História Juntos pelo acaso - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amor De Uma Vida, Drama, Fbi, Ficção, Lutas, Policial, Romance, Sedução, Traição
Visualizações 63
Palavras 1.781
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Acabou pessoal!
Obg por cada favoritei, por comentários e a atenção de cada um!!💙❤

Capítulo 58 - Final


Fanfic / Fanfiction Juntos pelo acaso - Capítulo 58 - Final

Eu mal dormir nos últimos dias.Eu mal como ou converso com todos a minha volta.A única coisa que fiz foi ir para casa tomar banho e voltar para o hospital.Todos os dias eu leio para Katharine, assisto TV e fico me enterrando em culpa.Meus pesadelos de anos nunca foram embora.Com o passar dos anos pioraram.

Não tem um dia que eu não me arrependa de ter deixado Katherine. Ela é a mulher da minha vida.O tempo que estive com ela os meus pesadelos não importavam, não acabavam com o meu dia, pois eu tinha ela para me fazer rir ou até mesmo para me irritar com toda a sua teimosia.Eu nunca mais vou ter a chance de faze-la feliz.Mas eu tenho a chance de vê-la feliz. Katherine vai poder retorne a sua vida normal. O tempo que tive com ela foi incrível, mas acabou e tudo que me restou foram lembraças. 

Vê-la nesse hospital me mata por dentro.Eu nunca sentir tanto medo na vida quando vi Katherine cair e quase morrer pela facada que tomou no peito.Pensei que ia perde-la.Agora entendo porque ela me odeia tanto.Entendo porque ela sofreu tanto com a minha "morte".Ninguém merece perder alguém que ama com todas as forças.

 Acompanho cada passo nesse hospital e enquanto ela não desperta. eu não vou a lugar algum.Só vou partir quando souber que ela ficou bem. Katherine pela primeira vez em anos parece tão em paz nessa cama. 

Fiquei pelo menos uma semana e meia ao lado da Katherine.Só sair do hospital para fazer o necessário.Durante os dias eu lia papeladas do trabalho, pois a C.I.A estava no meu pé.Durante a tarde trabalhava mais e De noite lia alguma poesia para Katherine e dormia segurando a sua mão. Então em uma das minhas saídas do hospital descobrir que ela despertou.Isso me deixou feliz e aliviado.Só em saber que ela estava bem era o que importava.  Passei pelo menos três dias pensando e então percebi que estava na hora de seguir em frente. Comprei a minha passagem pra Austrália, pois pretendia passar alguns meses por lá e então retomar o meu trabalho na C.I.A.Pois eles pretendiam me mandar para o Irã.

Seis meses depois

 Retomei o meu velho trabalho.Estou indo muito bem, aliás. Ligo sempre para Kurt.Bom, preciso saber como estão as coisas.principalmente sabe como Katherine estar. 

O pen drive foi entregue autoridades que tomaram providências e prenderam todos os envolvidos e com nomes na lista.O caso foi jogado para a Impresa que foi a loucura e conseguiu descobrir coisas mais a fundo.Muitos detetives quiseram entrar para se aprofundar nessa caso.O nome de Katherine foi limpo publicamente.Parece que ela não quis mais se envolver nisso.

Essa manhã eu descobrir que Katherine estar em punta cana.Ela decidiu não voltar para o F.B.I.Assim que Kurt me contou depois de um café da manhã.Meu coração bateu mais rápido e eu percebi que precisava vê-la.

Kurt ficou bravo comigo, pois não fui em seu casamento.

A minha irmã achou ruim, pois mal voltei para E.U.A e já comprei passagens para o Caribe.

O que mais me pergunto é se Katherine está bem, se tem namorado...

Narrativa  》》》》

Katherine on:

Sorrio assim que desligo o celular depois de uma longa e engraçada ligação com Lara, minha irmã.Ela estava me contando as novidades da sua lua de Mel com o Kurt.Bom, eles se casaram mês passado.Tive que voar para Nova York para celebrar esse dia tão importante na vida da Lara.

O meu sonhrinho Max também está feliz por sua mãe.Ele gosta muito que Kurt.Os dois super se dão bem. Eu fico feliz pela nova família de Lara.Ela está radiante com o casamento. 

Conversamos quase todos os dias.Ela me conta as novidades. Se passaram seis meses desde que acordei no hospital.Lara me contou sobre Vitor estar ao meu lado todos os dias que estive em coma.Assim que me recuperei procurei por ele, mas ninguém sabia ao menos onde ele estava.Ouvir alguns dizer que ele voltou para Austrália e outros me disse que ele foi mandado para Irã a trabalho.Vitor sumiu do mapa. 

Bom, a imprensa finalmente soube toda a verdade e meu nome foi limpando.Sobre eu estar morta para sociedade isso foi corrigido.Ganhei a oportunidade que comandar um dos departamentos do F.B.I.Isso realmente é uma honra, mas recusei.Parece loucura ne.

Mesmo quando acabou e parecia está tudo bem.Percebi que eu precisa recomeçar.Precisava de tempo para tudo em volta.Tempo para me curar, para superar, para me conhecer e me perdoar.Eu precisava me perdoar por tudo.Ficando em Boston, voltando para a minha vida de antes não ia mudar nada.Sempre amei meu trabalho, mas no últimos meses percebi que tudo tem seu tempo.Eu precisava desse tempo.Precisava me aceitar bem mais.Então decidir largar tudo e vim para um lugar longe da minha realidade.

Escolher uma casa na praia, e no caribe foi uma bela escolham e ficar sozinha para respirar colocar a cabeça no lugar também.Talvez eu volte um dia...

 Pego uma geleia de frutas vermelhas na geladeira duplex e coloco no balcão de mármore onde já tem duas fatias de pães cortados.Me sento ao balcão em silêncio e encho meus pães com geléia.Assim que dou a primeira mordida o meu telefone toca.Corro até minha sala branca com móveis praiano e pego o telefone sem fio na mesinha de vidro ao lado do sofá. Coloco o Telefone na orelha e volto para a cozinha. 

É Ashley.Ela me ligou para falar sobre estar em dúvida se decora o quartinho do seu filho de azul ou Verde.É, ela e o Harry vão ter um bebê.Isso tem deixado os dois tão felizes que chega é contagiante.Eu acho incrível.Ashley vai ser uma mãezona. Eu converso com ela e não dou minha opinião, pois não é válida e eu não entendo nada de bebês. Assim que desligo o telefone depois de uma longa conversa.

Limpo a cozinha e vou para a varanda me sentar.Me sento e observo o mar de longe.Observo as pessoas na praia.Elas parecem felizes.Até mesmo o casal que briga e então depois se abraçam por enquanto que a garota ri. 

Eu não me sinto sozinha.Gosto de acordar e ter uma bela Vista.Um tempo livre para pensar, até demais.Na maioria das vezes me pego pensando no Vitor.Pensando em como ele deve estar.Eu sinto falta dele.Eu o amo.Por mais que tente negar essa é a verdade.Seguir em frente sem ele não foi impossível, mas nunca é tão fácil como se imagina.Evito pensar o máximo para que isso não me deixe pra baixo. Isso me deixa triste e descolada.

Depois de almoçar fiquei assistindo TV e então decidir dar um mergulho.Passei a tarde toda no mar.Assim que anoiteceu preparei uma lagosta e camarões.Confesso que me arrepender, pois fiz porção para mais pessoas e ia acabar estragando.Aproveitei para tomar banho e lavar os meus cabelos.Vesti meu roupão e voltei para cozinha.Arrumei a minha pequena mesa na sala de jantar perto da porta dupla que me dar a vista para o mar e a saída da varanda.Antes mesmo de pensar em sentar a campainha tocou.franzi a testa ao olhar no relógio da sala que marca 20:00.geralmente nenhum vizinho vem aqui em casa essa hora.Na verdade é muito raro alguém aparecer na minha porta.Atravesso a sala e um pequeno corredor até a porta. Assim que destranco a porta e abro paraliso.

 Meus olhos encontram olhos castanhos charmosos que casam muito bem com a perfeita cor de sua pele, barba bem feita, maxilar definido assim como seu tronco largo que afinava na cintura.

 -V-Vitor...digo Owen 

Eu estou tão espantada quanto surpresa.Não sei descrever a sensação.Tudo passa por minha cabeça.Eu não sei o que fazer.Talvez eu queira abraca-lo, mas parte de mim quer fechar a porta e correr para me esconder.

 -Oi Katherine- o seu sotaque Australiano está mais vivo do que nunca. 

Fico parada feito uma múmia sem reação e então ouço o barulho do forninho apitando.Tiro os olhos do Vitor e olho para dentro da minha casa.

 -A panela no fogo e o....-Digo soltando a porta e correndo para dentro da cozinha. 

Talvez a panela seja só um pretexto para correr e poder respirar longe do Vitor.

 Mas o que ele está fazendo aqui? 

Assim que entro na cozinha desligo a panela e me apoio no balcão contando até três e respirando fundo. Quando penso em voltar para porta escuto a porta da frente se fechar e passos se aproximando. Meu coração dispara e sinto um leve falta de ar. Vitor para na porta da cozinha e me olha em silêncio. 

Eu devo me enfiar em um buraco? 

Vitor está com uma camisa social branca com as mangas arregaçadas. O que mostra suas tatuagens.

 -é sua noite de sorte.Fiz comida o suficiente para duas pessoas-Digo passando por ele com uma tigela.

É, estou fugindo.

Quando volto para pegar o resto das coisas Vitor tem um sorriso no rosto. 

-Você aprendeu a cozinhar?

Dou de ombro e evito admirar o seu sorriso.

 -eu sou chefe de cozinha lembra?-sorrio.

 Ele retribui o sorriso e então me ajuda a colocar as comidas  na mesa.

 -bom, o que faz aqui?-pergunto assim que nos sentamos a mesa. 

Ele está de frente pra mim.

 -sou agente de viagem, lembra? 

Isso me faz rir. 

-é sério, Vitor.

Nos servimos e Vitor não toca na comida por enquanto que me olha.

 -bom, precisava te entregar algo  

Eu congelo e olho sem entender nada.

-meu coração-ele abre um sorriso divertido.

Nos dois rimos.

-isso foi bem cafona.

Vitor faz uma careta.

-maldito Google.

Jogo a cabeça e gargalho.

- Você andou pesquisando no Google o que dizer.

Ele faz sim com a cabeça e então rimos.

-quem nunca digitou no Google "como se declarar" ou "como escrever um texto para a pessoa que você gosta"

-Você é ridículo.

Vitor se levanta e se aproxima.

-sou mesmo.

Estende a mão em minha direção.Olho para a sua mão por um momento e decido segurar-la.Me levanto e olho em seus olhos.Meu coração parece que vai sair pela boca.

-eu não faço ideia como fazer isso.

Aperto os lábios.

-Bom, agora é a hora que paramos de mentir sobre nossos sentimentos.

Ele analisa o meu rosto e sorri.

-agora é a hora que você me perdoa e admite que me ama-acaricia meu rosto.

-Você tem que fazer o mesmo.

-eu sempre disse que te amava-me solta e vai para a varanda-Eu amo a Katherine Belshoff.

Vitor se vira pra mim e então sorri.

-está bom assim?

-meu Deus-Rio sem graça.

Eu vou até Vitor e o abraço.

-eu senti sua falta.

Ele  tenta falar algo, mas o beijo.É um beijo suave.

-eu te amo, Vitor.

-eu te amo, Katherine Belshoff.Mesmo sendo tão teimosa.

Dou um socoquinho em seu ombro.

-Você é o orgulhoso aqui querido.

-não foi eu que neguei os meus sentimentos-provoca.

-Se você continuar vou te deixar sem jantar.

Vitor se aproxima e me joga por cima do seu ombro feito um saco de batata.

-por mim tudo bem, eu tenho você como jantar.

-idiota.

Rimos juntos por enquanto que Vitor me carrega dentro.


Notas Finais


Obg por tudo pessoal!!!!
❤💙💙💙💙💙💙💙
Façam as suas sugestões de histórias!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...