1. Spirit Fanfics >
  2. Just Between Us >
  3. Two Friends

História Just Between Us - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, Hey, Hey... meu amores.
Como estão vocês?

Bem-vindos a mais um capitulo, rsrs
Bom, só tenho a dizer que, eu me emocionei ao escrever o capitulo de hoje... e espero que vocês também, se emocionem.

Curtam!💖🙈 e desculpem os erros.

Capítulo 11 - Two Friends


Fanfic / Fanfiction Just Between Us - Capítulo 11 - Two Friends

                 Narrador p.o.v

Wang acorda um pouco melancólico naquela manhã de sábado. Ele estava morrendo de fome, por mais que tivesse comido (mesmo que pouco), na noite passada. Krystian se senta na cama e  um sorriso bobo veio ao rosto do ômega, ao lembrar de sua mãe, Jun, e de como ela sempre o acordava geralmente cantando algo em chinês, fazendo o seu pequeno ômega se sentir tão especial.

Jun sempre foi uma ótima mãe. Krystian lembra-se de quando ela contava o quão dificil foi deixa-lo na China, com menos de 1 ano de vida, para poder trabalhar no Japão. A ômega logo depois que se estabilizou no país, agora com marido e filha (Hina), mandou que seus pais levassem Krystian para o Japão para que morasse junto com sua nova familia.

De início, Krystian achou que não seria bem recebido por Akira (seu novo padrasto), por não ser filho do japonês. Contudo, Akira foi como pai que ele nunca teve, já que não tinha recordações de seu pai biológio, Li Wang. Akira tratava Krystian como seu filho consaguinéo, o que só deixou Jun ainda mais feliz. Krystian achava sua familia perfeita, e incrivél. Até que eles por algum motivo (que nunca foi bem explicado ao ômega), se mudaram para LA, quando Krystian tinha por volta de seus 10 anos.

  A partir dali, os 2 anos seguintes foram um pouco complicados, já quê tanto Akira, quanto Jun... quase sempre estavam tão ocupados e seus trabalhos os deixavam exaustos. A rotina familiar entre eles nunca mais foi a mesma. Krystian e Hina viviam praticamente aos cuidados de Kristoff que na epóca estava cuidando de sua futura maternidade. Kristoff e Hero eram recém-casados.

Krys sente muita falta de sua mãe, e também de seu "pai". O ômega não consegue evitar em pensar, que por algúm motivo ele foi o responsavél pela morte de seus pais. Por anos o chinês se martilizou por isso, mesmo ele sabendo que foi um acidente, e ele nem estava com os mais velho naquela noite. É algo que ele não consegue explicar... ele só, sente.

Logo, uma mensagem em seu celular o chama a atenção. O asiatico pega seu aparelho e verifica a mensagem nova que havia recebido...

Any Gabrielly:

Hey, Krys... bom dia!

                                            Bom dia, Any.

Any Gabrielly:

Te atrapalho em algo?

                     Não. Eu acabei de acordar.

                                            Deseja, algo?

Any Gabrielly:

Oh bem, então...

Como você sabe, eu sou nova

aqui e queria conhecer mais da

cidade. E queria saber se você...

sei lá, quer sair? Ou fazer algo?

              Bem, Any... hoje eu realmente

            tenho muita atividade pra fazer,   

              sabe...

Any Gabrielly:

Ah sim, entendo.

(Carinha triste)

Então, tudo bem... deixa 

pra uma próxima.

Krystian visualisou a última mensagem da garota, desligou o aparelho e bateu seu polegar no celular seguidas vezes. O ômega ainda estava sentado em sua cama, olha para a janela do seu quarto e vendo o dia lindo que faz em Los Angeles, um pouco de distração não iria fazer mal.

Além de quê ficar deitado em sua cama por todo o sábado, não iria adiantar em nada, uma hora ou outra sua briga com Beauchamp iria ficar paerando em sua mente, o que só estragaria seu dia. Bem, não só Josh, como um ser castanho e olhos verdes também pertubaria seu consciente, como estava fazendo agora. Noah Urrea estava confundindo sua mente e Krystian não poderia permitir. Então, ele voltou ao app de mensagens, para responder a ômega brasileira.

              Não. Quer saber... deixa pra lá.

                         O que vamos fazer hoje?

Any Gabrielly:

Ebaaaa! (palminhas)

Krys revira os olhos ao imaginar a cacheada dando pulinhos, enquanto digitava. O chinês sorri um pouco, por conta dessa possivél atitude boba da ômega. Krys estava gostando muito de Any.

...

Eram 2:00P.M., e lá estava o ômega em seus tipicos trajes escuros esperando a cacheada na frente do Gelateria Uli esperando, pela cacheada que estava atrasada.

Krys bufa um pouco e cruza seus braços irritado. "Onde será que se meteu essa garota? Deve ter se perdido... ou será que foi sequestrada? Coitado de quem sequestrou, Any fala demais!" Pensa o ômega, logo rindo de seus próprios pensamentos.

-Wow baby, que sorriso! Assim eu não vou resistir, hein? -Krystian sai de seus pensamentos ao ver Noah em sua frente, com as mãos no bolso. Logo o ômega fecha o cenho, e faz sua cara de deboche para o alfa atrevido.

-O que está fazendo? Por acaso, você é algum tipo de stalker? -eu digo olhando aos arredores, para ver se não há ninguém do colégio que possa nos ver. -Está me seguindo?

-Oh baby, não se sinta tão importante! -o alfa balança a cabeça em negativo, rindo do mais velho. -Eu venho sempre aqui tomar sorvete...

-Sozinho? -pergunta o de cabelos negros, cruzando novamente os braços. -Cadê sua namorada?

-Por que a gente nunca pode ter um dialogo, sem que você não queira atacar a Sina? -insinua o "american boy", recebendo uma gargalhada do chinês. -Qual é a graça?

-Bom... por que basicamente ela é sua namorada... -afirma Krystian dando de ombros, mas logo fazendo uma expressão de dúvida. -Ou seria sua pulga? Por que olha, vocês não se desgrudam. Por isso acho estranho, o fato de você não está com ela.

-Bem, eu não lhe devo satisfações. Mas, vou lhe contar um segredo, mesmo assim... -Krys revira os olhos e solta um "senta, que lá vem história", mas o alfa continua. -Eu sempre venho aqui sozinho, quando preciso pensar. Quando estou com algo em minha mente e preciso esfriar a cabeça, esse lugar é perfeito.

-Oh nossa que interessante, eu até me importei... -Krystian fingi um bocejo, pra expressar seu desinteresse em saber da vida dele. Noah passa lingua entre os lábios, e sorrindo, não se importanto com a irônia no ômega a sua frente. -Você é um mimado que tem tudo o quer, Urrea. Com o que iria estar tão preocupado para vir aqui?

Noah se sente um pouco ofendido, com os as falas do maior. Ele apenas põe as mãos na cintura, abaixando sua cabeça. Sua atitude deixa Krystian confuso, mas quando o ômega pensa em dizer algo, o alfa lhe corta.

-Nosso beijo! -Noah diz na lata, deixando o chinês boquiaberto. O alfa dá de ombros e sorri de lado. -Eu... eu falei sério ontem, quando falei que nosso beijo não sai da minha cabeça.

-Noah... olha... -Krystian tenta explicar calmamente, mas é interrompido por Noah.

-Eu sei o que cê vai dizer, e eu concordo totalmente. -Noah diz cruzando os braços e encarando o chinês seriamente. O que deixa Krystian de certa forma surpreso. -Nós somos incopativéis... até mesmo em nos conhecermos. Por que, além de sermos rivais, eu tenho... tenho namorada.

-Wow, até que enfim se deu conta, do que eu estou tentando lhe dizer a dizer. -o chinês dá algumas pequenas palmas, se mostrando satisfeito com o que acabara de ouvir. -Bem... acho que não temos mais nada a conversar...

-É... tem razão... eu... eu já vou... indo. -o alfa dá pequenas pausas, enquanto dá alguns passos para trás. O alfa começa a sair da peresença do chinês, um pouco decepcionado. -Tchau, Krystian.

-Já vai tarde, Urrea! -o ômega usa dois dedos, os tocando em sua testa, fazendo uma despedida formal ao americano de belo sorriso.

Após ver Noah sumindo de seu campo de visão, Krystian respira profundamente alividado por Any não ter chegado para ve-lo conversando com Urrea. E por falar nisso, onde está aquela garota?

O ômega toma um susto ao ouvir seu celular tocar em seu bolso, então ele o pega rapidamente, nem ao menos vendo de quem era a chama e logo atendendo.

-Alô? -Krystian fala calmamente.

-Krys? -a voz de Diarra, parecia um pouco chateada do outro lado da linha.

           [Algum tempo antes]

Diarra, sua mãe e irmã mais nova estavam a desfrutar do delicioso almoço, que a mais velha havia preparado. Thiof, era uma das especialides da senhora Sylla, principalmente por ser um prato tipici do Senegal. Dalila parecia animada, em contar (melhor, em recontar) tudo o que havia acontecido durante a semana na escola.

-Ora, Dalila. Já contou essa história várias vezes. -disse a mais velha das ômegas, interrompendo um pouco a mais, fazendo Diarra soltar um "ufa". -Por que não deixa a Diarra falar um pouco.

-O que quer eu fale... -a filha de origens francesa, dando de ombros e pondo uma garfada na boca.

-Bom, me conta como andas os namoros... -a mãe de Diarra faz insinuação.

Diarra bufa um pouco, aquela conversa a deixa muito mal-humorada, mas sua mãe parecia não se importar. Adila (a senhora Sylla), é viúva, e desde a morte do marido cuida das duas filhas sozinhas. Desde, então seu propósito sido encaminhar as duas filhas, para que cresçam, e se mostrem mulheres bonitas e elegantes, para que encontrem algum bom partido no futuro.

-Mãe, eu realmente não estou preocupada com alfas, agora... -a ômega de belos drads loiros comenta, deixando sua mãe um pouco frustada. -Eu tenho muitas coisas para estudar, e...

-Sim, sim... o estudo é algo muito importante filha. Mas, vejo que tem estudado demais... -a mais velha diz no tom de certa forma, preocupado. -Tudo bem, eu sei que por conta das lideres de torcida, você tenha que manter as notas estavéis... mas, não sei filha...

-Fala mãe! -diz a garota olhando fixamente para mãe.

-Você anda um pouco desleixada... olha, a quanto tempo não dá uma mudada no cabelo. -Diarra fica boquiaberta, e passa meu pelo seus drads, e realmente já tem um tempo que ela não os troca. -Sua pele anda um pouco maltratada, entrs muitas outras coisas filha... como você vai impressionar algum alfa desse jeito, você sabe que para nós que somos negras tudo é mais dificil.

-Ai mãe, é exatamente por isso que eu tenho de me esforçar para ter uma carreira de sucesso, mas você não quer que eu siga meu sonho... -Diarra diz se exaltando. -E mesmo que por sermos negras e perante a sociedade tudo ainda ser tão dificil por nós... é mais um bom motivo para que, EU tenha de fazer as MINHAS coisas, EU que tenho de lutar, pelas MINHAS causas, e EU tenho de me arrumar e sentir bonita, para MIM MESMA. E não para agradar um alfa, que vai ter um compromisso comigo por dinheiro...

-Diarra Sylla não ouse aumentar sua voz para mim... -a filha mais velha interrompe sua mãe.

-Par Dieu, maman! É impossivél conversar com você. -Diarra diz se levantando da mesa. -Com licença!

A ômega vai em direção as escadas, subindo para seu quarto. Quando chega ao seu cômodo, a meio-senegalesa, deixa cair uma lágrima, logo a secando rapidamente. Diarra não entende, por que sua mãe não pode acreditar no seu talento e deixa-la seguir seu sonho.

A ômega rapidamente se lembra de que é sábado, e geralmente é o dia em que ela e Krystian assistem filmes juntos. E como semana passada foi em sua casa, dessa vez seria na casa do "mon chinouis" (como Diarra gosta de chamar Krystian). Ela só estranhou não ter recebido nenhuma mensagem dele, o que acarrotou no seu esquecimento. "Bem provavelmente, ele ainda deva estar sentindo algo... já que me evitou ontem o dia inteiro", pensou a garota.

Mas, ainda assim ela iria, queria saber o que se passava com o mais velho Krystian sempre gostava de suas surpresas e se ela levasse alguma "besteira" para eles comerem melhor ainda. Coisa que o ômega também faz, quando sua amiga está triste. Krystian e Diarra são os melhores amigos, desde a 5° série.


Na verdade, eles eram um trio, junto com Josh. Os três juntos aprontavam muitas coisas. Diarra até ri um pouco ao lembrar de como Josh, cuidava dos dois como se ela e Krys, fossem seus irmãos. Mas, quando chegaram o ensino médiodo as coisas mudaram... já que foi quando Diarra percebeu estar apaixonada por Josh. Nessa mesma, epóca Joalin havia chegado da Finlândia para morar em LA, e por conta de seu parentesco com o loiro, acabou o afastando dois outros dois.

Foi quando Diarra resolveu contar a Krystian que era apaixonada por Josh, ela abriu o coração para o amigo. Ela até se assustou um pouco com a reação um tanto chorosa do chinês (algo que ela nunca entendeu). Porém, Krystian a apoiou e até disse que os dois fariam um belo casal, Diarra ficou muito feliz.


Mas, ela não percebeu que foi por conta dessa confissão, que fez Krystian se afastar do alfa, e consequentimente fez o alfa se afastar completamente deles, por conta da frieza constante do ômega. Infelizmente, Diarra nunca chegou a dizer o quanto gostava de Josh, e nem tem ideia de quando ou se irá contar algum dia.

Depois de estar devidamente arrumada, a bela ômega põe a bolsa levemente sobre o ombro. E sim, ela está pronta! Então, ela logo desce as escadas, encontrado com sua mãe no meio do caminho.

-Onde vai? -a mãe pergunta em seu tom natural.

-Vou à casa do Krys, oras. -diz a de drads, fazendo a ômega mais velha revirar os olhos.

-Krystian, claro... -Diarra passa por sua depressa, ignorando seu comentário sobre seu amigo. Mas, quando ela está preste a abrir a porta, sua mãe continua. -Olhe bem o que lhe digo, Diarra... esse ômega ainda vai te trair, por você ser tão boba com ele.

A mais nova ignora completamente o último comentário da mais velha, e sai pela porta saindo finalmemte de casa. Enquanto, caminha até seu carro (presente de seu pai, quando ela estava prestes a fazer 16), a ômega começa a pensar na bobagem que sua mãe acabara de dizer... Krystian jamais a trairia, o ômega a ama muito para fazer isso.

...

Ao chegar a casa de Krystian com algumas sacolas em mãos. Diarra toca a campanhia e logo é recebida por uma Hina sorridente.

-Oi, Diarra... entra! -diz a beta dando espaço para a mais velha. -Cadê o Krys?

-Ahm?

-O Krys cadê ele? -pergunta Hina confusa olhando para a ômega.

-Como assim? O que Krys não tá aqui? -Hina dá de ombros e balança a cabeça negativamente. -Mas, hoje é o dia do nosso cineminha...

-Bom, o Krys saiu tem um tempinho... -diz a beta indo para cozinha e sendo seguida pela a ômega que deposita as sacola sobre o balcão do local. -Achei que ele tivesse ido pra sua casa, ou ido se encontrar com você.

-Não, eu não falo com Krys desde, anteontem eu acho... -disse Diarra se sentando em um dos bancos. -Ele me ignorou ontem e resolvi dar um tempo a ele, e não lhe mandei nenhuma mensagem. Então, por isso eu vim sem avisar...

-Nossa... se até a você ele ignorou é por que algo sério aconteceu. -diz Hina já mexendo nas sacolas, e logo tira um lata de refri. Mas antes de abrir pedi permissão a mais velha. -Posso?

-Já tá em suas mãos, mesmo. -Diarra ri da mais nova. -Acho que vou ligar para ele...

Diarra então sai do banco onde estava, pegando o celular de sua bolsa e procurando o contado de Krysrian. A ômega ri ao ver o "Mon Chinouis💖" e logo disca, pondo o aparelho ao ouvido.

1...2...3... chamadas e...

-Alô? -diz o ômega calmamente.

-Krys? -Diarra diz um pouco tristonha.

-Oh... oi, Di!? -o ômega pareceu um pouco nervoso, ao ouvir a voz de Diarra.

-Onde cê tá, Mon Chinouis? -pergunta Diarra indo até o porta e se retirando, ficando na varanda da casa. -Eu estou na sua casa... hoje era o nosso cineminha lembra?

-Oh... meu Deus! Di, eu... me desculpa. Eu esqueci... -o ômega se embola em seu pedido de desculpas, fazendo a ômega suspirar pesado. -Eu...

-Não, tudo bem... eu imagino que você não esteja bem. -diz a ômega a ômega baixando um pouco a cabeça, um pouco triste.

-Eu já me sinto um pouco melhor... apropósito, me desculpa ter te ignorado ontem. -ele diz agora enverginhado, mas a vergonha de Krys ainda é por conta do sentimento de que traiu a melhor amiga, na verdade era o real motivo pelo qual ele queria estar se desculpando. -Eu... você... quer vir me encontrar?

-Oh sim, claro! -Diarra diz animada, e continua. -Onde cê tá?

-Eu tô com a Any, no... -Diarra não ouve mais nada do que o amigo fala. As perguntas que vem logo a sua mente são: "Any? Por que Any? O Krys preferiu a Any do que a ela? O que tá acontecendo?". -E aí, você vem?

-Ah Krys, eu... ahm não vai dar... -Diarra começa a tentar inventar uma desculpa, ela não quer ter de ir "olhar pra cara de sonsa daquela garota!" -Eu vou ter que dar um trato no visual, pra festa de hoje...

-Oh entendo... -Krys diz decepcionado, e ascena para Any que finalmente aparece.

-Apróposito... você vai a festa não é? -pergunta Diarra curiosa e esperançosa.

-Eu... eu acho que não é uma boa idéia, Di. -o ômega começa a coçar a nuca. Ele não estava nem um pouco a fim de lidar com Sabina, e principalmente não queria ver Noah Urrea tão cedo.

-Ai Krys, somos os líderes dos Lighters, vai pegar mal se não formos... -diz a francesa, agora um pouco irritada com o amigo. -Além do mais, eu tô te pedindo como amiga. Vamos, por favor...

Krys suspira um pouco e olha para Any que está mais aérea que tudo. Mas, o ômega quer fazer a amiga não insistir muito... então, ele solta uma proposta que sabe que a ômega vai recusar...

-Tá bom, como seu melhor amigo, eu vou... -o chinês diz, e consegue até visualisar no sorriso da amiga se formar. -Mas, com a condição que a Any vá conosco.

-Puff, tá bom então... -Diarra revira os olhos. Além do mais é uma festa, ela vai conseguir dar um perdido na cacheda por lá. -As 7:00PM eu passo pra te pegar, e depois pegamos a Amy.

-É Any!

-Tanto faz, eu não gosto dela mesmo. -a ômega mais nova dá de ombros, fazendo Krystian revirar os olhos. -As 7:00PM combinado?

-Fechou!




Notas Finais


E aí se emocionaram com um pouco da história do Krys e da Di?

Gente eu quero agradacer pelos seus comentários, eles tem sido maravilhosos, me ajudam a continuar escrevendo. E também quero agradecer pelos 43 favotitos, sério eu amo muito vocês.😍❤

Não esqueçam de me seguir no insta: @little_cat7000

Um beijo e até o próximo💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...