História Juntas pelo Acaso - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swan Mills, Swan Queen, Swan-mills Family
Visualizações 319
Palavras 2.944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, o capítulo demorou um pouco porque estou viajando, então tá difícil ficar postando. Peço desculpas. Mas aqui vai o próximo, aproveitem! :)

Capítulo 9 - Party.


Regina estacionou a Mercedes preta em frente a calçada do Granny's e franziu a testa ao olhar para lanchonete.

– Reunião para amigos íntimos? - a morena ironizou, se debruçando um pouco sobre Emma para ver melhor. Mesmo com as persianas fechadas, as duas conseguiam ver como o local estava cheio.

– Me lembra porque estamos fazendo isso mesmo, por favor. - Emma pediu, soltando um suspiro dramático.

– Porque a ideia foi da minha avó. - A xerife olhou para o banco de trás, onde Henry estava. Ele sorriu antes de completar. - E você aceitou, ué.

Emma abriu a boca para responder, mas foi interrompida pela risada de Regina.

– Não ouse brigar com meu filho por dizer a verdade, Swan. - a prefeita disse ainda rindo um pouco. - Eu o ensinei a não mentir. Henry não tem culpa se a Salvadora não diz "não" para os pais.

 Emma cruzou os braços emburrada enquanto Regina desafivelava o próprio cinto de segurança.

– Vamos, Emma. - encorajou, saindo do carro. - É só uma festa e a ideia foi da sua encantadora família.

– Nossa, que trocadilho engraçado. - a loira respondeu sem humor, abrindo a porta para Henry enquanto Regina tirava Elsa da cadeirinha. - Você treina essas piadinhas no seu tempo livre?

– Não, querida. - ela respondeu com um sorriso ao pararem na porta da lanchonete e se aproximou de Emma para que só ela ouvisse. - No meu tempo livre penso em maneiras de me livrar de você.

Emma tentou ignorar o arrepio que percorreu seu corpo quando a prefeita sussurrou em seu ouvido. Fazia muito frio, era óbvio que o hálito quente perto de seu pescoço faria isso. Tratava-se de um simples contraste de temperaturas. Nada demais, pensou, tentando justificar para si mesma aquela sensação.

– Vocês pretendem entrar ou...? - Henry reclamou, abrindo a porta e dando um passo para o lado para que suas mães passassem com Elsa.

      =================================================================================

Assim que colocaram os pés dentro do Granny's, Emma e Regina viram todos se voltarem para a elas e recebê-las com aplausos. Emma sorriu e encolheu os ombros, um pouco sem graça. Regina também sorriu, mas apenas por educação. Sabia que as palmas não eram para ela, eram principalmente para Emma, a Salvadora de todos. As três continuaram paradas na porta enquanto Henry foi até o balcão cumprimentar alguns amigos.

– Até que enfim vocês chegaram! - Snow exclamou quando as pessoas se dispersaram, voltando a suas próprias conversas. Ela abraçou Emma e cumprimentou Regina com um sorriso.

– Querida, acredite em mim: se não viéssemos, você não notaria nossa ausência aqui. - Mary a a encarou sem entender.

– Sério, mãe? - Emma disse revirando os olhos. - Achei que eram apenas os amigos.

– E são. - a professora respondeu, sem dar atenção muita atenção à elas. Emma trocou um olhar revoltado com Regina que apenas deu de ombros rindo.

– Oi, meu amor! - Mary disse numa voz infantil, se abaixando para ficar da mesma altura de Elsa. - Você está linda, parecendo uma princesa! Esse seu vestido azul te deixou ainda mais linda, sabia?

Regina arqueou uma sobrancelha para Emma e tinha um sorriso triunfante ao encará-la. A xerife revirou os olhos ao ver a expressão orgulhosa da morena.

– Tá , Regina. O vestido azul realmente é muito mais bonito que o vermelho. - admitiu, levantando as mãos como quem se rende. - Você venceu.

– Eu sei disso. - respondeu ainda sorrindo, enquanto se abaixava para pegar Elsa no colo. - Viu, Els? Quem é a mamãe que tem bom gosto? Quem?

Elsa olhou para Emma que apontava para si mesma pedindo para ser escolhida. A menina riu e olhou para Regina.

– Mamãe Gi! - Exclamou com uma risada. Emma cruzou os braços e fez biquinho, fingindo estar magoada, enquanto Regina ria.

– Isso mesmo, querida! - Comemorou, erguendo a mão para Elsa que completou o high five.

– Vocês estão fazendo um complô contra minha filha. - Snow acusou embora não conseguisse parar de sorrir assistindo a interação das três. Era realmente adorável.

– Hey! - Elas escutaram a voz de David e se viraram para a direção em que ele estava. Ele acenou do  balcão e fez um sinal com a mão para que fossem até lá.

Mary segurou a mão de Emma e praticamente arrastou a filha até os amigos. Regina balançou a cabeça rindo enquanto se espremia entre as pessoas para segui-las.

– Vamos, meu amor. Eu prometo que a tortura vai ser rápida. Não vou deixar essa gente te perturbar muito. - sussurrou para Elsa que assentiu, mesmo sem entender.

      =================================================================================

Para surpresa de Regina, a conversa estava agradável. Claro que se alguém perguntasse, ela negaria estar se divertindo com os Charmings e os amigos chatos e bonzinhos deles, mas - bem lá no fundo - ela estava gostando.

– Vou ali pegar um doce pra Els. - Emma disse de repente, chamando a atenção da morena. - Você quer alguma coisa?

Regina negou com a cabeça, tomando um gole de seu suco. Emma murmurou um 'ok' e saiu, guiando Elsa pela mão até a mesa de doces, que com certeza fora ideia de sua mãe.

Apoiada de costas no balcão, Regina se distraiu da conversa e acompanhou Emma e Elsa com o olhar. Ela sorriu ao ver a menina apontar para várias guloseimas diferentes e riu quando Emma não conseguiu negar o pedido. Como era possível que aquela mulher fosse a xerife da cidade e não tivesse coragem de dizer "não" para uma criança que mal sabia falar? Elsa olhou para Regina, erguendo as balas com um sorriso vitorioso, a prefeita sorriu e fez um sinal de positivo.

Emma revirou os olhos ao ver que Regina ria a distância e começou a fazer seu caminho de volta ao balcão, sorrindo para alguns conhecidos enquanto andava. Regina se virou para deixar o copo vazio sobre o balcão e quando voltou a posição que estava, viu que Emma havia parado.

– Estava demorando, não é? - disse entre os dentes. A rainha sentiu seu humor mudar subitamente ao ver que Hook segurou Emma pelo braço para falar com ela.

– Regina?

– O que é? - Respondeu, sem sequer se virar para encarar Snow. Ela sentiu a mão da ex enteada em seu ombro.

– Está tudo bem? - A voz de Mary era preocupada. Regina quis sorrir para ela e mentir que sim, mas seu olhar estava focado em como Emma sorria para o maldito pirata. Era absurdamente irritante de se assistir. Mary seguiu a direção do olhar da morena e suspirou. - Você não gosta muito dele, não é?

– Porque eu deveria? - a resposta foi ácida demais. Regina respirou fundo, tentando controlar sua raiva. Ela deu um sorriso irônico para Mary. - Porque você gosta dele? Não combina com seu tipo heroico gostar de piratas bêbados.

Mary deu de ombros, ignorando o fato de Regina ter praticamente cuspido as últimas palavras. A morena se irritou ainda mais ao ver Elsa puxar a jaqueta de Emma tentando chamar sua atenção.

– Ótimo. - murmurou, revirando os olhos. - Ela prefere dar atenção ao pirata do que à menina. Era só o que me faltava.

Snow ia argumentar, mas se calou ao ver que Robin havia acabado de chegar e já se dirigia à ex-rainha.

– Regina! - Ele disse com um sorriso nos lábios, se aproximando dela. - Queria muito falar com você, não nos vemos desde aquela noite do jantar.

Regina olhou para ele por um breve instante antes de voltar sua atenção à conversa de Emma.

– Sim, precisamos conversar, mas não agora. - respondeu seca. Emma olhou para onde a morena estava e asduas trocaram olhares irritados. Regina pensou em ir até lá e perguntar qual era o problema dela, porque estava com raiva. Mas sentiu alguém puxar a barra de seu vestido e forçou um sorriso ao ver Elsa entregar um doce para ela.

– Obrigada, querida. - agradeceu, pegando a menina no colo, tentando não olhar para Emma. Sua raiva era tanta que faltava pouco para jogar uma bola de fogo em Hook.

– Regina, eu... - Ela respirou fundo e se virou para Robin.

– Robin, me desculpe. - disse impaciente, a voz um pouco alterada. Ele franziu a testa, sem entender a irritação dela. - Me desculpe por ter deixado você sozinho no meio da rua. Precisamos conversar, mas não é momento.

– Eu entendo, mas...

– Eu disse que agora não. - Interrompeu novamente, encerrando o assunto. Robin assentiu e se afastou. Regina tinha certeza que ele estava chateado, que ela fora grosseira, mas não se importou.

Quanto mais assistia a interação entre Emma e Gancho, mais sentia sua cabeça doer. Sabia que precisava desviar sua atenção dos dois, então puxou assunto com Elsa.

– E então, querida? - disse, tentando disfarçar seu nervosismo. - Que doce gostoso você tem aí? Elsa abriu as mãozinhas cheias de balas e entregou uma a Regina.

– Seu. - Regina sorriu.

– Obrigada. E as outras para quem são? - perguntou, apontando para as balas restantes.

– Mamãe Em. - choramingou, apontando para Emma. Regina suspirou ao ver os olhos de Elsa se encherem de lágrimas.

– Shh. Não chora, amor. A mamãe Em já vem. - prometeu, tentando acalmar a menina. - Ela é uma idiota mas já vem comer sua bala, tá? Só tá conversando com outro idiota.

Regina sentiu alguém se aproximando e suspirou aliviada ao ver que era Snow. Naquele momento, preferia lidar com a ex rival do que com Robin Hood, ou até com Emma.

– O que foi, pequena? - Snow perguntou preocupada, passando a mão pelas marias-chiquinhas de Elsa. Então se virou para Regina. - O que ela tem?

– Caso não saiba, eu não sou a única que não gosta do Capitão-lápis-de-olho ali. - murmurou com um sorriso debochado.

Snow revirou os olhos, mas riu ao ouvir o apelido. Ela estendeu os braços para Elsa, que se agarrou mais a Regina. A morena fez um gesto com as mãos, dizendo que estava tudo bem.

– Você quer que eu chame a mamãe Em pra você entregar a bala? - Regina perguntou para Elsa, numa voz calma, enquanto passava o dedo polegar nas bochechas da menina, secando suas lágrimas. Elsa assentiu e Regina deu um beijo no rosto dela. - Tudo bem, querida. Vamos falar com ela.

Elas estavam há uns três passos de Emma, quando Marian se pôs de pé na frente de Regina. A mulher cruzou os braços de forma desafiadora. Se não fosse sua dor de cabeça, Regina riria da audácia daquela pobre coitada.

– Era só o que me faltava agora. - a prefeita murmurou, revirando os olhos. - O que você quer?

– Falar com você. - A mulher não se mexeu nem um centímetro. Regina suspirou. Adoraria descontar sua raiva em alguém, mas ela não fazia esse tipo de coisa. Não mais.

– Você pode falar comigo outro dia. - disse já saindo, mas parou ao sentir Marian segurar seu braço.

– Sério? - ela deu uma risada debochada olhando para mão da mulher em seu braço. - Não acho que eu preciso mostrar a você porque as pessoas têm medo mim. - ameaçou. - Você sabe muito bem.

Marian soltou o braço dela, mas continuou parada à sua frente, com uma postura decidida. Regina revirou os olhos e colocou Elsa no chão, segurando a menina pela mão.

– Regina, por favor, se acalme. - Robin disse, se posicionando ao lado de Marian, na tentativa de apaziguar a briga que estava por começar. Regina o encarou sem acreditar.

– Me acalmar? - a morena repetiu, sentindo seu sangue ferver. - Essa... Essa... ex morta me segura pelo braço, me desafia e eu é quem tenho que me acalmar?

A rainha tentou, mas não conseguiu evitar que sua voz falhasse no final da frase. Como ele podia estar defendendo a pessoa que começou a briga ao invés de denfendê-la? Porque ela sempre tinha que sair como culpada de tudo, mesmo quando não era?

– Marian só quer conversar com você. Não precisa ficar nervosa desse jeito, não vamos estragar a noite, sim?

Regina estava se decidindo se respondia com gritos ou com bolas de fogo, quando ouviu uma voz surgir atrás de si.

– Robin, me desculpe, mas o negócio é o seguinte: - Emma começou, indo até eles e parando ao lado de Regina que se virou para ouvir o que ela tinha a dizer. - Regina veio até aqui essa noite pra se divertir com nossa família, não sei se você sabia disso.

Ele fez menção de responder, mas ela não deixou.

– Estávamos todos muito bem até sua esposa tentar começar uma confusão. Então se tem alguém que precisa se acalmar, esse alguém é a Marian. - Regina sorriu vitoriosa, Emma continuou. - E se tem alguém aqui que está estragando a noite dos outros, esse alguém é você. Então, por favor, se quer continuar sendo bem vindo na nossa reunião entre amigos, deixe Regina curtir a festa dela, ok?

Robin assentiu sem jeito ao ouvir o discurso da xerife. Ele olhou para Regina.

– Desculpe, não foi minha intenção.

Emma pegou Elsa no colo e ficou quieta enquanto via Regina assentir para Robin, que saiu seguido por uma Marian revoltada. A loira se virou para a prefeita que continuava em silêncio, um pouco atordoada pelo que aconteceu.

– Você está bem? - a xerife perguntou preocupada. Regina assentiu e olhou ao seu redor para ver que os poucos curiosos se dispersavam e voltavam à festa. Ela voltou a olhar para Emma, seus olhos um pouco marejados quando sorriu.

– Estou. - Sua voz era quase um sussurro, mas transbordava sinceridade quando disse: - Obrigada, Emma. Emma deu de ombros, e sorriu sem jeito.

– Nunca gostei dele mesmo. Tava esperando uma oportunidade de colocá-lo em seu lugar.

Regina riu.

– Mas eu não ia fazer nada com ela. - Disse, com a voz agora séria. - Com a Marian, quero dizer.

– Eu sei disso. - Assentiu. A certeza na voz dela fez Regina sorrir novamente. - Por isso que fiquei com raiva quando ele defendeu ela ao invés de te defender.

 A prefeita suspirou.

– Eu devia saber que isso aconteceria, não é? - Emma encolheu os ombros. Ela colocou Elsa no chão e segurou a mão dela, caminhando até a varanda. Regina caminhava ao seu lado.

– Mas eu me lembro de ter... - a prefeita levantou a mão, interrompendo.

– Eu juro por Deus, Swan. Se você disser "eu te avisei", você será uma pessoa morta.

Emma deu uma gargalhada e segurou a porta para elas saírem.   ================================================================================

Ali do lado de fora da lanchonete, estava calmo e silencioso. Se não fosse pela movimentação do lado de dentro, ninguém diria que acontecia uma festa. As duas se sentaram nas cadeiras e Regina colocou Elsa sentada na mesa, de frente para elas.

– Elsa, agora você pode entregar pra mamãe Em! - Regina lembrou à menina.

– Me entregar? O que? - Emma perguntou sorrindo. Elsa abriu a mão e estendeu para ela.

– Bala! - exclamou com um sorriso radiante, fazendo Regina e Emma rirem. Emma desembrulhou o doce e agradeceu antes de colocar na boca.

– Ela queria te entregar antes, mas você estava muito ocupada com aquele seu namorado que não troca de roupa nunca. - Regina implicou, mexendo distraída no pingente do cordão de Elsa. Emma revirou os olhos, embora a morena não estivesse olhando para ela.

– Ele não é meu namorado, não estamos mais juntos. A gente tava conversando como amigos. - explicou, sem entender a necessidade que sentia de esclarecer as coisas para Regina.

– Ele perguntou se pode levar Henry para passear de navio um dia desses. - comentou casualmente, segurando a risada ao ver Regina arregalar os olhos e depois afundar a cabeça nas mãos, de forma dramática.

– Hoje as pessoas estão mesmo testando os meus limites. - reclamou, fazendo Emma rir. - Me diz, Elsa, o que eu fiz pra merecer isso?

As duas ouviram o barulho da porta e sorriram juntas ao ver que era Henry.

– Hey, vejam só quem largou os amigos aborrecentes e veio se juntar à nós, Regina. - a xerife disse rindo. Regina riu também, mas colocou uma cadeira ao seu lado para o filho sentar.

– O que aconteceu lá dentro? - Ele perguntou preocupado, olhando para Regina. - Eu vi você e a esposa do Robin discutindo. Você tá bem, mãe?

Regina olhou para Emma rapidamente antes de virar-se para o filho.

– Não foi nada, querido. Não se preocupe porque não vai acontecer mais. - Henry assentiu e a abraçou. Emma sorriu para os dois.

– Então, vamos voltar e terminar de curtir a festa? - Henry sugeriu, mas Regina passou o braço em volta dos ombros dele e se aconchegou mais na cadeira.

– Aqui está mais agradável, só nós quatro. - disse com um sorriso.

– Se a pessoa mais sociável da cidade acha isso, sou obrigada a concordar. - Emma implicou, fazendo Henry rir e Regina dar um sorriso contido. Elsa estendeu a mão para Henry, entregando a ele a última bala. Emma e Regina sorriram para os dois antes de sorrirem uma para a outra.

– Mas vamos entrar na hora do bolo, tá bom? - o garoto pediu ao que Regina assentiu, acariciando o cabelo dele.

– Claro que sim. Sem bolo não tem graça, né Els? - Elsa negou com a cabeça.

– Não, mamãe Em. - concordou, fazendo Emma rir sorrir orgulhosa.

Os quatro continuaram conversando do lado de fora, enquanto a festa acontecia dentro da lanchonete, de onde Snow os observava.

– É... - ela disse para si mesma, sorrindo enquanto olhava pela janela. - Cada um tem seu jeito de aproveitar uma festa. - concluiu ainda sorrindo, dando de ombros ao voltar para onde seu marido estava.

 


Notas Finais


Estão gostando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...