aa😔✊💜
♡•°•boa leitura•°•♡

Capítulo 38 - Onde estava?


E antes de perder a consciência eu ouvia Sandeul gritar por mim assim que me encontra quase apagada naquele chão. Antes de meus olhos pesarem eu ainda o vejo aos prantos me chacoalhando a espera da minha resposta. Eu não iria dizer nada, o que eu poderia falar? O que eu queria mesmo era... sim, ele mesmo, Jeon Jungkook. São minha vida e a vida de seu filho ou filha em risco agora mas perder a consciência me traria uma paz temporária.

Sandeul:  S/N!! S/N,  fale comigo! - e aos prantos ele me balançava, mas, nessa altura não era possível eu conseguir responder.

e assim apaguei.

_______________________________________

-Jungkook ON-

Eu estava indo embora com os meninos e fiquei pensando sobre hoje. Taehyung o tempo todo está me perguntando porque fiz aquilo mais cedo mas eu não respondi. A cena de hoje de manhã me deixou bem desanimado. 

- Eu passava pelo centro e passei perto da cafeteria onde ela trabalhava. Claramente eu não entraria ali, mas fiquei observando. Ela se esforça muito no que quer, se bem que trabalhar ali não era o que ela esperava, mas seu trabalho duro junto ao esforço é muito admirável. Suas atitudes, seus detalhes, o seu sorriso e seu olhar, eu não esqueci disso, eu nunca esqueci disso. Mas pra ver ela bem eu ainda preciso me manter longe, mesmo não suportando mais. Eu te amo tanto S/N, é uma droga não estarmos juntos. Eu digo isso e enquanto observo o sorriso contagiante que mandava aos clientes, e o olhar brilhante que com certeza conquistava os mesmos e convidava seu retorno.

Eu parei na parede em frente, provavelmente não seria reconhecido facilmente com meu capuz e um celular pra disfarçar. E foi logo assim que presenciei uma cena, a que me deixara bem surpreso. O mesmo cara daquele dia agora conversando com ela, e agora como se fossem íntimos. Eu apenas olho mais um pouco e os vejo se abraçando, ele tocando em suas mãos, o posto do qual eu queria estar, lugar do qual eu não devia ter saído. Logo ela começou a me encarar e eu resolvi ir embora. 


Eu sinto muito sua falta, mas você parece estar feliz sem mim S/N.

 

- e naquele transe sou interrompido com o celular do Namjoon ao meu lado tocando e vibrando altamente com a ligação de Sandeul. Espere, era o irmão da S/N, o que aconteceu? Por mais cara fechada que eu estive aqueles minutos, eu não contive minha preocupação e logo avisei aos meninos.

Jungkook: é Sandeul, atenda. - digo entregando o telefone a Namjoon que pegou, atendeu e foi dirigindo.

Nam: al... espere, calma, diga devagar, o que aconteceu? - ele pergunta calmo. O bom de nosso líder é poder transmitir tranquilidade as pessoas.

Nam: o quê?  nós estamos indo, tudo vai ficar bem, chegaremos em 5 minutos! - ele diz e desliga, joga o celular no colo de Jin que estava ao seu lado e procura contornar o carro.

Taehyung: O que aconteceu? Algo com a S/N? - ele pergunta aos prantos e eu apenas observei ladino, mas prestava atenção.

Nam: me parece que a S/N teve uma crise e tomou uma alta dose de remédios, e pelo que entendi, no momento ela está internada em estado grave. - ele diz e acelera em direção do hospital, enquanto isso Tae arregalava os olhos e pelo jeito ficou bem abalado, assim como eu, que mesmo não demonstrando muito, eu me sentia culpado, e se aquilo ter sido por minha causa? Eu não conseguiria me perdoar. Pensando bem o que fiz hoje cedo foi a maior idiotice possível, eu a amo e a machuco assim, minha obrigação era te fazer feliz como prometido, mas olha o que eu fiz... a partir do meu pequeno erro não consertado eu consegui multiplicá-lo a chegar neste ponto. E dessa vez será preciso eu te ver, e que desta vez eu não erre, como sempre fiz ao ouvir mais alto o orgulho.

E já chegávamos no hospital, Namjoon estacionou rapidamente e assim nós todos descemos apreensivos. Tae foi correndo por aquele estacionamento até chegar no hospital, e assim fomos atrás e em seguida os outros chegavam. 

Na recepção nos identificamos e permitiram a visita. Ao chegar na porta da sala onde estava S/N, vejo Sandeul sentado ao lado dela, que ainda estava desacordada.

Namjoon e Jin o confortavam, enquanto eu e Tae permanecíamos no lado dela. Tae segurou sua mão e a acariciava. Assim eu fiz o mesmo, e enquanto a observava eu senti a suave sensação da sua mão, enquanto tocava. A mesma que sempre me fazia carinhos, alisava-me e transmitia proteção e cuidado no simples toque.

Jimin, Hoseok e Yoongi também apareceram ali no quarto e ficaram perto de nós. Para não encher muito aquele ambiente, Eu, Nam, e Yoongi ficamos na sala de espera.

E depois de um tempo, um rosto conhecido também aparece na recepção, era o tal de Jackson, como ouvi, o mesmo rapaz que vi com ela. Ele também sentou conosco, e eu o encarava sério. E ele também devolvia o olhar frio, até quebrar o silêncio.

Jackson: você deve ser o Jungkook né? - ele pergunta enquanto eu que olhava o chão cabisbaixo, torno a voltar minha visão a ele.

Jungkook: sim, por que? 

Jackson: nada. - ele diz e vai até a sala onde S/N estava, ainda me impondo um ódio sobre o mesmo. Logo volta, e se senta no mesmo lugar.

_______________________________________

S/N ON

Minha cabeça latejava, mas ainda não tão forte. E lentamente comecei a abrir meus olhos e tentar reconhecer o ambiente que estava. Logo as vozes e rostos familiares me cercavam e senti minhas mãos serem tocadas. Estava deitada, em uma maca e a janela não me negava a paisagem de que estava em um hospital.

Tae: que bom que acordou pequena. - e segurando minha mão eu sorri fraco enquanto o mesmo mantinha uma expressão sorridente em meio a olhos inchados de choro.

Jimin: S/N, você acordou! - ele diz e sorri meigamente como sempre, surpreso e feliz.

Sandeul também se virou e assim eu sorri e ele também deixara uma lágrima escorrer, eu deveria estar muito mal pela ação de todos ao me ver. 

S/N: d-desculpa. - digo fraco a Sandeul que se agachava ao meu lado na maca e me acariciava.

Sandeul: não se desculpe. Não é sua culpa. 

E assim os meninos saíram dali, pelo que me parece Sandeul queria conversar comigo, e assim cederam aquele espaço. 

S/N: o que aconteceu? - digo agora tentando me sentar.

Sandeul: eu queria conversar com você S/N. - ele diz e me ajuda. Logo o encaro e o assunto que eu já temia ele tocou.

Sandeul: eu sei que está grávida. S/N, você quase matou esta criança, por que fez isso? - ele diz sério e eu abaixei minha cabeça.

S/N: desculpa, eu estava com raiva, dor, eu apenas queria amenizar um pouco esses sentimentos.

Sandeul: por que não me contou tudo antes? Eu te ajudaria S/N!

S/N: eu tinha medo Sandeul! - uma lágrima escorreu e eu tentei não forçar a falar muito alto. - eu não esperava estar grávida agora, eu não imaginei que me traria tanto problema, eu imaginei que você não iria gostar, muito menos apoiar. - digo e ele me abraça e eu continuo chorando, mas desta vez ele me acalmava. - tudo que eu queria era seu apoio Sandeul.

Sandeul: eu estou e sempre estarei aqui por você. Eu vou te apoiar no que for preciso.  - acaricia meu cabelo - E quem te disse que odeio a ideia de ser tio? - diz, e eu sorrio enquanto ele me abraça mais forte.

Sandeul: só mais uma coisa, você já contou a Jungkook? - pergunta e eu nego e ele me olha arregalado. - como você está escondendo isso dele? 

S/N: ele não vai dar atenção, ele nem deve me amar ma... - me interrompe.

Sandeul: por que você acha isso? Ele foi um dos primeiros a chegar aqui pra saber como você estava, ele não demonstrou mas também estava preocupado. 

S/N: eu não sei, ele está me evitando.

Sandeul: ele está incomodado com algo... converse com ele S/N. 

S/N: não é tão fácil assim irmão, essa raiva dele pode nem passar. - digo e antes dele me responder o médico entrara na sala.

Médico: olá, está melhor senhorita S/N? Pelo que me parece já acordou.

S/N: estou melhor sim doutor. 

Médico: ótimo, mas vim ainda dar uns avisos. - ele pega uns papéis. - a senhorita apresenta gravidez, certo? - assenti - pelo jeito conseguimos impedir o remédio de afetar o feto, mas, é inevitável a chance dele apresentar sequelas ou deformações durante a gestação.

S/N: entendo. 

Sandeul: obrigado doutor.

E assim ele sai da sala e eu olho para Sandeul que apenas beijou minha testa e me abraçou. E desta vez a porta era aberta de novo, sim, desta vez quem chegava era Jungkook, e Sandeul me deixaria a sós com ele.

Jungkook: com licença. Posso conversar com você, S/N? - ele diz e seus olhos brilhantes me encaravam, sua expressão era preocupado e eu apenas retribuí algumas vezes seu olhar, já que preferi ficar cabisbaixa.

S/N: entre. - Sandeul sai e fecha a porta, enquanto Jungkook se sentava ao meu lado.

Estaríamos prontos para esta conversa?

.

.

.







Notas Finais


desculpe qualquer erro💜
beijos💕
amo vcs💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...