História Junior Year - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias A Escolha Perfeita (Pitch Perfect)
Tags Bechloe, Bhloe, Pitch Perfect
Visualizações 60
Palavras 4.914
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


!ATENÇÃO!
Não me responsabilizo pelos estragos causados por esse capítulo.

Depois de muito tempo de espera e muito xingamento...

CHAMA A LUDIMILLA PQ É HOJE!!!!

Apenas leia, não tenho mais nada a declarar:

Capítulo 17 - Para de olhar minha bunda


Doze minutos depois

Beca andava pela calçada em direção do seu apartamento, ela se xingava mentalmente por não ter sequer cojitado pedir uma carona para Chloe, bom melhor não, isso teria sido humilhante, pelo menos não tão humilhante quanto andar pelas ruas com roupas cheias de manchas de tintas. Já eram quase onze horas, o Sol ficava mais forte e isso incomodava Beca, e muito. Ela cogitava ligar para Lars, pedir uma carona, estava com saudade do homem mas ela precisava amadurecer e ser independente.

Ela continuou andando por mais alguns metros e ouviu uma buzina ao seu lado, ao olhar viu Aubrey, a loira estava dentro de seu carro e com óculos escuros.

- Posso ajudar ? - a morena disse mal-humorada.

- Vai logo, entra no carro, anã.

- O que você está fazendo aqui ? - Aubrey acompanhava Beca com o carro lentamente.

- Chloe me enviou, ela queria que eu te desse uma carona em segurança.

- Então fala pra Chloe que eu sei me cuidar.

- Vamos lá Beca, para de ser burra, se vocês brigaram tudo bem, vou respeitar isso, não vou te forçar a falar com ela nem nada do tipo, mas deixa eu te dar uma carona, está sol e você está suja - Beca parou e decidiu parar de ser orgulhosa.

- Tudo bem - disse vencida e entrou no carro com Aubrey que tirou os óculos escuros.

- Mas vê se não suja meu banco - elas aceleraram - feliz aniversário - parabenizou séria.

- Muito obrigada - Beca respondedu surpresa por Aubrey saber que era seu aniversário, Chloe provavelmente tinha lhe contado.

- Então, quer conversar sobre o que aconteceu ?

- Prefiro deixar quieto.

- Melhor mesmo, não estou afim de ficar triste com sua história de como você e sua namoradinha tiveram a primeira briguinha de vocês.

- Você tá tirando sarro de mim ?

- Beca, vê se cresce, não sei se vocês brigaram por algo importante, mas se não foi, pense se vale a pena ficar brigada com ela, isso que você e Chloe tem não é algo que se encontra em qualquer lugar. - Beca ficou em silêncio - não vou exigir nada de você, só pensa no que eu disse.

E depois disso, no carro se instalou um silêncio. Chloe na verdade tinha pedido para Aubrey dar a carona para Beca e a enrolar, isso era parte do plano da ruiva.

Beca estranhou o caminho que as duas estavam fazendo, Aubrey não entrou na rua no seu apartamento.

- Você não entrou na rua certa.

- Beca, se você acha mesmo que eu vou te deixar passar seu aniversário sozinha e chorando contra seu travesseiro de penas de ganso importado que só gente rica tem no seu apartamento porque você e a Chlo tiveram uma discussão você está muito errada.

- O que você vai fazer então ? Me levar até ela ?

- O quê ? Chloe ? - a morena assentiu - Não, não vou te forçar a nada, se der tudo certo nem vamos encontrá-la, mas vou te dar uma tarde de aniversário divertida.

Beca decidiu não perguntar mais nada, teria que confiar em Aubrey.

Mais minutos se passaram e a loira finalmente estacionou, elas estavam na casa das Bellas. Beca entrou com Aubrey depois da loira abrir a porta e a fechar novamente e estranhou tudo estar tão vazio.

- Onde estão todas ?

- Não faço ideia, mas elas devem chegar para o almoço, então vá tomar um banho, trocar de roupa e tirar essa tinta do seu corpo.

- Mas eu não tenho roupas aqui.

- Pega alguma da Chloe - Aubrey disse como se não fosse nada de mais mas viu a careta que Beca fez - qual é Beca, vocês brigaram, não terminaram e acho que pode te fazer bem vestir algo dela.

Beca escutou Aubrey e subiu para o segundo andar entrando no quarto da ruiva e de repende uma vontade absurda de chorar a consumiu, ela estava se sentindo culpada, talvez Aubrey estivesse certa e aquela foi uma briga idiota. Ela nem percebeu quando, mas logo estava deitada na cama da ruiva abraçando seu travesseiro e chorando contra ele, ela só queria que Chloe estivesse lá e ela poderia pedir desculpas, dizer que estava indo muito rápido e não exigiria que Chloe a amasse.

O som de alguém batendo na porta ecoou pelo cômodo e uma fresta da porta foi aberta dando para ver Aubrey.

- Desculpa, huhh... eu trouxe uma toalha para você.

- Ahh - Beca se levantou da cama e enxugou seus olhos e pegou a toalha de Aubey - muito obrigada.

- Vem cá - Aubrey abriu a porta por inteira e puxou Beca para um abraço, nenhuma delas estava esperando por aquilo, mas foi um impulso de Aubrey, ela odiou ver Beca triste daquele jeito, ela queria poder contar a ela sobre o plano de Chloe, Aubrey era super-protetora com suas Bellas. - Vai ficar tudo bem - elas as separou e viu que Beca tinha voltado a chorar. - Vai lá, toma um banho e depois você pode conversar comigo, ou podemos nos divertir quando as meninas chegarem, você escolhe, hoje é seu dia.

- Obrigada por estar sendo tão legal comigo, achei que não gostasse de mim.

- Beca, eu sou rígida, mas ainda assim amo você, você é uma das minhas Bellas, faz parte da minha família, tenho que cuidar de você - ela deu um beijo na bochecha de Beca, em uma das únicas partes que ainda estava limpa de tinta - agora vai logo tomar banho antes que me suje de tinta - as duas riram e Beca fechou a porta indo para o banheiro de Chloe onde tomaria seu banho, enquanto isso Aubrey desceu as escadas apressada até a cozinha e ligou para Chloe.

- E aí ? Tá enrolando ela ainda ? - a ruiva perguntou, parecia impaciente.

- Tudo sob controle por enquanto, mandei ela tomar um banho e vou inventar algo divertido para fazermos.

- Ótimo, só não deixe ela sair daí até eu te ligar confirmando que está tudo pronto.

- Certo. Huhhh... Chloe, tem certeza de que isso vai ser o suficiente para se desculpar com a Beca ?

- Ehh... por que pergunta isso?

- Eu acho que ela ficou muito triste, encontrei ela chorando abraçada ao seu travesseiro no seu quarto.

- Merda, eu sou a pior namorada do mundo - ela disse com seu coração amolecendo.

- Olha, só não faz besteira e vê se não magoa ela, essa garota é uma de nós agora, mesmo ela não tendo uma altura normal - Chloe riu.

- Tá bom, só cuida dela até eu te ligar, aí colocamos em andamento o segundo estágio do plano.

Sete minutos depois

Beca apareceu na cozinha das Bellas onde Aubrey usava seu celular, a menor tinha seus cabelos ainda úmidos, vestia uma legging justa e preta, o mesmo super star de antes e uma camiseta um pouco larga e verde da ruiva, tinha o cheiro dela e isso acalmou Beca, ela tinha se livrado de toda a tinta que antes estava no seu corpo e se sentia bem melhor.

- Oi - chamou a atenção da loira que prontamente desligou o celular e o deixou sobre a bancada para falar com ela - então o que faremos?

- Vamos almoçar. - disse vendo que já estava próximo do meio-dia.

- Legal, onde vamos ?

Aubrey queria sair com Beca, mas se lembrou de que Chloe a disse para não saírem até a hora dela ligar, mas qual a probabilidade delas se encontrarem, certo ?

- Gosta de comida italiana ?

- Gosto, mas me faz lembrar da Chloe - a família de Chloe era italiana e Sarah sempre cozinhava isso para eles e Beca amava, mas hoje ela não estava muito afim disso.

- Certo... vamos em um restaurante mexicano, quer dizer a não ser que você seja sensível de mais para comer comida apimentada.

- Aposto que aguento mais do que você.

- Apostado - elas olhavam fixamente uma para a outra e apertaram as mãos.

- Mas e as Bellas ?

- Devem chegar daqui a pouco, elas se viram com algo pra não morrerem de fome.

- Achei que você tinha dito que você cuida de nós e que somos sua família - as duas riram.

Oito minutos depois

Aubrey conhecia um restaurante mexicano ótimo no centro da cidade e ficava perto do campus, o que era melhor ainda, chegando lá ela e Beca foram atendidas rapidamente e logo estavam sentadas numa mesa na varanda do restaurante aguardando por seus pedidos.

- Huhh... você já falou com a Chloe ? - Beca perguntou tentando parecer discreta.

- Falei... - Aubrey disse fazendo pouco caso já sabendo onde Beca queria chegar.

- Vocês falaram sobre o quê ?

- Sabe que eu nem me lembro ? Chloe e eu falamos de muitas coisas, preciso que você seja mais específica.

- Falaram, huhhh...sobre mim ? - ela perguntou tímida.

- Humhum - respondeu bebendo um gole da sua limonada.

- Sério ? O que ela disse ? - Beca se exaltou.

- Só perguntou se eu te deixei em casa em segurança.

- E o que você disse ?

- Disse que passaria a tarde com você.

- Ela não disse nada sobre falar comigo?

Aubrey sabia que o que ela diria agora provavelmente destruiria Beca, mas fazia parte do tempo e mais tarde ela entenderia tudo.

- Disse que ficaria ocupada agora de tarde já que você largou ela e não farão mais as coisas legais que ela queria que fizessem.

- Ahhh - murmurou decepcionada - você acha que ela ficou brava comigo ?

- Acho que a Chloe te ama de mais pra ficar brava com você.

- Se ela amasse teria dito isso - Aubrey entendeu o comentário de Beca porque Chloe a contou o motivo delass terem brigado, mas não queria tocar no assunto com a menor.

- Bom, vamos mudar de assunto, o que está achando das Bellas ?

Trinta e oito minutos depois

O almoço das duas correu normal mas Beca ainda falou um pouco sobre Chloe e isso fez Aubrey perceber o quão magoada a morena ficou, depois de pagar a conta, já estavam na calçada e andando em direção do carro de Aubrey quando a loira recebeu uma ligação de Chloe mas não deixou Beca ver que era a ruiva quem ligava.

- Alô - Aubrey disse com Beca parando junto a ela ao lado do carro.

- Oi Bree, então, eu...

- Oi mãe, ah não estou fazendo nada de mais, estou com a minha amiga Beca aqui DO MEU LADO.

- Olha, eu já terminei, pode trazer ela para o apartamento dela.

- Sério ? E você está bem ? É que hoje é o aniversário da Beca e a idiota da namorada dela magoou ela - Aubrey disse de propósito para Chloe.

- Legal, já entendi, sou uma péssima namorada - Beca agia normalmente apenas ouvindo o que a loira dizia sobre ela.

- Eu sei né ? Uma idiota.

- Aubrey, deu, só trás ela - Chloe desligou ficando brava e Aubrey riu.

- Tudo bem ? - Beca a perguntou curiosa.

- Sim - ela respondeu rindo mas parou rapidamente assumindo uma postura séria - quer dizer, minha mãe está precisando da minha ajuda e...

- Fica tranquila, não precisa se desculpar, eu entendo. - disse já acostumada em ser deixada de lado no seu aniversário.

- Me desculpa.

- Sem problema Bree, vai cuidar da sua mãe - Beca disse já andando em direção ao seu apartamento.

- Onde está indo ?

- Huhh, para o meu apartamento ?

- Nem pense nisso, eu te levo para lá.

- Aubrey, não precisa fazer isso, nem é tão longe...

- Por isso mesmo, nem vou gastar tanto tempo nisso e ainda te ajudo.

- Aubrey...

- Vem logo anã, não aceito um "não" como resposta.

Nove minutos depois

Logo elas chegaram no apartamento de Beca e Aubrey estacionou para ela.

- Tchau Aubrey, muito obrigada por ser tão legal comigo, boa sorte com a sua mãe.

- Não precisa agradecer - ela beijou a bochecha da morena - se precisar conversar depois é só chamar.

- Obrigada - Beca desceu do carro e acenou uma última vez para Aubrey antes da loira ir embora, então ela subiu em direção do seu apartameto e só parou quando seguindo no corredor viu o "23b", tirou sua chave d seu bolso e abriu a porta.

Soltou um grito silencioso ao ter como visão uma Chloe sentada sobre sua cama, mas não era simplesmente Chloe, era uma Chloe vestindo langerie e Beca não poderia negar como ela estava gostosa vestindo aquele corpete preto e com brilho.

- O que está fazendo aqui ? - Beca lhe perguntou tentando ignorar a pouca roupa que a ruiva usava e fechou a porta, deixou suas chaves e o celular sobre a mesa da cozinha.

- Eu vim conversar - ela disse repensando sua escolha de roupas - Beca me perdoa. - a morena parou de frente para ela na cama mas ainda procurava manter certa distância.

- Te perdoar por não me amar de volta ?

- Me perdoar por eu ter entrado em choque e não saber o que fazer - era notável a aflição de Chloe.

- Você só precisava dizer de volta ou dizer que não sentia o mesmo.

- Eu só não estava esperando por aquilo ! - ela se levantou se aproximando da namorada - Não achei que você iria me amar - tomou coragem e  segurou o rosto da morena o alisando com a ponta dos seus dedos - Beca, você é a garota mais perfeita que eu já conheci e tive a sorte de me apaixonar, eu não tiraria e nem acrescentaria nada em você - Beca, não queria isso, mas já estava se deixando derreter pelas palavras de Chloe e seu sorriso mostrava isso. - Beca, eu te amo, te amo de mais, por favor, me perdoa. - Beca não pode se controlar, apenas beijar Chloe, era um alívio saber que elas superaram aquela primeira briga e eram finalmente uma da outra de novo.

Beca não pensou duas vezes  antes de intensificar o beijo e introduzir sua língua na boca da ruiva, seus dedos foram parar nos fios de cabelo de Chloe, mas a maior afastou Beca dela com suas mãos contra o peito dela e quebrando o beijo.

- Calma, pequena, ainda temos tempo.

- Foi mal, não pude aguentar vendo você vestindo isso - ela se desculpou ofegante olhando de cima a baixo para Chloe.

- Só espera um pouco, antes quero te dar um presente de aniversário - Chloe a puxou até Beca estar sentada na cama, a ruiva foi até sua bolsa sobre uma das cadeiras da cozinha e procurava algo nela - para de olhar minha bunda, Becs.

- Não - ela respondeu de nariz impinado e corada e Chloe a olhou surpresa arqueando uma sobrancelha.

- Achei... - a ruiva voltou até Beca e sentou ao seu lado, ela segurava o que parecia ser uma garrafa de vinho e a entregou para Beca, a morena a segurava com cuidado, sabia que era desastrada e estava morrendo de medo de a derrubar, ela notou pela pequena bandeira que era um vinho italiano "Barolo Dagromis", ele era de 2011. - o que achou ?

- Vamos beber juntas ? - ele perguntou com os olhos brilhantes e sem desgrudá-los da garrafa.

- Vamos - a ruiva a respondeu passando seu braço ao redor dos ombros de Beca - achei que seria bom para celebrarmos seu aniversário e que nós nos amamos - elas trocaram um selinho - lembrei que você me disse que nunca tinha experimentado álcool.

- Meus pais ironicamente sempre ficaram muito em cima de mim durante festas, deviam ter medo de que eu os envergonhasse, mas eu tembém nem tenho idade para isso.

- Bom... nem eu.

- E como conseguiu esse vinho.

- Estava na minha casa, minha mãe pediu que eu te desse, então é um presente meu e dela - a ruiva apenas prestava atenção na morena olhando fixamente para o vinho - quer beber ? - Beca a olhou sorridente.

- Quero.

- Já volto então - Chloe soltou Beca e pegou a garrafa, foi com a garrafa até a cozinha e achou um sacarrolhas dentro na gaveta, depois com o vinho aberto, pegou dentro dos armários duas taças que pareciam caríssimas e derramou o liquido dentro dos dois recipientes, fechou a garrafa e a deixou deitada sobre a bancada, levou as duas taças até Beca e se sentou junto a ela, entregou uma das taças para ela e achou fofo como ela olhava entretida e remexia o vinho na taça.

- Vamos fazer um brinde ? - Perguntou olhando a ruiva.

- Claro !

- Então... ao amor que eu sinto por você - Beca levantou a taça.

- E ao amor que eu sinto por você - elas bateram levemente as duas taças e tomaram um gole, Chloe procurava saber o que Beca tinha achado, ela esperava que ela tivesse gostado. - E aí?

- É... doce?

- Você gosta ? - Beca tomou mais um gole.

- Gosto - ela soltou um riso - eu posso ficar bêbada ? - essa pergunta inocênte fez Chloe rir.

- Pode, mas prefiro que na nossa primeira vez nenhuma de nós esteja alcoolizada.

- Vamos fazer sexo ? - Beca perguntou se sentindo tímida e se encolhendo na frente de Chloe.

- Só se você quiser, linda - Beca assentiu pensativa - o que acha ?

- Eu quero! - ela respondeu sorridente.

Um silêncio de instalou, mas não era um silêncio desconfortável, na verdade era tranquilizador, bom, não para Beca, a menor estava uma pilha e Chloe prestava atenção em todos os seus movimentos, até ela praticamente virar todo o seu vinho na sua garganta.

- Calma, calma - Chloe tirou a taça dela - não beba tanto assim de uma vez - Beca riu sem graça e a ruiva devolveu suas taças na cozinha, mesmo elas ainda tendo um pouco de vinho e ela voltou a sentar com Beca.

- Desculpa, é que eu fiquei nervosa.

- Pequena - ela segurou o rosto da menor - não fique, eu vou com calma e se você quiser parar, seja antes, agora, ou até durante, é só me dizer e eu paro, não farei nada que você não queira, okay ? - ela assentiu, as bocas se colaram em um beijo lento e intenso, Beca sentia seu coração espancar sua caixa torácica, já podia sentir seu centro pulsar, sensação com a qual ela já se tornara familiarizada. A língua macia de Beca fazia Chloe sentir calor e completa.

Cuidadosamente, Chloe deitou Beca contra o colchão sem quebrar o beijo e a menor sentiu de súbito sua camiseta subir pelo seu corpo.

- Já disse como amo quando você usa minhas roupas ? - ela perguntou passando a camiseta pelos braços e o pescoço da namorada e a jogando num canto qualquer.

Parou por alguns segundo para apreciar a imagem que ela tinha agora que estava sobre o quadril de Beca, seu sutiã rendado era incrivelmente sexy, mas Chloe não podia esperar para tirá-lo. A ruiva desceu seus dedos desenhando pelo ventre de Beca a arrepiando até chegar no cós de sua calça e a deslizar para fora do corpo dela. Chloe foi rápida em voltar a unir seus lábios, o beijo era calmo e transbordava todo o prazer das duas.

Beca estava nervosa e sentia seu peito dolorido de tão rapido que batia seu coração, ela ainda estava tímida e suas bochechas ardiam, ela agradecia a deus por Chloe não estar a olhando naquele momento. Num momento inesperado, tomou coragem durante o beijo e levou suas mãos para a cintura de Chloe, a apertava cada vez mais forte de acordo com seu nervosismo.

Chloe sentia seu ventre se contrair tamanho era o desejo de ter Beca para si, deslizou suas mãos para as costas da menor sentindo cada parte do seu corpo arrepiar, abriu o fecho do sutiã de Beca e o arrancou tão bruscamente que foi obrigada a quebrar o Beijo. A ruiva arfou sem perceber ao olhar para os peitos de Beca, eles a deixaram sem fôlego, seus dedos coçaram para toca-los e apertá-los, mas desviou seu olhar para o rosto da morena, ela estava assustada e insegura.

A boca de Chloe foi até o ouvido de Beca e a morena podia sentir seus lábios macios contra sua orelha.

- Você é tão gostosa, meu amor - seu coração se aqueceu em ouvir Chloe a elogiar daquela maneira e chamá-la de "amor", um sorriso foi desenhado no seu rosto e a ruiva gostou de saber que ela causara aquilo.

Beca olhava o corpo de Chloe excessivamente e a ruiva entendeu o que ela queria dizer, tirou com cuidado seu corpete restando apenas sua calcinha, assim como Beca, ela voltou a beijar Beca, ela sentia que a cada beijo havia uma necessidade maior de possuir uma a outra. Os dedos de Beca chegaram aos peitos de Chloe e sentiram seus mamilos entumecidos.

- Vou te tocar, assim, tá bom ?

- Pode me tocar como quiser, amor - Beca ficou ainda mais ansiosa ouvindo aquilo.

As pontas pálidas dos dedos da menor viajavam pelos seus peitos e Chloe subiu um pouco seu corpo levando seus peitos até a boca de Beca em um ato impulsivo, mas logo pensou em desfazer isso já que não queria forçar Beca a nada, mas gemeu e apertou os lençóis ao sentir a língua aveludada de Beca rodear seus mamilos. Chloe sentiu sua intimidade latejar e se levantou tirando seus peitos da boca da menor, ela desceu seu corpo e junto tirou a calcinha de Beca e pode ver pela primeira vez Beca nua, tão vulnerável e sucessível ao seu toque.

Beca estava enlouquecendo com a imagem de Chloe entre suas pernas, tão lentamente e sem perceber, abriu suas pernas para a ruiva. Chloe se inclinou com seu rosto contra a entrada de Beca e notou o quão molhada a deixara, porém antes de tocá-la deixou que a menor sentisse sua respiração quente contra seus centro úmido. A ruiva passou sua língua em um ritmo torturante separando os lábios vaginais de Beca e chegando em seu clitóris, chupou o músculo rígido e deixou um beijo nele. Beca gemeu e agarrou o lençol sentindo Chloe circundar seu clitóris.

- Isso é muito bom... - Beca gemeu quase revirando os olhos quando sentiu a língua da namorada quase a penetrar.

Nada nunca havia entrado alí e o nervosismo tomou Chloe, ela voltou a mordiscar um dos lábios e voltou ao clitóris de Beca dando a ele sua atenção.

- Chlo... - a menor agarrou os cabelos ruivos de Chloe com uma das suas mãos - Isso... - ela murmurou mole sentindo a língua quente de Chloe afundar no seu interior e a pressão no seu ventre aumentar quando Chloe voltou a massagear seu clitóris mas com seu polegar, não aguentou, sentiu um fio de eletricidade cortar sua espinha e ela se derramar na boca de Chloe enquanto gemia alto e fechou seus olhos forte.

Beca sentia o ar escasso preencher seus pulmões enquanto o corpo magro da ruiva se jogou ao seu lado.

- Te amo - Beca disse dengosa abraçando o corpo de Chloe.

- Também te amo, lindinha - Chloe disse acariciando o rosto de Beca antes de se inclinar para beijá-la e o que era para ser apenas um selinho se transformou em um beijo intenso e logo Chloe estava de novo em cima de Beca com suas mãos viajando pelos seus lados. A menor já estava mais solta e tudo o que ela sabia é que queria mais, queria sentir mais daquela sensação maravilhosa e nova.

As mãos de Chloe foram parar na bunda de Beca e a apertaram fazendo a morena arfar, Chloe tomou a iniciativa de beijar seu pescoço e quando era de seu agrado o chupava, mas deixava as marcas em lugares que sabia que Beca não encontraria tanta dificuldade em cobrir.

Beca nem percebeu que tinha prendido sua respiração quando uma das mãos de Chloe desceu para sua intimidade, a ruiva notou seu nervosismo e voltou a beijá-la, chupou seu lábio inferior e passou seu indicador e o dedo do meio pelos lábios de Beca fazendo ela abrir a boca gemendo durante o beijo. Chloe começou a distribuir seus beijos pela clavícula e ombros da morena. O polegar de Chloe voltou a masturbar Beca enquanto ela aproveitada ao máximo a sensação dos dedos contra sua pele a levando ao delírio.

- Becs - Chloe parou seus beijos mas seus dedos ainda passeavam pela intimidade de Beca. A menor a olhou prestando atenção na cor escura e na névoa que transformaram seus olhos antes azuis-claros como a água de uma clareira. - olha, o que eu vou fazer agora pode doer um pouco, então se você quiser que eu pare  é só pedir - a morena concordou e assistia atenta a mão da ruiva se aproximar do seu centro e olhou para os olhos escuros de Chloe que já estavam fixos nela. A morena sentiu a ponta de dois dedos de Chloe mergulharem na sua intimidade e Beca voltou a olhar para baixo sentindo algo estranho - Amor, olha para mim - e assim Beca fez.

Os dedos de Chloe foram afundando e Beca sentiu sua intimidade se contrair com aquela invasão, os dedos da ruiva estavam cada vez mais fundos e Beca sentia isso. Chloe prestava atenção em todas as expressões da namorada.

Junto do prazer, uma dor imensa invadiu Beca e ela gemeu chorosa para Chloe e fechando seus olhos o mais forte que pode. Chloe parou de levar seus dedos mais fundo.

- Me desculpa - ela voltou a afundar seus dedos lentamente e deixava pequenos beijos no pescoço de Beca -já vai passar, amor - Beca choramingava em resposta. - podemos parar se você quiser - ela disse deixando um selinho na boca da morena que abriu os olhos.

- Não! Eu quero isso - Beca puxou Chloe para outro beijo e a ruiva levou o beijo calmamente tentando distrair Beca enquanto levava seus dedos mais fundo. Quando Chloe parar de afundar seus dedos, começou a movimentá-los lentamente dentro da menor e Beca parou o beijo se concentrando em se acostumar com os dedos de Chloe dentro dela.

Quando menos esperava, Beca já estava habituada a ter ao dedos de Chloe dentro dela e o prazer apareceu novamente, a dor ainda estava lá, porém era quase nula. Beca começou a mover sua cintura mostrando à Chloe que ela poderia continuar, a ruiva ficou com seus lábios grudados nos de Beca enquanto a menor apenas sentia o movimento de vai e vem e os dedos irem mais fundo.

Beca sentiu uma barreira se romper e fechou seus olhos forte tentando não chorar e arfou pesadamente.

- Você é perfeita Beca - ela deu um selinho em Beca - eu te amo muito - sussurrou contra seus lábios.

Seus dedos rodaram fazendo a intimidade de Beca se adaptar com eles alí, ela gemeu sentindo sua intimidade se fechar e o prazer aumentar. Beca ainda gemia chorosa com os movimentos da namorada, mas depois de algumas estocadas, ela se acostumou e Chloe percebendo isso intensificou os movimentos, Beca arranhou suas costas sentindo ela ir cada vez mais rápido, o polegar de Chloe trabalhava em dar atenção para o clitóris de Beca e a menor gemia tanto que sua garganta chegava a doer. Chloe estocou mais umas quatro vezes e isso foi o suficiente par fazer Beca se jogar em um orgasmo surreal gozando intensa e longamente enquanto gemia.

Beca afundou no colchão ainda tendo espasmos daquele orgasmo, ela estava ofegante e podia escutar seu coração batendo intensamente, seu cabelo grudava na fina camada de suor que cobria seu rosto e o resto do corpo, assim como em Chloe que retirou seus dedos lentamente de dentro de Beca e de repente a menor sentiu falta dos dedos da ruiva a preenchendo, se sentiu incompleta. A ruiva se deitou ao lado de Beca e a menor deitou sua cabeça sobre o ombro dela se sentindo acolhida nos seus braços.

- Esse foi sem dúvidas, o melhor presente que alguém já me deu de aniversário - Chloe riu achando Beca fofa e deixou um beijo na sua testa.

As duas ouviram o toque de celular ecoar pelo apartamento e a menor bufou.

- Vou fingir que não estou escutando isso.

- Vai lá, pode ser algo importante, prometo que não vou sair daqui - Beca rolou os olhos e se levantou da cama indo em direção do celular enquanto sentia suas costas queimarem sob os olhares da ruiva.

- Para de olhar minha bunda.

- Não. - Beca a olhou por cima do seu ombro e viu um sorrisinho sacana, voltou sua atenção ao seu celular e leu no vizor "mãe", ela foi rápida em atender o telefone e leva-lo à sua orelha.

- Alô ?
 


Notas Finais


Só pra deixar claro que o hot ainda não acabou.

E aí? O que acharam ? Valeu a pena esperar todo esse tempo ?

Me contem tudo aí nos comentários.

Voltei mais cedo porque vim vizitar minha família aqui na minha cidade natal: Sorocaba e olha... que saudade eu tava, enfim, fui piedosa e tirei um tempinho pra escrever pra vocês, na verdade esse capítulo tava pronto desde domingo (inclusive, feliz dia dos pais atrasado), mas eu não tava gostando daquela versão, então apaguei todo o outro hot e escrevi esse, espero que tenham gostado.

Não sei quando volto, mas vou tentar ser rápida.

E quero muitos elogios depois desse hot pq eu me matei pra escrever ele !

Bjo! Até o próximo S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...