1. Spirit Fanfics >
  2. Jungwoo, The Fujoshi >
  3. I. Creating "Lucas"

História Jungwoo, The Fujoshi - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá fujoshis safadas, eis o primeiro capítulo.

É bem tranquilo e vai mostrar mais o núcleo de personagens ao redor do Woo, okay?
A história não é só putaria, porque o Woo é um anjo!

Perdoem os erros e boa leitura!

Capítulo 2 - I. Creating "Lucas"


UNIVERSIDADE DE SEOUL


Não. Absolutamente ninguém na universidade sabe que Kim Jungwoo lê ou escreve Yaoi. Para ele, mesmo não se importando, lhe traria certos estigmas sociais e acadêmicos nos quais não teria o mínimo de saúde mental para lidar. Além do mais, ninguém o levaria a sério, mesmo que seu "debut" tenha sido esgotado numa Comic Con em 2016 — a versão feita a mão da mesma foi leiloada online para seus leitores, cujo dinheiro foi suficiente para dar uma boa entrada em seus estudos.

Seu único amigo de curso é Jung Jaehyun, que é calouro — e Jungwoo cursando o segundo semestre —, adotado por Jungwoo, mesmo que Jaehyun pareça ser o veterano e não ele.


— Estou conhecendo uma garota. — comentou o Jung, enquanto caminhavam pelo centro de ciências médicas do campus. 


De acordo com as informações de Jungwoo, essa tal garota seria a primeira de Jaehyun desde que entrara na universidade.

Esperava que ele fosse um pegador, como Johnny, mas Jaehyun fazia mais o papel de flowerboy típico coreano.



Ele não parece ter falha alguma.

Nem em casa.

Ele é tão delicado quanto uma garota.

E é tão incrível que não usa sua beleza para tomar vantagem de situações.

-Jungwoo escreveu em seu diário.



— Ah, ela não conhece o Johnny, o que pra mim é vantagem! — o Jung adicionou.


— Não é possível que o Johnny hyung tenha passado o rodo na universidade inteira!


— Espero que esteja contando os garotos também! — Jaehyun riu. — Ele se tornou duvidoso para mim. Higiene!


— Hm... ele é bem cheiroso!


Jaehyun virou-se para o Kim como se tivesse com um enorme ponto de interrogação em sua face, mas Jungwoo pôde desconversar ao avistar Kim Doyoung e seus amigos de terno.


Como sempre, concentrado demais para perceber os dois colegas ali.


— Nunca vi ninguém tão chato! — Jaehyun comentou baixo, enquanto tirava seu pote com frutinhas cortadas, oferecendo-as a Jungwoo.


— Talvez seja coisa de advogado, hyung! — defendeu. — Ah, Jaehyunie, você por acaso conhece algum desenhista? Alguém que tope fazer desenhos de forma voluntária para que, se der lucro, ele possa receber.


O Jung colocou a mão no queixo e ficou a encarar os céus. Jungwoo só precisaria de pétalas flutuando a seu redor para definir Jung Jaehyun como um perfeito príncipe romântico protagonista de algum dorama hétero. 


Claro, esse tipo de príncipe encantado não existiria no mundo "G" do LGBTQIA .

Jaehyun possui beleza, mas também inteligência.


— Não me vem ninguém a mente, mas posso ver se conheço alguém ou se meus colegas tem algum contato!


— Ah... hyung, obrigado!


— Por nada, Woo! — apertou a bochecha do Kim e depois saiu.


Jungwoo suspirou, assistindo o Jung caminhar até seu departamento.


Jung Jaehyun poderia sim ser um seme, do tipo que quebra padrões por ser zelador e um verdadeiro anjo no relacionamento — não necessariamente um cara chato e de tendências abusivas que somente adolescentes iriam gostar —, mas ao mesmo tempo, Jaehyun tinha todos os trejeitos mais clichês para ser um uke.


Ele não faz o tipo alfa, como o Johnny. Pelo menos pensava Jungwoo, pois ele não era tão masculino quanto Johnny, Yukhei ou até mesmo Doyoung.


Ele seria literalmente um híbrido.

Ponto para a ideia de que as novas histórias de Yaoi teriam de ser desconstruídas.



Eis que alguém cobre seus olhos.


Pelo perfume amadeirado masculino...


Xuxi-ssi! — afastou as mãos do mais novo, ouvindo sua risada gostosa.


Wong Yukhei, um ano mais novo que Kim Jungwoo, cursando o primeiro ano de Educação Física. Ambos se conheceram quando Jungwoo foi monitor de uma aula de anatomia para a turma de Yukhei — que coincidentemente Jaehyun também fazia parte.


— Olha, um diário fofinho! — tentou pegar o caderno azul pastel do Kim, mas o coreano foi mais forte. — Todas as garotas usam isso, eu não entendo!


— Não é um diário fofinho, é um bullet journal. E não, não é coisa só para garotas! — viu o chinês sentar a seu lado, com uma aparente curiosidade. — E é um segredo. Estou planejando algo que vai me fazer ganhar uma grana!


— Ui, ui, vender seu corpinho! — cutucou a cintura do coreano.


— Yah, olha onde toca! Higiene! Não tá vendo o surto de corona vírus na TV? — resmungou. — Já tem muitas vítimas na cidade, eu não quero ser mais uma!


— Calma, flor...! — o Wong ergueu as mãos em rendição. — Eu estou lavando as mãos... já parei de ir a academia, pobre tanquinho!


Yukhei fez bico, levantando a camisa e mostrando seu abs de seis packs.


Jungwoo quase pegou fogo de tanta vergonha.


Balançou a cabeça e voltou a si.


— Yukhei, você conhece alguém que desenhe bem e aceite fazer um trabalho voluntário que talvez venha a render lucros?


— Hmm... talvez. Por que?


— Estou num projeto de fazer webcomics e... — se policiou para não falar besteira.


Super heróis! — o Wong se exaltou. — Wow, eu quero um personagem inspirado em mim. Você vai fazer isso, né?


Jungwoo riu.


— Claro, claro!



"Lucas" que o diga.


Wong Yukhei cai no estereótipo de garoto famoso da universidade. Todo mundo quer ser seu amigo, diferente do que é comum para os estrangeiros na Coréia. Ele consegue fazer qualquer pessoa ficar de boas, talvez por isso, de cara, Jungwoo passou a ter um crush talvez-não-totalmente-correspondido por ele.


E naquele sonho, Yukhei era quem interpretava o tal Lucas.



Lucas

Chinês, pele dourada, corpo atlético e moldado como uma escultura grega.

Galanteador com olhos e sorriso feio como um herói gótico.

Violento? Talvez um pouco.


— Fofo! — ouviu, obrigando a fechar o caderno imediatamente, porém, o mesmo foi tomado de sua mão.


Qian Kun se fazia presente e estava a ler as anotações do Kim.


— O que diabos está escondendo, Jungwoo? — o chinês questionou.


— Yah, seu xereta! — Jungwoo foi inteligente em acertar o ponto fraco do Qian, que foi justamente retirar seus óculos. — Agora você não lê e nem vê dois palmos a frente do seu nariz...!


— Golpe baixo, Jungwoo-ssi!


— O bullet journal!


Kun o entregou, sem resistência, recebendo seus óculos de volta.


— Eu mereço alguns créditos por ter feito o Xuxi se aproximar de você!


— Sssh! — sibilou alto demais. — Fica mais ridículo se você fala em voz alta! E eu já te agradeci! — revirou os olhos. — Lembra do Chittaphon?


— Que desenhou 'Senpai'?


O coreano assentiu.


— Não sei, faz tempo que não ouço falar. Ele é tailandês, certo? Talvez tenha voltado para o país dele, por quê?


— Preciso que faça seu papel de nerd e descubra sobre o paradeiro desta criatura. Vou voltar a escrever!


— Faz quatro anos que não usa o seu velho pseudônimo, certo?


— Não importa, estou maduro o suficiente agora!


— Vai continuar escrevendo sobre sexo sendo virgem!


— Yah, você também, seu nerd!


— Isso foi seu melhor xingamento? Você pensa que é a garota gostosa da história?


— E-eu não sou... sou puro demais!


— Puro escrevendo sobre meninos fazendo sexo? Nenhuma ingênua protagonista faz isso!


— Eu não preciso de rótulos, sou meu próprio protagonista e não me compare com garotas! — bateu o pé. — Eu não sou um clichê, hyung!


Kun riu alto, mas não rebateu.



• • •


Em casa, o Kim aguardava pelo jantar, bastante ansioso, porém, em silêncio.

Doyoung percebeu seu colega tagarela perdido em pensamentos enquanto esperava com o prato pronto e de fundo, Johnny e Jaehyun dando risadas na sala, comentando sobre café e seus múltiplos tipos de preparo, parecendo dois cientistas discutindo alguma teoria muito complexa.


Assim, Jungwoo notou que o Kim estava a observa-lo enquanto ele assistia toda a interação "bromance" de Jaehyun e Johnny.


— Estão querendo idéias para fantasia...! — Doyoung quebrou o silêncio, arrumando seu garfo e faca para comer o omelete de Jaehyun.


— Qual a ocasião, hyung?


— Um baile a fantasia.



E do cotidiano, um clichê perfeito se mostrou diante dos olhos de Kim Jungwoo, de pseudônimo Snoopy.

E de bônus, tinha seu protagonista Lucas, como um seme perfeito e comercial, além de um esboço de quem seria o uke: ele mesmo, ainda sem nome.


Mas será que Jungwoo tem tudo para ser um uke protagonista perfeito?

Na vida real, teria chances com o seu "Lucas"?


Notas Finais


Jungwoo sou eu me shippando com os crush!

Então, é isso, galera, Jungwoo é Johnjae shipper e não sabe decidir se Jaehyun e Seme (Top) ou Uke (Bottom).
O Alfa que ele fala na história é mais sobre masculinidade, não exatamente sobre ABO (que talvez seja citado na história);

Avisando que esses que apareceram talvez tenham seus núcleos proorios — Kun é um deles — e alguns vão aparecer nas histórias mirabolantes do Jungwoo, é isso!

Mantenha-se em casa!
Beba água!
Lave as mãos!
Operação matar corona!

Até mais 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...