História Just Friends- Camren - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Normani Hamilton
Tags Camren, Comedia, Romance
Visualizações 771
Palavras 1.501
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyyyyyy nenes mais lindos e goxxxxtosos e fofuras de todo o planeta. Tudo bom com vocês? Espero de verdade que sim. E se não tiver, e quiserem conversar eu to sempre aqui, amo escutar os outros. Bom,comigo não poderia estar melhor, vocês são real muito atenciosos. Uns amore mesmo. Bom como já sabem, temos mais dois depois desse e então me despeço de vocês,. E cada nota de autor que escrevo meu coraçãozinho fica mais apertado. E eu acabo travando e fico sem saber o que escrever, acho que já perceberam de umas 2 notas para cá. Ontem eu achei que era o cansaço e hoje eu acho que é porque a cada cap, fica mais perto de não poder mais conversar com vcs. Pelo menos não tão cedo. Espero que o sabado de vocês esteja sendo tão bom quanto o meu, que dormi até 3 da tarde, acordei, maratonei minhas séries favoritas e para fechar o dia com chave de ouro estou aqui agora falando com esses nenens adoraveis que vocês são. Eu espero que gostem de verdade. E é isso. Muitos beijinhos e até amanhã.

Capítulo 12 - I love you.


P.O.V Lauren

- Minha nossa, a última vez que me senti assim foi no parto de Charlie. Sou velha demais para passar por essas emoções.

            Agora eram por volta das 19:00 da noite, Liam havia insistido para que todos fossem para casa, mas nos recusamos, só fomos embora quando Taylor e o bebê foram liberados. Camila havia ido com Lindsay e Charlie, e Chris e meu pai tinha se dividido para trazer todos nós.

            -  Bom acho melhor segurar o coraçãozinho Dona Clara, por que ainda falta a Laur.- disse meu irmão do sofá divertido. Revirei os olhos para seu comentário. E Harry e minha mãe sorriram.

            - Bom, crianças, o dia foi exaustivo e eu estou cansada. Tem sobras da ceia na geladeira se um de vocês sentir fome. Se precisarem de mim, eu não estou.- deu um beijo em minha testa, na de Harry, e em meu irmão.- Boa noite, meninos e Feliz Natal.-

            - Boa noite, mãe.

            - Boa noite, mãe.

            - Boa noite, Sra Jauregui- falamos os três juntos, e ela sumiu escada a cima.

            - Aproveitando a deixa da mamãe, eu também vou indo. Boa noite para quem fica. E feliz natal- veio me dar um abraço e em meu amigo.

            - Eu te acompanho até a porta.- me levantei.

            - Só fica bem, Gaspar.- me deu um último abraço indo até seu carro. Fechei a porta e suspirei, tinha sido realmente uma noite exaustiva.

            - Como você está se sentindo?- Hazza me perguntou assim que voltei para a sala.

            - Como se um caminhão tivesse passado por cima de mim.- disse sincera. Meu estomago roncou alto.- E com fome também.

            - Isso eu posso resolver fácil. Sobe e toma um banho que eu já levo alguma coisa para gente comer. Sorriu compreensivo.

            - Tudo bem. Eu acho que é uma boa ideia. – Disse me levantando.

            - Eu sempre tenho boas ideias.- respondeu divertido. Subi para o meu quarto. Mas antes me lembrei.

            - Ah Harry, o meu.

            - Sem picles e com muita maionese? - Arqueou uma sobrancelha.

            - Você é o melhor.- disse e subi.

            Dinah estava tão concentrada em meu notebook que nem reparou quando entrei no quarto.

            - O que está fazendo? - Perguntei a assustando.

            - Que merda, Laur. Isso não se faz.- levou a mão ao peito. – Eu resolvi trabalhar no meu novo livro, mas o meu computador não quer ligar de jeito nenhum.

            - E como está indo?

            - Bem até, tenho o suficiente para começar.

            - Pelo menos alguém está aproveitando essa viagem.

            - Ahn, sobre a viagem.... Eu fui entrar no meu e-mail e automaticamente logou no seu. Não estava espiando nem nada.- arqueei minha sobrancelha.- Não me olha com essa cara, por que a culpa não foi minha. Enfim, seu advogado mandou um e-mail para você.

            - O QUÊ? E você não pensou em me falar.

            - É o que estou fazendo agora.- disse arqueando uma sobrancelha como se fosse óbvio e me estendendo o computador. Abri o mais rápido que pude a guia para o meu e-mail, logo encontrando a mensagem na caixa de entrada, sinalizada como já lida.- olhei para Dinah que me deu um sorrisinho de desculpas.

            -DJ eu trouxe....O que foi?- subi meu olhar para o garoto depois de ler a mensagem. Foi estranho não me sentir tão feliz quanto deveria com aquela noticia, eu estava feliz por finalmente poder voltar para a minha vida, mas era inevitável pensar em ir embora e deixar minha família, e por mais que não admitisse, me apertava o coração pensar em não ver mais Camila.

            - Meu advogado já conseguiu meu Green Card, posso voltar agora se eu quiser.- Minha amiga tinha um sorriso enorme no rosto. E Harry parecia pensativo.

            - Bom, eu só não liguei para Ally ainda por que achei que era certo te contar antes, mas eu vou ligar para ela agora para marcar nossa volta.- pegou o celular em cima da mesinha e saiu.

            - Está tudo bem Laur?- o garoto sentou na cama ao meu lado, me estendendo um prato com sanduíche de pernil.

            - Eu não sei. Eu deveria estar ótima.- disse.

            - Mas...????- aquele garoto me conhecia bem demais.

            - Eu sei lá. Eu só......é como se eu não tivesse em paz. Parece que mais uma vez eu estou fugindo daqui. Eu não consigo entender.

            - Eu entendo, por que é o que você está fazendo.- o olhei supresa.- Qual é Laur? Eu te conheço à anos, e nunca vi uma garota mexer com você como a Cabello em alguns dias. No final você nunca foi sincera com ela sobre como se sentia. Ela escutou esse tal de Austin falar o que você sentia, seu irmão, seus amigos, todo mundo menos você. Lauren, você nunca chegou a olhá-la no olho e se abrir. E o meu medo é que nunca faça, e esse seja seu maior arrependimento.

            - Acabei de falar com a Ally, e as 10:00 da manhã estamos saindo.- disse a maior entrando saltitante no quarto.- O que foi? Porque essas caras de enterro?  Ânimo gente, Just hold on we´re going home.- cantarolou a música.

            - Agora não, Dinah- repreendeu minha amiga- Você sabe o que fazer, Lauren, mas a decisão é sua.

            - Que decisão?- a minha amiga jogava a mala em cima da cama pronta para começar a arrumá-la.

            Harry tinha razão, eu não ia cometer o mesmo erro pela segunda vez. Me levantei procurando meu casaco. O achei jogado na mesa do canto.

            - Pera aí, onde ela pensa que vai? Ela tem que arrumar as malas- perguntou minha amiga.

            - Me desejem sorte.- desci as escadas procurando as chaves do carro. Não encontrei, e não acordaria meus pais para perguntar, seria injusto com eles. Com sorte meu pai deveria ter esquecido na ignição. Desci para a garagem, olhando dentro do carro e nada. Merda. Olhei para o lado e minha antiga bicicleta parecia sorrir para mim. O carma é uma verdadeira vadia. Suspirei.

            Bom, eu não tinha nada a perder. Montei na bicicleta saindo pela porta lateral. Já na rua olhei para casa e meus dois amigos me encaravam da janela do meu quarto. O cabeludo tinha um sorriso orgulhoso e Dinah gesticulava, parecia me xingar da janela, mas não ligaria para isso agora. Pedalei rua abaixo.

            Eu me lembraria de pegar mais pesado na academia quando voltasse. Aquele simples percurso de 20 minutos tinha me matado, mas aqui estava eu em frente a porta de Camila. Toquei a campahia, e Normani a abriu.

            - A-A Camilaesta ?- falei em um folego só. Aquela pedalada tinha realmente acabado comigo.

            - O quê?- disse arqueando uma sobrancelha. Coloquei as duas mãos na cintura, respirando fundo e tentando me recuperar.

            - A Camila está?

            -MILA, É PARA VOCÊ!!!- gritou para dentro da porta.- Só um instante Jauregui.

            - O-O que? Quem é a essa hora?- sorri para ela.- Ah é você- tinha uma carranca assim que me viu. Empurrou a porta a fechando em minha cara. Toquei a campahia freneticamente

            - Qual é, Camz. Eu só quero conversar- esperei alguma resposta mais nada. Podia ver pela sombra do batente que ela estava de frente para porta.- Tudo bem então, só me escuta.- respirei fundo.- Eu sei que você deve me odiar agora e com razão. Eu vim agindo de forma infantil desde que cheguei e eu sei que posso ter te confundido, mas você me confundiu primeiro, quando a gente se esbarrou naquele bar. Eu não sou a Lauren que eu conheço desde aquele dia, e você faz isso comigo, desde sempre. Não importa quantas mascaras eu vista, e quantas muralhas em volta de mim eu construa, só de olhar para você tudo isso vira poeira, e isso me deixou vulnerável. Eu fiquei assustada, aterrorizada na verdade de entender toda a força que você ainda tinha sobre mim. Mas agora eu vejo que é a verdade é que.... Eu sou apaixonada pela minha melhor amiga desde a oitava série. E 3.000 km de distância e 10 anos não diminuíram o que eu sentia, e sinto agora por você. Eu errei, você errou, e você sabe que sim. Eu te amo, como melhor amiga, mas também mais que isso. Eu não quero cometer o mesmo erro de antes, então eu vim aqui por que não quero ir embora sem que você saiba o que sinto, e muito menos brigada com uma das pessoas mais importantes para mim. Você e eu merecemos um desfecho, e não importa para onde eu vá, ou se você me desculpe ou não. Quero que saiba que te amo.- ela abriu a porta com um sorriso e olhos cheios de lágrimas. Me surpreendendo com um beijo, urgente, quase necessitado, fomos diminuindo a intensidade do beijo, até não passarem de selinho, Camila me envolveu em um abraço e Normani nos olhava da porta com um sorriso

            - Você me ganhou no com razão- disse abafado escondendo o rosto no meu pescoço           



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...