História Just Job -Joper (Spideypool) - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Deadpool, Esquadrão Suicida, Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Coringa (Jack Napier), Dr. Bruce Banner (Hulk), Harleen Frances Quinzel (Harley Quinn / Arlequina), Natasha Romanoff, Peter Parker (Homem-Aranha), Steve Rogers, Wade Willson (Deadpool)
Tags Brutasha, Bucky Barnes, Coringa, Fury, Harley And Bucky, Harley Quinn, Jack And Peter, Joper, Maria Hill, Polverine, Spideypool, Stony, Tom Holland, Vanessa Carlysle, Winterquinn, Wolpool, Wolverine
Visualizações 459
Palavras 1.304
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey meus amores!! Como estamos?? Mais um capítulo fresquinho para vocês!
Recomendo que escutem "Clarity" do Zedd e da Foxes enquanto leem!
Uma boa leitura a todos e até amanhã!

Capítulo 21 - Capítulo 21


Fanfic / Fanfiction Just Job -Joper (Spideypool) - Capítulo 21 - Capítulo 21

Peter deitou-se ao lado de Jack na cama, seu corpo nu, completamente cansado pela noite de sexo que tivera a poucos minutos. O Coringa encarava o teto do quarto, pensativo.

-No que está pensando? -Peter quis saber.

-Em várias coisas, mas nada do que você deva se preocupar. A minha mente é um turbilhão de pensamentos.

-Está pensando no jantar de noivado?

Jack fez que sim com a cabeça.

-Sim, estou. Estou pensando se os seus pais vão gostar de mim. -Em seguida, riu. -Quem diria, que eu, o Coringa estaria preocupado com que os outros vão pensar de mim.

Peter deu um leve sorriso para ele.

-Eu tenho certeza que eles vão adorá-lo, como eu adoro.

Jack virou-se para Peter, afundando a cabeça sobre o travesseiro.

-Isso é o que me preocupa. Eu sou o vilão da história, e não o herói. O que os seus pais vão achar disso?

Peter acariciou o rosto do namorado com a ponta dos dedos, antes de deixar um selinho em seus lábios.

-Não se preocupe com isso. Não é eles que vão namorar você, sou eu. Eu que tenho que me importar com isso, e sinceramente: eu não me importo. Herói ou vilão, eu não dou a mínima. Importa para mim a maneira que você me faz sentir. E eu me sinto único e especial quando eu estou com você.

Jack deu um sorriso para o companheiro e voltou a encará-lo.

-Em tão pouco tempo que eu te conheço, você já conseguiu me mudar. Nunca pensei que isso poderia acontecer. Nunca pensei que eu poderia mudar por alguém antes.

-Nunca podemos dizer nunca. Milagres acontecem.

-É, acho que acontecem sim.

 

(...)

 

-A Natasha deu um susto na gente. -Tony disse, enquanto terminava de tirar o seu paletó, junto de sua gravata.

-Realmente. Ainda bem que foi apenas um vaso que se rompeu e nada mais grave do que isso.

-Desde que eu conheci a Romanoff, o maior sonho dela era ter um filho. Ela via a família de Clint e sentia a necessidade de construir uma. Ela foi contra todas as probabilidades dos médicos que diziam que ela não podia engravidar.

Steve concordou com a cabeça.

-Sim, ela foi bem corajosa. Ela merece ter esse bebê. Na realidade, dois não é?

-O Bruce já está babando pelas crianças antes mesmo delas nascerem.

Steve puxou Tony para si e beijou seus cabelos.

-A mesma maneira que ficamos quando tivemos o Peter. Ficamos felizes, exaltados quando vimos aquela pequena criatura com apenas três dias de vida. Amamos o Peter de imediato.

-Verdade. Tivemos medo de ter outra criança, tivemos medo do trabalho que ela poderia nos dar... mas agora eu me arrependo. Arrependo de não ter tido outro filho. O Peter é tudo para mim, mas pensamos apenas em nós dois e não pensamos nele. A infância dele foi bem solitária. Ele só ficava rodeado de adultos e não havia nenhuma outra criança para poder brincar com ele.

-Se tivéssemos dado um irmão para o Peter... acha que as coisas teriam sido diferentes?

Tony deu de ombros.

-Não há como saber. 

-Você quer ter outro filho?

Anthony olhou para o companheiro de imediato.

-Outro?

Steve fez que sim.

-Exatamente. Outro. Você quer criar outro bebê ao meu lado? Quer dar um irmão para o Peter? Não somos velhos, Tony. Teos condições e disposição de cuidar de outra criança. O que acha?

Os olhos de Stark brilhavam e ele sentiu duas lágrimas descerem pelos seus olhos.

-Eu quero. Eu quero criar outro filho com você. Vai ser o nosso recomeço. Daremos um irmão ou irmã para o Peter.

Rogers sorriu e beijou os lábios do companheiro, puxando-o para mais perto de si.

-Então vamos ter outro. Vamos olhar nos lares adotivos. Vamos procurar o nosso filho.

Tony sorriu e puxou Steve para si, ficando na ponta dos pés enquanto o beijava apaixonadamente.

 

(...)

 

Wade riu da piada que Logan acabara de lhe contar. A sua risada era gostosa e contagiante e ele estava adorando a maneira que o Wolverine o estava fazendo rir e a maneira que ele o estava fazendo se sentir. 

Com Logan, as coisas ficavam mais coloridas, não era tudo preto no branco, ele não tinha que se preocupar com os problemas... Logan o fazia parar de pensar nessas coisas tudo.

-Você não falou dele uma vez sequer hoje.- Logan comentou e Wade deu de ombros.

-Não há muito o que falar. Apenas que eu vou desistir. Se ele está feliz com outra pessoa, então que ele seja feliz com ela. Só espero que o Jack não o machuque. O Peter não merece. Não merece sofrer.

O sorriso que Logan dera, fora um sorriso doce.

-Eu fico muito feliz por você ter seguido o meu conselho e ter deixado o Peter em paz, em paz para amar quem ele quiser.

Wade fez que sim e tomou um gole da sua cerveja.

-É, eu vou seguir ele. Trabalhamos juntos essa noite, e pela primeira vez eu não o quis tomá-lo de outra pessoa. Quis apenas finalizar aquele trabalho e ir embora. Olhei para ele e apenas sentir carinho, mas desejo e paixão eu não senti. É estranho falar isso, mas foi isso que aconteceu.

A mão de Logan acariciou a mão de Wade e o mercenário sorriu com aquele toque.

-Eu quero seguir em frente. A minha história com o Peter teve um começo, um meio e um fim. A minha história com a Vanessa também. É hora de deixar o passado para trás para que eu possa focar no meu futuro.

Logan lentamente se aproximou de Wade, que sentou-se na bancada da pia, enquanto o Wolverine ficava entre as suas pernas. Os seus lábios se encontraram em um beijo casto, que logo foi se intensificando.

-Eu tenho que fazer a mesma coisa que você. -Logan sussurrou. -Eu tenho que deixar a Jean partir. 

Wade bagunçou o cabelo de Logan, que revirou os olhos.

-Você vai conseguir. Talvez demore um pouco, mas vai conseguir. Depois eles não passarão de uma lembrança boa.

 

(...)

 

-Você vai ficar deitadinha aí enquanto eu preparo alguma coisa para você comer. -Bruce disse para Natasha, assim que a colocou em sua cama.

-Bruce, eu estou bem.

-Não senhora. Você ouviu o médico: não pode fazer esforço físico e tem que ficar em repouso absoluto. Nat esse susto hoje apenas me fez ver que se eu perdesse você ou perdesse os nossos filhos... eu não seria nada. Seria apenas a casca de um homem. Vocês são tudo para mim, então por favor, colabora e fica quietinha aí.

Natasha sorriu e sentiu-se prestes a chorar ao ouvir aquela declaração de Bruce e assentiu com a cabeça.

-Tudo bem. Eu vou ficar aqui, prometo.

Bruce sorriu para ela.

-Eu vou fazer uma sopa para você. De legumes, pode ser?

Ela fez que sim.

-Pode. Eu te amo, Bruce.

Banner sorriu para ela.

-Eu também te amo, Natasha.

 

(...)

 

Bucky acariciou a barriga de Harleen, enquanto a loira sorria com aquela situação. Ela viu quando o mesmo deitou sua cabeça delicadamente sobre a sua barriga e acariciou com cada vez mais carinho.

-Queria que você crescesse logo para eu poder sentir chutá-lo e se mexer. -Bucky sorriu. -Mas você é ainda muito pequeno para isso. 

-Mas logo ele será grande. Logo você vai poder sentir os chutes, vai poder ouvir o coração dele... é uma questão de tempo.

Bucky fez que sim.

-Sim, eu sei. Eu só quero que esse momento chegue logo. E também que ele nasça logo. Eu quero ver a carinha do nosso pequeno. Qual nome iremos dar?

A loira deu de ombros.

-Qual nome você gosta? -Ela quis saber.

-Eu gosto de Emma.

-E eu gosto de Thomas.

Ambos sorriram.

-Pronto, já temos os nomes. -Harleen comentou, um sorriso enorme no rosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...