História Just Brothers (JIKOOK) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 357
Palavras 1.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - End of relationship - "Hyung, Taehyung e Hoseok terminaram."


Fanfic / Fanfiction Just Brothers (JIKOOK) - Capítulo 26 - End of relationship - "Hyung, Taehyung e Hoseok terminaram."

O Park estava perdido nos próprios pensamentos, recordando-se da noite anterior, e mesmo que assinasse seu nome nos vários traços dos papéis, nada tirava Jeon de sua cabeça. Pela manhã, ambos não conversaram muito, por Jeon estar extremamente sonolento e falando tudo enrolado; o mesmo iria trabalhar uma hora depois do Park, mas estava tão cansado, que o Park estava receoso do mais novo não se acordar a tempo.

– Jimin? Jimin? JIMIN? – Gritou Yoongi, fazendo o mais novo lhe olhar de relance, passando para o próximo papel. 

– Sim senhor. Desculpe. Estava perdido em meus devaneios. – Falou o Park, calmamente.

– É. Eu percebi. – Ele diz, e ri. – Enfim, quer me contar o que rolou?

– Sinceramente? Quero não.

– Então, não conte. – Disse Yoongi, arrancando risadas do mais novo loiro. – Ah, Jimin... Estou precisando espairecer.

– Estou comprometido.

– Eu sei que está. 

– Então? – Questionou Jimin.

– Ah... Você não conhece ninguém que esteja solteiro?

– Muita gente. – Respondeu, rindo. Yoongi revirou os olhos e suspirou.

– Me apresente alguém que preste. 

– Ah... Aí complica. – Jimin encarou o teto, pensativo e descartando todos aqueles que ele pensava que não agradaria seu chefe. – Ah! Tem duas pessoas que eu acho que você adoraria conhecer. – Disse o loiro, sorrindo. O Min arqueou uma sobrancelha e riu anasalado.

– Hum... Homem ou mulher? 

– Dois homens... Mas tem um probleminha. – Disse Jimin, mordendo o lábio inferior. 

– Qual?

– Eles namoram. 

– O QUÊ?! – Yoongi pulou de sua cadeira giratória, derrubando uma pilha de folhas esbranquiçadas ao chão. – Você vai me apresentar para pessoas comprometidas? Está louco?

– Os dois te desejam. Mesmo que namorem. – respondeu, calmamente o Park. O Min voltou a sentar-se, ignorando o fato das folhas estarem no chão, e fitou Jimin. 

– Como isso é possível? 

– Desde que você era rapper, oras. – suspira o Park. – Enfim, vai querer ou não?

– Não tenho escolha de qualquer forma. – O Min responde, dando de ombros, e puxando sua cadeira de rodinhas para mais perto de seu computador. 

Enquanto isso, na cafeteria...

– JEON! JEON! ACORDA! – Exclamou, Taehyung, enquanto chacoalhava o amigo, que dormia debruçado sobre a mesa do caixa. Jeon ergueu o corpo lentamente, sentindo sua visão pesada e então bocejou. 

– Huh... Que horas são? – pergunta Jeon, com os olhos vermelhos e o rosto marcado pelo tecido de sua camisa. O mesmo tivera dormido em pé, somente, com a cabeça encostada nos braços, sobre a mesa de madeira.

– 10:56AM, Jungkook, e você está dormindo desde que chegou! – Diz o Kim. 

– Não exagere. Dormi somente quinze minutos. – Responde o Jeon, espreguiçando-se. – O movimento está demais para você? 

– Não. Mas se Jin te pega dormindo aqui, dê adeus a seus tímpanos, de tanto sermão. – Ambos riram, e então, a porta se abre, fazendo com que o sino acima da porta, balançe e cause barulho. Os dois funcionários lançaram o olhar curioso para a porta, e entrava Hoseok. Cumprimentou os clientes com uma reverência gentil e um sorriso, mas esse sorriso se desfez, quando encarou Taehyung. O último citado baixou o olhar, encarando a caixa registradora a sua frente.

– Bom dia. – Diz o Jung, baixo e seco, passando por detrás de ambos os mais novos.

– B-Bom dia... – Diz o Kim, baixo e mordendo seu lábio inferior.

– Bom dia Hoseok-Hyung. – Disse Jeon, enquanto o Jung somente passava, sem lançar o sorriso de sempre a si. O Kim começara a fungar, e Jungkook sabia que logo ele choraria. – Tae. Vocês brigaram? 

– T-terminamos... Tivemos uma briga ontem e... Ele... Pediu um tempo. – Respondeu, umedecendo seus lábios. – Ele disse que... Eu devo começar a confiar mais nele, se quiser prosseguir com o relacionamento. Então eu respondi: "Então não me de motivos para desconfiar!". – O Kim tenta imitar um grito, porem em baixo tom. – e aí, foi que ele me pediu um tempo. – Taehyung suspirou, e Jeon suspirou juntamente, comprimindo os lábios e acariciando os fios do amigo.

– Calma. Vocês logo se acertam. 

– E se não nos acertarmos? – Perguntou o Kim de imediato, encarando os olhos de jabuticaba de Jeon, com os próprios marejados. – Eu amo Hoseok, e tenho medo de o perder. Mas ele não entende isso! Ele nem parece me amar.

– Não diga isso, Hyung! O Hobi-Hyung ama você sim. – Repreendeu Jeon.

– Eu duvido. – Falou Taehyung, limpando suas lágrimas. – De qualquer forma, estou em meu horário de trabalho. Não é bom misturar as coisas. 

Jeon sabia que não eram aquelas palavras que o Kit quisera dizer, mas como o próprio dizera, estavam em horário de trabalho, e iriam se comprometer se Jin os visse conversando ao invés de trabalhar. O Jung novamente passara por ambos, agora, com o avental bege, típico do café. O Kim sentia seu coração apertar, mas não tinha quaisquer reação. E Jungkook percebia o desconforto do mais velho, somente por sua respiração diferente. Iria dizer algo, se a porta não se abrisse, revelando o rosto de dois seres ilustres; Park Jimin, e Min Yoongi. Ambos com suas roupas de trabalho. Jeon, na hora, saltou de perto de Taehyung, para perto de Jimin. O abraçou forte, e Jimin riu anasalado, retribuindo aos poucos. 

– Bom dia, meu anjo. – Diz Jimin, selando a bochecha fofa de Jeon. O mais novo afastou - se minimamente, e sorriu.

– Bom dia, amor. – Jimin sorriu fechado, ao escutar o "amor", e então ambos colaram os lábios rapidamente. – Uh! Veio tomar café...? – E antes de ele terminasse, um grito eufórico cruzou por suas audições.

– MIN YOONGI! – Era a clara voz de Taehyung. A maioria dos presentes, encararam a cena com confusão, afinal, eram pessoas de mais idade, isso significa, que nenhuma delas conhecia Min Yoongi. O Kim saltitou até Yoongi e sorriu largo. – Meu Deus, eu só posso ter morrido. 

– Morrido? – Questionou o Min, rindo ladino.

– É, por que você é um anjo. – Jeon e Jimin caíram na gargalhada, assim como o Min. – Aish, essa foi terrível. – Disse o Kim, fazendo um bico. Yoongi controlou suas risadas e levantou o rosto baixo de Taehyung, o fazendo encarar nos olhos.

– Não foi não. Não se preocupe. Foi ótima. – Disse, sorrindo fechado. O Kim levantou seu tronco, ajeitando a coluna e encarando os olhos pequenos do Min com curiosidade. Sorriu, e confirmou com a cabeça, espontaneamente. 

– Obrigado. – Ele diz, e sorri mais uma vez. – Bom, acho que você veio para comer, e não para batermos papo, certo? – O Min ri. – Vamos sentar? Ah, a propósito, sou Taehyung, Kim Taehyung! – Ambos apertam as mãos, e Yoongi sorri, assentindo. Olha rapidamente Jimin, que pressente, e logo caminha com Jeon para uma mesa mais afastada. O Kim levara Yoongi para uma mesa, enquanto o Jung corroía-se de ciúmes. Estava encarando a cena de Taehyung com Yoongi, frustrado, irritado, mas não aceitava o fato de estar com ciúmes. 

– Então, vai sentar-se comigo? – Perguntou Yoongi, debruçando sobre a mesa. Taehyung negou com a cabeça, balançando seus fios extremamente lisos.

– Oh, não. Estou no meio de meu horário de trabalho... – Ele diz, e suspira. 

– Ah, só um pouco. Não vai matar ninguém. – Pediu Yoongi, piscando seus olhos rapidamente, enquanto formava um bico com bochechas cheias de ar. O Kim suspirou derrotado e sentou - se a frente de Yoongi. – Viu. Eu sabia que se renderia ao charme de Min Yoongi!

– Eu nunca imaginei que fosse tão convencido... Tá... Talvez um pouco, mas não tanto. – Comentou Taehyung, arrancando risadas do mais velho.

Do outro lado do local, estavam Jimin e Jungkook, encarando a cena dos dois se dando bem, mesmo que Jimin estivesse confuso quanto ao Jung, que pouco dava atenção aquela conversa, por estar entretido com as clientes. Ou ele fingia estar. 

– Por que o Hoseok não está nem aí? – Perguntou Jimin. – Eu estou louco para ir soquear a cara dele.

– Nossa, calma pelo amor de Deus. – Ambos foram. – Enfim, ele e Taehyung brigaram ontem e terminaram. – respondeu Jeon, suspirando. O Park franzira o cenho.

– Oh, Deus. Eu sabia que eles haviam brigado, mas pensei que haviam voltado. 

– Sabia como?

– Ah, encontrei com Tae ontem, quando corri atrás de você no ônibus. – Respondeu Jimin, suspirando. 

– Ah! – Murmurou. – Bom, de qualquer forma, vai querer comer o que? – Perguntou de imediato. Jimin fingiu pensar.

– Hum... Vou querer um Jungkook com muitos beijos para decorar... Huh... Um carinho de Jeon. E... – Jungkook não deixara Jimin terminar, beijando - o rapidamente. – Nanananá! Prato incompleto. Não pago.

– Então não pague, seu Park Jimin. – Disse, rindo e pegando seu bloco. – Fala logo o que quer.

– Somente um café. 

– Anotado. – Falou Jungkook, após terminar de escrever em seu bloco.

– Obrigado senhor. – Diz Jimin e ri, encarando Jeon. E antes que Jeon pudesse responder, Yoongi aparece. 

– Oh, Jimin, desculpe atrapalhar. Vou para o escritório antes e o apresentarei para Taehyung. Se quiser ir para casa por hoje, não vejo problema. – Jimin franziu o cenho a fala do esverdeado e negou.

– Nem pensar. É louco? Hoje é um dia pago, tá? – Respondeu Jimin. Yoongi suspirou.

– Ah, eu sabia que não aceitaria. De qualquer forma, não se apresse para ir para lá. 

E saiu, sem proferir nem um "tchau", sequer. Deixou o dinheiro com Tae, que colocou na caixa registradora e retirou seu avental, o jogando sobre a mesa do caixa. 

– Acabou meu expediente, Jeon! Boa sorte aí. – gritou Taehyung, seguindo o Min que ia até a porta. Hoseok bufou e Jimin e Jungkook se entreolharam. 

O que eles vão aprontar...?

Perguntaram - se em pensamento, Jimin e Jungkook. 


Notas Finais


Boa noite Jikookas(os), bom, parece que esse capítulo fora inofensivo, mas acreditem, ele trará muitas confusões, não só para "vhope", como também, para "Jikook". Vocês sabem, quando se trata de ciúmes, até o papa se ferra. *Sigh*
Bom, espero que tenham gostado, deixem seus comentário e não esqueçam de divulgar a história para os armyguinhos. Thank u♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...