História Just a peck - ChanBaek - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Chanbaek, Drama, Exo, Pdpe
Visualizações 419
Palavras 4.567
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá~ *nervosa*
Eu escrevi esse plot q foi doado no projeto de doação de plot do grupo EXO fanfics <3
É minha primeira vez escrevendo algo do EXO (e one shot) e me sinto um pouco nervosa pq essa categoria é cheia de ficzona né bicho?
É uma one shot bem leve e fofinha, espero que gostem ( Perdoem qualquer erro de formatação, meu editor de texto e sprit n se dão muito bem, sacomé né)
Boa leitura <3
PS: Obrigada pela capa liiinda Loh <3 <3 <3
PS2: Obrigada por betar pra mim @Daritos-Unnie sua linda

Capítulo 1 - Capítulo único - Give me a peck



O sol batia nas cortinas azuis do quarto do pequeno Baekhyun. Acordara mais tarde naquele dia e com um bom humor indescritível. Era agradável não ser desperto pelo som irritante do alarme ou pelos carinhos de sua mãe, que embora fossem bons, não eram ideais quando precisava ir para a escola logo em seguida.
 Aquele dia seria diferente, o clima quente denunciava o início das férias de verão. Levantou em um pulo, olhando pela janela e confirmando que o tempo estava ótimo para brincar lá fora. 
 Correu para o banheiro pedindo ajuda da mãe para se limpar e depois escovou os dentes, querendo que toda aquela rotina matinal acabasse logo. Engoliu os cereais do café da manhã como se fosse um aspirador, deixando alguns pingos de leite caírem pela mesa devido a sua pressa. Quando finalmente acabou tudo, pegou brinquedos no baú de seu quarto e foi até a casa vizinha às pressas.
Bateu à porta freneticamente esperando que assim fosse atendido mas rápido. Esperou por poucos instantes até ela ser aberta por um garotinho esguio e magro, com cabelos castanhos bagunçados e olhos inchados de sono. 
 - Baek? O que faz aqui essa hora? - Coçava os olhos. 
 - Bom dia! - beijou o amigo e começou a pular eletrizado. - Chanyeol! Chanyeol! É verão! Estamos de férias oficialmente! Vamos brincar aqui fora, o dia está lindo! 
 - Ei Baek se acalme! É cedo ainda... - bocejou. - Deixa eu me trocar e escovar os dentes primeiro. Quer entrar para esperar? 
 Acenou timidamente com a cabeça e entrou quieto na casa do amigo, vendo a mãe dele na cozinha. 
 - Oh! Baek! Como você está? - a mulher o cumprimentou e então iniciaram uma conversa seguida de biscoitos de chocolate feitos por ela enquanto esperava o outro garoto ficar pronto.
 Não demorou muito para Chanyeol descer um pouco mais arrumado, com roupas que poderiam ser sujadas sem preocupações. Baekhyun terminou rapidamente de comer os biscoitos e se direcionou apressado a ele. 
 O dia seguiu com as crianças no quintal de Baekhyun se divertindo com as mais diversas brincadeiras possíveis. As vezes invadindo a parte de dentro da casa e fazendo pequenas pausas para o almoço e lanche, tirando isso, nada mais os tirava do " pequeno mundo fantástico de Chanyeol e Baekhyun"  até o sol se por. 
 Era sempre um drama para que Baek deixasse que o amigo mais alto voltasse para sua casa, ele não queria de jeito algum deixá-lo ir, porém foi convencido após muita insistência de sua mãe. 
 - Você vai vir aqui amanhã não vai Chan? - perguntava manhoso. 
 - É claro que sim Baek! 
 - Você promete? 
 - Eu prometo! 
 - Todos os dias?
 - Todos os dias! 
 Com a promessa do amigo, Baek deixou que ele partisse para sua própria casa mas não sem antes lhe dar um selinho de despedida. Sim, um selinho, apenas um inocente selinho em seus lábios. Eram duas crianças de 6 anos que estavam acostumadas com aquele tipo de contato, como alguns abraçam, outros fazem um hi five e eles, eles davam um selinho. Não havia malicia ou sentimento algum naquilo, eram amigos se despedindo como qualquer outro, as mães das crianças achavam aquilo simplesmente adorável. Baek gostava muito do Chanyeol e Chanyeol gostava muito do Baek, eram amigos inseparáveis que provavelmente cresceriam com muito carinho um pelo outro. 
 Dito e feito, conforme os anos passavam os amigos continuavam tão inseparáveis quanto quando tinham 6 anos, talvez crescessem e perdessem toda aquela inocência, mas jamais perderam a amizade tão forte que tinham construído com o passar dos anos. Chanyeol tinha apenas 14 anos mas já era tão alto quanto um jovem de dezesseis, porém sua voz falha entregava facilmente o fato de estar entrando na puberdade, seus cabelos castanhos estavam ondulados e seu rosto tomava uma forma mais masculina porém ainda tinha feições infantis. Baekhyun não mudou tanto em questões de aparência, claro que estava mais alto do que quando tinha 6 anos, mas continuava com seu rosto delicado e extremamente bonito e pálido, sua beleza era invejável até mesmo para garotas. 
  Ambos continuavam sendo vizinhos e Baekhyun continuava a perturbar o amigo todos os dias para depois da aula irem até sua casa jogarem algo juntos, Chanyeol não reclamava, nunca enjoava da presença do amigo. Com o passar dos anos ambos haviam aumentado seu círculo de amizades, com pessoas da escola e de outros lugares que frequentavam, mas sempre que podiam gostavam de desfrutar somente da presença um do outro como nos velhos tempos. Senhora Park e Byun nunca reclamavam, tratavam os garotos como irmãos, a mãe de Baek até brincava que eles provavelmente devem ter nascido grudados em uma vida passada. Algo que também não mudava entre eles eram seus beijos de cumprimento ou despedida. Chanyeol não se importava com os selinhos de Baekhyun quando estavam a sós, mas começou a perceber que quando isso acontecia na frente de outras pessoas, elas faziam caras torcidas e começavam a cochichar. Ele nunca entendeu o motivo, era apenas um cumprimento entre amigos, mas prometeu para si mesmo que não se importaria de ter aquela atenção negativa voltada para ambos.
 Em algum momento e aos poucos, aquela inocência foi se quebrando. As mães dos garotos já não pareciam mais aprovar tal ação como antes. Desde que eles completaram 12 anos, deixou de ser bonitinho para elas e para as pessoas ,que antes até mesmo tiravam foto daquele ato de carinho entre duas crianças gorduchinhas. Para eles, nada havia mudado, não até aquele momento.
Naquele final de semana, o sol estava mais reluzente que nos outros dias do mês. Os garotos estavam no quarto de Baekhyun procurando algo para fazer enquanto reclamavam do calor. Quando receberam o convite de jogar bola com seus novos vizinhos, aceitaram sem exitar. 
 Como eram 6, os times se dividiram em 3 para cada lado. Chanyeol era um bom jogador, fez a maioria dos gols e seu time saiu vencedor, os garotos passaram o resto da tarde comemorando a vitória. Após o céu escurecer, Baek teve que entrar, mas antes disso não deixou de se despedir do amigo com um beijo que fora retribuído de forma rápida. Baek entrou em casa e Chanyeol olhou para os novos vizinhos que contorciam as expressões em certo desgosto. 
 - Vocês são gays? Que nojo! Se eu soubesse nós não teríamos convidado vocês para jogar bola! 
 - Minha mãe disse que eu não deveria andar com gays! 
 - Mas nós não somos gays, somos amigos. - Chanyeol protestou acanhado. 
 - Amigos não se beijam! 
 - E por que não? 
 - Porque você só pode beijar uma garota! - O mais baixinho dos vizinhos disse em tom óbvio. 
 - Venham! Vamos entrar, não vamos brincar com essas menininhas! - O mais velho entre eles puxou as outras crianças para dentro de casa, deixando o mais alto sozinho na rua, sem ao menos se despedir. 
  Chanyeol entrou em casa cabisbaixo e se direcionou ao seu quarto, mas foi parado pela mãe que o chamava na sala. 
 - Chanyeol! Você se divertiu com os novos vizinhos? - Perguntava animada mas fechou o sorriso que pairava em seu rosto assim que recebeu um sinal negativo do filho tristonho. - O que aconteceu? - parou preocupada em sua frente. 
 - Eles me chamaram de viado só porque o Baek me beijou. - respondeu prendendo o choro na garganta. - eu não sou gay por isso né mãe?
 Surpresa com aquela situação, não sabia o que dizer. Não era como se ela fosse a pessoa mais preconceituosa do mundo, mas morria de medo que um dia esse tipo de coisa atingisse seu precioso filho. Não queria saber de boatos maldosos sobre ele na boca dos outros, se preocupava com que aqueles beijos se tornassem mais sentimentais do que deveriam ser. Guardava esses pensamentos e preocupações para si e convencia-se de que seu filho ainda era uma criança inocente, o que era exatamente o que estava vendo naquele momento, seu garotinho continuava tão inocente quanto há 8 anos. Seu peito se aliviou um pouco, mas ainda doía saber que  ele teria ouvido algo tão ruim de garotos de sua idade. 
 - É claro que não é meu filho, não ligue para o que dizem, são crianças bobas, não sabem o que falam. - Alisou carinhosamente o cabelo do filho que já quase passava sua altura.
 - A senhora acha que eu sou gay?
 - Eu? - não sabia o que dizer, seria mentira se dissesse que não achava mas também não poderia falar pelo filho, ele teria que descobrir sozinho se era ou não. - Eu não sei Chany, você acha que você é gay? 
 - É claro que não sou! - Falou um tanto nervoso. - Eu gosto de mulheres! 
 - Se você tem certeza disso, então é tudo o que importa! - Sorriu gentilmente. 
  Chanyeol subiu para o quarto e começou a pensar em tudo que lhe fora dito e o que acabara de afirmar com tanta convicção. 
 "É claro que não sou! Será mesmo que não sou?” 
  “Deixa de ser idiota Chanyeol! Você sabe que não é!”  
 “Meninos namoram meninas! BaekHyun é seu  melhor amigo! Idiota!” 

 Com a cabeça latejando e ainda triste pela impressão que passara aos novos vizinhos, tristonho foi tomar um banho quente e dormir para afastar aqueles pensamentos da cabeça. 
 Era segunda-feira, os garotos foram para a escola, juntos como faziam todos os dias, mas Chanyeol não parecia o mesmo. Agia de forma estranha e um tanto distante do seu melhor amigo, que esbanjava a sua alegria diária. Baekhyun vivia tanto preso naquela áurea alegre que não percebeu o conflito interno que o menino ao seu lado passava. 
 O mais alto estava disperso daquela realidade, embora se esforçasse para acreditar veemente no que havia dito para sua mãe, ele mesmo duvidava de sua própria verdade. Consequentemente, começara a se incomodar com os cumprimentos do amigo. Pela manhã, quando Baekhyun foi beijá-lo, Chanyeol se distanciou e tentou mudar de assunto. Obviamente Baek estranhou aquele comportamento, mas resolveu não perguntar nada. 
 Não queria mais ter aquele tipo de contato com o amigo, se sentia desconfortável e pensava no que os outros deveriam tanto cochichar quando ambos passavam perto deles. Cogitou até mesmo se afastar de Baek, mas sabia que não era possivel, afinal eram como irmãos de sangue, tão unidos quanto aliás. 
  A manhã se seguiu como todas as outras, mas Chanyeol parecia mais atento aos olhares ao seu redor e aquela sensação ruim continuava a tomar conta dele. Como o amigo podia ser tão inocente de não perceber aquilo? 
  No caminho de volta para casa ele seguiu menos tenso mas aquele assunto ainda martelava em sua cabeça. Suas tentativas de se focar nas conversas aleatórias do amigo sobre as novas séries que ele estava assistindo eram falhas, seus pensamentos sempre voltavam para as ofensas dos vizinhos e à conversa que tivera com a mãe no dia anterior. Foi tirado de seu transe quando o menor o chamara.
 - Chanyeol! Alô? Terra chamando Chanyeol! - acenava na frente do rosto do mais alto. 
 - O que foi?
 - Eu estava te falando para chamarmos nossos vizinhos para brincar! Eles são legais! Vamos vamos! - Baek correu em direção à casa vizinha mas Chanyeol o puxou de volta, causando uma expressão confusa no amigo. - O que foi? 
 - Acho que não deveríamos chamá-los! 
 - Por que?
 - Porque...porque eu não gostei deles! É isso! 
 - Por que você não gostou deles? - Baekhyun cruzou os braços e ergueu a sobrancelha esperando a resposta.
 - Porque não! Vamos para a minha casa! Podemos jogar algo só nós dois! 
 - Aish Chanyeol! Você é muito chato sabia? Não gosta de ninguém que não seja eu! 
 - Convencido! Vamos jogar meu novo jogo de tabuleiros lá em casa Baek! Vamos! Vamos! - puxava o amigo em uma tentativa quase desesperada de tirá-lo de perto daquela casa. 
 - Tudo bem - virou os olhos se deixando levar pela força que Chanyeol fazia para puxá-lo. 
  Conseguiu afastar Baekhyun daquela casa durante alguns dias mas era inevitável que uma hora ou outra eles todos se reencontrassem e isso aconteceu em um período mais curto do que Chanyeol planejava. O baixinho se dirigiu até as casas deles algum tempo depois. As mães dos garotos deram diferentes desculpas para que as crianças não jogassem com os dois, e o pobre e inocente Baek caiu naquela conversa fiada. 
  Chanyeol decidiu que seria melhor se o amigo seguisse sem saber do que realmente aconteceu, sabia que o amigo provavelmente teria uma reação tão desconfortável quanto a que ele mesmo teve, não queria que a amizade deles mudassem por causa do preconceito e maldade daqueles ao seu redor. Embora agora estivesse receoso de beijar o amigo em público, era por um bom motivo, ou talvez porque estava extremamente confuso sobre tudo. 
 Sua inocência naquele ato havia se quebrado de tal maneira que até o entristecia, começou a ver aqueles selinhos de 3 segundos com outros olhos e percebeu outras coisas que nunca parara para reparar, como: Baekhyun tinha lábios muito bonitos e macios, seu hálito era bom e seu rosto ficava muito mais bonito quando estavam próximos. 
 “Por que está pensando esse tipo de coisa do seu melhor amigo Chanyeol? Se recomponha!” 
 Os dias se passavam e Baekhyun parecia se acostumar com o comportamento estranho de Chanyeol sem questionar. Havia se perguntado várias vezes o por quê de tudo aquilo mas quando conversou sobre isso com a própria mãe, a resposta que recebera lhe deixou ainda mais intrigado e confuso.
 - Talvez ele só esteja crescendo Baekkie, sabe que nessa época da vida garotos só pensam em outras garotas. 
 Não, não pensavam, pelo menos BaekHyun não se incluía nessa lista de garotos que se interessavam por garotas. Nunca olhou para elas dessa forma, talvez não tivesse achado a garota certa, era o que ele pensava. Não se importava, se tivesse seu amigo Chanyeol consigo estava feliz.
 Mas talvez sua mãe não estivesse completamente errada, talvez fosse verdade. Baekhyun já havia notado como as pessoas ao redor os olhavam quando se cumprimentavam e também ouvia seus comentários. 
 “Eu acho que eles são gays!”
 “Acho que aquele garoto baixinho gosta do grandão.”
“Mas eles não namoram?”

  Nunca se importou com esses comentários, mas também nunca perguntou para o amigo se aquilo o incomodava. Começou a desconfiar que sim, que o incomodava. Por que não lhe disse diretamente que estava se sentindo desconfortável então? Será que ele realmente estava a fim de uma garota? Por que pensar naquilo causava calafrios no Baekhyun? Pensar que perderia seu amigo para uma garota qualquer era trágico demais para o pequeno garoto, não queria nem supor aquilo. Uma hora ou outra aconteceria, e aconteceu alguns anos depois. 
 Baekhyun havia parado de se despedir do amigo com selinhos já faziam dois anos. Chanyeol estranhou aquela atitude e se sentiu um tanto triste sem saber o motivo exato da tristeza, era como se tivesse perdido algo que fizesse deles tão próximos desde sempre. No começou foi um incômodo de ambas as partes, mas com o tempo eles fingiam que não importava tanto assim. 
 Os comentários e olhares estranhos para eles haviam cessado na vizinhança e ambiente escolar, a amizade deles não havia mudado tanto, mas deixou de ser apenas os dois contra o mundo. Fizeram novos amigos no colegial e andavam sempre em grupo com eles. Suho era o mais velho dali e se encontrava no último ano escolar junto com Lay, um chinês intercambista que morava na casa de Sehun, o mais novo do grupo. 
  Sempre tinham boas histórias para contar após suas saídas, estas que acabavam com alguém inconsciente ou quase. As vezes eles saiam para lugares que condiziam mais com a faixa etária do grupo, mas a verdade é que ninguém se interessa por histórias de adolescentes sóbrios. 
 Chanyeol estava de olho em uma garota a algum tempo, o nome dela era...Andy? Landy? Candy? Wendy? Provavelmente Wendy, mas isso não interessava nem um pouco para Baekhyun. Tudo o que ele podia se lembrar daquela garota era a maneira com a qual ela olhava para o mais alto, os sorrisos que eram recíprocos do casal e a troca de cochichos ao pé do ouvido, mas nada disso equiparava a dor que ele sentia de ver eles sentados no mesmo sofá segurando as mãos e trocando selares frequentemente.
 Desde que o amigo de Baekhyun, que agora estava com o cabelo tingido de vermelho, começou a sair com a menina, o mau humor do mais baixo era palpável. 
- Cara o que ta rolando contigo? Você está tão de mau humor ultimamente que eu consigo ver sua cabeça pegando fogo. - Suho brincou e passou uma latinha pro amigo. - Aqui! Toma! Relaxa um pouco a cabeça! - Sem esperar uma resposta ele se juntou ao Lay para brincar com a cara de Chanyeol, deixando Wendy sem jeito enquanto usava o casaco do ruivo de esconderijo para seu rosto envergonhado.
 Os amigos estavam em sofás velhos sentados ao redor de uma fogueira improvisada no meio. Invadiram um depósito abandonado somente para ficar bebendo e comendo ao redor daquele fogo, acima deles não havia mais teto no lugar, o que fazia ser possível ver o céu noturno. Aos olhos do Byun, aquela seria uma bela noite, se não fosse pela garota. 
 Chanyeol não notou o olhar do amigo o fuzilando o tempo todo, ou talvez tenha visto e só decidiu ignorar, Não entendia o porquê daquilo afinal das contas, eram apenas melhores amigos e nada além disso. Certo?
  Baek foi tirado de seus pensamentos assassinos quando Sehun sugeriu que brincassem de verdade ou desafio.
 - Eu não sei Sehun, isso vai dar merda. - Baek  estava repreensivo.
 - Eu topo! - Chanyeol levantou animado. 
 - Eu também! -Lay se sentou ao lado de Baek o envolvendo em um abraço agressivo. - Vamos lá Baek! Vai ser divertido!
 -Para de ser chato Baek! Você precisa relaxar! Vamos brincar! - Suho bagunçou o cabelo do mais novo se sentando no chão em seguida.
 Com uma decisão quase unânime, Baek desistiu de insistir e apenas entrou na brincadeira. Sempre torcendo para que aquela maldita garrafa não caísse nunca nele.
 - Ahá! - Lay ficou feliz ao ver que a garrafa apontava para ele e Sehun. - Verdade ou desafio?
 - Verdade! - Sehun respondeu na mesma empolgação. 
- É verdade que você pegou a Mika na formatura dela? 
 - Mika? Aquela nerdona do primeiro? - Suho perguntou fazendo careta. - Que horror Sehun! 
 - Eu estava a três meses sem beijar uma boca! - Todos caíram na risada incluindo o maknae do grupo. 
  A brincadeira se seguiu um tanto normal, até demais para a surpresa do baixinho, se não fosse por aquela maldita pergunta. O coração do Baek e o do Chan pularam uma batida, se entreolharem com desespero no olhar.
 -Eu ouvi alguns rumores a algum tempo atrás, gostaria de ouvir sua versão Chanyeol. É verdade que você e o Baekkie se beijavam quando eram mais novos? - Suho perguntou fazendo todos olharem tensos para os amigos, Wendy olhava desesperada para o ruivo esperando ouvir um "não" brincalhão para quebrar todo aquele clima. 
 -Mentira, eu e o Baek somos só amigos. - respondeu seco. 
 - Ah vai dizer que você nunca beijaria o Baek! Ele é tão bonitinho! - Lay falou em tom brincalhão apertando as bochechas do mais baixo, fazendo seu rosto queimar em uma mistura de raiva e vergonha, mais raiva do que vergonha na verdade. 
 - Oh! é por isso que o Baek estava bravo? Porque ele gosta de você e não quer te ver com a Wendy? - Sehun falou aquilo como se tivesse resolvido um enigma.
  Chanyeol e Baekhyun trocaram olhares por alguns segundos que duraram uma eternidade. Estavam tensos, mas o mais alto parecia tratar aquilo com indiferença e incredulidade. Tratando a hipótese de seu amigo de infância gostar dele como algo absurdo.
 "É claro que não! Baek não é gay e eu também não!" 
 - Faz sentido! - O transe dos dois foi quebrado com a resposta de Suho ao mais novo. 
 - EU JÁ DISSE QUE NÃO! BAEK E EU NÃO SOMOS GAYS! Eu nunca beijaria ele na minha vida! - Tentou abaixar o tom da voz mas surpreendeu a todos com a agressividade que aquelas palavras foram ditas. Mas o que machucou Baekhyun não fora somente o tom de voz do amigo. - Desculpe, eu não quis ser...
 - Eu não estou mais no clima, me perdoem, boa noite galera. - Baek levantou do sofá contendo as lágrimas que teimavam em surgirem em seus olhos. 
 - Ei Baek! Não precisa se ofender, foi só uma brincadeira. - Suho tento impedir, mas o rapaz já estava longe e insistia em ignorar o que lhe diziam. 
 Naquela noite ao chegar em casa, Baekhyun chorou muito. Chorou por perceber que estava apaixonado pelo amigo, chorou principalmente porque percebeu que não tinha chance alguma de ser correspondido. Estava sem chão e seu peito doía como se tivesse sido esmagado, nunca se sentiu assim por alguma coisa ou por ninguém. Provavelmente era aquilo que todos chamavam de amor, se aquilo era amor, ele não queria amar nunca mais.
 Seu coração parecia que ia implodir de tão apertado que estava. Odiava sentir aquilo, odiava que seu amor não fosse correspondido. Nunca mais queria olhar para Chanyeol novamente, não queria vê-lo em sua frente, doeria demais continuar agindo como o melhor amigo dele sem poder toca-lo.
  Após se desidratar de tanto chorar, ouviu alguém bater à porta de seu quarto. 
 - Baek? Baekkie abre a porta, sou eu. - Encostado na porta, o mais alto falava no tom mais gentil possível. 
 - Saia da minha casa! Eu não quero mais te ver Park Chanyeol! - gritou sentindo as lágrimas voltarem aos seus olhos. 
 - Baekkie, eu sinto muito, eu não queria falar aquilo.- Talvez o garoto quisesse continuar suas desculpas, mas fora impedido por Baekyun que abriu a porta em um ataque nervoso.
 - É claro que queria! Era o que você queria a muito tempo Chanyeol! Você tem agido estranho já faz anos! Mas eu resolvi ignorar e parar de te beijar pra você se sentir mais confortável, porque eu não queria que nossa amizade acabasse por causa daquilo! Sentia nojo não é? Beijar um homem é nojento pra você Park Chayeol? Pelo que você disse hoje parece que sim. Volte para a Wendy, já deixou bem claro que nunca beijaria outro homem na sua vida, e se veio aqui por nossa amizade, não se preocupe, ela já acabou de qualquer forma. 
 - Baekkie eu nunca senti nojo de você, sempre vi nossos selinhos como algo inocente mas…
 -Mas?
 - As pessoas falavam que eramos namorados, xingaram nós dois de coisas horríveis...
- Você acha que eu não sei Chanyeol? Deixa eu te contar uma coisa, eles continuam me chamando assim, por todos os lados! Mas eu nunca liguei e pensei que você não ligasse também, era sempre eu e você contra tudo e todos. Mas em algum momento você virou um babaca que não se importa nem um pouco em como seu amigo está se sentindo, só pra impressionar uma garota que vai te largar em duas semanas! MAS QUANDO ELA TERMINAR COM VOCÊ ADIVINHA QUEM É O TROUXA QUE VAI TE CONSOLAR E JOGAR OS PRÓPRIOS SENTIMENTOS NO LIXO SÓ PRA NÃO ACABAR COM NOSSA AMIZADE? ISSO MESMO, ESSE IDIOTA AQUI!.
 “Céus,como Baek é dramático” 
 Mesmo com o drama, Chanyeol entendia muito bem o que o amigo falava e cada palavra lhe doía o peito. Como pode ter sido tão idiota de não perceber aquilo? 
 Fechou a porta atrás de si, trancando os dois no quarto. Apoiou as costas na mesma e percebeu Baek muito próximo dele, fazendo com que a respiração dos dois ficassem descontroladas. 
 - Você gosta de mim Baekkie? - perguntou apreensivo, pensando no que poderia fazer naquele momento. Aquela proximidade estava perigosa. 
 - Vai embora Chanyeol. - Disse falhando a voz, mostrando seu nervosismo. 
 - Por favor Baek… Só me responda.
 - Eu gosto de você a mais tempo do que eu mesmo saiba. - sentiu as bochechas corarem, mas ainda estava irritado com a situação e evitou encarar o amigo. 
 - Me desculpe, me desculpe por machucar seus sentimentos. Baek, eu…Eu não queria fazer isso, não tinha ideia que voc…
 - Já acabou? Por favor Chanyeol, se não tem mais nada a dizer, vá embora. - Continha as lágrimas novamente, com a voz cada vez mais trêmula, Não aguentaria segurar as lágrimas de novo. 
  Chanyeol não sabia o que falar pro menor que se encontrava tão desolado, nunca pensou que se encontraria naquela situação algum dia, que aqueles selinhos poderiam causar tantos sentimentos confusos nos dois. Não sabia o que fazer e sentia sua cabeça doer ao pensar em como havia ferido o outro.
 O abraçou como fazia sempre que o mesmo chorava. O envolveu em seus braços quentes fazendo com que as lágrimas se tornassem mais controladas. Encarou os olhos inchados de Baek e ficaram assim por um tempo, observava as expressões infantis que tanto gostava no rosto do mais baixo.
 “Ele é tão bonito.”
 Pensava isso sempre que via aquele belo e delicado rosto. Negava a si mesmo até a morte, mas agora não era hora de se esconder. Deixaria as consequências de seu ato para depois.
 Ao encostar os lábios nos de Baekhyun, percebeu que a sensação agora não era a mesma de anos atrás. Seu coração não batia tão acelerado das outras vezes, seu rosto não corava e seu corpo não esquentava. O nervosismo que sentia também era algo novo, assim como tudo aquilo parecia novidade. 
 Nunca tiveram selares tão longos quanto aquele, cheio de sentimentos que se mantinham puros, não tão inocentes, porém ainda era algo puro. O amor transmitido por um simples selo era a melhor coisa do mundo, nunca beijou Wendy ou outras garotas de forma tão calma e apaixonada como naquele momento beijava seu melhor amigo. 
 Não demoraram muito para transformar aquele selar em um beijo de língua, que se iniciou por parte do mais baixo, sendo correspondido em seguida por Chanyeol. Acariciava o rosto do Baekhyun aproveitando o momento ao máximo, sem parar pra se importa com a confusão em que sua cabeça se encontrava. 
 Quando cessaram o ósculo, Baehyun olhava fixamente o seu guarda-roupa, era muito difícil encarar o amigo de novo. Chanyeol por outro lado não conseguia parar de encarar as feições acanhadas do rapaz a sua frente, era adorável vê-lo daquela forma. A única certeza no momento para ele era que, se possível, gostaria de ver mais vezes.
 - Channie? Baekkie? - O silêncio que pairava fora substituído pela doce voz Sra. Byun, junto a batidas na porta. - Vocês já se acertaram? 
  Baekhyun corou fortemente ao término da pergunta e Chanyeol abriu um sorriso de orelha a orelha, mantendo o olhar fixo nas bochechas vermelhas do outro. - Acho que sim senhora Byun. 
 - Que ótimo! Por que não descem para jantar? 
- Nós já vamos! - Chan respondeu desencostando da porta. Ainda risonho se aproximou do amigo que dava pequenos passos para trás tentando se recompor. - Acho melhor descermos. - aproximou novamente os lábios dos dois em um breve selar.- Depois temos muitos assuntos a resolver. 
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Se quiserem, vamos conversar sobre o que acharam aqui nos comentários (se n quiser tbm okay TT TT) ! <3 Até a próxima fic!!!!

Dsclp qualquer erro de formatação tbm TT TT


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...