História Just love me. (Imagine Jeon Jungkook.) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens Anitta, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Bts, Imagine, Imagine Jeon Jungkook, Jenlisa, Vai Ter Muito Secso Mesmo, Você
Visualizações 694
Palavras 1.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Six.


Fanfic / Fanfiction Just love me. (Imagine Jeon Jungkook.) - Capítulo 6 - Six.

Pov: Você.


Quem era a retardada que havia acordado às oito horas da manhã de um domingo?

Eu mesma, obrigada!

Mesmo sonolenta, me levantei e caminhei calmamente até o banheiro da minha suíte.

Enquanto a água quente corria pelo meu corpo nu, flashes da noite passada passavam em minha mente como se fossem um filme ruim de tema friendzone.

Sério, se mais alguém tivesse presenciado aquela cena do Kook esfregando meu mamilo enquanto eu gemia feito uma cadela no cio, sentiria muita vergonha alheia, porque puta que pariu! Eu também estava sentindo muita vergonha de mim mesma naquele momento, pois veja bem, eu fiquei muito excitada; e ele? Nada! Nem um pouquinho. E olha que eu chequei.

Enquanto eu o sentia me bolinar de forma tão gostosinha, acreditem se quiser, eu cheguei a erguer o quadril de forma bem sutil, para que ele não percebesse e conferi se havia algum sinal de pau duro ali; e advinhem? Nada!

Nadica de nada.

Nada duro.

Seu pau estava mais mole que eu depois de gozar por pelo menos umas três vezes seguidas.

Naquele momento, enquanto me afundava em arrependimento, sentia um desejo sem tamanho de que a água do chuveiro me afogasse alí mesmo, apenas para não ser mais capaz de poder me lembrar daquele episódio incomum e tão vergonhoso.

...

Depois de constatar - da pior forma - de que seria impossível morrer afogada com tão pouca água, resolvi sair do banheiro, me vestir com uma roupa qualquer e descer as escadas à fim de encontrar algo para comer na cozinha; quem sabe eu não tinha alguma sorte e receberia a notícia de que o casalzão da porra já tinha ido embora?

- Você dorme com a sua prima hoje à noite e eu durmo com ela, simples!

Arregalei os olhos e estanquei no meio da escada ao ouvir a voz empolgada de Jennie.

Desci mais um pouco para ficar mais à par do assunto e me deparei com Lisa parada ao lado da noiva do meu primo.

Aqui apidinho, o que a minha melhor amiga estava fazendo em casa tão cedo?

Ah, agora tudo começava a fazer algum sentido! Jennie queria que o noivo dormisse comigo para poder curtir uma noite do "pijama" no quarto de hóspedes apenas com a MINHA amiga!

Só iria deixar porque me convinha, rs.

Terminei de descer os últimos degraus e apareci na sala, me sentindo a rainha da Inglaterra, já que todos levaram a atenção à minha pessoa.

Com exceção de Jungkook, já que o infeliz abaixou a cabeça e passou a fitar o piso porcelanato, como se ali naquele chão tivesse algo interessante o suficiente para ser admirado, além da minha pessoa.

- Não! - Minha mãe interviu.

Ah, mãe, não fode!

- Por que não, tia? - Jennie perguntou, fitando minha mãe com os olhinhos suplicantes.

- P-Porque não faz sentido!

Porque ela sabia que se deixasse o noivo dividir a cama comigo por uma noite inteirinha, daria muita merda!

- T-Tambem acho que não faz sentido...

Jungkook era um puto egoísta!

- Viu, eu tenho razão! - Minha mãe disse, convencida.

Rolei os olhos e caminhei até Lisa, selei seus lábios normalmente, já que todos na minha família sabiam que nós tinhamos esse costume pouco normal de nos cumprimentar desde sempre.

Observei Jennie sorrir, Lisa corar e Jungkook pigarrear.

Dei de ombros, me aninhei ao ombro da minha melhor amiga e a abracei pela cintura, observando minha mãe revirar os olhos e bufar.

- Então todo mundo está de acor-

- Eu não estou. - intervi, como quem não queria o corpo do meu primo nu na minha cama. Minha mãe me fuzilou com o olhar e eu gargalhei, internamente, claro. - Acho legal essa idéia das duas amigas dormirem juntas, já que faz muito tempo que ambas não se vêem e tals... - Mormurei, me afastando da minha melhor amiga e fitando minhas unhas comidas.

De repente Jennie começou a literalmente pular pela sala, toda feliz e realizada, enquanto Lisa me fitava com uma cara de quem diz: eu sei o que tu ta aprontando, vagabunda.

Dei de ombros e sorri convencida; iria ser fácil, fácil...

...

- Eles nunca transaram, amiga! Sério, ele nem toca ela!

Ela bufou e se sentou na cama.

Impressão minha ou minha amiga estava incomodada?

Ri, maldosa, começando a andar de um lado para o outro dentro do meu quarto, me pondo a pensar.

Então quer dizer que aquela madrugada que eu ouvi uns barulhinhos estranhos vindo do quarto de hóspedes era...?

- Mas isso não quer dizer que ela não se toque pensando nele. Ou... Talvez eles apenas se esfreguem; tipo sexo à seco...

- Sim, amiga, isso mesmo! - Disse, euforica.

Aquele era um lado da minha melhor amiga que eu adorava! Não diria que ela era fofoqueira e sim, uma garota inteligente e moderna que adorava colher informações super importantes para depois repassa-las para mim, que era a sua UNICA melhor amiga; simples assim!

- Ela não é mais virgem; ela me disse que também já ficou com garotas, mas, por favor, não diga isso ao Jungkook, porque segundo ela, ele surtaria!

Olha que essa amizade delas estava me saindo muito conveniente...

E logo depois de me passar a informação necessária, ela me abraçou forte e deixou o meu quarto; confesso que senti falta do toque macios dos seus lábios nos meus antes de vê-la partir para longe dos meus olhinhos espertos...

Sou dramática, eu sei.

...

- Quer dar uma volta comigo?

Franzi o cenho e me levantei sob seu olhar indagador. Caminhei até o meu guarda roupa e retirei minha camiseta, ficando só de roupa íntima.

- V-Você vai ficar pelada na minha frente?

Dei de ombros, ficando de costas para ele e começando a fuçar na minha bagunça de roupas emboladas.

- Você já me viu sem roupas por tantas vezes que eu nem me importo mais...

- Tem razão... - Mormurou.

O observei caminhar até a minha cama e alí se sentar...

- Então... - Coloquei um cropped preto do Nirvana, abaixei a calça de moletom até os joelhos e o percebi virar o rosto para a parede assim que a minha bundinha ficou exposta.

Ri, internamente, claro!

Estava fazendo muito aquilo últimamente, aliás.

- Onde vai me levar?

- N-Não precisa tira a calça, vamos caminhar e está um pouco frio lá fora...

Só então percebi que ele vestia tactel, tenis e moletom.

Puxei a calça para cima novamente, vesti um moletom de uma banda qualquer e caminhei até a cama. Me sentei ao lado dele, que me fitou, aparentemente irritado.

- Porra, da para parar de fazer essas coisas?

Que coisas, menino?

- Não entendi... - Mormurei, enquanto puxava o tênis de baixo da cama, primeiro colocando as meias que estavam dentro deles em meus pés.

- Parece que está se insinuando para mim, porra! E tenho que confessar que i-isso me deixa confuso! - Empurrou a franja para trás e depois escondeu o rosto nas mãos.

Porra?

PORRA?

Ele havia mesmo acabado de proferir um palavrão? 

Ainda estava rindo internamente, mas por fora estampava a carinha de neném inocente.

- Não estou te entendendo... - Fiz a sonsa novamente. Terminei de dar o laço no cadarço e me levantei, botando as mãos na cintura e o fitando de cima. - Vamos?!

- S-Sim... - Se levantou, acabando por ficar próximo demais...

Ai, Dels...

- Deve ser coisa da minha cabeça, sei lá... - Sussurrou. - Só pode ser... - Por um momento, seus olhos pareciam ter se perdido em meu rosto.

- Sim. - Assenti. - Co-Com certeza é coisa da sua cabeça... - Desviei o olhar do seu e fitei os meus tênis sujos. Porra, achei que a minha mãe tinha os lavado...

O ouvi pigarrear e seus passos pesados se afastarem rapidamente. O observei caminhar até a porta do meu quarto e alí parar.

- Vamos, então...?

- Sim, vamos!

E saímos pela porta.

...

Jungkook corria na minha frente como se tivesse acabado de sair de casa enquanto eu estava morrendo por motivos de ser uma puta de uma sedentaria do caralho.

Já fazia uns trinta minutos que estávamos correndo e eu me sentia só o pó da rabiola.

- M-Me espera, caralho! - Gritei, ofegante. Parei, logo me curvando e apoiando as mãos nos joelhos

- Já cansou, princesa? - Gritou de longe.

- Seu puto do caralho!

...

Estávamos no café da esquina de casa. Jungkook havia pedido um café preto enquanto eu já estava no segundo pedaço de bolo de morango seguido de um copão de chocolate quente.

- Se você continuar a comer desse jeito vai virar um butijãozinho, bebezona.

- Mas isso tá muito bom!

- Homens não gostam de garotas gordas.

É o que?

Não, eu não estava ouvindo aquilo!

Ergui os meus olhos e o encarei, incrédula.

- O dia em que eu - me apontei, bancando a irônica - mudar algo em mim, para agradar homem, por favor, me dar um tiro na cabeça, obrigada!

- Você e esse seu jeito estranho de ser... - Rolou os olhos, levando a xícara de café até os lábios.

- Não, amorzinho! Esse é o meu jeito de dizer que eu, jamais, deixarei de fazer algo na minha vida que eu gosto, para agradar macho escroto.

Ele desviou o olhar, pensativo...

- As vezes você diz umas coisas estranhas... - Botou a xicara agora vazia em cima da mesa.

Foi a minha vez de rolar os olhos...

- Não, eu só digo a verdade! Se alguém te amar de verdade, irá te aceitar do jeito que tu é, sacou?

...

- ... e depois de três meses eu a chamei para sair comigo... - ele riu, parecendo nostalgico. - Ela disse sim, e hoje estamos aqui, noivos, e prestes a se casar.

- Você à ama muito, né?

Não era obvio?

Sim, era uma pergunta tão obvia que chegava a ser idiota de se fazer quando já se sabia a resposta e também, idiota de se fazer se você sabia que a reposta dita em voz alta, com toda certeza, iria te machucar.

- Ela é a minha pessoa favorita no mundo... - Disse em meio à um sorriso bobo; espontâneo. - Achei que o meu jeito bobo e apaixonado não deixassem dúvidas alheias.

Ok, isso tinha doido lá no fundinho do meu coraçãozinho; mas só um pouquinho...

Ele sorriu na minha direção antes de voltar a correr e eu, obviamente, fiquei para trás, afundada em meus pensamentos melancolicos, mas não menos lucidos naquele momento.

- Acho que o melhor seria eu me afastar... - Mormurei à mim mesma, sentindo meus olhos marejarem.

Avistei Jungkook de longe... Ele sorria grande enquanto acenava para mim; suspirei com a cena, botando meu melhor sorriso no rosto.

- Você não vem? - Ele gritou.

E eu fui.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...