História Juntos para sempre - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Naruto
Visualizações 2
Palavras 1.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Indra reapareceu.Achei que tinha morrido kkkkk mas não,pensando que ontem mesmo assisti de novo os fillers dos dois,ri pra caramba.

Capítulo 20 - Alegria X Tristeza


Do outro lado do mundo

Ele havia morrido,e isso devia tê-lo satisfeito.Mas Indra sentia cada vez mais remorso,mesmo que também odiasse o pai por tudo que causara com a maldita escolha.A morte dele acabara com o último obstáculo para iniciar a guerra contra o irmão,para destruir aquela maldita crença na qual fora ensinado e também reaver a mulher que amava tirada de si;seu pai vivo significava que poderia dar todo tipo de ajuda a Ashura em lutas e isso acarretaria em sua própria derrota.

Agora,precisava convencer os filhos para lutarem a seu lado.Eram os únicos que poderiam,em quem confiava plenamente para acompanharem-n;os outros,não serviam para nada.Portanto,chamou Riki e Ichiro para conversar sobre aquele plano e então partiria para a batalha,nenhum dos sobrinhos eram páreo para os filhos,ainda mais que ambos tinham o Mangekyou Sharingan.Nem que levasse anos montando estratégias,conseguiria sua tão sonhada vingança e seu irmãozinho pagaria por ter se casado com a mulher que amava.

Riki e Ichiro estavam agora diante de Indra,suas expressões eram neutras.Desde a morte de Mila,os sentimentos dos dois haviam quase evaporado e deixado-os sem nenhum sentido para a vida.Apenas faziam o que era ordenado pelo pai,sem qualquer reação espontânea e de livre escolha,eram fantoches.Mas Riki guardara apenas uma coisa em seu coração:o desejo por Sayuri,que só se ampliara nos últimos dois anos;Ichiro,por outro lado,simplesmente esquecera de toda a bondade que conservara desde a infância com o auxílio da mãe.

---Ótimo que já chegaram,tenho uma missão para nós três.Algo que desejo há muitos anos.---começou Indra,seus olhos ficando vermelhos assim como os dos dois rapazes.O mesmo sorriso psicopata surgiu nos rostos dos três.

---E o que seria,pai?Diga,estamos a postos.---disse Ichiro,antes que Riki abrisse a boca,surpreendendo tanto o pai quanto o irmão.A mudança fora radical mesmo,eles percebiam naquele instante mas Indra logo sorriu.

---Pelo visto,esses dois anos foram vantajosos,Ichiro.E bem,a missão é simples:iniciar a guerra contra meu irmão,até destruirmos ele e sua descendência.---respondeu e ambos assentiram vagarosamente.Riki olhou-o com satisfação.

---Podemos deixar a Sayuri viva?Adoraria tê-la junto de mim,mas o nosso querido titio odiaria.---disse com ironia,mas dizendo o que verdadeiramente desejava.Desejava Sayuri como seu pai um dia desejara a mãe dela,mesmo que a encontrasse casada com outro alguém,ele a teria de qualquer jeito mesmo não gostando nem um pouco das garotas que era inocentes e puras,abriria uma exceção.

---Claro,assim como a mãe dela.Depois de tantos anos,finalmente terei a Kanna ao meu lado.---respondeu Indra,planejando matar o irmão diante da amada e então a levaria consigo.Um plano diabolicamente perfeito,a menos que houvesse algum imprevisto.

---Vocês estão colocando o coração na frente da razão,elas também merecem morrer.Estão ligadas infinitamente aos que nós odiamos.---repreendeu Ichiro.Ele estava certo,mas nenhum dos dois admitiria aquilo.Riki deu-lhe um soco no braço e então saiu,sem dizer nada e seu pai simplesmente fingiu que não havia escutado nada.

Enquanto o irmão planejava terminar com aqueles malditos desejos dos dois,Riki se divertia com uma moça da vila.Desde os quinze anos,ambos viviam um romance secreto e errado mas nem se importavam;era só desejo e noites na cama.A moça não sentia nada pelo rapaz e vice-versa,tanto é que sabia da paixão de Riki por Sayuri,sempre aconselhando-o como agir quando a tivesse nos braços.

---Então,na noite em que a possuir,você pode fazê-la conhecer o melhor do mundo como fez comigo.Mas não seja tão amável,as mulheres não sentem atração nenhuma por homens assim,seja um pouco rude.---aconselhou a moça naquela noite,depois de se amarem ardentemente.Riki desviou o olhar ao ouvir aquilo.

---Não,a Sayuri não parece ser desse tipo.Se for como dizem que a mãe dela foi,então terei de ser romântico e cuidadoso para poder tê-la junto comigo até o fim da vida.---respondeu,lembrando das palavras do pai sobre a mãe de sua amada,Kanna.Certamente Sayuri seria igual a mãe naquele quesito e isso atrapalharia naquela ideia de Layla.

---Então,você vai mesmo se casar com ela?Mas a primeira noite pode sim ser forçada.Apenas para ela saber o que tem a oferecer.---disse,seu olhar se tornando malicioso.Ao contrário de Sayuri,cujas roupas eram sempre discretas e simples,essa moça usava combinações que enlouqueciam os homens e seu ar já era malicioso mesmo quando tentava ser inocente,como Riki dizia ser a garota que amava.

---Bom,só sei que ela será minha.A mãe dos meus filhos.---disse e então vestiu-se rapidamente,saindo em seguida daquele local escondido apenas deles.Encontrou Ichiro,que estava com cara exausta mas repreendeu com um olhar.

---Eu sei aonde estava,Riki,Aproveitando mais uma noite com a vadia da Layla,vocês não tem vergonha.Por quê não ficou aqui e me ajudou a montar estratégia para a guerra?Seria um tempo melhor gasto,do que se deitar com uma vadia sem noção alguma.---disse e o irmão simplesmente revirou os olhos.Não tinha vontade alguma de ouvir sermão de Ichiro,mas não desejava brigas então foi para o próprio quarto,onde pensou em Sayuri se entregando a ele no lugar de Layla.

Riki não viu o tempo passar,só sabia que de tanto imaginar estava beijando o travesseiro compulsivamente.Adormeceu,e em seus sonhos veio a imagem da garota que amava,corada mas sorrindo depois de uma noite consigo,uma dúvida em sua mente surgindo naquele instante.Será que seu pai também sonhara com a mulher amava?Também vira a mulher gemer e beijá-lo com satisfação e então acordara desesperado,vendo que ela não estava lá.

Indra não estava tão concentrado na guerra,pensava em alguém no momento.Kanna sempre aparecera em seus sonhos,mas nos últimos dois anos,parecia que havia aumentado a carga horária.Sempre que mente esvaziava,ela estava presente com aquele olhar inocente e gentil,implorando que ficassem juntos mas então sumia tão logo havia vindo.E a raiva sobrevinha rapidamente,então tinha de fazer alguma coisa que o distraísse.

Voltando

Kanna havia conseguido.Depois de um único dia apenas dentro de casa,pensando e remoendo sua dor,Ashura saíra para voltar a vida de sempre.Mesmo que aquela tristeza ainda latejasse em seu peito,precisava ser forte pelos filhos e por todos naquela vila,e mais ainda por causa da guerra que o irmão declarara contra si.Mas,para isso,podia contar com o apoio e amor intenso da esposa para vencer aqueles obstáculos.

Agora,sentado no escritório que um dia pertencerá a seu pai e agora definitivamente seu,meditava sobre tudo aquilo enquanto observava Kyara correr pela vila.Ela era a caçula e também a mais durona em questões de tristeza,não demonstrava fácil o que sentia para não preocupar ninguém;mas quem conhecia a menina tão bem,sabia que sofrera pela perda do avô.Mais adiante,viu Sayuri e Raiden conversando e olhando a pequena que ficava ao redor de ambos,o rapaz também sofrera com aquela perda visto que Rikudo cuidara dele desde que seus pais haviam morrido,além de ser namorado da neta dele há dois anos.

---Otousan está sofrendo,mesmo assim ele enfrenta tudo isso.Por causa da Okasan,ela fez com que voltasse a consciência.---disse Sayuri,tocando o ombro de Raiden.Um sorriso triste surgiu no rosto do ruivo,enquanto abraçava a jovem com carinho.

---Espero que ele fique bem,sinceramente.Se até eu estou mal,imagina ele que é filho?---disse e então ambos olharam Kenichi e Mahina do outro lado,junto de Kanji.Os dois garotos pareciam abatidos,mas a jovem tentava fazê-los ficarem melhor.

---Vocês não podem se entregar pra isso,Kenichi,Kanji.Seu avô não iria gostar de vê-los assim.---dizia e abraçava os dois com força,enquanto eles olhavam Kyara.A menina parecia normal,mas seus olhos estavam um pouco vermelhos;ela havia chorado um pouco pelo menos.Se aproximou de ambos e então deu um tapa forte em suas cabeças,um olhar severo.

---Parem de fazer drama,os dois.Vovô sempre disse que quando ele partisse,não queria choro nem tristeza,mas para aceitarmos isso e esperarmos o momento certo para nos reencontrarmos.---repreendeu ela,fazendo com que os três se sobressaltassem.Como Kyara havia amadurecido em dois anos,estava até mesmo dando bronca nos irmãos mais velhos,era realmente a mais forte deles.

Ao fim daquela tarde,voltando para casa,os quatro encontraram os pais abraçados na cozinha.Ashura depositava a cabeça no colo de Kanna,as lágrimas escorriam dos olhos e então ao reparar nos filhos,tentar esconder que estivera chorando e receber um abraço forte de compreensão,entendeu que ainda não estava sozinho e poderia contar com a família que construíra naqueles anos.Pelo menos,era o que esperava.

 


Notas Finais


O próximo capítulo terá um salto temporal de dez anos,com algumas fofurinhas aparecendo,nem sei quem serão kkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...