1. Spirit Fanfics >
  2. Just be Friends (reescrita) >
  3. Confortable Afternoon

História Just be Friends (reescrita) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Confortable Afternoon


 POV (S/N) ON  

Depois de ter pego minhas coisas me dirigi para a casa de Andy novamente. Assim que ele me atendeu na porta fomos juntos até o quarto, larguei minhas coisas em qualquer canto e me joguei na cama já que eu era intima da casa. Ficamos conversando sobre bobagens e aleatoriedades, porém...  

O celular de Andy faz barulho, notificação de mensagem, ele bate o olho e sua expressão muda drasticamente de feliz e risonho para preocupado e angustiado. Mas só podia ser a princesa.  

-Merda – diz desbloqueando a tela  

-O que foi Andrew?  

-Te deixo adivinhar – disse sério enquanto dedilhava rápido na tela, respondendo suposta mensagem da suposta “esposa” em questão.  

-Anda Andrew, o que ela disse? - eu disse tão nervosa quanto ele... Que não me respondeu nada com os olhos vidrados, não insisti, peguei meu celular, a briga não era minha.  

Uns minutos passaram, eu estava explorando os caminhos intermináveis do instagram. Andy largou o celular e colocou as mãos no rosto, olhei impaciente.  

- Tá me olhando né? - perguntou com as mãos no mesmo lugar.  

- Sim, o que foi?  

- Ela queria conversar – riu debochado, tirou as mãos do rosto e me olhou – falei que não era hora pra isso, ela já surtou falando que queria vir buscar as coisas. Deve ter bebido de novo certeza – disse irritado  

- Ela deveria estar morta na cama com uma dor de cabeça insuportável isso sim, pelo o que você contou ontem...  

- Juliet não sabe a hora de parar, eu tentava ajudar mas as vezes acabava como bem... Ontem, ela tem um problema sério com a merda do álcool. Inferno. Pior que amo essa doente mas não sei mais o que fazer – disse frustrado  

Ok. Essa do “amo” me machucou um pouco não vou mentir... Digo, que não creio que meu amigo está sofrendo por uma pessoa que já causou tanto mal pra ele, por isso.  

- Andy... Você tá de cabeça quente, ela provavelmente bêbada, não da pra resolver isso agora e nem por mensagem e muito menos sem um segurança por perto... Retardada – murmurei acidentalmente o xingamento que Andy não pareceu se importar – Insistir nisso agora só vai... Machucar mais.  

- É estranho passar esse tempo longe dela...   

- Andrew, me poupa – ri da carência dele – seguinte, eu sei que você tem umas relíquias aqui na sua casa – fui andando até um raque onde Andy guardava filmes em dvd, abri e – olha. Brilha no escuro! Não achei que fosse seu tipo – ri ao achar umas três camisinhas jogadas por ali  

- Era essa, de melão ou cola. Qual você iria preferir? - ele disse sério  

- Cola deve ser interessante, nunca provei – eu disse rindo enquanto procurava o filme que eu queria – aqui! Batman o Cavaleiro das Trevas! Saudades Ledger, ah... E deixa isso na gaveta do lado da cama, muito trabalho pra levantar e pegar – joguei as camisinhas na cama e fui colocar o filme  

- Dare conseguiu abrir a gaveta de alguma forma e mastigou  na ultima vez... Por isso ficam ai – disse lamentavelmente  

Eu ri da cara dele e anunciei que iria colocar meu pijama para maior conforto, catei minhas tralhas e fui para o banheiro, após colocar, entreabri a porta colocando só minha cabeça para fora  

- Tá pronto? - digo animada  

- Pra que? - ele me olha com duvida   

- TA DÁ! - grito abrindo a porta com meu incrível pijama do Batman, Andy sorri imediatamente e ri  

- Você está linda, ficou ótimo em você, mas não vou ficar pra trás – ele se levantou e foi até o armário, procurou um pouco e tirou de lá um samba canção do Batman - AHÁ  

Eu ri e ele não perdeu tempo para colocar, tipo, literalmente, foi tirando a camiseta e a calça do jeito mais apressado o possível, ao mesmo tempo que eu ria da cena ficava admirando as tatuagens em seu corpo magro, porra, eu poderia xingar Andy de qualquer coisa menos de feio ou grotesco, ele era realmente bonito, alto, olhos bem claros que contrastavam perfeitamente com seu cabelo negro, pele bem branca coberta de tatuagens, e eu me perdia muito em caras assim. Bom. Desde cedo ele namorou sério, talvez por isso não demos em nada nem viramos nada além de amigos, apenas amigos, mas não seria má...  

- (S/N), (S/N)? Caramba eu estava empolgado pra te mostrar a roupinha mas se você ficar olhando o nada assim fica difícil - diz estalando os dedos na minha frente  

- Ops, foi mal, estava com muita coisa na cabeça, esquece- roupinha... Roupinha que incrivelmente mostra muita pele... Bem, balancei a cabeça pra espantar aquela besteira toda – você tá ótimo! - ri entusiasmada – anda, vamos assistir logo – me mantive sorridente, ele sorriu de volta  

POV (S/N)OFF  

POV ANDY ON  

Eu e (s/n) estávamos combinando enquanto assistíamos o filme, as horas passaram e mesmo sabendo o enredo todo prestei atenção.  

Lá pro fim do filme (s/n) deita com a cabeça em meu ombro, ela tinha adormecido, sorri ao ver a cena pela milésima vez provavelmente. Fiquei brincando com seu cabelo. Conheço essa menina quase melhor que a mim mesmo, dormir na casa dela era bem comum quando éramos mais novos, e ela sempre capotava antes, vou dar um desconto pra ela, acordei a coitada muito cedo. Era cômico pensar que meu maior amor no começo da adolescência virou minha melhor amiga, porque foi um clichê bem idiota na época, envolvendo beijos na chuva e bailes o qual não fomos rei e rainha mas bebemos até cair na calçada, era uma época boa... Mais tranquila.  

Num pulo, como se estivesse com susto (s/n) acorda, olhando pra mim.  

- Nossa... Por quanto tempo dormi?   

- Chuto uns quarenta minutos  

- Desculpa, eu meio que já decorei as falas do filme todo – riu fracamente e coçou os olhos  

- Eu também, mas vou deixar passar já que te tirei cedo da cama – eu disse e baguncei o cabelo dela  

- Desgraçado - ela disse passando a mão pelo cabelo, eu lancei um beijo no ar pra ela e ri  

- Me ama né - sorri largamente  

- Ah sim sim...  Ah, eu trouxe uma coisa – ela se levantou e foi até a mochila. Voltou de lá com... Não pode ser  

- Gloomy Bear? - eu ri estrondosamente – nem fodendo que você guardou esse tempo todo – peguei a pelúcia da mão dela  

- E como não guardaria? Você ficou meses procurando pra mim, e quando comprou e deu reclamou do preço por mais alguns meses – ela riu  

- É, eu ficaria chateado se você jogasse fora, cinquenta dólares por um urso, naquela época eu estava duro – eu disse apertando o bicho  

Algo que não mencionei é que o maldito deste urso de cinquenta pratas foi um presente que dei a ela na época que ficávamos, eu era burro de paixão e gastei grande parte da minha mesada nisso ai, mas valeu a pena naquele tempo.  

- Pois é, mas eu dormi com ele por muito tempo então valeu o preço – ela pegou a pelúcia da minha mão e sorriu – saudades de quando a gente era mais novo... Era mais... Fácil... - o sorriso murchou um pouco  

- Era, mas eu não voltaria nem fodendo “emo esquisita” - ela riu pelo apelido que deram pra ela nos tempos de colégio  

- Nem eu “menino da banda de merda” - eu ri também  

 - Idiotas- falamos juntos  

Ela abraçou o urso e deitou-se  

- E agora?  

- Outro filme? Tem uns de terror perdidos por ali, dá uma olhada – eu disse  

- Dê uma olhada você, eu que levantei da última vez – deu de ombros  

- Ué, eu já vi todos, escolhe algum que você não viu  

- Mas quem sugeriu ver filme foi você, vai procurar  

- Ai vai lá vai, tá confortável demais pra sair – eu empurrei ela de leve  

- Sem filme então - ela me deu um olhar debochado virou de costas pra mim.  

Ah não. Ela não fez isso 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...