História Juro Solenemente - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Sweet_Honey

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alastor Moody, Alvo Dumbledore, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cedrico Diggory, Fleur Delacour, Fred Weasley, Gina Weasley, Gui Weasley, Hermione Granger, Jorge Weasley, Katie Bell, Lino Jordan, Lord Voldemort, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Percy Weasley, Remo Lupin, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape
Tags Anneliese Kingstown, Fred Weasley, Harry Potter, Weasley
Visualizações 100
Palavras 3.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aaaaai gente, outro capitulo pra vcs ♡
Estava pensando aqui e provavelmente vou postar até dois capitulos por semana, dependendo do andar da carruagem(hahah) mas não garanto nada... só sei que até dezembro acho que termino a primeira parte, ai a segunda parte começaria no ano da "Ordem da Fênix".
Sem mais demoras, boa leitura ;)

Capítulo 5 - Enfim, Hogwarts


Fanfic / Fanfiction Juro Solenemente - Capítulo 5 - Enfim, Hogwarts

Caminhei procurando por Katie entre as carruagens que eram guiadas por testrálios, cavalos fantasmagóricos que eram visiveis apenas para quem presenciou a morte, eu os via desde que cheguei a Hogwarts, achavam eu e outra garota do nosso ano loucas porque mais ninguém os via, só mesmo Fred, Jorge e Katie acreditavam em mim, os outros pararam de achar que eramos birutas só no ano passado, que Hagrid nos deu uma aula sobre eles. Eu não lembrava, mas Dumbledore explicou que vi meus pais morrerem quando tinha apenas dois anos, mas o estranho, era que Sara nunca viu eles...

Acabei que não achei Katie, alcançei Fred e Jorge e dividimos uma carruagem com Angelina Johnsson, durante o caminho até Hogwarts o humor de Fred foi melhorando, apesar da chuva que agora caia forte lá fora, descemos correndo até o salão de entrada de Hogwarts, Fred e Jorge cairam em uma poça de água e ficaram encharcados.

- Desculpem meninos - dizia Angelina, eu e ela entre risos, de ver os gêmeos molhados.

- A cara de voc...ARRE! um balão de água gelada cai sobre ela o que fez os risos cessarem, nós quatro nos desviamos de outros balões, e o que eu achava que poderia ser se confirmou quando olhei pra cima.

- PIRRAÇA! - Pirraça era o poltergeist de rosto largo e sorriso malicioso, que vivia em Hogwarts, flutuava a seis metros do chão, muito concentrado em atirar o próximo balão em alguém.

- Desça já dai Pirraça, AGORA! - berrou a Prof. McGonagall que tinha vindo ver o porque do tumulto, Pirraça não estava dando ouvidos - Desça ja dai ou vou chamar o diretor!.

- Eu não to fazendo nada! Pirraça criava tanta confusão quanto eu e os gêmeos, dei graças por estar totalmente seca e começei a rir de Fred, Jorge e Angelina que estavam completamente encharcados, e meu estado era o melhor possível.

- Vocês nao tem noç... - SPLASH, um dos balões me acerta em cheio na cabeça.

- HEY! - e outros dois grandes balões caem, me deixando tão pior quanto meus amigos. Pirraça sai correndo dando altas gargalhadas e atirando um ultimo balão em umas sextanistas de Corvinal.

Entramos no Salão Principal e avistei Katie sentada na mesa da Grifinória, molhada também, ela me viu se aproximando da mesa e abriu um sorriso.

- Pequena Liese! - ela me abraçou.

- Por favor Katie, ja pedi pra não me chamar de "Pequena Liese" - falei retribuindo o abraço - Porque, aliás, sou pelo menos dez centímetros mais alta que você.

- Ah, Annie te procurei a viajem toda até Hogwarts - ela exclamou sem dar atenção ao meu comentário.

- Ela estava com o Sr. 'bonitão' da Lufa-Lufa - Jorge falou em tom debochado, Fred revirou os olhos.

- O que? - Katie tinha um olhar de icomparavél excitação.

- O Cedrico? Cedrico Diggory?.

- Sim é...

- Ai por Merlin, e porque você não me contou?.

- To contando agora - raramente eu me sentia constrangida, mas Katie estava conseguindo isso.

- Han, vocês viram? esta faltando o professor de Defesa Contra Artes das Trevas - dei graças por Fred desviar o assunto, Katie me olhou como quem diz "vamos conversar sobre isso depois".

Olhei para a mesa dos professores, e na verdade tinham três lugares vagos, um deles com certeza era da Prof. McGonagall que ainda estava controlando a bagunça que Pirraça tinha feito, o outro lugar muito provavelmente era de Hagrid que, assim como todos os anos, ainda devia estar atravessando o lago com os alunos de primeiro ano, e o terceiro, como Fred tinha dito, o do professor de D.C.A.T.

- Será que conseguiram achar um professor? - Katie perguntou.

- Ouvi boatos que é alguém do ministério - Lino Jordan se aproximava da mesa sentando ao lado de Angelina.

- Um auror mais especificamente - completou.

Depois disso não ouvi mais nada, ainda olhando na mesa dos professores vi o Prof. Snape, que ao invés de estar carrancudo e lançando pragas mentais em mim(como fazia desde meu segundo ano em Hogwarts), estava com os longos dedos das mãos entrelaçados a frente da boca, tinha os olhos focados no chão e parecia preocupado. Subitamente ele olha diretamente pra mim, mas como não é qualquer um que me intimida, fico o observando com os olhos semi-cerrados.

- O que esta fazendo Liese? - Katie perguntou.

- Ah, é o Snape, deve estar lançando as pragas mentais anuais dele contra nós - Fred falou, também olhando para o professor. Nesse momento a porta do salão se abre, e a Prof. McGonagall entra com os alunos de primeiro ano, todos tão molhados quanto nós, mas em especial o que vinha por ultimo na fila, estava acompanhado de Hagrid e vestia o casaco dele de pele de toupeira, extremamente grande para o garotinho que só aparecia o rosto no meio da roupa.

- Cai no lago! - falou ele apontando para alguem a nossa mesa, estava decididamente encantado com o ocorrido.

A Prof. McGonagall agora colocava um banquinho de três pernas diante da mesa dos professores e um chapéu velho, sujo e remendado em cima dele, os primeiranistas olhavam curiosos.

A Prof. McGonagall ergueu no ar um longo pergaminho.

- Quando eu chamar o seu nome, ponha o chapéu e sente-se no banquinho - explicou a professora para os primeiranistas - e quando ele anunciar a sua casa, vá se sentar a mesa correspondente.

- Ackerley, Stuart!

Um menino se adiantou, tremendo visivelmente da cabeça aos pés, apanhou o chapéu, colocou-o e se sentou no banquinho. - Corvinal! - anunciou o chapéu.

Stuart Ackerley tirou o chapéu e correu para uma cadeira à mesa de Corvinal, na qual todos o aplaudiam.

- Baddock, Malcolm! - Sonserina!.

A mesa do outro lado do salão rompeu em vivas. Vi Malfoy aplaudindo quando Malcolm se juntou aos alunos da Sonserina, fiquei pensando se o garoto sabia que a casa de Sonserina formara um número maior de bruxos das trevas do que qualquer outra. Fred e Jorge vaiaram o garoto quando ele se sentou.

- Branstone, Eleanora! - Lufa-Lufa! Vi de relance, Cedrico, aplaudindo Eleanora quando a garota se sentou. Ele parou por um segundo e acenou para mim, retribui o gesto com um sorriso.

- Creevey, Dênis! - Grifinória!

Agora era nossa mesa que aplaudia quando o garoto miúdo desceu do banquinho tropeçando no casaco e se sentou a nossa mesa, Fred e Jorge até batiam os pés no chão de animação.

- Creevey? Não é o nome daquele garoto maluco que fica no pé do Harry? - perguntei aos gêmeos quando os aplausos pararam

- Sim, deve ser um irmão dele ou coisa do tipo - Jorge disse.

Conforme a seleção foi passando, garotos e garotas indo para suas casas, terminou quando Whitby, Kevin foi para a mesa da Lufa-Lufa.

Enquanto a Prof. McGonagall retirava o chapéu e o banquinho, pude ouvir a voz de Rony, de algum lugar da nossa mesa dizer que "Já não era sem tempo, comeria até um hipogrifo!". Nesse momento o Prof. Dumbledore se levantara, um sorriso no rosto e os braços abertos em sinal de boas vindas.

- Só tenho duas coisas a dizer - começou ele com sua voz grave - Bom apetite!. Subitamente os pratos e jarras de ouro se encheram de comida e suco de abobora. Só quando me servi de pudim de carne e batatas e começei a comer, percebi a fome que estava, os doces que comi com Cedrico no Expresso nao tinham sido suficientes.

Fred, Jorge, Lino, Angelina, Katie e eu, conversavamos animadamente sobre as férias, contei que passei a última semana na Toca e que tinha ido a Copa Mundial de Quadribol, o que me fez lembrar de mandar uma carta de agradecimento a Sra. Weasley mais tarde, Katie parecia horrorizada por conta do tumulto que tinha tido lá, aparentemente ela não sabia de nada sobre o que aconteceu comigo, só disse que não pode ir a Copa porque estava passando as férias em algum lugar do Brasil.

- Começamos amanhã - Fred sussurrou ao meu lado se referindo a Gemialidades Weasley - mas e o dinheiro que sumiu? - perguntei também num sussurro, Katie não podia saber, não por enquanto, ela desaprovava completamente o nosso espírito de travessura.

- O dinheiro que ele nos deu era dinheiro de Leprachaun, ele desapareçe depois de um tempo - Explicou Jorge do outro lado - Quando fomos contar ao Lino, ele soube na hora o que era - Fred completou.

- Sabe, eu estive pensando em fazermos apostas nos jogos de Quadribol - falei me servindo de mais um pouco de batatas - As pessoas adoram apostas, não é mesmo Jordan? - falei um pouco mais alto agora, para Lino que prestava atenção em nossa conversa, sorrindo. com a boca cheia de comida.

- Gente! Vocês viram que vamos ter ocasiões para usar roupa de gala esse ano? - Angelina falou animada. - Comprei meu vestido no começo das férias.

- Mamãe comprou nossos ternos essa semana - Fred falou enquanto eu tinha a colher cheia de pudim de morango parada frente a boca - São um pouco grandes, mas talvez conseguiremos arrumar - Completou Jorge.

- Roupa de gala? - larguei a colher intacta com o pudim nela - Não tinha roupa de gala na minha lista.

- Annie você nunca olha a lista de materiais - Katie disse como se fosse obvio, mas realmente, eu nunca me dava o trabalho de olhar.

- Mamãe comprou a roupa de todos no mesmo dia - Fred falou - No domingo ela foi levar as roupas no quarto de cada um.

Agora eu lembrava de um pacote fechado que deixei em baixo da cama no quarto de Gina.

- Deixei no quarto de Gina - falei com o olhar perdido - Vou pedir pra sua mãe mandar pelo correio - disse olhando para Fred e Jorge.

Depois de toda a comida ter sumido e os pratos e copos vazios e limpos, o Prof. Dumbledore se levantou o que fez todas as conversas paralelas cessarem e só se ouvir a chuva caindo la fora.

Como todos anos, ele começou a dar os avisos anuais.

"O Sr. Filch, o zelador, me pediu para avisá-los de que a lista dos objetos proibidos no interior do castelo este ano cresceu. A lista inteira tem uns quatrocentos e trinta e sete itens no total, creio eu, e pode ser examinada na sala do Sr. Filch, se alguém quiser lê-la."

- Como sempre, eu gostaria de lembrar a todos que a floresta que faz parte da nossa propriedade é proibida a todos os alunos, e o povoado de Hogsmeade, àqueles que ainda não chegaram à terceira série.

E infelizmente, tenho o desgosto de dizer que esse ano, não será realizada a Copa de Quadribol entre as casas.

Fred e Jorge chingavam baixo, Angelina e Katie tinham um olhar de surpresa, Lino tinha os olhos arregalados e eu fiquei muito chateada porque não teria a chance de entrar no time de Quadribol. - Devido a um evento que começara em outubro e vai se seguir por todo o ano, o que irá exigir muita energia da parte dos professores, mas tenho a certeza de que todos vão apreciar muito, tenho o grande prazer de anunciar que esse ano em Hogwarts...

Mas antes que ele terminasse, se ouviu uma trovoada e um relâmpago cortou o teto encantado de Hogwarts, as portas do salão se abriram e um homem muito estranho entrou por elas, ele usava uma capa de viajem e tinha o rosto cheio de cicatrizes, um olho preto, miúdo e penetrante e o outro era azul-elétrico que se movia para todas as direções, uma perna metálica que fazia um ruido que ecoava pelo salão quieto, ele chegou perto de Dumbledore, os dois conversaram baixo e o homem se sentou em um dos assentos que ainda estava vago, tirou uma faca do bolso e começou a comer umas salsichas que estavam em um prato.

- Gostaria de apresentar o novo professor de D.C.A.T - disse Dumbledore animado em meio ao silêncio - Prof. Moody.

Era comum os alunos e os professores receberem um novo membro do corpo docente com palmas, mas todos pareciam espantados demais com a aparência grotesca de Moody, apenas Dumbledore e Hagrid bateram palmas, mas logo pararam, Moody nem se importou com a fria recepção.

- Como eu estava dizendo - Dumbledore recomeçou, sorrindo para todos que ainda olhavam hipnotizados para Moody - Tenho o grande prazer de anunciar que esse ano em Hogwarts acontecerá um evento que não é realizado a um século, o Torneio Tribruxo.

- O senhor só pode estar brincando! - Fred exclamou alto, a tensão que se mantinha desde a chegada de Moody se desfez e quase todos riram.

- Não estou brincando Sr. Weasley - Dumbledore deu uma risadinha de prazer - Talvez muitos de vocês não saibam o que é o Torneio, e aos que sabem me perdoem por ter que dar uma breve explicação, de modo que a concentração de vocês possa vagar livremente.

Bom, eu já sabia o que era o Torneio Tribruxo, Marie, uma fantasma que habitava em Hogwarts, me contou em meu terceiro ano em Hogwarts, "O Torneio Tribruxo foi criado a uns setecentos anos, uma competição entre as três maiores escolas europeias de bruxaria, Hogwarts, Beauxbatons e Durmstrang. Um campeão de cada escola foi eleito para representar sua escola, eles competiam em três tarefas mágicas. E a cada cinco anos, se revezavam para sediar o Torneio, era uma ótima maneira de estabelecer laços entre os jovens bruxos e bruxas de diferentes nacionalidades".

Sai dos meus pensamentos quando Dumbledore disse algo sobre as outras duas escolas que participariam do Torneio Tribruxo, Durmstrang e Beauxbatons, que chegariam em outubro, e que um "juiz imparcial" escolheria o campeão de cada escola no dia trinta e um do mesmo mês, no dia das bruxas.

Vi que Fred e Jorge olhavam muito irritados para Dumbledore.

- E agora, devem estar muito bem descansados para amanhã, então hora de dormir.

Todos começaram a se levantar e ir para seus respectivos dormitórios, vi Cedrico de relance que acenou e pareceu dizer algo como "até amanhã", nesse momento senti um par de braços em cada ombro meu, me fazendo andar mais rápido.

- Porque essas caras? - perguntei me virando para eles.

- Você não ouviu o que Dumbledore disse? - Jorge perguntou irritado.

- Menores de 17 anos não vão poder se inscrever no Torneio.

- Por causa da taxa de mortalidade dos outros anos - completou Fred

- Mas isso é ridículo! - agora quem estava brava era eu - Isso já faz séculos.

- Sim, nós sabemos - Jorge disse.

- E se tomarmos uma poção de envelhecimento? o juiz, de que Dumbledore falou não notaria - disse animada.

- Mas Dumbledore sabe que vocês são de menores - ponderou Katie.

- É, mas não é ele que decide quem é o campeão, é? - perguntou Fred, encorajado - Estou certo que ele vai escolher o melhor de cada escola, sem se importar com a idade do campeão.

- Concordo com ele - falei apontando para Fred, Katie apenas nos olhou como quem diz "isso não vai dar certo".

Nós quatro chegamos a Torre da Grifinória, que ficava escondida atrás de uma grande pintura a óleo de uma mulher gorda. - Senha? - perguntou ela quando nos aproximamos - Asnice - disse Katie -, um monitor me informou lá embaixo. O retrato girou para a frente, mostrando um buraco na parede, pelo qual todos passaram.

Um fogo crepitante aquecia a sala comunal circular, mobiliada com fofas poltronas e mesas, aquele aconchego que eu não sentia desde que entramos de férias me fez sorrir para a lareira, Katie e eu nos despedimos de Fred e Jorge e rumamos ao dormitório das meninas.

As camas de colunas com cortinas vermelho-escuras estavam encostadas ás paredes, cada uma com um malão do dono aos seus pés. Angelina já estava deitada e Katie contemplava a outra cama intacta que pertencera a Alicia Spinnet.

- Ela disse que vai me escrever sempre que puder. - Katie falou tristonha se virando para a própria cama, obviamente não se conformara ainda com a mudança de escola da amiga e ex-companheira nos jogos de Quadribol.

- Tudo bem Katie, lembre que você ainda tem a Annie aqui - falei vestindo meu pijama e me enfiando em baixo das cobertas, Katie riu e fez a mesma coisa.

- Então que tal me contar agora sobre o Cedrico? - ela sussurrou.

- Boa noite meninas - Angelina falou bocejando e fechando o cortinado de sua cama.

- Boa noite - Katie e eu respondemos em unissono.

Então começei a contar todo o trajeto até Hogwarts, desde que Cedrico entrou na minha cabine até o momento em que fui ao banheiro trocar de roupa.

- Anneliese você não percebe? - Katie falou num sussurro alto demais - Ele esta interessado em você! - Claro que não - respondi o mais calmamente possivel - Ele só queria convers...

- Annie, que garoto fica te procurando e depois passa o dia com você com a intenção só de "conversar?".

- Fred e Jorge, no primeiro ano.

- Por favor Liese, não use como base dois garotos que tinham onze anos de idade - ela enfatizou o "onze" - que, só puxaram conversa com você, porque estourou bombinhas trouxa em uma cabine de monitores da Sonserina e ninguém descobriu quem fez aquilo.

Abafei uma risada, me lembrando da cara de terror que ficaram.

- Aquilo foi fantástico. - disse em tom sonhador idealizando a cena a minha frente.

Katie fez sinal negativo com a cabeça, mas com um leve sorriso. Depois disso decidimos dormir, fechei o cortinado da minha cama e cerrei os olhos, esperando o amanhã chegar...

"Eu tinha oito anos de idade, a diretora Agnes segurava uma das minhas mãos e a outra segurava a de Sara enquanto andavamos pelo beco diagonal, indo ao Gringotes sacar alguns galeões para comprar os livros do primeiro ano de Sara, antes de morrer, nossos pais tinham deixado uma certa quantia em galeões pra nós, o suficiente para vivermos no mundo bruxo (um pouco apertado) até que conseguissemos alguma fonte de renda.

Muitos bruxos e bruxas andavam pra lá e pra cá com seus filhos, entramos em uma loja que vendia penas, tinteiros e pergaminhos personalizados de todos os estilos. Seria um dia normal e provavelmente teria ficado perdido na memória de Anneliese, se não fosse o fato daquele bruxo alto e olhar frio, com uma longa capa preta de viajem, ter ficado observando demoradamente a garotinha".

Acordei quando já era de manhã, a claridade entrando pela janela, o cortinado da minha cama aberto e Katie sentada na cama dela colocando os sapatos.

- Bom dia dorminhoca - ela disse se levantando e tirando as cobertas de cima de mim - Primeiro dia de aula.


Notas Finais


Gente espero muito que tenham gostado pq eu gosto muito de escrever e procuro fazer meu melhor. Ah! e obrigada ao novo pessoal que favoritou a fic ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...