História Just FRIENDS? Kaisoo - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Amor, Dyo, Exo, Exol, Jongin, Kai, Kaisoo, Kyungsoo, Sulay
Visualizações 252
Palavras 2.325
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 30 - Capítulo 30


Fanfic / Fanfiction Just FRIENDS? Kaisoo - Capítulo 30 - Capítulo 30

Passaram-se algumas semanas desde meu flagrante a Jongin e aquele cara e eu fugi daquilo, não tinha condições de lidar com isso, não agora, não depois de descobrir...

Então continuei fugindo, era mais fácil do que encarar a verdade, fugia quando ele ia bater na minha porta, ele tinha  as chaves de casa, então troquei a fechadura, o conhecia o suficiente pelo menos para saber que na primeira oportunidade invadiria meu apartamento, fugia também no escritório e por isso tive que contar por alto para Jun o que tinha acontecido, dizer que ele ficou surpreso seria mentira pois ele sabia, ele havia me avisado, todos haviam me avisado que Kim Jongin não se prendia a ninguém, mas como tolo acreditei que ficaria comigo.

Então o tempo passou e soube por Minseok que ele havia ido viajar a trabalho o que era bom, não correria o risco de vê-lo. Minie conversou comigo, pediu para que escutasse Jongin, mas só foi eu começar a falar o que tinha visto e ele só faltou pegar o carro e ir atrás de Jongin para agredi-lo.

Não posso dizer que não gostei da ideia.

Durante esse tempo me aproximei bastante de Seunghyun, não de um jeito romântico, longe disso pois na minha atual situação, nem se quisesse poderia, mas, tenho que admitir que tive uma impressão errada de Seung e de verdade, ele é um cara maravilhoso e um bom amigo, tão bom que me escutou durante os meus dias difíceis e me fez companhia também quando soube e sinceramente, não saberia o que fazer se ele não estivesse aqui, já que não poderia me abrir com mais ninguém e nem desabafar.

Este fim de semana Junmyeon e Yixing iriam fazer a festinha de um ano do meu bolinho de arroz, eu não acredito que o tempo passou tão rápido e ele já está fazendo um aninho, confesso que me senti velho, mas fazer o que.

Como estou andando com Seung para cima e para baixo Myeon o convidou também e Daesung.

Creio que isso era obra de Lisoo que estava tento um caso segundo as câmeras de segurança do escritório.

Então por isso, Seung se ofereceu para vir me buscar e eu aceitei. Segundo ele, estava preocupado pelo fato de não estar conseguindo comer quase nada, bom eu tento, eu juro que tento, mas é difícil.

Acho que até meu estômago sofre por amor.

Na hora marcada eu desci e o esperei na portaria do prédio e pontualmente ele chegou e parou o carro.

 - Meu Deus Kyungsoo, o que tem nesse saco?

Comecei a rir pegando o presente de  Yejun que estava ao meu lado.

- Eu comprei um coelho gigante para ele.

Seung abriu a porta traseira do carro e me olhou com expressão engraçada

- Coelho gigante?

Concordei rindo.

- Uhum, Jun me disse uma vez que se não fosse por causa de um coelho, Yennie não tinha nascido.

A expressão de confuso de Seung piorou e eu comecei a rir mais ainda grato por ele não ter entendido a duplicidade do que eu havia acabado de dizer. 

- Então tá. 

Ele abriu a porta do passageiro e eu entrei.

- Eu só comprei um jogo de carrinhos que segundo minha irmã é indicado para crianças de um ano.

Ele disse ao entrar no carro e colocar o cinto de segurança e ligar o veículo.

- E como você está hoje?

Ele em perguntou sem tirar os olhos da rua, concordei com a cabeça afirmando.

-Eu estou bem.

Ele me olhou de canto.

- Comeu algo?

Mais uma vez concordei e ele estreitou o olhar desconfiado.

- De verdade eu comi, não se preocupe.

- Acho bom não estar me enrolando Kyungsoo.

Revirei os olhos e ele começou a rir.

Era estranho pensar que alguns meses atrás existia um interesse amoroso entre a gente (por parte de Seunghyun é claro), já que agora nos tratávamos como irmãos basicamente, vai ver que se algo tivesse acontecido entre a gente no fim acabaria assim, desse jeitinho em uma bela amizade.

Conversamos um pouco durante o caminho, Seung me contou sobre um novo projeto que estava animado e eu escutei e falei um pouco sobre uns projetos  outros assuntos, nossos assuntos.

Quando chegamos em frente a casa de Jun e Yin, ele parou o carro e tirou o cinto e virou-se para mim.

- No momento que não se sentir à vontade ou quiser ir embora é só falar que iremos ok?

Concordei com  cabeça, ele não precisava falar o porque estava falando isso, pois sabia muito, o motivo dessas palavras era o fato de Jongin poder estar presente dentro da casa.

Saímos juntos do carro e Seung levou o urso gigante e eu a sacola com o jogo de carros.

Toquei a campainha e esperamos juntos à porta se abrir.

- Olha meu amor, seu padrinho chegou.

Jun disse assim que me viu com Yennie no colo que quando seus lindos olhinhos bateram em mim esticou os bracinhos e eu o peguei.

- Meu bolinho de arroz como você esta lindo.

Disse com ele no colo todo risinho mostrando as covinhas herdadas de Yixing.

- Bem-vindos.

Jun disse abrindo mais a porta para que Seung e eu pudéssemos entrar.

Sim, Jun achava que tinha algo com Seung, mesmo eu negando.

- Onde posso colocar esse urso?

Seung perguntou a Jun que pela expressão só agora tinha notado a pelúcia nos nos braços do meu amigo.

- Pode colocar naquela pilha ali no canto.

Jun disse apontando, Seung concordou, pegou o presente que trouxe para Yennie e seguiu para pilha.

Quando ele se afastou Jun me olhou com aquele olhar e mais uma vez eu neguei e sai andando com meu afilhado lindo no colo até onde Seung estava. Como Daesung não havia chegado ainda com Lisoo o apresentei ao restante de nossos amigos, como Minseok, Jongdae, Jaebum e Sehun, a quem Seung pegou uma rápida amizade.

A festinha ia indo bem, eu não desgrudava de meu bolinho de arroz por querer lhe ensinar a falar dindo coisa que estava quase conseguindo, até que a campainha tocou e alguns minutos depois Jongin apareceu na entrada da sala com Yixing ao lado.

Assim que o vi desviei o olhar e foquei em Yejun  que sorria batendo palminha todo animado, resolvi me atentar a isso e ignorar a presença de Jongin e bom meu plano ia bem até que Yennie esticou os bracinhos pedindo colo.

No primeiro momento achei que era Jun ou Yixing, mas não, não era nenhum dos dois.

- Oi garotão.

Jongin disse assim que o pegou do meu colo, Yejun sorriu todo contente em revê-lo, suspeito que ainda se lembra da noite que cuidamos dele.

O olhar de Jongin desviou de Yennie e focou em mim, focou nos meus lábios como sempre focava quando nos víamos depois de um longo tempo afastados. 

E infelizmente meu coração idiota respondeu a isto, e como respondeu.

- Kyungsoo.

Nos dois nos viramos e pude ouvir uma bufada vinda de Jongin ao ver Seung, segui na direção dele e o puxei pelo braço para sairmos dai.

- Obrigado.

Disse baixinho, ele apenas concordou e deu um sorriso sacana o que me fez levantar um sobrancelha.

- Que sorrisinho é este Lee Seunghyun?

Ele levantou às duas sobrancelhas e virou-se para trás olhando em direção a Sehun que conversava com Jun.

- Esse seu amigo, Sehun, tem namorado?

Comecei a rir negando.

E Seung fechou a cara.

- Que? Minha última tentativa amorosa virou um dos meus melhores amigos, então nada mais justo que me ajude com um amigo bonito e para começar me informando se tem namorado.

Ri mais com as palavras deles, o que era estranho já que se ouvisse isso antes ficaria sem graça.

-Não, Sehun não tem namorado há algum tempo desde que o ex dele voltou para o país dele.

Seung olhou rapidamente para trás onde Sehun estava e depois olhou para mim.

- Que bom... Para mim.

Neguei com a cabeça.

- Eu mereço.

Ele me deu um beijinho na bochecha.

- Merece sim.

Revirei os olhos e me virei dando de cara com Jongin que olhava com uma cara seria em nossa direção.

"Você vai deixar outro homem te tocar do jeito que eu te toco?"

Essas palavras vieram em minha mente e eu balancei a cabeça tentando afasta-las e virei novamente para Seung que estava me olhando preocupado.

- Esta tudo bem? Quer ir embora?

Neguei.

- Esta tudo bem não se preocupe.

- Pessoal hora dos parabéns.

Yixing disse com o filho no colo e todos incluindo Seung e eu seguimos para a parte da sala onde estava montada a mesa com um bolo do homem de ferro.

- Para quem será o primeiro pedaço de bolo?

Lisoo disse se juntando a nos com Daesung atrás dela.

- Acho justo ser para mim.

Disse rindo.

- Se for um desejo é capaz de ser.

Seung cochichou no meu ouvido me fazendo rir 

- Ainda está história de meus desejos são uma ordem?

Ele concordou e completou.

- Claro que sim, sou ou não sou um ótimo amigo?

Concordei rindo - um amigão.

As luzes se apagaram e os parabéns começaram em meio a flashs , fotos, e filmagem.

Yejun batia as mãozinhas todo feliz e eu é claro tirei um monte de fotos da coisinha mais fofo da mundo.

Quando os parabéns acabou, Jun e Yixing cortaram o primeiro pedaço e perguntaram para Yennie para quem era, e para surpresa de todos, principalmente minha ele se esticou todo em direção a Jongin.

Me trair ok, mas roubar meu afilhado ai já é de mais. 

Olhei para o lado onde Seung estava morrendo de rir junto a Lisoo e fechei a cara.

- Estão rindo do que?

Os dois se olharam.

- Dessa sua cara de possível assassino Soo.

Seung disse e logo depois lhe dei um tapa.

Jun e sua omma começaram a corta e a servir o bolo, porém assim que recebi meu pedaço meu estômago embrulhou e todo àquela sensação de quase morte apareceu, tanto que deixei o pratinho de lado e segui até a porta da frente para tomar um pouco de ar.

Me encostei na frente do carro de Seung e respirei fundo, uma mão tocou meu ombro e eu virei a cabeça para trás esperando ver Seung, mas não era ele.

- Esta se sentindo bem?

Jongin perguntou me olhando, me afastei tirando sua mão de meu ombro e concordei com a cabeça seguindo em direção a casa novamente.

Porém, ele me pegou pelo braço e me puxou.

- Me solta.

- Kyungsoo, você não pode passar o resto da vida fugindo de mim, pelo menos me deixe explicar o...

- Explicar o que...

Disse puxando o braço, mas ele não soltou.

-... O que eu vi foi miragem? Jongin por favor, tenha bom senso e...

Ele me puxou para si juntando nossos corpos me fazendo calar.

- Eu não estou dizendo o que você viu foi miragem, só que as coisas não foram da forma que você pensa Kyungsoo.

- Há não? 

Disse tentando me soltar e ele apenas concordou com a cabeça, me olhando com aqueles olhos escuros dele fixos aos meus, mas não ia deixar me abalar com isso, como disse antes, não sou um dos casinhos dele e não vou ser tratado como um.

-Me solta Jongin.

Disse tentando o empurrar, mas ele não me soltou, pelo contrário me apertou mais contra si.

- Algum problema Kyung?

Ao ouvir a voz de Seung, Jongin vacilou um pouco em seus braços e eu enfim consegui me soltar dos seus braços.

- Não meta-se nisso.

Jongin disse me puxando para trás quando Seung se aproximou de onde nos estávamos.

-  Eu me meto a onde bem quiser, entendeu?!

Mesmo de trás de Jongin conseguir ver sua mandíbula se mexendo da mesma forma de quando ele ficava irritado.

- Não, não entendi. E acho que já fui bem claro contigo sobre você ficar atrás do meu homem.

Jongin disse com um tom irritado o que fez Seung estreitar os olhos e sorrir de lado.

Apesar de não ter mais o interesse que tinha em mim, Seung não ia com a cara de Jongin e disso eu sabia, tanto que por ele eu soube de uma certa ligação que Jongin atendeu e de um certo dia que confrontou ele no estacionamento do prédio.

- Seu homem? Pelo que sei, ele não é seu homem há muito tempo Jongin, então trate de se afastar dele, fui claro?

Houve um certo tom de sarcasmo nas últimas palavras ditas por Seung que se aproximou mais de Jongin enquanto eu olha para os dois com os olhos arregalados.

-Acho que temos um problema aqui então, porque eu não vou me afastar de Kyungsoo.

Jongin respondeu o que fez aumentar a tensão.

- Então temos um problema e o que você vai fazer sobre isso em Jongin?

Seung disse e notei Jongin fechando o punho.

No minuto seguinte o punho fechado de Jongin foi de encontro ao rosto de Seung que cambaleou para trás, mas assim que se reequilíbriou e partiu para cima de Jongin, ambos caíram no chão se socando.

Eu não sabia bem o que fazer, então fiz o que eu achei mais inteligente no momento, corri até onde os dois estavam se socando e tentei separar, confesso que no primeiro momento pareceu uma boa ideia, mas os dois pareciam estarem presos em um ímã que os puxavam um para o outro.

No entanto, quanto tentava tirar Jongin de cima de Seung, ele acabou me afastando com um braço enquanto dizia algo sobre quebrar a cara de Seung em duas, eu fui empurrado para trás e acabei caindo de mal jeito de lado e assim que sentir o chão uma dor me atingiu na altura do pé da barriga eu levei a mão até ela.

- Kyung!

Vi de relance Seung chutar Jongin para longe, tanto que ele acabou caindo alguns centímetros de onde ambos estavam e Seung correu em minha direção me ajudando a levantar.

- Calma.

- Seung, está doendo.

Disse com a mão no pé da barriga.

Seung então passou o braço sobre meu ombro e pegou a chave no carro o destravando, me pegou no colo e abriu a porta me colocando no banco do passageiro.

Eu ouvi de relance a voz de Jongin falando algo, mas isso não era algo que importava agora.

Seung entrou no carro e me olhou - calma, vamos para o hospital.

Concordei sentindo às lágrimas cair  com a mão no pé da minha barriga.

Ouvi o pneu do carro cantar e Seung saiu dirigindo a toda velocidade.

 * * *





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...