História Just be my man - Gucilia - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Carinha de Anjo
Personagens Cecilia Santos de Larios "Irmã Cecília", Cristóvão Valdez, Dulce María Larios Valle, Emílio Almeida, Estefanía Larios de Gamboa "Tía Pelucas", Franciely da Silva, Gustavo Lários, Nicole Escobar Clivan, Silvana Soares
Visualizações 198
Palavras 712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Capítulo 012


Pov.Cecilia

É lindo vocês duas - disse Gustavo me assustando.

Que susto - digo sorrindo.

Desculpa - disse enquanto saiamos da sala.

Você não cozinha? - disse Gustavo franzindo o cenho.

Sim, mais eu venho só amanhã preparar o café deixei a janta e o almoço prontos hoje de manhã queria poder fazer fresco para as meninas mais.... não posso agora com meu curso - disse suspirando.

Queria te apresentar as meninas mais já devem ter ido, que comer algo? Eu preparo mais não se acostuma - digo vendo o mesmo sorrir.

Quero - disse o mesmo me prendendo na parede me beijando fazendo com que minhas mãos automaticamente vá para seu pescoço.

Porque isso ? - disse ofegante. 

Pra não perder o costume- disse o mesmo me soltando.

Você é tão estranho uma hora, me tratrando como filha outra como uma... - disse puxando a gola da sua camisa.

Diaba ? - disse o mesmo me encarando com um sorriso no rosto.

Não gosto que me chame assim - disse negando o beijando novamente.

Podemos esquecer a comida oque acha ? - disse o mesmo beijando meu pescoço me arrepiando, muitas pessoas diziam pra mim que o Gustavo era totalmente diferente do que se vem aparentando que gosta de um tipo bem diferente de sexo e quero muito conhecer esse mundo.

Eu quero que me mostre oque pode fazer Larios estou duvidando do seu taco - disse negando com um sorriso no rosto.

Quem sabe um dia Diaba - disse  piscando pra mim caminhando em direção ao depósito, acho que ele achou mesmo que era a cozinha.

Você que ofereceu, um jantar - disse Gustavo se fazendo de desentendido.

Jantar ? É de madrugada Gustavo - disse gargalhando.

Vamos no meu apartamento, fasso um café caprichado pra você trabalhar - disse piscando para Gustavo.

...

Como assim apartamento - disse Gustavo enquanto entrávamos no carro.

Você acha que eu iria morar pra sempre na residência lários ? - disse sorrindo por conta da pergunta.

Claro que pensei, sua mãe mora lá afinal- disse Gustavo ligando o carro.

E pequeno só enquanto eu não compro um lugar maior, pretendo adotar Lorena quando tudo legalizar e preciso de uma casa né - disse o encarando.

Falando nisso sabe no que eu pensei ? Comprar uma casa grande com piscina, sua mãe morando lá mais não como governanta e sim como sua mãe, a Fátima, Estefânia, e Dulce... - disse Gustavo parando o carro no trânsito.

Gustavo... - disse o olhando me encarar.

Oque ? - disse Gustavo gargalhando.

Não podemos ser isso pra sempre você sabe disso né ? - disse o encarando.

Você não imagina um futuro nisso ? - disse Gustavo enquanto apontava para nos ainda dirigindo. 

Não é que eu não imagine um futuro com você, é que parece que nada disso é feito pra passar do que vivemos agora, mais eu adoraria namorar com você, morar com você, casar com você, ter filhos com você na verdade eu sonho com isso desde meus 15 anos e não preciso repetir pra você - disse suspirando desviando o olhar pra janela.

E porque você acha que isso não é possível ? - disse Gustavo me encarando.

O caminhão Gustavo - gritei ao ver que Gustavo ultrapassou o sinal e o caminhão acerto em cheio o lado onde Gustavo estava.

...

Acordei ouvindo sirenes, minha visão estava embaçada e estava sentindo uma dor aguniante na barriga olhei pra baixo identificando o cinto e logo o retirei depois de muita dificuldade, olhei para o lado e lá estava Gustavo ele estava com um arranhado na testa mais nada grave estava desacordado, seu braço estava preso a uma das ferragens do carro e foi aí que meu desespero aumentou, gritei por socorro mais ninguém respondeu continuava a ouvir as malditas sirenes e nada, olhei para fora e percebi que o caminhão era inflamável e se o socorro demorasse mais iríamos morrer ali. NÃO EU NÃO VOU MORRER AQUI VAMOS TER NOSSA CASA QUEM MANDA NO FUTURO SOMOS NÓS, falei a mim mesma em busca de força para tirar Gustavo daquele carro, tirei o cinto de Gustavo e comecei a forçar as ferragens para que saíssem de cima do corpo de Gustavo, e por incrível que pareça estava saindo aos poucos mais estava. Depois de muito esforço consegui tirar e logo avistei o resgate se aproximando e logo senti uma dor forte na cabeça e desmaiei.

...





Notas Finais


Quero muitos comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...