História Juntos por um erro - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Fairy Tail, Hentai, Nalu, Romance
Visualizações 235
Palavras 1.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura! <3

Capítulo 23 - À luz do luar


Fanfic / Fanfiction Juntos por um erro - Capítulo 23 - À luz do luar

 

Olhos do Natsu

 

            Enquanto trocávamos toques e beijos, eu me vi em uma situação onde nunca me encontrara antes. Na minha cabeça, pude assistir à várias outras transas que tive com outras mulheres... não demorou para que eu identificasse uma clara diferença na minha forma de agir com elas, se comparar a como eu estava sendo com a Luce. Com ela, eu não sentia vontade de machuca-la ou dominá-la... o que eu queria, de fato, era sentir o seu corpo junto ao meu... e apenas isso.

Sem enrolações, tirei o seu vestido e revelei os seus lindos e fartos seios, cujos mamilos rosados permaneciam endurecidos por conta do frio. Apertei-os com as duas mãos, assistindo àquela expressão puramente excitante que a loira me mostrava. Meu pau já implorava para que eu tirasse aquela calça e o deixasse assumir o controle... mas resolvi me excitar um pouco mais antes.

Com o meu corpo sobre o seu, distribuí beijos em sequência do seu busto até um pouco abaixo do seu umbigo. Sua pele tinha um cheiro peculiarmente bom... me senti extremamente atraído por este aspecto.

Chegando à sua calcinha, já bem molhada, comecei a lamber e dar algumas curtas mordidas na parte interior da sua coxa, com o objetivo de fazê-la desejar que eu a tocasse. Ela deixava alguns gemidos escaparem, pois não parecia se importar com o fato de estarmos em público, mesmo sendo à noite.

- Faça logo... eu não aguento mais. – pediu com a voz trêmula, tanto por causa do frio quanto pelo seu tesão. Ela fechava e abria as mãos incontáveis vezes... estava louca... eu amava vê-la assim.

Depois desse pedido sexy e apelativo, não me segurei e removi a sua calcinha, jogando-a para um canto qualquer. Estava sentado de joelhos quando me abaixei e puxei-a pelas coxas, passando a chupar aquela boceta rosada e quente. Eu a chupava como se lhe desse um beijo lento e apaixonado, podendo ver o seu corpo estremecer de prazer. Ela gemia alto, delirava... eu sentia o meu sangue ferver.

- Eu já estou... – foram as últimas palavras que a mesma pronunciou antes de gozar na minha boca.

Aderi um sorrio sacana nos meus lábios quando fitei seu rosto e fiz questão de assistir à todas as expressões, misturadas com alguns espasmos, que ela expunha.

- Já, Luce? – fingi estar decepcionado, querendo provoca-la.

- Um ponto para você. – mordeu seu lábio inferior com um sorriso travesso.

Não demorou meio segundo para ela se sentar e empurrar meu peito em direção ao chão. Fiquei surpreso com a atitude, mas não transpareci isso, apenas continuei sorrindo e mostrando satisfação perante o seu ato.

Ela me lançava maldade através dos seus grandes e intrigantes olhos enquanto abria o zíper da minha calça. Posso dizer que ela me despiu bem rápido e se mostrou impressionada com o que viu.

- Uau... – suspirou, sorrindo de forma safada e dirigindo a sua boca até o meu pau. Ela não chegou a colocá-lo na boca, apenas lambeu e deu um selinho na cabecinha antes de subir em cima de mim. – Desculpa, mas... não consigo mais me segurar.

Observei-a esfregar a ponta do meu pau na sua boceta encharcada, e aos poucos, me senti entrando naquele lugar apertadíssimo. Quanto mais profundo eu ia, mais seus gemidos se intensificavam... eram como música para os meus ouvidos.

Não demorou para que ela começasse a quicar com rapidez e voracidade. Seus seios pulavam conforme o movimento e tomei liberdade para apalpá-los enquanto ela rebolava de uma forma irresistível. Fazia tempo que eu não me sentia excitado daquela forma...

 

Olhos da Lucy

 

            Enquanto rebolava em cima do Natsu, não pude ignorar a dor que eu sentia ao ter seu pau inteiro dentro de mim, era quase a dor que uma virgem sente na sua primeira vez... e eu estava adorando isso. A forma de como eu o apertava era incrível... ele remexia com tudo dentro de mim.

A melhor parte foi quando ele me pôs de quatro e deu-me dois tapas na bunda, tão fortes que eu senti a minha pele arder. Suas mãos seguravam meus quadris com força enquanto ele enfiava seu pau mais uma vez, só que agora, com a brutalidade que apenas ele podia adicionar.

Eu gemia como nunca, não ligava para o caso de estarmos na praia... na verdade, agradecia por isso, pois seria uma memória épica por toda a minha vida.

A cada puxada de cabelo ou tapão que ele me dava, minha mente ficava em branco. Eu sentia meu interior borbulhar de tão quente, mesmo estando imensamente frio afora.

O tempo passou... eu não podia dizer se estávamos naquela troca de fluídos há uma ou duas horas, só sei que quando ele gozou (fora de mim, é claro), me senti realizada.

Por fim, ficamos abraçados sobre a madeira gelada, nos encarando por minutos... espetaculares minutos. Eu podia ver as estrelas no reflexo dos seus olhos, que por sinal possuíam um olhar intenso e ainda assim, calmo. A combinação perfeita.

- Não suma de novo. – meu tom era baixo e tranquilo.

- Não me atreveria a deixa-la. – entrelaçou os seus dedos nos meus, passando-me segurança. – A sequestraria primeiro.

- ri, cansada. – Pela segunda vez?

- A primeira foi tão boa... – respirou fundo ao lembrar. – Por que não repetir?

- hesitei, analisando os detalhes dos seus traços charmosos. – Acho que lembrarei disso para sempre... do dia em que fiz amor na praia com o meu sequestrador.

- levou seus dedos até o meu rosto, onde passou a me acariciar. – É a primeira vez que faço amor, Luce.

- esbocei um sorriso bobo, gostando do que ouvia. – Que honra a minha.

Fui levada para o seu apartamento nos seus braços naquela noite, como uma princesa toda desarrumada com o vestido amassado e cabelos embaraçados. Dormimos de conchinha, e devo admitir que foi um término de noite incrível... mas infelizmente, foi isso, um término.

 

            Na manhã seguinte, acordei primeiro que todos (coisa rara, pelo visto). Wendy ainda não tinha chegado em casa, supus que estava com o Romeo. Zeref e Natsu ainda dormiam, então pensei em adiantar um café da manhã já que poderiam acordar cheios de fome. Fiz umas das especiarias da mamãe, pensando que iria agradá-los.

Enquanto colocava a mesa, perdi a atenção ao lembrar de que Erza não respondera as minhas últimas mensagens. Pensar que eu podia tê-la magoado partiu meu coração em pedaços, e então, comecei a chegar à conclusão de que talvez ela só quisesse me ajudar, como dissera anteriormente.

Estava terminando de pôr os talheres quando a campainha tocou. Tomei a liberdade de atender quem quer que fosse, e me surpreendi um pouco ao me deparar com a figura atrás da porta.

Era uma garota mais ou menos do meu tamanho, de cabelos brancos, na altura dos ombros, e olhos da cor do céu. Era linda... e me lembrava muito a minha amiga, Mirajane. Até demais. Ela carregava uma bolsinha nos ombros, de couro.

- Bom dia! Desculpe vir tão cedo. – disse com simpatia, expondo-me seu belo sorriso.

- Tudo bem. – respondi no mesmo tom. – Procura alguém?

- Ah, sim, o Natsu está? – tentou olhar dentro da casa, procurando por algo com os olhos.

- Está sim, mas está dormindo. – lamentei. – Você é amiga dele?

- Ah, aonde estão meus modos... – deu um tapinha na própria cabeça, rindo de maneira educada. – Eu sou a namorada dele, ou ex... – riu de si mesma. – De qualquer forma, sou seu primeiro amor. E você é?

Primeiro... O quê?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Beijos, minna!! S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...