1. Spirit Fanfics >
  2. Junjou Romantica - O aniversário do Usagi-san >
  3. Penúltimo Capítulo

História Junjou Romantica - O aniversário do Usagi-san - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora.. foi difícil escrever o capítulo, não saiu como eu queria mas, tomara que gostem beijos de chimchim

Capítulo 14 - Penúltimo Capítulo


-Silêncio no tribunal! 

O juiz tentava manter a ordem entre o caos, eu olhava o júri a minha frente, atrás de mim todos que eu conhecia, inclusive o maldito sansei que foi citado por Misaki como autor do estupro,  eu queria matá-lo ali mesmo, mas minha preocupação com Misaki é maior, ele não estava aqui, Takariho estava nervoso, acho que procurava o irmão também. Ele poderia ficar com o meu. 

-Calma Usami.

-Onde ele está? 

-Misaki sabe o que está fazendo,  deveria acreditar mais no garoto. 

-Eu acredito mais do que todo mundo.

-Não parece. Se acalme. 

Poucos segundos antes de começar a sessão, ele chegou. Rodeado de gente que nunca vi na vida, parte  deles se sentaram na platéia, a outra parte bem menor ocupou as cadeiras do juri que faltavam enquanto Misaki caminhava sem me olhar até a mesa ao meu lado, ele não me olhou, respirava firma, olhava sério o juri.

-Pare de olhar ele assim, ele não vai olhar pra você.

-Porque-

-Ora Usagi, você pode ser tudo, menos burro. Eu vi o seu vídeo, o que você mandou para -Misaki.

-Porque viu?

-Porque eu não podia ignorar Misaki chorando no banco do meu carro sem saber o porque.

-Claro, você não perderia a oportunidade de tentar roubar ele de mim.

-Eu não faço nada disso a séculos, nem preciso mais, além disso, eu não acho que essa seja a hora para nada disso, pare com o seu ciúme besta. Você foi a pessoa que ele mais amou, mas acho que adora ele te odeia, eu odiaria. 

-Eu só estava tentando fazê-lo ficar longe de confusão!

-Seu idiota, esse foi seu erro, você nunca olhou pra ele, não de verdade. Usagui, olhe bem, ele é um homem, um homem, Usagi, não um menino, uma criança que você pode dizer que está certo ou não, ele não é criança! Ele errou com o plano todo, claro, mas ele estava tentando te salvar, se sacrificou, ele quase foi estuprado de novo só pra conseguir provas contra  sansei, ele fez uma escolha errada, e você o condena, o chama de infantil, a criança aqui é você dizíamos que você deveria se afastar, que mundo seria cruel, mas você foi teimoso, eu vejo você como criança e Misaki como adulto, porque ele pode ter errado, mas foi tentando consertar as coisas e o que você fez aqui? se lamentou pelo passado e nao fez nada por seu futuro, ele lutou, enquanto você estava sendado sem fazer nada, o seu namorado lutou pra te tirar daqui e..continua lutando.

-O que quer dizer com isso?

-Nem eu sei, sei que ele está tramando algo, consigo sentir pelo jeito que ele está olhando, não sei o que é, mas me dá vontade de lutar junto dele, só por isso eu não ferrei você de vez, eu adoraria te ver na cadeia, mas o olhar do Misaki me fez querer lutar ao lado dele, é pela coragem dele que eu estou aqui. Olhe todas as pessoas que vieram com ele e me diga que não sente nada.

Eu levei meu olhar para  o rosto das pessoas ali presentes, meu irmão estava certo, estava tudo silencioso mas as pessoas gritavam em mudo, estavam em guerra, elas pareciam prestes a cair no soco com alguém, me vejo nos olhos dela, a paixão, o momento, o desespero, ao mesmo tempo, a coragem. Dói ver esses rostos, eles sofrem, dá para ver que sentem dor, a dor deles conversa com a minha, mesmo não sendo a mesma..por um instante..

-Não me sinto mais sozinho.

-Isso, agora entendeu, estamos junto de você Usagi. Uma pena você não saber valorizar o homem que você tem ao seu lado.

-Ele vai me perdoar.

-Eu não perdoaria, nenhum amor do mundo é para sempre. Não preciso dizer que você destruiu a confiança dele, o coração, tudo, você é adulto o suficiente para isso.

-Eu..

-Não ouse se desculpar, comigo seria muito fácil, talvez sua penitência de verdade seja sair da cadeia e encarar o que fez a ele.

Eu fui chamado para dar meu depoimento, Meu irmã, mesmo contra a lei me contou mais ou menos o que Misaki disse de nosso relacionamento, disse que nos gostávamos quando ele veio para a minha casa mas disse que nos relacionamos só depois dos seus 18 anos, um cuidado necessário, ou eu podia ser acusado de pedofilia além de estupro, não teria saída, nosso relacionamento estava exposto, não tinha porque me esconder, então eu falei a verdade.

-Sim. É verdade, eu e Misaki somos namorados, oficialmente a uns dois meses quando ele me fez um pedido perfeito. Bom, no começo, antes de eu gostar de Misaki, eu era perdidamente apaixonado pelo irmão mais velho dele.

-Que?

Ouvi Takahiro questionar da platéia.

-Silêncio no tribunal, continue .

-Eu o amava de verdade, mas, ela não me correspondia e hoje sou grato a ele por isso, porque se não fosse o seu desprezo, eu não tinha encontrado o homem da minha vida. Sim um Homem, Misaki é um homem e não o garoto que eu teimo em chamá-lo e espero que um dia ele me desculpe por isso. Misaki é um homem perfeito, inteligente, centrado, forte empolgado, destemido, Misaki é o homem que eu gostaria de ser, eu tenho inveja de quem ele é. Eu o amo, senhor juiz, eu não o machucaria.

-Então porque o estuprou?

-Eu não estuprei Misaki, eu pensava que havia machucado ele, mas acho que não foi bem assim, no fim das contas eu só não sabia ler Misaki direito e acredito que o próprio medo dele o apavorou, mas daí a forçar ele? Não. Nunca fiz isso. A única coisa que o confesso, é que não sei amá-lo direito ainda, tenho que aprender.

-Recentemente o depoimento de Misaki mudou, ele acusou o senhor Ijuin Sansei de estupro em seu lugar, o  que tem a dizer sobre isso?

-Que é a verdade.. no início Misaki não dizia quem era, apenas por nos amar, vocês me condenaram, eu nada disse porque me senti culpado..mas que crime cometi? Eu amei Misaki, ainda o amo e sei que ele me ama..nosso erro foi amar, vocês culpam a nós por nos amar..condenem a mim e estaram prendendo Misake junto a mim..somos apenas um, entend isso, o monstro não sou eu, nem ele e nem o amor, eu demorei mas finalmente entendi que não é isso, nosso amor não é ruim, ele é perfeito do jeito dele..eu egoísta me afastei de Misaki, briguei com ele, disse um basta, mas Misaki nunca desistiu de mim.. eu fiz errado, não sou só eu..somos os dois juntos.

Nessa hora eu encarei Misaki, ele me olhou, aquele rosto tão sério se desmanchou com seu sorriso de garoto, tão brilhante quanto a sua alma, eu posso ter escrito mais de cem romances, mas nenhum deles  é capaz de dizer em cem mil palavras o que é o amor, mas Missaki consegue isso tão bem, de uma forma simples e única, do jeito que ele é.  

-Podem me prender, vê esse sorriso? É ele que me liberta, não me importo que me mantenha aqui pra sempre, eu estou livre. Eu te amo, Misaki.

Mais perguntas foram feitas, agora que Misaki parecia está comigo, eu me senti como o meu irmão me disse, eu fazia parte de algo maior, não era por minha causa, eu nem sabia pelo o que era, mas sei que Misaki é o líder, minhas respostas eram engraçadas, sarcásticas, divertidas, leves, nunca me senti tão detento do poder das palavras quanto agora, eu tenho Misaki e seu grupo ao meu lado, eu nunca estive sozinho, aos poucos as perguntas acabaram, eu tirei as palavras de todos, mesmo assim, eu sentia Misaki e todos que ele trouxe consigo ao meu lado..eu estava falando junto deles, eu desci do daquela cadeira sorrindo, Misaki me acompanhou com os olhos, eu alisei o anel de plástico em minha mão..ele fez o mesmo.

Um a um..cada um deles que subiu na cadeira para servir como testemunha, foi englobado pelo nosso time invisível, cada olhar inseguro, medroso encontrava o nosso, eu via nos olhos deles, era mágico, o medo mudava, se tornava coragem, vontade, insentívo, força, eles eram nossos, os vimos levantar, gritar, se fazer ouvir a voz tomando o tribunal todo, era impressionante, eu encarava Misaki a certeza que ele passava para eles era impressionantes, ele é mais que um homem, é o universo que tenho certeza desconhecer.. e isso era maravilhoso. Pouco a pouco, Misaki conquistou cada um pelo seu olhar, Ijuuin Sansei tremia no mesmo lugar, os guardas a volta do tribunal ficaram alertas. o Juiz se afastou e o tribunal inteiro ficou de pé quando Misaki subiu a cadeira para o interrogatório. O jUiz berrava para que todos se sentassem mas não foi obedecido, o júri popular, a platéia, eu, todos esperávamos a palavra de maior poder ali nos autorizar, sentamos todos em nossos lugares quando Misaki nos pediu que assim fizéssemos.

-Não posso dizer que estive calado esse tempo inteiro, pois muitas vozes se passaram por aqui, e cada uma delas, acredito que tenha entendido um pouco do meu sentimento, da minha luta, eu sou o mais jovem de todos aqui, e acredito que seja um dos que esteja mais sofrendo aqui. O amor da minha vida está sendo acusado de ter me destruído, quando seu único crime foi me fazer sentir alguém que valesse a pena, com Usagi san, eu soube o valor que eu tinha, que tenho e sempre terei, eu mesmo me via como um moleque, hoje eu vejo que não, pelo amor, pelo sentimento, pela dor, eu me tornei um homem, um homem forte, verdadeiro, que não tem medo de nada e nem de ninguém. Por minha culpa, minha antiga fraqueza, deixei que Usagi pagasse pelo crime que nunca cometeu, eu estava fraco, estava quase morrendo, hoje tenho mais do que vida em mim, meu espírito é tempestade e eu juro, seria capaz de levar esse tribunal inteiro comigo. Quem me estuprou foi Ijuun sansei. Foi ele, eu não tenho mais medo, eu vou dizer com todas as palavras e tenho certeza que todos no mundo são capazes de me escutar agora.

Misaki se levantou com toda a força, os guardas ficaram para trás, nós prendemos a respiração, a atenção toda voltada para Misaki. Ele fechou os olhos, ele não estava fraquejando, estava buscando as palavras chaves, quando abriu os olhos, ele estava pronto, nada o impediria, ele subiu na cadeira e passou a falar.

-Eu sou Misaki Takarashi. A dois meses, no dia 7 de dezembro por volta das 15:00 hrs, eu fui estuprado por Injuin Sansei. EU QUERO JUSTIÇA.

-Sem gritar senh-

-EU SOU LISA  ULKISHA! A dois anos, eu enviei uma carta para ijuuin sansei, ele me convidou para a casa dele..eu fui. Eu fui estuprada no dia 23 de fevereiro. EU QUERO JUSTIÇA!

Uma das pessoas que acompanharam Misaki se levantou, subiu na cadeira e acusou ijuuin. Uma a uma as pessoas iam se levantando e subindo em suas cadeiras, todo com os mesmos olhos pegando fogo, a sala se tornou pequena tamanha aquela força, eu fiquei de pé, aquele espetáculo deveria ser vista da galáxia.

-EU SOU JHONNY! E eu era fã do sansei.. lhe enviei uma carta..ele pediu uma foto minha nu para seus mangás..depois disso marcou um encontro comigo… eu fui estuprado quando era uma criança.. isso faz seis anos. EU QUERO JUSTIÇA!

-EU SOU BÁRBARA! Ganhei um concurso de cartas da minha escola, escolhi ele para escrever a carta..eu enviei , ele respondeu pedindo uma foto minha na cama.. eu tinha 14 anos..isso faz cinco anos...fui estuprada quando me convidaram para visitar a sua sala de criação. EU QUERO JUSTIÇA!

Agora até o juri popular se manifestava, o Juiz, perdido sentado em seu trono, se levantou diante de tantos tons altos, os guardas bloquearam as portas quando ijuuin tentou escapar por elas, quando tudo ficou em silêncio e mais da metade do tribunal ficou em pé e subiu nas cadeiras, Misaki encarou o Juiz, ele parecia tímido, mesmo assim se referiu ao juri.

-Já tem um veredicto quanto ao senhor Usagi?

-INOCENTE!

Quase todos gritaram ao mesmo tempo.

-Mu..muito bem, alguém que..prestar queixa contra ijuuin sansei aqui presente?

O juiz indicou um pobre coitado encolhido em sua cadeira, ele estava se arrastando pelo chão, imundo. Misaki encarou aquela criatura repugnante, ele lhe implorava para não fazer aquilo com ele, mesmo com clara pena dos restantes dos presos Misaki levantou a sua mão indicando que denunciará ijuuin, em seguida, todas as pessoas que falaram levantaram suas mãos, eu observei aquela cena, nem notei que estava chorando, minha boca se abriu em total espanto, meu irmão olhava com o mesmo espanto, eu não tinha palavras, Misaki mais uma vez me calou, o que fiz foi pouco, mas foi o que meu corpo conseguiu fazer..eu bati palmas para eu, logo a multidão me acompanhou..até o jure, os guardas, todos bateram as merecidas palmas.. quer saber..que se foda. Eu levantei caminhei devagar no meio daquela gente toda, Misaki pareceu me vê, ele sorriu, desceu, ainda sobre as palmas corremos um para o outro, mesmo em juízo, podendo ser preso de novo, fiz  que tinha vontade de fazer desde que me impediram de está com ele, eu o peguei pela cintura e levantei seu corpo o girando, ele levantou os braços reclamão e eu ri descendo ele, nossas testas se encontraram.

-Usagi..me desculpe se-

-Me perdoa Misaki, perdoe a criança que sou.

-Eu te amo Usagi san.

-Eu te amo Misaki.

Nossos lábios se encontraram, finalmente depois de tanto tempo, estamos juntos e não importa nada e nem ninguém, ficaremos juntos para sempre.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...