1. Spirit Fanfics >
  2. Just Dance With Me >
  3. Capítulo Dois

História Just Dance With Me - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, meus amores! Cheguei com mais um capítulo! Queria agradecer à todos que comentam nos capítulos, vocês me dão força.

Esse capítulo eu não achei uma dança específica que eu queria, mas irei colocar um link no final da dança que tem algumas partes que poderiam se encaixar.

OBS: O capítulo não está betado porque a minha beta teve uns problemas, mas assim que der vou arrumar.

Espero que gostem e boa leitura! ♡

Capítulo 3 - Capítulo Dois


Uma semana tinha se passado.

Os ensaios tinham sido produtivos, mas não tanto quanto deveria por estarem, talvez, tímidos um com o outro. Não conseguiam dançar encadeando os olhares — o que era essencial para ter conexão —, tinham medo do que aconteceria se olhassem por muito tempo um nos olhos do outro. Estava tudo bem estranho.

— Isso se chama: tensão sexual. — falou Yoorim, depois de ouvir Taehyung dizer como estavam sendo os ensaios.

Taehyung fez cara feia.

— Você está doida! — desviou o olhar da amiga, para o livro que estava lendo para passar tempo, se chamava “O que o Sol Faz com as Flores”, um ótimo livro de poesias. — Eu não sinto nenhum tipo de atração por ele.

Yoorim riu, meneou a cabeça, se virando para guardar um livro, e encontrou na sua visão Jeongguk entrando na biblioteca.

— E você não acha ele um gostoso com aquele estilo todo bad boy? — perguntou ela, em tom de provocação.

— Não. — Taehyung respondeu, simples, sem tirar os olhos do livro.

— Jura? Porque ele está muito gostoso agora. — provocou Yoorim, voltando-se para o amigo porque não queria perder a reação dele.

— Quê? — perguntou Taehyung, levantando o olhar do livro e focando na sua frente, consequentemente em Jeongguk.

Quase deixou seu livro cair — porém foi somente pelo movimento rápido que tinha feito —, escutou Yoorim rir, mas não conseguia tirar seus olhos de Jeongguk. Parecia cena de filme, quando o bad boy caminha em direção a mocinha em câmera lenta.

— Fecha a boca. — Yoorim implicou baixinho com Taehyung, quando Jeongguk estava quase perto deles.

Taehyung tocou o próprio queixo e percebeu que estava realmente de boca aberta. Quis se bater mentalmente, contudo se contentou em voltar seus olhos para o livro e fingir que nada tinha acontecido.

— E aí, Kim. — cumprimentou Jeongguk, e também acenou com a cabeça para Yoorim, que se retirou de perto deles.

Taehyung quis matar Yoorim. Como ela o deixava sozinho ali com Jeongguk? Todavia talvez fosse bom porque ela não o envergonharia, e de qualquer forma, sempre ficava sozinho com Jeongguk nos ensaios, não tinha porque surtar. Ou tinha, pensou, quando sentiu suas pernas moles.

— Oi, Jeon. — respondeu, sem olhá-lo.

Jeongguk franziu a testa, encostando suas costas no balcão ao lado de Taehyung.

— Você está bem? — questionou o moreno.

— Hã? — Taehyung murmurou sem entender e acabou encarando-o, entretanto se arrependeu no mesmo estante por lembrar-se do que a amiga tinha dito e concordar com ela.

— Você está todo vermelho. — respondeu Jeongguk, dando uma rápida conferida com os olhos para ter certeza de que ele não iria desmaiar a qualquer momento.

— Ah... — murmurou, se possível mais envergonhado, evitando olhá-lo. — É só o calor. — soltou uma risadinha sem graça.

Jeongguk fez uma careta. Não estava calor, mas resolveu deixar para lá. Redirecionou seu olhar para frente, passando por toda a biblioteca. Gostava de como ali era calmo e silencioso, poderia ser meio contraditório, contudo gostava de calmaria. Gostava de ouvir o silêncio, o que raramente podia fazer em casa, já que tinha sempre seu pai gritando consigo.

— O que faz aqui? — perguntou Taehyung, tirando o mais novo dos próprios devaneios.

Jeongguk o fitou.

— Ah... Hum... — resmungou, pensando em algo para responder.

A verdade era que estava passando por ali de moto — depois de ajudar um amigo seu que tinha uma lanchonete com as entregas —, e resolveu entrar, sem nem pensar no porquê.

— Consegui montar meu solo para a coreografia. — Jeongguk disse a primeira coisa que passou pela sua cabeça, e não era uma total mentira, faltava só uma pequena parte e agora ele teria de montar.

Taehyung sorriu fofo e Jeongguk se segurou para não sorrir junto.

— Jura!? Isso é ótimo, Jeongguk! — eram raras as vezes que Taehyung chamava-o pelo nome, e o mais novo gostava do jeito que seu nome saía na voz dele.

Jeongguk não conseguiu se segurar e acabou sorrindo, e Taehyung pegou-se admirando o sorriso que lembrava um coelho.

— Amanhã você pode me mostrar. — Taehyung concluiu, e só aí se questionou o porquê do garoto ter ido ali só para dizer isso, porém antes que falasse qualquer coisa, Jeongguk mudou de assunto.

— O que está lendo? — indagou Jeongguk, apontando com a cabeça para o livro nas mãos do loiro.

Taehyung abriu a boca, surpreso por Jeongguk se interessar nisso.

— O que o Sol Faz com as Flores. É um livro de poesia. — respondeu, sorrindo pequeno e passando as mãos cuidadosamente pelo livro.

Ler só não era sua maior paixão, pois a maior era dançar. Desde pequeno fora interessado em livros, principalmente em poesia. Antes não entendia muito o verdadeiro significado de cada poesia, apenas achava-as bonitas, contudo agora podia apreciar e sentir cada uma delas.

— Posso ler uma? — Jeongguk perguntou, deixando Taehyung mais surpreso ainda, que meramente assentiu.

Jeongguk pegou o livro da mão do outro com delicadeza, sentindo seus dedos se esbarrando e trazendo um choque gostoso por milésimos de segundos. Pigarreou — antes que começassem com aquele negócio estranho de troca de olhares que ainda não entendiam e tinham medo —, e abriu em uma página qualquer.

— “Confie no seu corpo. Ele reage ao que é certo e errado melhor do que a sua mente. O corpo fala com você.” — leu baixinho.

Parecia ser ironia do destino, mas de alguma forma, sentiram que o texto deu uma indireta para o quê os corpos dos dois estavam sentindo perto um do outro. Queria se aproximar sempre, porém a mente dizia não.

— Não sabia que você gostava de ler. — comentou Taehyung, para cortar o clima pesado.

— Eu disse que eu gosto? — rebateu Jeongguk, com um sorrisinho no rosto.

— Ah. — Taehyung queixou-se, com um biquinho nos lábios.

Jeongguk soltou uma risada.

— Eu estou brincando. Eu gosto, sim. — respondeu sincero.

Os olhos de Taehyung brilharam com a oportunidade de falar sobre livros com alguém. Poderia falar por horas, nunca se cansava.

— Qual o seu preferido? — perguntou Taehyung, voltando sua atenção toda para Jeongguk agora.

— Não sei se devo contar, você pode acabar me zoando. — comentou, cerrando os olhos.

— Provavelmente eu vou ficar surpreso... E juro de dedinho que não vou zoar. — prometeu Taehyung, cruzando os próprios dedos mindinhos e dando um beijinho em cima.

Jeongguk riu da fofura do outro. Admirava sempre de longe e quando Taehyung não estava olhando esse jeitinho único, mas de perto conseguia ser ainda mais encantador.

— Tudo bem. Porém só porque você jurou que não vai zoar. — apontou, cruzando os braços e desviando o olhar. Nunca tinha conversado sobre gostar de livros nem com seu melhor amigo, se sentia acanhado. — É Por Lugares Incríveis.

Taehyung abriu a boca, literalmente chocado com a descoberta. O livro favorito de Jeongguk era um livro tão cheio de significados e mensagens importantes. Nunca iria imaginar que Jeon gostasse.

— Eu estou bem chocado, confesso. — Kim comentou, soprando uma risada. — Esse livro é incrível.

— Sim, tem uma mensagem linda. — Jeongguk disse, com um sorriso de canto nos lábios.

Antes que Taehyung falasse mais alguma coisa, o telefone de Jeongguk tocou, era Yoongi e o mais novo teve de ir se encontrar com ele. Se despediram com um breve tchau, reafirmando sobre Jeongguk mostrar seu solo no outro dia.

— Parece que vocês estão começando a se dar bem. — falou Yoorim, voltando para o balcão.

— Espero que sim. — sussurrou Taehyung.

[🎼]

Taehyung queria matar Jeongguk.

Ele estava atrasado há uma hora e não tinha avisado absolutamente nada. E aquela semana seria totalmente usada para ensaiar o solo dele, já que era a única parte que faltava, e a última semana seria usada só para aperfeiçoarem a coreografia. Mas com Jeongguk simplesmente sumindo ficava difícil.

— Ele ainda não apareceu ou avisou nada? — Namjoon entrou na sala perguntando.

Era a terceira vez que Namjoon aparecia por ali só naquele dia para tentar acalmar o melhor amigo, o que funcionava por alguns minutos, até ele ter que voltar para a aula dele e Taehyung surtar de novo.

— Não. — resmungou irritado, resolvendo parar de andar para um lado e para o outro, se sentando no chão.

— Ele continua sem atender o telefone? — voltou a perguntar.

— Sim, esse idiota. — comentou Taehyung, voltando a discar o número do mais novo para ligar pela décima terceira vez.

E dessa vez, Jeongguk atendeu.

— Alô?

— Cadê você, seu idiota? — Taehyung perguntou, extremamente irritado.

— Ah! — resmungou, e Taehyung conseguiu escutar uma voz feminina o chamando no fundo. — Não posso falar agora, estou ocupado.

E desligou.

Taehyung encarou o próprio celular boquiaberto. Quando achava que Jeongguk não era tão idiota sim, ele provava que era pior ainda. E provavelmente estava transando com alguma menina. Eca, héteros.

— O que foi? — Namjoon perguntou, se abaixando ao lado do loiro, deixando um carinho nas mechas sedosas.

— Nam, eu quero matar o Jeon! — começou, se pondo de pé. — Ele acha que o concurso é brincadeira? Por que ele não consegue levar a sério e ser responsável? Não ser imbecil pelo menos uma vez!? — exclamou, e quando percebeu já estava chorando de raiva.

Não era a primeira vez que chorava de raiva por causa de Jeongguk. Todas as vezes que Jeongguk criticava sua dança ou ria de si, acabava chorando de insegurança e raiva dele por fazê-lo se sentir inseguro.

— Tae... — Namjoon o chamou, com a voz calma e o puxou para um abraço. — Fica calmo, ok? Sei que é difícil, mas vai dar tudo certo. — consolou. — Vamos tomar um sorvete?

— E sua aula? — fungou, meio abafado por estar com a cara no ombro do melhor amigo.

— Posso sair antes. — falou ele, conferindo o relógio na parede. — Já estava quase acabando mesmo.

Arrumaram suas coisas, Taehyung lavou seu rosto no banheiro e foram juntos para a sorveteria que sempre gostavam de ir, enquanto tinham os braços cruzados e conversavam sobre as aulas de dança.

Estava tudo bem, até que quando estavam passando por uma rua da vizinhança, avistaram Jeongguk conversando e rindo com uma menina. Ela era bem bonita.

Kim desviou o olhar, passando a andar um pouco mais rápido, não queria mais ver a cara de Jeongguk naquele dia.

— Tão irresponsável, idiota, otário, ridículo... — seguia murmurando palavrões para Jeongguk.

— Calma, Tae. — Namjoon disse, se segurando para não rir, pois Taehyung irritado era fofo.

— Ele trocou um ensaio importante para transar! — exclamou indignado, soltando-se de Namjoon e começando a andar mais rápido.

Namjoon meneou a cabeça, rindo e conhecendo bem seu melhor amigo, já tinha entendido tudo. Correu um pouquinho para voltar a andarem lado a lado.

— Parece que você está com ciúmes. — comentou um pouquinho surpreso com a situação, porém achando graça.

Taehyung parou de andar, fitando-o.

— Eu com ciúmes daquele bad boy ridículo? Me poupe! — indignou-se. — Não fala mais besteiras assim! — bateu o dedo indicador do peito de Namjoon que ria, e voltou a andar.

Seguiram para a sorveteria com Taehyung reclamando o tempo todo que precisava meditar porque Jeon Jeongguk estava tirando sua paz, enquanto o Kim mais velho não parava de rir.

[🎼]

Jeon tinha acabado de estacionar sua moto em frente à academia. Tirou seu capacete e passou sua mão livre no seu cabelo, bagunçando um pouco, enquanto seguia em direção à entrada.

— Tenho que confessar, — Yoongi surgiu ao seu lado, acompanhando-o até a entrada. — esse estilo de bad boy combina muito com você, mas em mim fica melhor. — se gabou, ajeitando sua própria jaqueta de couro.

Jeongguk riu, passando o capacete para sua mão direita, para envolver os ombros do amigo com o braço esquerdo.

— Eu concordo, hyung. Mas eu sou mais bad boy, tenho tatuagem e você não. — zombou Jeongguk, rindo fraquinho.

— Que culpa eu tenho de ter medo de agulha no meu corpo? — Yoongi questionou, fazendo uma careta.

— Que tatuador e bad boy falso é esse... — ia zoando, quando alguém passou por si, esbarrando forte do seu ombro.

Era Taehyung.

— Está cego, Kim? — perguntou irritado.

Taehyung não o respondeu com palavras e sim com um dedo do meio, sem nem olhar na sua cara.

— Achei que estávamos ficando mais de boa. — falou para si mesmo.

— Acho que isso é culpa do seu sumiço de ontem. — respondeu Yoongi. — Namjoon veio me perguntar, porque Taehyung queria saber de você e como você me disse para não dizer nada, eu respondi que não sabia.

— Tudo bem, hyung. — suspirou, se soltando do amigo porque já estavam em frente a sala da aula dele.

— Você sabe que é bobeira esconder isso, né? — indagou o mais baixo. — Você estava trabalhando.

— Não é um trabalho fixo, são só bicos. — disse, encolhendo os ombros.

Yoongi bufou.

— E o quê que tem, Jeongguk? Pelo menos você está fazendo algo para ganhar dinheiro, e não é algo ruim, são trabalhos normais. Não tem porquê se envergonhar disso. — falou sincero e com o semblante sério.

— Mas o Taehyung... — começou, porém Yoongi o cortou.

— Você sabe que o Kim não é o tipo de pessoa que julga alguém pelas suas condições. — arqueou as sobrancelhas, cruzando os braços.

Foi a vez de Jeongguk bufar.

— Certo. — respondeu, pegando seu celular do bolso e olhando a hora. — Preciso ir, antes que ele me mate. — falou, já se afastando.

— Seja sincero. — Yoongi comentou alto, antes de entrar na sua sala.

“Seja sincero”. Não era tão simples assim. Jeongguk odiava contar sobre sua vida para as pessoas. Para que contar que seu pai era um merda, viciado em bebida e jogos, e que tinha que correr atrás de bicos enquanto não achava um trabalho fixo para ter dinheiro para as dívidas? Para sentirem pena de si? Preferia não contar nada. Odiava ver a pena estampada no olhar das pessoas. Não queria Taehyung olhando-o com pena. Decidiu que não falaria nada.

Entrou na sala e logo avistou Taehyung de frente para o espelho, amarrando uma bandana na testa para manter seus cabelos longe dos seus olhos. Ele ficava bem bonito com esse acessório específico. Engoliu a seco e foi colocar sua mochila num canto, esvaziando seus bolsos e tirando seu tênis, já que a dança seria toda feita descalço.

— Me mostra seu solo. — Taehyung disse com frieza e sem olhá-lo nos olhos.

Jeongguk suspirou, sabia que Taehyung estava chateado e pensava em uma desculpa para dar a ele por ontem.

— Taehyung, olha... — tentou falar, chamando o mais velho pelo nome até sem perceber.

— Eu não quero saber, Jeon. Você é um idiota, não tem como mudar isso. — respondeu com irritação, andando em direção à caixa de som para começar e terminar aquilo logo, porém Jeongguk segurou seu braço no meio do caminho.

— Me escuta... — Jeongguk tentou de novo.

— Eu não quero escutar sobre como sua transa foi boa ontem, Jeon. — Taehyung disse com desprezo.

Jeongguk franziu a testa.

— Do que você está falando? — perguntou ele.

— Não adianta se fazer de sonso. Eu vi você com uma garota ontem, não tem como mentir. — Taehyung parou de frente para ele com os braços cruzados e a expressão fechada.

Jeongguk soprou uma risada irônica, também cruzando os braços.

— Agora você está sendo idiota, não me deixando explicar e tirando conclusões precipitadas. — comentou irritado com a situação.

— Explicar o que eu já sei? — Taehyung indagou irônico. — Você é um imbecil, o típico bad boy mesmo. — riu forçado.

— Você está falando merda! — exclamou Jeongguk, com o rosto vermelho de raiva.

— Estou? — Taehyung debochou. — Eu só falo o que eu vejo, Jeon Jeongguk. E a real é que você não está levando a sério esse concurso! Está sendo egoísta e pensando apenas em você! — falava cada frase batendo o dedo no peito do mais novo. — Isso é importante para mim! Eu sei que você não liga, mas tenta ter empatia por alguém pelo menos uma vez na vida!

— Você está chorando? — Jeongguk perguntou surpreso, olhando para o rosto do loiro, deixando toda a raiva de lado.

Taehyung passou rapidamente a mão pelo rosto, se sentindo patético por chorar sempre assim, e principalmente por estar chorando na frente de Jeongguk. Ele sempre tinha o feito chorar de raiva, mas Taehyung sempre fazia de tudo para não prantear na frente dele, e dessa vez não conseguiu se segurar. Chorava de raiva por Jeongguk ser um idiota e não estar contribuindo para algo que era um sonho seu dar certo.

— Não chora. — Jeongguk pediu desesperado, pronto para enxugar as lágrimas de Taehyung, mas ele se afastou, virando-se de costas.

Jeongguk nunca sabia o que fazer quando via alguém chorando, entrava em desespero, principalmente nessa situação, que concluiu ser por sua causa. Respirou fundo, enquanto ouvia Taehyung fungando, pegou a garrafinha de água do mais velho no chão e foi até ele, entregando-o.

— Por favor, me escuta. — Jeongguk falou baixinho e com calma, tentando fitar os olhos do mais velho.

Taehyung não respondeu, apenas bebeu a água, e Jeongguk resolveu levar aquilo como uma afirmação. E não tinha outro jeito, teria de contar a verdade para Taehyung.

— Ontem, quando você me viu com aquela menina, eu estava fazendo uma entrega. — iniciou, fechando os olhos com força, tomando coragem para continuar, e quando abriu-os, Taehyung estava encarando-o com os olhos arregalados. — Não é esse tipo de entrega que você está pensando. — falou rápido, gesticulando com as mãos.

Taehyung respirou aliviado.

— Eu faço uns bicos às vezes, enquanto eu não acho um trabalho fixo. E na maioria das vezes é para a lanchonete de um amigo, os clientes acabam já até me reconhecendo. — riu fraco, coçando a nuca e mantendo os olhos no chão. — É isso.

— E por que não me falou antes? — questionou o loiro. — Eu iria entender.

— Não queria que me olhasse com pena. — falou sincero, fitando-o e encontrando os olhos castanhos em si.

— Pena de quê? Você está lutando para ter dinheiro, sei que arrumar um emprego não é fácil. — disse Taehyung com honestidade.

Quem me dera fosse só isso, Jeongguk pensou. Mas jamais contaria o resto da história para Taehyung, porque aí sim, teria o olhar de pena.

— Verdade. — escolheu responder.

— Essa confusão toda por uma coisinha de nada. A gente parecia até casal tendo DR. — Taehyung comentou rindo, mas parou assim que viu Jeongguk o encarando com os olhos arregalados. — Hum... Desculpa? Você é hétero, isso pode ter sido desconfortável. — falou, voltando a ir até à caixa de som. — Héteros costumam ter a masculinidade frágil. — sussurrou para si mesmo.

Jeongguk nada disse. Apenas Yoongi sabia da sua sexualidade, e preferia que mais ninguém soubesse para evitar problemas.

— Agora me mostra seu solo. — Taehyung repetiu pela segunda vez no dia, dessa vez com mais simpatia.

[🎼]

Finalmente tinha chegado o primeiro dia do concurso. Jeongguk e Taehyung estavam lado a lado, fazendo exercícios de respiração antes de começarem a se alongar, enquanto observavam toda a correria que acontecia nos bastidores, principalmente porque já tinham chamado a primeira dupla de vinte. Eles eram a décima primeira dupla.

Taehyung e Jeongguk fizeram uma careta involuntariamente quando a segunda dupla passou por eles. Eram Han Eunjin e Kang Yeosang, da Academia de Dança de Incheon. Taehyung sempre teve uma certa rivalidade com Eunjin por causa de outros concursos, e o mesmo era o motivo de Jeongguk com Yeosang.

— Não acredito que ela vai participar. — Taehyung resmungou baixinho, revirando os olhos.

— E eu não acredito que esse idiota do Yeosang vai participar. — Jeongguk reclamou.

— Bom, eles são uma dupla, então temos adversários em comum. Vamos acabar com eles. — declarou Taehyung, com um sorriso encorajador nos lábios, enquanto levantava uma mão para fazer um hi-five com Jeongguk.

Jeongguk sorriu de lado, batendo sua mão na do mais velho.

— Essas roupas são legais. — murmurou o mais novo, passando suas mãos pelos detalhes da roupa.

Eles estavam vestindo roupas iguais. Era um macacão azul-celeste e brilhante, que era colado no corpo, com detalhes em dourado e estrelas desenhadas. Era bonito.

— Sim... — Taehyung sussurrou, com o olhar perdido em Jeongguk, já que achava que a roupa tinha caído perfeitamente bem nele.

Escutaram os aplausos quando a segunda dupla terminou de se apresentar, e logo viram a terceira caminhando pelo palco. Ficaram felizes de que os que já tinham se apresentado esperavam em outro corredor, assim os seus rivais não veriam seus surtos de nervosismo e ansiedade estampados nos seus rostos.

Tinham ensaiado muito — mesmo com o clima estranho quando tinham passos muito perto um do outro — e sabiam de que estava tudo perfeito, mas não podiam evitar o medo de dar tudo errado, de esquecerem algum passo, de caírem, de tudo negativo. Esse medo que causava ansiedade e nervosimo eram inevitável. Por isso continuaram preparando seus corpos — com alongamento — e mentes — pois era necessário que sua concentração estivesse toda na dança — até chegar a vez da décima dupla.

Se entreolharam. Eram os próximos.

— Taehyung! Jeongguk! — Jimin vinha correndo na direção deles, gritando alto o suficiente para eles escutarem mesmo com a música alta sendo tocada no palco.

— O que faz aqui, hyung? — perguntou Jeongguk, observando enquanto Jimin respirava fundo e olhava para os lados.

— Eu tenho que ser rápido, porque eu nem podia estar aqui. — Jimin disse, revirando os olhos para aquelas regras. — Só vim dizer que a Just Dance está sentado ali no teatro, esperando para aplaudir vocês. Porque sabemos que vocês são dançarinos incríveis, que amam o que fazem e isso é tudo que importa. — segurou com sua pequena mão, uma mão de cada um. — Boa sorte. — sorriu reconfortante e depois saiu andando em direção a um segurança que o olhava de cara feia.

Jeongguk e Taehyung riram da situação, porém sabiam que aquelas poucas palavras de Jimin, tinham feito toda a diferença. Sabiam que independente de tudo, seus amigos estariam ali para aplaudi-los e os apoiarem.

E então, a décima primeira dupla foi chamada.

Respiraram fundo e andaram até o palco, se posicionaram no meio, ficando em suas posições. Entrelaçaram seus dedos, como era feito no início da coreografia, mas a diferença foi que trocaram um pequeno aperto, como se dissessem estamos juntos nessa, um para o outro. E “Rewrite The Stars” se iniciou, junto com os movimentos dos dois.

Faziam cada passo se lembrando dos ensaios. De como logo no início Jeongguk não conseguia se soltar tanto por estar fora da sua zona de conforto, porém ele se desafiou e conseguiu, pensou Taehyung, enquanto observava o mais novo fazendo sua parte solo, no primeiro refrão da música, que tocava com menos batidas.

E logo quando ele terminou, Taehyung entrou em cena de novo, para fazerem a parte rápida juntos — a música pulava a parte que a Zendaya cantava, já que tinham os minutos exatos que a apresentação devia durar — e se lembrou de como de divertiram ensaiando essa parte juntos, de como trocaram risadas e sorrisos verdadeiros.

It Feels Impossible, e Taehyung correu para longe de Jeongguk como era combinado, enquanto o mais novo abria os braços, se preparando para o que viria. Quando iria tocar o refrão, Taehyung correu em direção a Jeongguk, que segurou-o pela cintura, levantando-o e girando-o no ar por alguns segundos. Os dois abriram um sorriso, lembrando de como nos ensaios essa parte tinha sido difícil, porque estavam acanhados e não tinham confiança um no outro, todavia pelo menos conseguiram criar confiança para dançar um com o outro.

Continuaram dançando mais animados, seguindo o ritmo da música no momento, até que o final chegou e a música ficava mais lenta junto com seus movimentos. Respiravam fundo, sentindo seus corações batendo rápido, enquanto chegavam perto um do outro e trocavam um quase abraço e sentavam-se assim no chão, com as pernas entrelaçadas, seguindo o próximo e último passo da coreografia que era entrelaçar seus dedos de volta.

Contudo ficaram surpresos quando – sem querer – levantaram os rostos na mesma hora e suas testas se coloram por causa da distância, sentido a respiração pesada um do outro, enquanto seus olhos não ousavam se desviar. Aquilo ali era muito mais intenso que tudo. Sabiam disso, só não conseguiam entender.

E nem tiveram tempo para pensar quando a música tocou seu último acorde e os aplausos foram ouvidos. Desviaram o olhar, sentindo-se envergonhados e felizes porque tinham conseguido. Se colocaram de pé, deram as mãos e se curvaram, abrindo sorrisos ainda maiores quando observaram seus amigos da academia de pé e gritando elogios. Riram, se retirando do palco para esperarem o resultado.

Jeongguk logo se jogou num canto do corredor, grudando suas pernas em seu abdômen e encostando sua testa na ponta de seu joelho, fechando os olhos e respirando fundo, torcendo para que tivessem ido bem.

— Nós fomos bem. — Taehyung comentou, se sentando ao lado do outro que o encarou, aceitando a garrafinha de água que tinha sido oferecida.

— Sim, nós fomos. — Jeongguk falou, encarando a parede à sua frente.

Permaneceram em silêncio porque não tinham mais o que falar. O último momento da coreografia ainda passava em suas cabeças, que não entendiam o que era aquela conexão, ou talvez apenas não queriam aceitar e compreender. Porque também tinham medo do que poderia ser.

— Todas as duplas para o palco. — anunciou um homem, passando pelo corredor.

Se levantaram juntos, ainda sem trocar uma palavra e foram para o palco, junto com as outras dezenove duplas. Ficaram todos lado a lado no palco, e Taehyung agradeceu mentalmente por Eunjin estar na outra ponta, enquanto Jeongguk nem tinha espaço na cabeça para lembrar-se de Yeosang.

— As duplas que forem anunciadas, por favor, dêem um passo a frente. — uma das juradas do concurso falou no microfone.

Então, a primeira dupla foi chamada, eram dos meninos da Academia Shadow. Taehyung estava ansioso, sentia que poderia desmaiar a qualquer momento, entretanto tudo passou quando sentiu dedos se entrelaçarem nos seus. Era Jeongguk. Ele apertou um pouco suas mãos e iniciou um carinho com o polegar nas costas da mão de Kim. Jeon também estava ansioso, porém sabia que ele e Taehyung eram uma dupla. Precisavam passar calma um para o outro. E sabia que tinha funcionado quando Taehyung deu um pequeno sorrisinho, e ele mesmo pôde respirar aliviado.

— Kim Taehyung e Jeon Jeongguk da Academia Just Dance. — a mulher anunciou, depois de cinco duplas anunciadas.

Explodindo de felicidade por terem passado para a próxima fase, Taehyung e Jeongguk se abraçaram, esquecendo sua rivalidade — que já estava bem abalada — e ouvindo os gritos dos seus amigos comemorando. Separaram-se, abrindo sorrisos um para o outro, e começando a pensar que podiam vencer o concurso se tivessem confiança um no outro, pelo menos na dança.

— Achei que vocês nem passariam, mas na final não chegam. — Eunjin implicou, quando passou ao lado deles no corredor, para poderem finalmente se juntar a galera de suas academias.

— Não sabia que cobra falava. — Jeongguk disse para ela, apenas tendo tempo de ver a cara de brava que ela fez, e puxar Taehyung para longe dali, antes que a garota falasse mais alguma merda.

Taehyung ficou agradecido por Jeongguk ter meio que o defendido, já que Eunjin era sua rival, e não dele. E não se deixou pensar muito no que ela tinha dito, porque encontrou com seus amigos e todos comemoraram juntos e felizes por Jeongguk e Taehyung terem passado para a próxima fase.


Notas Finais


Dança: https://youtu.be/k_aTXUJ8Rq8

O que acharam? Comentem e votem, por favor!

Deixar claro aqui que o que o Taehyung sentiu no capítulo não é ciúmes e sim irritação por achar que o Jeongguk está sendo irresponsável.

É isso, até sábado! Purple you!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...