História Just Love Can 2 - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Em Família
Personagens Clara Fernandes, Marina Meirelles
Tags Clarina, Em Família
Visualizações 139
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde meninas
Mais um cáp pra vocês
Boa Leitura
Anne

Capítulo 23 - Capítulo 23


No dia seguinte ao passeio Diogo acordou cedo, seu advogado tinha mandado uma mensagem dizendo que o encontro com Cadu tinha sido marcado e ele resolveu não comentar com ninguém, depois da conversa ele conversaria com Clara e Marina. Passou pela cozinha e tomou um suco o helicóptero já estava esperando por ele, pretendia voltar até a hora do almoço. Quando ele estava saindo, Flavinha estava entrando na cozinha, tinha ido buscar água, ainda estava muito cedo, ela viu ele saindo, mas não chamou por ele, apenas ficou ali pensando o que Diogo estaria planejando ou fazendo, ela sabia que Marina também era assim, quando estava com algo na cabeça só falava quando já estivesse resolvido ou quando já tivesse certeza.

Clara: - Já de pé Flavinha?

Flavinha: - Só vim buscar água. E você já de pé?

Clara: - Perdi o sono.

Flavinha: - Quer companhia?

Clara: - Sim, vai ser bom.

Flavinha: - O passeio de ontem foi bem legal né?

Clara: - Foi ótimo, acho que a tempos não nos divertiamos assim.

Flavinha: - Isso é verdade.

Clara: - As crianças então.

Flavinha: - Mariana esta empenhada em descobrir o projeto do Enzo, de todo jeito.

Clara: - Ela é curiosa, quer sempre saber de tudo.

Flavinha: - E ele dizendo que não pode contar, ela continuou insistindo.

Clara: - Se ele conta, ela não vai saber guardar o segredo.

Flavinha: - Ele vai fazer surpresa.

Clara: - Sim, assim é melhor, mas é engraçado ver a curiosidade dela. Nesse momento Marina chegou na varanda, com uma carinha de sono e resmungando, por que a morena não acordou ela e que sentiu a falta dela na cama. - Vem cá senta aqui comigo. A fotografa se sentou com a amada e Clara começou a acariciar os cabelos da amada e logo Marina estava dormindo de novo. - Será que a Manu vem atrás de você também amiga?

Flavinha: - Com o sono pesado que ela costuma ter, acho que não. Riram juntas e continuaram conversando.

***

Diogo chegou ao Rio e um carro já esperava por ele para levar ele até onde o encontro tinha sido marcado, ele estava na companhia no advogado dele, não demorou muito e eles chegaram ao local.

Diogo: - Ricardo, obrigado por conseguir marcar isso logo.

Ricardo: - Parece que ele gosta de chamar a atenção.

Diogo: - Se ela isso que ele queria conseguiu bem mais que isso. Logo ele viu Cadu se aproximar, ele estendeu a mão, mas Diogo não apertou. - Podemos ir direto ao assunto?

Cadu: - Podemos sim, estamos aqui para falar dos meus filhos.

Diogo: - Seus filhos, agora eles são seus filho? Você nunca quis nenhum dos dois e agora que chegar assim do nada e mexer com a vida deles, sem mais nem menos.

Cadu: - Nada de errado em querer que eles saibam quem é o pai. Só consegui falar com Ivan, a menina eu ainda não conheço, mas quero.

Diogo: - O senhor sabe que perdeu o direito sobre essas crianças no momento do divorcio, devido as circustancias e que você não tem autorização judicial para se aproximar deles. Então se ao se aproximar do Ivan, restringiu essa ordem.

Cadu: - Não sabia que essa ordem existia.

Diogo: - Agora esta sabendo, e lhe aconselho a se afastar do meu neto.

Cadu: - Neto? Até onde sei o pai da Clara é falecido e certamente o senhor não é meu pai.

Diogo: - Graças a Deus que não é meu filho e se fosse não seria assim, sou sogro da Clara.

Cadu: - Ah sim, pai da companheira dela. Assim que chamam né?

Diogo: - Não me venha com esse preconceito rapaz.

Cadu: - O senhor veio fazer um acordo comigo? Para que eu me afaste do Ivan, pois bem eu não posso, eu trabalho lá no clube que ele treina.

Diogo: - Vamos afastar ele de você, não queremos ele com uma má influencia como você.

Cadu: - Sou má influencia, ele é meu filho.

Diogo: - Pena que tomou consciência disso muito tarde não é? Não ouse se aproximar mais dele e nem pense em se aproximar da menina, se não responderá um processo, na verdade o senhor ja respondera, lhe sugiro que arrume um advogado.

Cadu: - Isso é uma injustiça sabia?

Diogo: - Para mim não importa o que você pensa ou deixa de pensar, só quero você longe dos meus netos, não merecem um traste como pai.

Cadu: - Traste?

Diogo: - Terminamos aqui, não temos mais nada para falar. Diogo se levantou, deixando um Cadu bem nervoso para tras, o advogado acompanhou Diogo.

Ricardo: - O senhor vai voltar para Angra?

Diogo: - Sim, imediatamente. Me mantenha informado, ele não vai ficar quieto.

Ricardo: - Pude observar senhor.

Diogo: - Aguardo seu telefonema.

Ricardo: - Ok, ligo assim que tiver informações.

***

As crianças estavam na piscina jogando volei, quando Diogo chegou. Marina foi até o pai e começou a encher ele de perguntas e ele disse que não era a hora de falar ainda, a fotografa entendeu e não perguntou mais.

Clara: - Saindo sem avisar meu sogro?

Diogo: - Uma fugida minha nora.

Clara: - Hum... depois quero saber essa história direitinho.

Diogo: - Nada de mais.

Marina: - Sabemos... coisas de negócios.

Diogo: - Isso mesmo, negócios.

***

Depois do jogo de vôlei, as crianças resolveram sentar para conversar um pouco, jogar conversa fora, Mariana como sempre era a mais extrovertida de todos. Valentina estava abraçada com Carolina, fazendo carinho no cabelo da loira.

Mariana: - Vocês bem que podiam me ajudar?

Valentina: - Com o que Mari?

Mariana: - A descobrir o que o Enzo está armando.

Enzo: - Não estou armando nada mana.

Mariana: - Esta sim, sempre que esconde alguma coisa esta armando. Não aceito essa de que não pode me contar...

Valentina: - Deixa ele Mari.

Carolina: - Vai ter que esperar como todo mundo para poder ver. Nós também estamos curiosos...

Valentina: - Isso é verdade amor. Enzo sempre faz coisas super legais.

Enzo: - Não exagerem.

Mariana: - Isso é verdade, você é muito inteligente mano.

Enzo: - Você também é.

Mariana: - Não adianta elogiar, continuo brava com você.

Enzo: - Já pedi pra não ficar chateada comigo.

Carolina: - Ah Mari, não faz assim com ele.

Valentina: - Isso é causa perdida, se ele não contar ela não desiste é um ciclo vicioso amor.

Carolina: - Boa sorte cunhadinho.




Notas Finais


E ai gostaram? Comentem... Até o próximo Abraços Anne


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...