História Juramento - Capítulo 4


Escrita por: e ManuOliveira13

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Eleven (Onze), Mike Wheeler
Tags Caleb Mclaughlin, Finn Wolfhard, Gaten Matarazzo, Millie Bobby, Noah Schnapp, Sadie Sink
Visualizações 80
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Four


Miami - Florida 

06/08/2018 

 

Cambaleio ao levantar da cama rápido, gritos aterrorizados ecoavam do lado de fora. Meu coração parecia entrar em colapso, um frio avassalador estava no pé da minha barriga. O que estava acontecendo? Eu não sabia dizer, meu subconsciente gritava para que eu não saísse dali, mas meu lado rebelde se rebelava falando mais alto. 

 

Medo; foi o que sentir ao abrir aquela porta - O meu grito ecoou por todos os lugares daquele hospital, meus joelhos bateram no chão tão depressa que eu nem se quer pude sentir a dor. Enfermeiros e médicos estavam ao redor da garota sardenta de cabelos de fogo que tanto me fazia rir enquanto partilhávamos suas diversas histórias.  

 

Levei as mãos a boca abafando outro grito quando vir um enfermeiro correr com o carinho de desfibrilador para perto do corpo pálido de minha amiga. Paige cortou a blusa verde que Sadie vestia, seu busto agora estava coberto apenas pelo sutiã bege que ela usava. 

 

- 1....2...3... - Seu corpo convulsiono devido ao choque. Lagrimas grosas desciam de meus olhos sem nenhum pudor. Olhei para o monitor e seus batimentos ainda estavam muito instáveis. 

 

Eles estavam a perdendo. 

 

Não, não, não. 

 

- 1....2...3 - Fechei meus olhos com força, evitando ver novamente o corpo de minha amiga convulsionar com o choque, por alguns segundos o ambiente ficou extremamente silencioso. Temi pelo pior. 

 

- Ela está bem. - Gritou Paige. - Levem-na para a UTI e fiquem a monitorando a cada 5 minutos. - Bradou. 

 

Sentir braços me suspenderem para cima, fazendo-me ficar em pé novamente. Sem me importa com quem pudesse ser passei meus braços pelo pescoço da pessoa, e logo o aroma amadeirado de performe masculino entrou pelas minhas narinas, e então ali desmoronei, todo o choro que estava trancafiado em minha garganta foi liberto, a sensação de vazio e medo parecia sumir de pouco a pouco e o aperto no peito esvair-se. 

 

- Está tudo bem. - Aquela rouquidão na voz fez todo meu corpo entrar em alerta, os braços que circulavam minha cintura me trouxeram mais para perto de seu tronco, fazendo-me pensar que a qualquer momento iriamos nos fundir. Aos poucos meus soluços iam sessando assim como as lagrimas que esvaiam-se de meus olhos. - Ela está bem, agora. - Sua nuca continha algumas sardas, que eram cobertas pelos seus cachos incrivelmente pretos. 

 

- Ela está bem? - Reconheci a dona daquela voz sendo de Paige.  

 

- Eu acredito que sim. - A voz rouca soou fazendo-me me arrepiar. 

 

- A leva para seu quarto. - O cacheado concordou, balançando sua cabeça. 

 

Quando seus braços se desprenderam de minha cintura e desceram para minhas pernas pude sentir se erguida do chão. Ele me carregou de volta para meu quarto, com um pouco de dificuldade ele abriu a porta é então logo sentir meu corpo se depositado sobre uma superfície macia e logo deduzir ser a cama, ele me cobriu e depositou um beijo no topo da minha cabeça. 

 

- Obrigada, Finn. - Falei antes que ele saísse de meu quarto, ele me lançou um sorriso de lado e puder sentir por um instante meu coração erra a batida. 

 

- Não há de que, princesa. - É então saiu, deixando-me com um sorriso bobo nos lábios e perdida em vários pensamentos..... 

 

Miami- Florida 

07/08/2018 

 

Não dormi naquela noite, estaria mentindo se disse-se que passei grande parte da noite acordada pensando em Sadie, mas na verdade passei a noite pensando em Finn, em como o seu perfume tinha um cheiro marcante, em como seus cabelos tinha um cheiro bom e como caiam perfeitamente sobre seus ombros largos, de como seus braços tatuados me carregaram para meu quarto e de como um simples beijo no topo da cabeça fizeram meu coração erra a batida. 

 

Eu me sentia uma pessoa horrível. 

 

Eu deveria estar pensando em Sadie e em como ela está, mas estou pensando na maneira em como o braço de Finn circulara minha cintura na noite passado com força, fazendo-nos quase nos fundirmos.  

 

Caminhava em direção a UTI depois de ter praticamente implorado de joelhos a Paige que eu pudesse ver Sadie, depois de tanto implorar ela finalmente cedeu, dando-me alguns minutos para eu ver como minha amiga estava. 

 

Eu inda não havia visto Finn, e eu dava graças a deus por isso. Eu sempre fui uma pessoa muito certa de si, muito alto-confiante, mas era preciso apenas um único sorriso de lado de Finn para eu me desmontar por inteira, era algo surreal a facilidade que ele tinha para me deixar sem palavras. Mas eu não podia demostra, não podia deixa-lo ver o poder que tinha sobre mim. 

 

- Você não faz ideia de como me deixou preocupada sua vadia, mas o que foi que ouve com você? - Falei me sentando na poltrona ao lado da sua cama. Ela estava mais pálida que o normal, seus olhos estavam vermelhos, como se tivesse passado a noite chorando, ela aparentava estar mais magra do que da última vez que há vi, seus cabelos estavam amarotados em um coque. 

 

- Eu estou bem Mills, não precisava se preocupar tanto assim! 

 

- Eles usaram o desfibrilador em você Sadie! - Semicerrei os olhos. - Como é que eu não ficaria preocupada? - Ela se encolheu desconfortável sobre a cama, parecia não saber o que dizer. 

 

- Apenas....é...eu estou bem. - Não, não está! - Foi apenas mais uma crise. 

 

- Sadie.... 

 

- Millie, chega. - Mas que bicho havia a mordido? - Eu já falei que não foi nada. 

 

- Mas Sadie, eles usaram o des.... 

 

- Foda-se o desfibrilador, eu já disse que estou bem caralho. - Arregalei meus olhos quando a ruiva se exaltou, e me encolhi sobre a poltrona. - Eu quero ficar sozinha, por favor. - Ela desviou seu olhar do meu, encarando suas mãos. 

 

- Tudo bem. - Sai de lá o mais rápido que puder, mas que merda havia acontecido com ela? Foi a primeira vez que Sadie havia me tratado desse jeito. 

 

Por mais que a ruiva tenha um temperamento explosível, eu nunca havia a visto dessa maneira. Seus olhos verdes estavam tão opacos é sem vida, algo havia acontecido com Sadie, eu sentia isso. Eu a conhecida de frente e verso, ou pelo menos pensava de conhecia. Eu caminhava atordoada pelos corredores do hospital, minha cabeça doía, meu estomago estava embrulhado, podia sentir minha garganta fechar, parecia que cada passo que eu dava meu corpo ficava cada vez mais fraco, que a qualquer momento eu daria um passo em falso e acabaria com o meu corpo ao chão. 

 

Sinto meus olhos pesarem, parece que estou perdendo as forças, apoio-me em uma parede quando sinto uma de minhas pernas falha, a respiração de meus pulmões parece faltar, tento puxar o ar, mas é em-vão. Luto tentando manter os olhos abertos, mas parece uma batalha perdida. 

 

Meu corpo colide no chão de porcelana incrivelmente gelado, eu estava morrendo? Aquela era a minha hora? Muitas perguntas passavam por minha cabeça, mas todas sem resposta. 

 

- AJUDAAAA. - Tento puxar o ar, mas sem sucesso, sinto meus pulmões queimarem feito fogo. - Você ficara bem princesa! Eu prometo. - E então apago.......



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...