História Just A Case - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom! Jungkook, Bottom! Taehyung, Bts, Flex, Flex Taekook, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mistério, Namjoon, Policial, Seokjin, Suga, Suspense, Taehyung, Top! Jungkook, Top! Taehyung, Yoongi
Visualizações 104
Palavras 1.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI GENTE

Me desculpem mesmo pela demora, não é minha intenção demorar para atualizar a fanfic. Como eu disse, essa parte da história é mais delicada e precisa de mais cuidado.

Leiam as notas finais, por favor!

Boa leituraa.

Capítulo 24 - Chapter Twenty Four


Fanfic / Fanfiction Just A Case - Capítulo 24 - Chapter Twenty Four

Minutos se passaram entre carinhos em meu cabelo e silêncio. Era como se finalmente a ficha tivesse caído: tudo aquilo era real. A confiança, o sentimento de paixão, toda a situação. Respirei fundo, finalmente tomando coragem para levantar o rosto e encarar Taehyung. Tudo nele sorriu ao ver meu rosto e se aproximou para deixar um selar carinhoso em minha testa.

-Você está bem? -perguntou baixo, fazendo que sua voz ficasse mais grossa.

-Estou e você?

-Não poderia estar melhor. -ouvi seu suspiro fraco- Você me fez sentir vivo, Kook.

-Isso é bom, certo?

-É ótimo. -soltou uma risada fraca- Durma um pouco, Kook, estarei aqui quando acordar.

-Tem certeza? -Taehyung assentiu- Tudo bem.

Deitei novamente minha cabeça em seu peito e, ainda abraçado de maneira confortável, me permiti fechar os olhos. Seus cheiro, o contato com sua pele e o carinho que o mesmo fazia em meus cabelos contribuíram para que eu caísse no sono aos poucos, perdendo a consciência em segundos. Mas ainda assim consegui ouvir as palavras que foram proferidas de seus lábios antes de dormir completamente.

-Estou apaixonado por você.

(•••)

Voltei para casa de manhã logo cedo, pois Namjoon veio trazer umas coisas para o Tae e aproveitou para me dar uma carona. O caminho todo foi bem silencioso e achei até melhor desse jeito, pois precisava do silêncio da minha mente para pensar nos últimos acontecimentos. Taehyung e eu transamos. Caramba, isso soava impossível para mim. Em que momento desde que comecei com essa coisa eu conseguiria imaginar esse acontecimento? Nunca. Mas eu também não imaginava que poderia me apaixonar por ele. Parecia que tudo estava fora de ordem, mas ao mesmo tempo tudo parecia se encaixar.

Ao estacionar, me despedi de Namjoon e entrei em casa. Nunca me arrependi tanto de abrir uma porta em minha vida. Meu appa estava sentado no sofá vestindo seu terno preto perfeitamente arrumado, seus cabelos grisalhos alinhados para trás, o olhar sério como sempre. Nossos olhares se encontraram e soltei um suspiro, dando alguns passos hesitantes até a sala. Omma estava na cozinha e adentrou o cômodo com uma bandeja em mãos. Ao colocar na mesa, o mais velho pegou a xícara que estava em cima e levou até os lábios calmamente, ainda me observando.

-Onde você estava? -perguntou ao colocar a xícara na mesinha sem desviar o olhar, parecia estar me analisando.

-Resolvi dar uma volta. Ser preso pelas mãos do meu próprio pai foi bastante confuso para mim, mas está tudo bem, não é? -disse de modo irônico, me arrependendo no mesmo instante que vi o olhar da minha mãe em minha direção.

-Fiz o que a achei ser necessário, sempre faço as coisas dessa maneira e você sabe disso.

-Necessário me prender, isso é interessante. Apenas me pergunto o que fiz de errado.

Um longo suspiro escapou de sua boca fazendo que imediatamente eu ficasse na defensiva. Começaria tudo novamente, as brigas. Verdades sendo ditas como punição das nossas escolhas. Odiava isso, odiava com todas as forças. Só pedia mentalmente que tudo acabasse de vez para o bem de todos.

-Não irei discutir com você, não há nada a ser discutido. -o mais velho parou por um momento, levantando do sofá e vindo em minha direção- Na verdade, tenho apenas uma pergunta.

-Acabe logo com isso. -pedi impaciente.

-Uma garota fez essas marcas no seu pescoço?

Engoli em seco, ainda sem cortar o contato visual com meu appa. Nesse momento minha omma já estava em pé ao lado do mais velho, como se fosse impedir qualquer reação dele em relação a mim. Suspirei, cansado. O homem já me odiava, então o daria um motivo real para isso. Não conseguia mais esconder o verdadeiro eu e a coragem fazia meu coração bater forte contra meu peito.

-Não, não foi uma garota. -respondi baixo, mas o suficiente para qualquer pessoa na sala pudesse ouvir.

Passos foram ouvidos na escada e Seokjin apareceu arrumando seus cabelos loiros. Passou o olhar por nós três com a confusão estampada em seu rosto. Nosso appa pareceu não se importar com sua presença já que não moveu um centímetro ao proferir as próximas palavras a mim.

-O que você disse?

-Exatamente o que você ouviu. Não foi uma garota, foi um homem. -minha voz saiu raivosa apesar da grande vontade de chorar- Um homem pelo qual eu estou apaixonado.

O de cabelos grisalhos apenas gargalhou alto, diferente que imaginei todas as noites como seria me assumir para a família. Seokjin apenas ficou parado encarando a reação do mais velho, assim como nossa omma. Afinal, o que estava acontecendo?

-Doyoung, o que está fazendo? -a voz da mulher saiu baixa enquanto me encarava.

-Pensei ter ouvido que meu filho, o que passei a vida criando e educando para ser um homem bem sucedido na vida, dizer que está apaixonado por um homem. -appa disse enquanto soltava risadas curtas, negando com a cabeça- As coisas estão muito irreais hoje, estou começando a achar que ainda estou dormindo e isso é um pesadelo.

-Pesadelo é o que pessoas como eu vivem por causa de pessoas como você. -praticamente cuspi as palavras em sua cara- Eu sou gay.

Sua expressão mudou totalmente. Ele, antes que gargalhava, ficou extremamente sério e isso fez que um arrepio estranho percorrer todo meu corpo. Medo. Esse era o nome do sentimento que estava presente em mim naquele momento. Minha omma também pareceu perceber a mudança e logo colocou seu corpo na frente do mais velho.

-Doyoung, espere...

-Não! -ele gritou, empurrando minha omma com força, a fazendo cair no sofá- Cale a maldita boca antes que eu quebre sua cara, seu pirralho!

-Não vou me calar agora, nem nunca. Eu cansei de ser um boneco seu, cansei dessa humilhação que você me faz passar a cada dia desde que eu nasci. Eu odeio tudo o que você faz, simplesmente odeio você! -praticamente gritei todas as palavras, sentindo um alívio enorme no peito- E não estou pedindo sua permissão para estar apaixonado por um homem. Eu só quero que vocês entendam que ele me faz sentir bem como nenhuma pessoa fez antes, que ele me faz sentir como é ser amado de verdade.

-Jungkook... -omma tentou intervir novamente, mas apenas neguei com a cabeça.

-Não, omma. Me recuso a passar mais um dia ao lado desse homem que passei a vida toda chamando de appa. Não me importo com o que você pensa sobre eu ser gay ou não, só quero ser feliz.

-Se quer tanto ser feliz, então não se considere mais meu filho. Saia dessa casa antes que eu faça algo pior com você.

Não dei chance para que nenhum deles fizessem algo, simplesmente corri para meu quarto, empurrando Seokjin com força quando passei na escada. Tranquei a porta com rapidez, pegando meus fones e colocando a playlist para tocar o mais alto possível. Meu coração ainda batia com rapidez em meu peito, meu estômago revirava e a vontade de vomitar apenas aumentava. Não acreditava que finalmente havia dito a metade do que gostaria para aquele homem que já não era mais meu pai. Doía relembrar de todas suas palavras e as lágrimas já começavam a correr por meu rosto. Sabia quem poderia me ajudar naquele momento, então procurei seu nome entre os contatos e escrevi uma mensagem.

Eu: Hyung, preciso da sua ajuda

Jimin: Agora você lembrou que tem um amigo, que impressionante

Jimin: Aconteceu alguma coisa?

Eu: Contei para meus pais que sou gay

Jimin: Meu Deus, Jungkook

Jimin: Vou te buscar, chego em cinco minutos

Apenas bloqueei o celular, o deixando de lado para entrar no banheiro. Tirei minhas roupas enquanto ouvia gritos vindo do andar de baixo, mas não compreendia nada do que diziam. Eu também não me importava, não mais. Deixei que as lágrimas corressem por meu rosto enquanto torcia para que a água levasse embora toda minha dor.

(•••)

Jimin me encarava com admiração e surpresa, quase com lágrimas dos olhos, mas não sabia o exato motivo disso. Continuei tomando o milkshake com calma, esperando qualquer reação sua com o que tinha acabado de contar. Lembrava de todos os dias em que ele me pedia para ter coragem e contar para meus pais quem eu realmente era, porque estaria ao meu lado com qualquer reação dos meus pais.

-Eu estou muito orgulhoso, Kook.

O loiro levantou da cadeira, sentando ao meu lado enquanto me abraçava com força mesmo que de lado. Me senti seguro novamente e, principalmente, amado. Jimin era o único que me apoiava em qualquer decisão e me sentia feliz em realmente perceber isso.

-Obrigado, Jiminie, de verdade. Obrigado por estar ao meu lado nesse momento.

-Você sabe que sempre estive aqui por você e não é agora que vou te abandonar. Se quiser ficar uns dias na minha casa, tudo bem também. Minha omma te ama mesmo, não vai ter problema.

-Obrigado, hyung, mas tenho uma casa para ficar. Lembra do acordo com a minha avó, certo? -o mais velho assentiu brevemente- Acho que vou ficar por lá mesmo, é o melhor.

-Se você acha que é o melhor, vou te apoiar nisso. Posso até te buscar antes da aula, se quiser.

Apenas concordei, agradecendo mais uma vez sua paciência e cuidado comigo. Jimin era simplesmente uma das pessoas mais incríveis que já conheci. Sua paciência e compreensão sempre foi uma das maiores qualidades, eu o admirava bastante. Claro, eu tinha muito medo de perdê-lo e fazia todo o esforço do mundo para ajudá-lo, mas acho que a nossa amizade vai muito além disso.

Depois dele ter me contado as últimas notícias da escola e tudo o que os professores haviam passado, me despedi do loiro e sai da lanchonete. A céu não estava tão escuro e as ruas estavam iluminadas por postes com luzes claras. Arrumei o casaco preto em meu corpo, sentindo uma brisa fria bater em meu rosto. Quando chegasse em casa, pegaria minhas coisas e finalmente me encontraria com Taehyung. 

Taehyung.

Um nome tão lindo que trazia lembranças maravilhosas, porém me fazia pensar em um futuro completamente incerto. Tinha medo do que pode acontecer, todas as suas palavras e a ideia dele preso fazia todo meu corpo tremer. Não iria deixar acontecer, nunca.

Ao virar a esquina em uma rua mais vazia, decidi apressar os passos. Não gostava das histórias que contavam sobre aquele lugar e nunca andei sozinho por essa área. Abaixei a cabeça ao ver duas mulheres caminhando juntas, passando por mim com pressa e sumindo em seguida. Suspirei aliviado, seguindo meu caminho. Porém todo meu corpo congelou ao ouvir uma voz desconhecida e grossa vir atrás de mim.

-Você vai pagar caro, seu viadinho.



Notas Finais


Desculpem qualquer erro, não revisei o capítulo.

Não estou muitoo satisfeita com o resultado, mas espero que entendam a importância e perigo do Jungkook ter contado para os pais sobre a sexualidade.

Jimin apareceu, finalmente! Prometo trazer ele mais vezes, assim como o Hoseok e Yoongi.

Obrigada pelos comentários. Fiquei bem mais tranquila com os comentários no capítulo anterior, vocês são uns anjos mesmo <3 Obrigada também pelos favoritos, me deixa muito feliz saber que estão gostando da fanfic.

Bom, prometo voltar em breve. Farei o meu melhor. Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...