1. Spirit Fanfics >
  2. Juntos pelo acaso >
  3. Ida ao Texas

História Juntos pelo acaso - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Ooi gente!
Descupem a demora, queria ter trazido esse capítulo bem antes, mas fiquei enrolada aqui, por isso acho que esse capítulo nem está tão bom quanto gostaria...
Mesmo assim, espero que gostem
PS: Na parte que mostra uma fala da Kylie e uma do Jeremy, talvez fique um pouco confuso, eu quis fazer que nem nos filmes quando mostra os dois lados da conversa, sabe?
E a Kylie tem 30 anos e o Jeremy 44
Boa leitura!!!

Capítulo 20 - Ida ao Texas


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo acaso - Capítulo 20 - Ida ao Texas

Após o parabéns, o primeiro pedaço de bolo obviamente foi para Justin, aos poucos os amigos de Justin foram embora e ficaram só a família, Ellie e Alessia foram ajudar a arrumar algumas coisas e cuidar dos gêmeos, Jeremy chamou Justin para conversar no escritório e Kylie chamou Hailey para conversar durante um passeio no grande jardim de casa, ambos estavam constrangidos com o assunto.

- Diz logo o que quer dizer Kylie - Pediu Hailey impaciente.

                             < >

- Bom filho, eu te chamei pra contar algo... Er... Não sei por onde começar - Disse Jeremy nervoso.

                           < >

- Bem, você sabe que deis do dia em que conheçi a família de Justin, simpatizei com Jeremy, eu sei que ele era muito babaca, mas tinha um motivo, só tinha que perceber que precisava mudar... Em fim, estou te contando porque é minha melhor amiga e me importo com sua opinião - Continuou Kylie se enrrolando.

                          < >

- Você sabe que se não fosse por ela eu não teria aberto os meus olhos e mudado meu ponto de vista.. - Continuou Jeremy.

                          < >

- Espera, está se enrolando toda para dizer que está gostando do pai de Justin? - Perguntou Hailey.

- Bem, é um pouco mais do que isso...

                           < >

- Eu não sei, nos aproximamos e começamos a sair e conversar mais.. - Explicava Jeremy.

                          < >

- E estamos juntos, não é o que possa se chamar de namoro, mas estamos - Concluiu Kylie.

- È sério? Nossa, eu nunca imaginei isso acontecendo, mas bem que senti uma proximidade entre vocês. Só não entendo porque estava tão nervosa para me contar isso.

- Ah você sabe, ele é pai do seu namorado, é mais velho do que eu e a pouco tempo atrás te tratava mal.

                          < >

- Nossa pai, fico feliz por você, Kylie é uma ótima pessoa - Disse Justin.

- Ah Justin, eu me sinto ridículo, pareço um adolescente apaixonado, eu não tenho mais idade para isso - Disse Jeremy todo envergonhado com a palma da mão na testa.

- È o que o amor faz com a gente - Riu Justin - Pai, não precisa se sentir constrangido por estar apaixonado, o amor não tem idade.

- Mas não é só isso, eu me sinto mal, confuso, ainda amo sua mãe mas sinto algo pela Kylie, além disso, ela é bem mais nova que eu.

- Pai, você tem suas inseguranças, é normal, ainda mais em seu caso de já ter amado alguém antes, e não se esqueça de que Kylie também tem as dela e que ela também já amou antes e já foi decepcionada. Quanto a mamãe, o senhor sempre vai ama-la, mas não o impede de amar outra pessoa, não se sinta culpado, agora quanto a diferença de idade, nem é tanta assim. O senhor só está com medo de se abrir, mas tem que se perguntar: Vale a pena correr o risco?

                           < >

- Kylie, não me importo com nada disso, e o fato de ele ter me tratado mal, você mesma disse, ele mudou, já me pediu perdão e eu o perdoei. Se gosta mesmo dele eu só posso dizer que apoio, eu sempre vou apoiar o que te faz feliz.

- Obrigada amiga - Kylie a abraçou.

                          < >

- Olha para mim, recebendo conselhos de meu filho, sedo que que era para mim estar te dando conselhos - Eles riram - Sua mãe iria se orgulhar muito de você - Disse Jeremy.

- De você também, pai - Disse Justin dando um tampinha no ombro do pai.


Justin e Hailey estavam deitados na cama do quarto dela, um para cima e o outro para baixo, já haviam voltado para Boston conversavam sobre o relacionamento de Jeremy e Kylie enquanto dividiam um pacotinho de M&M's.

- Você acha que vai dar certo? - Perguntou Justin.

- Talvez, o seu pai mudou bastante deis de que conheceu ela, e dizem.. - levantou-se da beira da cama e engatinhou para o lado dele - que os melhores casais são aqueles que mudam um ao outro - deitou-se por cima dele e o beijou - Ainda não acredito que fez isso - Falou referindo-se ao pedido de casamento.

- Achou muito cedo?

- Não, eu diria até que você demorou demais - Ela disse e ele a olhou incrédulo - Eu estou brincando - Saiu de cima dele e se deitou ao seu lado o abraçando - È que eu nunca pensei que isso iria acontecer comigo agora, um a um meus sonhos estão se realizando, tudo depois que vim para cá, que corri atrás deles, por isso eu digo que força de vontade é tudo para se conquista algo.

- Você está certa. Mudando de assunto, quando eu vou conhecer seus pais?

- Bom... Será um pouco complicado chegar e dizer que estou noiva de repente.

- De repente?

- È, bom, meus pais não sabem sobre você, não sabem quase nada sobre o que aconteceu comigo.

- Por que não contou para eles sobre mim?

- Porque a pesar de saber que meus pais me amam e que são boas pessoas, eles dificilmente me apoiam em algo e sempre querem dar pitacos na minha vida e se descobrem que algo de ruim aconteceu comigo, já acham que foi culpa das escolhas que fiz, não entendem que para vencer uma luta precisa levar alguns socos. Eu os amo, mas sei como são, por isso não falei nada, mas parece que essa conversa é inevitável, não é?

- sim.

- Ok, eu vou falar com eles, ver se eles preferem vir ou se querem que vamos até lá.


Após alguns dias, Hailey combinou de ir ver seus pais mas achou melhor mencionar o motivo da visita pessoalmente. Eles pegaram um voou para o Texas e logo chegaram. Os pais de Hailey moravam em uma espécie de vila, eram várias casas em um grande sítio onde todos se conheciam, ao chegarem, alguns vizinhos já vinheram cumprimentar Hailey.

- Hailey Baldwin! - Disse um rapaz alto e ruivo se aproximando.

- Austin Maccartney - Disse ela e ele a abraçou.

- Quanto tempo...

- È vim ver meus pais. Você também, fazia tempo que não te via por aqui antes de ir para Boston - Falou ela.

- È voltei um pouco depois que você foi. Resolvi ficar - Disse Austin. Justin deu um pigarro e Hailey percebeu que havia deixado seu namorado de fora da conversa.

- Oh, desculpem, eu nem apresentei vocês, Justin esse é Austin, nosso vizinho e um amigo antigo, Austin esse é Justin, meu namorado.

- Oh, claro, muito prazer Justin - Disse o ruivo.

- O prazer é meu - Respondeu Justin por pura educação, não tinha simpatizado com o rapaz.

- Bem, eu já vou indo, foi bom te ver Hailey - Disse o ruivo indo embora.

- Não tinha dito que não tinha amigos por aqui? - Perguntou Justin.

- E eu não tenho. A pesar de que aqui sempre tivemos muitos vizinhos e todos se conheciam, eu nunca fui boa em me enturmar. Austin é uma exceção porque sempre foi nosso vizinho, estudou comigo e lembra quando eu disse que tive poucos namorados antes de você? Bem... Na verdade eu só havia tido um, Austin - Ao ouvir isso, os olhos de Justin se arregalaram, o ruivo mister simpatia era ex de Hailey.

- Ah agora entendi o olhar - Disse ele ironicamente.

- O que?

- Vai dizer que não percebeu o olhar dele para você.

- Não, claro que não. Eu não o vejo faz tanto tempo, quando namoramos eu estava no último ano do Encino médio e terminamos justamente porque percebemos que confundimos as coisas, o sentimento que existia entre nós era só amizade mesmo e hoje em dia, nem isso. Ei, você não está com ciúmes, está?

- Estou - falou emburrado como uma criança - você não ficaria?

- Mas é claro que não, se eu não tive ciúmes de ver sua ex te beijando - Foi convincente - Apenas confiei no que me disse.

- Tá legal, você venceu essa, desculpe.

- Seu bobinho - Ela se aproximou, laçou o pescoço dele e o encarou - Não precisa se preocupar com Austin, o que tive com ele não chegou nem perto do que tenho com você, eu amo você e é com você que vou me casar - O beijou - Ok? - Quando ela já estava se afastando, ele a puxou pela cintura e a beijou novamente.

- Ok - Respondeu. Ouvir aquilo deixou Justin mais do que feliz, era a primeira vez que sentia ciúmes de alguém assim, isso só provava que o que Hailey declarou também servia para si, nunca compartilhou de um sentimento tão profundo com alguém como era com Hailey.

- Vamos ? - Chamou ela o tirando de seus pensamentos.

- Claro - Eles deram mais alguns passos pelo grande terreno coberto pelo verde da grama e chegaram a uma casa amarela. Hailey bateu na porta e ela foi rapidamente aberta.

- Filha! - Exclamou a mãe de Hailey abraçando-a e a puxando para dentro.

- Também senti saudades, mãe - Disse ela em meio a um riso.

- Sentiu nada, só veio agora.

- Ah mãe já falamos sobre isso, você sabe.

- Eu sei filha, desculpe. E quem é esse belo rapaz?

- Ah, mãe - Ela deu um suspiro, foi para o lado de Justin e segurou sua mão - Mãe, esse é Justin, meu..

- Hailey - Interrompeu o pai entrando no local.

- Oi pai! - Ela o abraçou.

- Sabe filha, sua mãe até que tem razão, se é tão difícil vir nos visitar, volte a morar aqui, você só não foi para Boston por causa de sua faculdade? Faz tempo que sua faculdade acabou, deveria voltar para seu lugar, sua família - Disse o pai.

- Pai, por favor, eu não fui para Boston só por conta da minha faculdade, fui porque queria crescer profissionalmente, seguir um novo rumo, traçar o meu caminho. É claro que também sinto saudades e prometo que tentarei vir aqui mais vezes, mas não vou voltar a morar aqui, minha vida está indo bem em Boston, vamos encerrar esse assunto, vim também para tratar de um assunto importante, mas antes quero lhes apresentar alguém. Justin, esses são meus pais, Kennya e Stephen, pai e mãe, esse é Justin, meu namorado - Ela contou chocando os pais .

- Namorado ? - Indagou Stephen.

- Como assim filha? Você nem falou que estava namorando em suas últimas ligações, começaram a namorar agora? - Perguntou Kennya.

- Não mãe, na verdade estamos namorando a cinco meses, não falei sobre ele porque queria que se conhecessem pessoalmente, e aconteceram tantas coisas nesses últimos meses que não tive tempo para vir antes - Respondeu Hailey.

- Tudo bem. O almoço especial que preparei para você está pronto, vamos almoçar e você nos conta mais sobre sua vida - Falou Kennya.

Eles foram para a sala de jantar e se acomodaram na mesa e Kennya começou a servir o almoço, que estava delicioso. Hailey contou ao seus pais sobre o novo emprego, nova casa e os amigos que fez, contou também sobre a esposição que ela iria fazer, eles mau podiam acreditar que sua filha já havia alcançado esse nível.

- E como vocês se conheceram? - A mãe perguntou. Hailey lançou um olhar para Justin como se perguntasse se pode ou a mentir sobre isso, ela não queria que seus pais ficassem sabendo sobre tudo que aconteceu, ele então resolveu falar no lugar dela e ao invés de mentir, omitir.

- Nos conhecemos em um restaurante, eu não tinha nenhum acompanhante e ela se sentou na minha mesa, o restaurante estava cheio naquele dia... Ficamos conversando e depois desse dia, começamos a nos ver inesperadamente em vários lugares, até que nos tornamos amigos - Ele disse olhando para Hailey que lhe sorriu.

- Oh como se o destino quisesse que se aproximassem. Isso não é emocionante querido? - Perguntou Kennya para seu marido.

- Uhum - Concordou Stephen sem muita empolgação.


Após o almoço, a conversa continuou no sofá, onde Hailey e Justin revelaram que estavam noivos, o que chocou ainda mais os seus pais. Em algum ponto da conversa Justin se retirou para ir ao banheiro.

- Querida, agora que estamos só nós, preciso te fazer uma pergunta, você não acha precipitado se casar com esse rapaz? Mal o conhece, namoram a pouquíssimo tempo - Argumentou mãe.

- Eu sei mãe, mas já passamos por tanta coisa juntos nesse pouco tempo, e se fosse o caso, podemos ter um longo noivado, mas não acho que tenha necessidade de todo esse medo, eu tenho certeza do que eu quero - Rebateu ela.

- Mas será que ele também tem essa certeza? Filha ele é um rapaz de alto nível, tenho medo de ele te magoar, de um belo dia você descobrir que ele se cansou de você e arrumou outra - Disse Stephen.

- Não, o Justin jamais faria isso, mesmo que não me quisesse mais. Eu entendo o receio de vocês, mas só estão dizendo isso porque ainda não o conhecem como eu.

- Filha, quero que seja sincera comigo, você ama mesmo esse rapaz? Ou está confundindo amor com contentamento? Sabe, esse rapaz já lhe ajudou muito e se ele te ama como você está dizendo, talvez seja isso que está fazendo você ter tanta certeza de que quer se casar com ele - Falou Kennya.

- Isso é sério? Acham que eu quero casar com Justin por causa do que ele pode me dar? Estão me chamando de interesseira? - Indignou-se e se ofendeu

- Filha, você namorou com aquele menino Austin por mais tempo e nunca cogitou a possibilidade de casar, aí conheceu um rapaz em Boston, bem de vida, que te arrumou emprego, casa, e essas jóias, esse colar que está usando parece ser bem caro, não pode nos culpar por estarmos te perguntando isso, só querendo o melhor para você, queremos que seja feliz e te garanto que dinheirinho não trás felicidade - Disse Stephen.

- Eu não acredito que estou ouvindo isso de vocês, as pessoas que me criaram, que sabem quem eu sou! - Levantou-se e alterou o tom da voz - Primeiro insinuaram que ele, sendo quem é, não se interessaria por uma simples garota do Texas..

- Não foi o que quis dizer filha..

- Depois vocês me chamaram de interesseira. Será que é tão difícil confiar em mim? Ou acreditar que alguém como ele se interessaria por mim? - Perguntou já com lágrimas pelo rosto - Pois saibam que Justin não é assim, eu não sou assim. Eu pensei que me conheciam - Deu uma pausa - Digam a Justin que estarei no quintal - Disse saindo para fora.

Os pais de Hailey não falaram por mal, a notícia os pegaram de surpresa, estavam preocupados com sua filha, queriam ter certeza que Justin era uma boa pessoa, e que sua filha tinha se tornado uma boa pessoa. Hailey sempre recebeu uma boa educação de seus pais, porém sempre foi muito sozinha e com espírito livre, deis de pequena tinha vontade de expandir seus horizontes, seus pais tinham medo que isso a tornasse uma pessoa gananciosa, e o fato de eles sempre trabalharem muito e ela ser introvertida fez com que eles não conhecessem totalmente a filha que tem.

- Onde ela foi? - Perguntou Justin voltando para a sala.

- Ela disse que estaria te esperando no quintal, querido - Falou Kennya. Justin estranhou, mas ao ver os pais de Hailey saindo para outros cômodos, foi atrás dela e a encontrou chorando olhando para um lago perto dali.

- Ei o que aconteceu? - Perguntou ele segurando-a pelos ombros.

- Justin - Suspirou e o abraçou.

- Shhh - Limpou o rosto dela - Se acalme e me conte porque está chorando.

- Justin, você acha mesmo uma boa ideia se casar comigo? - Perguntou chorosa.

- Como? Por que está me perguntando isso? Por acaso você não tem mais certeza se..

- Não! - Ela o interrompeu já sabendo o que ele iria perguntar - Não é isso. Eu falo por você, sabe, seu pai pensava isso, descobri que meus próprios pais pensam isso e seus amigos devem pensar também e...

- Do que está falando?

- Ah... Todos acham q-que eu quero c-casar com v-você por causa de seus bens, eu quero que seja feliz e se nos casarmos, todos sempre vão achar que você foi o bobo que se casou com a aproveitadora.

- Espera, seus pais disseram isso?

- Da para acreditar? Eles primeiro ficaram preocupados com o fato de alguém como você se interessar por alguém como eu, quando eu tentei te defender, falaram que talvez eu estarei confundindo as coisas, que talvez eu só estarei olhando para as coisas que você pode me dar - Falou ainda chorando - Eu sei que me amam, mas as vezes... Não quero que passe por isso, e também não sei se estou pronta pra passar por isso.

- Amor - Abraçou-a novamente - Eu não me importo com o que vão falar, confio em você. Hailey, eu te conheço, você sempre foi a corajosa que corre atrás do que quer sem se importar com o resto, eu sei que são seus pais e que a aprovação deles é importante para você, mas você não é assim.

- Está errado, eu sempre fui insegura.

- Não, eu conheço a mulher com quem vou me casar, você só está se sentindo assim porque são seus pais, esqueceu que foi você que me disse que eu não seguia meu sonho por medo de desapontar meu pai? Com você é a mesma coisa, e eu tenho certeza que eles não queriam falar essas coisas, é como você disse, são seus pais e te amam, só tem culpa de não conhecerem a filha maravilhosa que tem, só precisamos conversar com eles, vamos dar mais uma chance e vamos mostrar que eles estão errados - Dizia ele enquanto Hailey ouvia em silêncio com o rosto molhado de novas lágrimas, mas essas eram de felicidade, de ter encontrado alguém como ele, que a fazia se sentir tão melhor do que ela pensava ser, que a amava como ela era e que via o melhor dela sempre. Ela o abraçou apertado.

- Vamos embora daqui, por favor, eu só quero ir para casa - Pediu chorosa.

- Querida, não podemos ir embora sem resolver as coisa, vamos ficar em um hotel e depois voltamos para falar com seus pais, ok? - Ela assentiu e eles foram.


No hotel, Justin colocava as malas para dentro do quarto enquanto ela tomava um banho. Quando ela voltou, ele se sentou ao lado dela na cama, ela se deitou abraçando um travesseiro.

- Quer conversar? - Ele perguntou, ela pensou por um tempo.

- Não - Ela respondeu sem expressão.

- Quer ficar sozinha? - Ele perguntou afagando sua perna.

- Não - Respondeu ela em um fio de voz. Ele sorriu e se deitou ao seu lado, passou o braço em volta de seu corpo, ela se aninhou em seus braços e ficaram assim, em silêncio, até Justin acabar adormecendo.

Depois de algum tempo, ele se mexeu na cama e acabou despertando, ao abrir os olhos, percebeu que ela ainda estava do mesmo jeito, parecia que nem havia se mexido.

- Ei - Beijou o ombro dela - Ainda está chateada? - Ela se virou para ele - Ainda está do mesmo jeito deis de que dormi.

- Eu estava só pensando - Disse meio distante.

- Lembra do que lhe falei? È uma das pessoas que eu mais confio e amo, é o que importa, não deve ligar para o que os outros dizem ou pensam sobre nós, porém são seus pais, eu entendo e por isso acho que deveríamos falar logo com eles - Ele disse, ela sorriu e o abraçou.

- È por isso que eu te amo.


No dia seguinte, Hailey acordou decidida a conversar com os pais novamente, foram até a casa deles antes da hora do almoço.

- Hailey - Falou Kennya surpresa ao abrir a porta.

- Oi mãe, podemos conversar novamente? - Pediu ela com o seu tom mais confiante. Seus pais sentaram no sofá e eles no outro.

- Filha queremos te pedir desculpas, não queríamos dizer aquelas coisas, nós confiamos em você, só estamos preocupados com.. - Diziam a mãe de Hailey até ser interrompida pela mesma.

- Mãe, por favor, agora eu vou falar. Olha, eu só estou aqui hoje por causa do Justin, o que vocês disseram me magoou muito, mas ele me persuadiu e então vim, estou aqui para esclarecer algumas coisas. Pra começar, já deu para perceber que não precisam ter mais receios em relação ao Justin, ele é uma das melhores pessoas que já conheci - Disse olhando para o noivo - Quanto ao meu casamento, eu sei que para vocês foi tudo meio de repente, mas acredite em mim, eu nunca tive tanta certeza na minha vida, vocês tem razão, deis de que conheçi Justin ele vem me ajudando e até realizando meus sonhos, e a pesar de isso ser um ótimo motivo, eu não quero me casar por causa disso, eu quero porque o amo, de verdade.

- Oh querida - Kennya a abraçou - Desculpe por tudo, te amamos muito.

- Está tudo bem, mãe - Hailey tinha ficado magoada, mas uma de suas maiores qualidades era a capacidade de perdoar, e isso foi uma das coisas que mais encantou Justin.

Eles conversaram e se resolverem, os pais de Hailey os convidaram para o almoço, Stephen foi para o quintal dos fundos, onde iria cuidar da churrasqueira e chamou Justin, enquanto Kennya e Hailey preparavam alguma sobremesa na cozinha.

- Meu rapaz, eu sei que magoamos nossa filha, mas só queremos o melhor para ela e acho que você entende isso. Minha filha já provou para nós que o ama, eu não quero ver ela sofrer, então me diga, por que um homem do seu porte, de família rica e que pode ter a mulher que quiser, quer se casar com a minha filha? - Perguntou Stephen com uma postura séria. Justin entendeu bem a pergunta do pai de sua noiva, ficou incrédulo com a dúvida de seu futuro sogro, mas entendeu o seu receio.

- Por que sua filha é a única mulher que eu quero. Sabe, ela me contou sobre o preconceito de vocês com pessoas afortunadas, eu não o culpo por pensar assim, mas nem todos somos como o senhor pensa. Saiba que de todas as mulheres que conheci, a sua filha foi a única que amei, ela me encantou com aquele jeito destemido e doce ao mesmo tempo, é a coisa mais preciosa que eu poderia ter, não se compara a qualquer outra mulher no mundo - Falou Justin. Stephen sorriu .

- Boa resposta. Acho que vamos nos dar bem, rapaz - Disse dando um tapinha no ombro de Justin e entrando para casa.


Notas Finais


E aí? O que estão achando?
Para quem não conhece as músicas dessa fic, fiz uma playlist para vocês:
https://www.youtube.com/playlist?list=PL6Z5H0vV8K4IdltBpgjCINNcSrFUWO_gJ
Até o próximo capítulo 😘❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...