História Just Friends- Camren - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Normani Hamilton
Tags Camren, Comedia, Romance
Visualizações 495
Palavras 1.934
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá nenenzinhos mais lindos de todo o planeta, tudo bem com vocês? Espero que sim, bom minha quinta foi muito corrida e sexta também o que é maravilhoso.Bom, eu não tive muito tempo, to tendo só agora. Então por favorzinho me desculpem por não ter respondido os coments. Eu vou responder agora. Mas heyyyyyyyyyy, começou o final de semana. Vou dormir amanha até não aguentar maissss. Quais são os planos de vocês para o fim de semana? . Com esse cap, são 3 até o fim da fic. O que me deixa triste por que eu já falei várias vezes, mas é uma experiência maravilhosa conversar com todos vocês. Então muito obrigada pela tempo de vocês, por quem leu e por quem comentou, e também favoritou. E é isso acho que meu cérebro ta um pouquinho cansado por isso não consigo pensar em nada melhor para as notas do autor.
Bom espero que gostem, e beijinhos para todos vocês, bom final de semana, Eu vou me esforçar para que o meu seja.
E lembrem- se que são todos vocês nenens muito preciosos para mim.

Capítulo 11 - Its a great name.


P.O.V Camila

- Dá para acelerar, Camila?- disse irritada ao meu lado.

- Você quer dirigir Lauren? Por que se quiser eu posso parar o carro para você.- a respondi no mesmo tom.

- Desculpa, tá legal- ela olhou para a janela- Eu só quero que Taylor esteja bem.

- Ela está, tenho certeza.- a olhei logo voltando a prestar atenção a minha frente.- Eu também me importo com Taylor, mas só vamos piorar a situação se ficarmos nervosas. Ficamos em silêncio. Ainda não sabia como agir com Lauren depois de toda a confusão. E diria que ela estava na mesma sinuca de bico. Eu me sentia envergonhada, me sentia suja, e me sentia de formas que eu nem entendia, mas nada disso importava agora, apena Taylor e o bebê, depois lhe daria com tudo isso. Cheguei ao cruzamento e o sinal estava amarelo, reduzi.

- Qual é, Camila? Estava amarelo. Dava para passar- disse choramingando ao meu lado.- Desse jeito a gente vai chegar lá no aniversário de um ano da criança.

- Lauren, eu juro que se você  disser mais alguma coisa eu te chuto desse carro e você vai á pé.

- Bom com a sua velocidade a gente pode até apostar corrida. Tenho certeza de que vou chegar primeiro.- falou irônica.

-Ah sim, você ama apostar, não é mesmo? - Respondi em um tom ácido.

E aqui estávamos nós, discutindo no sinal enquanto Taylor já devia estar entrando na sala de parto.- Alias Olha só que irônico, você falando isso para mim. Até por que eu não passava de uma forma de chamar a atenção da sua namoradinha. Você nunca me viu como nada além de um capacho seu. Dez anos depois e você só lembra de mim como e quando te convèm.- ela começava a ficar vermelha.

- Não se faça de vitima aqui, Lauren. Por que não é você a que fica para consertar tudo depois. Eu queria poder vir aqui e brincar de conquiste a ex melhor amiga e depois voltar para minha vida de verdade, mas adivinhe só, essa aqui é a minha vida de verdade.

- Eu já pedi desculpas por isso, não? Não que você merecesse.

- O problema é que desculpas não resolvem a bagunça que você fez, Lauren!!!!!- gritei com ela. Se ela queria falar sobre isso, tudo bem.- VOCÊ NÃO TINHA O DIREITO DE FALAR NADA PARA MIM, MUITO MENOS AQUELA CENA!!!!!!. NÓS NÃO TEMOS NADA, NUNCA TIVEMOS E NUNCA VAMOS TER. EU DE VERDADE NÃO TE ENTENDO, EU TENTEI ATÉ, MAS NÃO CONSEGUI. NA MINHA CASA VOCÊ ME IGNOROU PRATICAMENTE, E SURTA QUANDO ME VÊ COM A ARIANA.  ME CONFUNDE FEZ COM QUE EU ME SENTISSE UM LIXO DEPOIS QUE A GENTE FICOU. EU FALTEI ME ESFREGAR EM VOCÊ, E VOCÊ NÃO DEU A MÍNIMA. SABE COMO ME SENTI REJEITADA?

-Bom agora você sabe como eu me senti por anos!!!!!- disse seca me olhando. Soltei uma risada sem humor.

- Então todo tempo foi isso? Vingança pelo ensino médio. Sabe, a melhor coisa que você faz por nós duas e ir embora e nunca mais voltar.- ela respirou fundo. E um carro atrás buzinou, mostrando que já tinha aberto o sinal.

- Pelo menos nisso a gente concorda.- arranquei com o carro.- EU NUNCA DEVERIA TER VOLTADO, VOCÊ É, SEMPRE FOI E SEMPRE VAI SER UMA VADIA EGOÍSTA, CAMILA CABELLO, E VOCÊ PODE MENTIR PARA VOCÊ MESMA O QUANTO QUISER, MAS NÃO É A ARIANA QUE É A VILÃ DESSA HISTÓRIA, MUITO MENOS EU. É VOCÊ QUE SEMPRE BRINCOU COM MEUS SENTIM.

Aconteceu em fração de segundos, em um momento eu estava discutindo com Lauren e no próximo senti o impacto nos jogando para o lado. Quando o carro parou, eu não fazia noção do que tinha acontecido. O meu carro derrapou um pouco batendo na cerca da frente. Minha reação inicial foi olhar para lado e me certificar que a garota estava bem, já que a batida havia sido do seu lado. Agradeci aos céus quando a vi bem. Ela parecia surpresa mais bem. Me olhou.

- Você está bem, Camila?- acenei com a cabeça.

-Você?- perguntei e ela também acenou de volta, e suspirou sorrindo de lado.

            - Eu não achei graça.

            - A gente tá bem, é o que importa.- disse desafivelando o seu cinto, e saindo. Logo desci do carro também.

            - QUEM DE VOCÊS ESTAVA DIRIGINDO?- um policial vinha em nossa direção com uma carranca. Olhei o carro do outro lado da rua, com o poste praticamente enterrado na sua lataria, e era uma viatura. Tinha sido atingida pela merda de uma viatura.

- Eu- me pronunciei.

- MAS VOCÊ NÃO OUVIU A MERDA DO GIRA-FLEX? OU OLHOU PARA OS LADOS?- ele vociferava.

-Calminha aí, policial, ela estava certa. Você que estava em alta velocidade.- disse Lauren se pondo em minha frente. Ele pareceu desconfortável.

-E-Estávamos em uma perseguição altamente perigosa. A culpa foi dela de não olhar para os lados.

- Mas eu não vi carro nenhum antes de vocês.- eu disse o olhando.

- P- pegamos um atalho. Você está duvidando de uma autoridade policial?- arqueei uma sobrancelha, eu não estava gostando da atitude dele.

- E se a gente estiver?- falei debochada.

- Bom, então eu sinto informa-la que além de obstruir a justiça, você ainda estava em uma velocidade altamente perigosa. Advinha só? Sua carteira está oficialmente detida.

- O QUE? Você não pode fazer isso? Você que me bateu!!!!!- exclamei já saindo do sério.

- Se não quer que inclua desacato a autoridade, acho melhor a mocinha se acalmar.- Lauren puxou meu braço.

- Está tudo bem por aqui?- vi outro policial gordinho se aproximar.

.- Vamos descobrir na central. Volta para o carro Nate

- O QUÊ? Não policial, você não está entendendo a minha irmã está agora no hospital tendo um bebê- Lauren falou-  a gente precisa chegar lá agora. Eu sinto muito pela batida, estávamos nervosas pela minha irmã, ela promete que não vai fazer de novo.

- VOCÊ TÁ BRINCANDO COM A MINHA CARA, LAUREN. EU NÃO FIZ NADA ESSE IDIOTA QUE..

-Cala a merda da boca Camila.

-Devia ouvir sua namorada- disse o bigodudo intragável- Não posso deixa-la sair assim, é um perigo para outros motoristas. Vou reter sua carteira. Pode me mostrar seus documentos.

- Eu não vou mostrar mer.

-É brincadeira dela, policial.- disse apertando meu ombro de maneira dolorosa.- Pega seus documentos, ou além de ficar sem carteira a gente ainda vai ter uma ocorrência no histórico, e adeus para o meu visto.- sussurrou em meu ouvido, me arrepiando involuntariamente.- a menos que queira olhar para minha cara o resto da sua vida, acho melhor pegar os documentos Cabello.- bufei, voltando ao carro, pegando os documentos no porta-luvas.

-Aqui- disse a contragosto entregando para o idiota a minha frente.

- Que legal, seu sobrinho nascer no dia de Natal. Sabia que ele vai ser capricorniano?- disse o policial gordinho para Lauren como se fosse a informação mais valiosa do mundo. O olhei incrédula, e Lauren o encarava confusa também. O outro checava minha documentação.

-Ahnmmmm, pfffffffff, não. Não sabia- Laur respondeu devagar e confusa. Eu ainda encarava a dupla de idiotas a minha frente.

- Bom, isso fica comigo Srta Cabello.- pronunciou meu nome com acidez.- Estão liberadas, mas a bonitinha aqui que vai dirigir. Você está proibida por um ano a contar da data de hoje. Bufei mordendo minha língua, o que eu menos precisava agora era ser levada para uma delegacia.

....

- Ela já entrou na sala de parto!!!.- Clara dizia nervosa a Lauren. Eu estava logo em seu encalço.- O único que pôde entrar foi Liam. Agora tudo que podemos fazer é esperar.

- Vocês demoraram!!!- Chris se pronunciou.

- Longa história.- disse suspirando e sentando em seu lado. Ele me ofereceu seu copo com o que parecia ser café. Eu estava mesmo precisando.

- Dinah e Harry ficaram em casa cuidando de Charlie, não acho que aqui seja lugar para uma criança.- o garoto ao meu lado falava, de todos parecia o mais calmo .- Sobre a casa de seus pais, eles prometeram pagar tudo, em dobro até.

-Eu só não quero pensar sobre isso agora.- minha exaustão emocional era tamanha àquela altura que eu me recusava a pensar em qualquer coisa que não fosse torcer pelo bem de Taylor e o bebê.

- Tudo bem. Eu entendo.

Olhei a garota a minha frente, que andava para lá e para cá impaciente. Clara e Michael  falavam com a recepcionista. Lindsay cochilava em uma cadeira a minha frente. Talvez devesse fazer o mesmo. Quando alguma nova noticia surgisse tenho certeza que algum dos Jaureguis me acordaria.

....

 

Acordei com um chacoalhar gentil, abri meus olhos dando de cara com aquela imensidão verde.

- Érrr, Taylor e o bebê já foram transferidos para um quarto. Já podemos vê-los.- respondeu se levantando. Concordei me espreguiçando, na cadeira e me pondo de pé também. Passei as mãos pelo suéter. A seguindo.

Entramos na sala. Taylor segurava um embrulhinho amarelo nos braços. Liam estava do lado com lágrimas nos olhos. Sempre foi o mais sensível dos dois. Clara e Michael estavam ao lado olhando a pequenino nos braços de Taylor.

-Parece que agora só falta você, Laur, Chris e eu já fizemos nossa parte- disse Taylor sorrindo. A garota de olhos verdes estava paralisada a porta olhando o novo Jauregui. Passei a sua frente me aproximando de Taylor.

- É a sua cara Taylor.- soltei involuntariamente com um sorriso.

- Eu pensei a mesma coisa quando o vi.- disse Liam sorrindo orgulhoso.

-Você quer segurá-lo?- perguntou a nova mamãe se ajeitando na cama. Acenei meia aérea sem ter certeza se conseguiria.- É fácil, é só apoiar a cabeça dele.- respondeu como se lesse meus pensamentos, me ofereceu a criança, e eu peguei sentindo meu coração transbordar com aquela nova vida ali em meus braços. Ele sorriu para mim, com seu sorrisinho banguela, sem nem um dente se quer.

- Acho que ele gostou de você, Camila.- Liam me disse sorrindo e retribuí. Senti Laur se aproximar ainda meio em choque encarando a criança fixamente.

-Você quer tentar também Laur?- perguntou sua irmã, e a garota acenou. Com o maior cuidado do mundo passei o bebê para Lauren que o segurava como a coisa mais preciosa do mundo. E naquele momento era.

-  É seu sobrinho querida.- Clara se pronunciou amável- Você não vai dizer nada?- perguntou. A garota levantou o olhar, me olhando e desviando para sua mãe. Ela tinha lágrimas prestes a transbordar.

- Eu.. ahn... Eu só....Vocês sabiam que ele é capricorniano?- disse temerosa. Sorri.

-E isso que dizer que....?.- Liam falou meio confuso.

- Acho que o que Lauren quer dizer, e está feliz demais para formular uma frase que faça sentindo, e que a família Jauregui não poderia ter pedido um melhor presente de Natal.- falou Michael se aproximando da filha e o novo neto. Ela sorriu para ele agradecida, e o homem piscou para ela.

- Já tem um nome em mente, Tay?- perguntei me voltando para a garota.

- Eu pensei em Joy.- disse a garota assim, que Cris entrou na sala com Charlie em seu colo. Dinah e Harry entraram logo atrás. O garoto tinha um ursinho nas mãos.- Acho que é um bom nome para o momento em que ele chegou.- Ela olhou em volta, todos nós na sala e voltou a encarar o bebê agora já em seu colo.

-  É um ótimo nome.- Dinah pronunciou o que todos ali na sala pensavam.


Notas Finais


Oiiii nénens, tudo bom? Espero que sim.Bom como é de lei.
Muito obrigadinho pelo tempo de vocês, se puderem comentar ia ser maravilhoso conversar com vcs, mas se não também, não tem problema nenhum por que só de tirarem um tempinho para ler já é muito atencioso da parte de vocês. Bom é isso, e bom final de semana, acha que amanhã eu volto, mas não vou dar certeza então..... talvez até amanhã nenens


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...