História Just one night - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 24
Palavras 2.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Lemon, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então. Após perder uma aposta tive de escrever essa mpreg pra minha nenis Bia. Espero que goste, eu sinceramente achei que não fosse gostar de escrevê-la, foi um desafio como ficwriter e pessoa mas gostei bastante! Espero que gostem também, meus amores.

Boa leitura, a segunda parte será postada em breve<3

Capítulo 1 - Choi Youngjae is a good lover.


Fanfic / Fanfiction Just one night - Capítulo 1 - Choi Youngjae is a good lover.

| 1 / 2 |



Jaebum jogou suas malas de qualquer jeito em sua enorme sala, cansado pela viagem a trabalho. Havia passado duas semanas inteirinhas em reuniões, escrevendo artigos e conversando com alguns pesquisadores sobre sua nova matéria. Como um jornalista competente da maior fonte de notícias da Coréia, estava correndo atrás dessa história de que a economia jurídica está um caos. Tudo aquilo lhe estressava demais, e logo para o moreno que já tem um gênio forte não é fácil.


Se jogou em sua casa no andar de cima, ouvindo seu celular tocar e vibrar em seu bolso, pegou o aparelho vendo o número de seu irmão, Jinyoung. Depois de muita enrolação, o disse que tinha o ligado para saírem no dia seguinte, mesmo estando cansado, sabia que seu irmão era insistente e até demais, então apenas concordou e disse que iria.


— Ok, Jae. Vou levar um acompanhante especial para você! Até amanhã!


— O quê? Ei, espe-


Jinyoung desligou assim que começou a ouvir a voz do outro lado da linha, Jaebum nem pensava em entrar num relacionamento, com ninguém, pois estava sempre viajando para fora e essas coisas. Mas já fazia um tempo que não tinha relações sexuais com alguém… Suspirou derrotado, indo tomar um banho quente. Amanhã seria um longo dia pelo visto.



××××



— Sabe, Jaebum, você tem que sair com alguém. Tipo arrumar um namorado fixo, não passar o dia dos namorados trabalhando enfiado em seu escritório como faz todos os anos.


— Não preciso, estou muito bem me focando no trabalho, obrigado. Você já me arrastou para comprar roupas novas, vai me arrastar para sair a noite, não me faça desistir de ir. — olhou sorrindo para seu irmão que estava emburrado ao seu lado. — Aish, vamos, está ficando tarde.


Caminharam até a saída mantendo um assunto trivial. Em geral a relação dos Im era ótima, só tinham alguns segundos de diferença mas não se pareciam nadinha esteticamente.


— Eu também achava que namoro era uma droga e que tomava muito tempo, mas depois que comecei a namorar o Yug percebi que não é de todo mal. — continuou quando já estavam dentro do carro do maior. — Nós vivemos brigando, você sabe, porém sempre acaba em bebida e sexo.


— Não precisava dessa última parte.


— Deixe de ser assim, nem contei que ele faz crossdresser pra mim!


O restante do caminho se seguiu com Jaebum reclamando do fato do irmão ser muito aberto para falar dessas coisas e do mesmo rindo de si. Conhecia Yugyeom desde criança, então se tornava mais estranho ainda.


Assim que escureceu e o clima esfriou chegaram no apartamento, Jaebum logo foi se arrumar com as roupas novas, sendo apressado pelo outro jogado em seu sofá. Se olhou no espelho grande de seu quarto, orgulhoso do que viu; a camisa vermelha havia ficado perfeita com a calça apertada que usava. Sorriu confiante, tinha certeza que se daria bem essa noite.


— Ok… Uau Youngjae, você está com sorte. — Jinyoung falava ao celular enquanto pegava seu casaco, indo de encontro com seu irmão que já estava na porta. — O Jaebum está um perigo, espere só até chegarmos. Até logo, não beba muito.


— Youngjae? — perguntou já ligando o carro, mantendo os olhos fixos na rua. — Aquele seu amigo da faculdade?


— Sim, ele viu uma foto sua que eu postei quando fomos na casa da mamãe e me encheu o saco para apresentá-lo a você. Sério, todo dia ele me perguntava “E aí, Jin? Quando vai me arrumar seu irmão?”


Jaebum não conteve a risada ao ouvir aquilo, parecia mentira mas sabia muito bem o tipo de amigos que Jinyoung tem.


— Ele é bonito?


— ‘Tá brincando? Se eu não namorasse o Yug eu pegava. Olhe. — o estendeu seu celular, onde tinha a foto de um homem, no mínimo, lindo demais. Na foto o loiro estava com uma camisa social meio aberta, um copo de bebida na mão e abraçado à Jackson, um conhecido de Jaebum e amigo de Jinyoung. — Feche a boca antes que babe.


Brincou, se juntando às risadas do maior. Quando viram já estavam na frente da balada, a música poderia ser escutada até do lado de fora e as luzes vistas. Repentinamente Jaebum começou a ficar um pouquinho nervoso, com uma sensação estranha na barriga, afinal era a primeira vez que iria ver alguém sabendo que aquela pessoa tem interesse em si. O que deveria fazer? Agir galanteador ou ser tímido como geralmente é? Balançou a cabeça de um lado para o outro, isso a bebida resolveria.


Entraram no lugar e logo Jinyoung se grudou em Yugyeom que estava perto da entrada, aparentemente indo de encontro com uma mesa em específico no canto do local. Eram muitas pessoas, dançando, andando e até mesmo parando o moreno para o cantar. Apenas seguiu o casal e logo viu alguns rostos conhecidos e ele, o carinha lindo da foto, sorrindo para si e para os dois ao seu lado. Percebeu que Jinyoung tomou o lugar vazio do outro lado da mesa, deixando assim só o lugar ao lado de Youngjae disponível.


— Oi, sou Choi Youngjae. — O estendeu uma de suas mãos, Jaebum jurou quase se cegar com o brilho do relógio grande e dourado dele.


— Im Jaebum.


— Jinyoung não estava mentindo, você está mesmo um perigo assim. — sorriu, pegando uma garrafinha e oferecendo-o. O Im sorriu tímido, pegando o recipiente azul. Virou quase tudo de vez e sentindo um certo olhar lhe queimando. — Quantos anos você tem?


— 24, e você?


— 22… Jinyoung me contou que você é jornalista. Deve ser legal, quando eu era criança era meu sonho, mas cresci e fiquei com a empresa da família.


Tinha como aquele cara ficar mais perfeito? Era um empresário jovem, lindo, gentil, tinha um sorriso perfeito e ainda por cima já havia o dado uma investida em si. Jaebum apenas disse que ele tinha sorte, prestando atenção na conversa que os outros mantinham na mesa.


— Ah, eu amo essa música. — o loiro se levantou animado quando começou a tocar Often de The Weeknd alguns bons minutos depois, quando todos ali já haviam bebido o bastante.


— Sério?! Eu também.


— Seríssimo, então… Você quer dançar comigo?


O estendeu sua mão, sem pensar muito Jaebum segurou-a e com sua mão livre pegou outra garrafinha de cerveja. Foram para a pista no meio do local, entre o bar e as mesas, a batida lenta da música só tornou aquele contato visual mais provocante ainda, fora as mordidas que o Choi dava no próprio lábio inferior, fitando o corpo do menor. Estava uma distância segura entre os jovens, até Youngjae puxá-lo para mais perto pelo pulso, ficando com as mãos em sua cintura, tendo seu pescoço envolvido pelos braços do outro. Jaebum não sabia se mantinha seus olhos firmes nos castanhos que o olhavam de volta ou se os direcionava para seus lábios chamativos e avermelhados que se movimentavam, cantando a música.


— Olhando assim de perto você é mais bonito ainda.


— Hm, já estou te considerando a pessoa mais bonita que já vi na minha vida até hoje. — o mais novo se aproximou mais, chegando a sentir seus lábios quase que roçarem. — Eu adoraria ouvir sua voz baixinha gemer meu nome.


— O que está esperando?


Quando Jaebum encostou seu corpo no do maior, passando sua mão pelos fios loiros, os puxando um pouco para trás foi a gota d'água. Youngjae o puxou pela cintura juntando seus lábios apressadamente, explorando mais do corpo curvo quase que entregue para si. O beijo foi lento, como a batida da música de fundo, eles nem ligavam se não se conheciam direito, se tinha gente olhando dois caras se beijando intensamente na pista de dança ou se estavam ficando com certos problemas aparentes; só queriam liberar aquele fogo todo que sentiam um pelo outro. Quando o ar fez falta afastaram apenas seus rostos, continuando com seus corpos juntos.


— Vou matar seu irmão por não ter me apresentado você antes.


— Deixe ele para depois, não acha que tem algo mais importante para agora? — perguntou baixinho, dando um sorriso de canto que fez o outro se sentir hipnotizado por alguns segundos. — Vamos, me faça seu por hoje. Só por hoje.


Só aquilo foi o suficiente para que o Choi o segurasse pelo pulso, indo para a saída. Os dois riam pois se sentiam adolescentes fugindo de seus pais para ir para o motel mais barato que tivesse. O que não era o caso, pegaram um táxi para o maior motel da região, um pouco afastado de tudo mas não era algo que estivessem pensando na hora.


— Vou fazer com que você nunca esqueça de hoje. — Youngjae jogou o mais velho na cama com lençóis vermelhos, já retirando sua roupa, lambendo o lábio inferior ao ver a pele branquinha e alva do outro, junto com suas curvas não tão marcantes mas sim perfeitas. — Irei fazer você sempre se lembrar de mim.


— Não dúvido.


Na verdade duvidava, todos os caras falavam aquilo, apesar de que sabia que com o loiro estava sendo tudo mais intenso.


Youngjae logo tirou sua própria roupa; seu corpo precisava daquilo. Muito. Destribuiu beijos, chupões e mordidas por todo pescoço, peitoral e virilha do menor, vendo-o se remexer no colchão, judiando do próprio lábio inferior com mordidas fortes. Explorou cada cantinho do corpo do outro, até ver que já estava enrolando demais.


Se agachou na cama, ficando com o rosto bem próximo ao pênis do Im, não demorando para passar sua língua do início ao fim, o abocanhando por completo em seguida. Continuou com os movimentos meio rápidos, sentindo a mão de Jaebum em seus cabelos. Não tinha seus fios puxados nem nada, ela estava apenas ali; alisando-os devagar. Muito pelo contrário do mais velho que gemia alto, arqueava as costas e implorava para que Youngjae fosse mais rápido. Quando sentiu o pré gozo escorrendo pela sua boca e os gemidos ficarem mais altos, parou. Voltando a ficar por cima do Im, já sem nenhuma peça de roupa, abrindo melhor suas pernas cheinhas e já marcadas.


— Y-Youngjae…


— Hm?


— Não vá tão rápido. — pediu, escondendo seu rosto corado com uma de suas mãos, a outra estava segurando uma das do Choi mesmo sem nenhum dos dois perceber.


— Não se preocupe. — lhe sorriu, o dando um beijinho na testa. Por um motivo desconhecido o coração do moreno pulou tanto que quase saia pela boca, que tipo de ficante agia tão docemente daquele jeito?


O outro o adentrou devagar, ainda segurando uma de suas mãos. Se inclinou para selar seus lábios num selinho, até que estivesse completamente por dentro do menor. Começou a se movimentar num ritmo lento, mesmo assim indo fundo; não queria desperdiçar nenhum momento daquela noite. O estocou várias vezes seguidas, ouvindo-o gemer sonora e lindamente seu nome, sorriu com aquilo, poderia gravar e ouvir aquela voz linda e manhosa implorando por mais para o resto de sua vida. Depois de mais e mais estocadas o Choi se segurou para não se desfazer dentro do outro, afinal estavam sem camisinha. Foi só o tempo de se retirar, que Jaebum subiu em seu colo, ignorando o perigo que tinha de sentar no pênis do outro que estava prestes a gozar. Se movimentou para frente e para trás, sentindo as mãos do mais novo apertarem suas coxas e sua cintura, enquanto gemia seu nome. Não demorou muito naquilo para logo estarem jogados um ao lado do outro na cama, cansados pelo sexo intenso que foi.


Os dois se olharam em silêncio, recuperando o ritmo normal das respirações. Youngjae aproximou o mais velho, o beijando, sugando sua língua e mordiscando seu lábio. Só com aquilo e alguns toques mais provocantes do outro, Jaebum já estava se excitando novamente, sabia que aquela não seria a última vez.




××××



O Im abriu os olhos devagar, sentindo sua cabeça latejar pela ressaca. Um braço forte ao redor de sua cintura o lembrava o que tinha acontecido na noite passada. Retirou-o de cima de si lentamente, se virando para olhar o homem ao seu lado. E que visão, seus fios loirinhos caiam sutilmente pelos seus olhos fechados, seu peitoral definido subia e descia conforme sua respiração calma se fazia presente, tirando que ele estava completamente sem roupa. Jaebum corou ao perceber isso, se levantou rapidamente catando suas roupas pelo quarto, estava pronto para sair de fininho quando seu celular tocou. Ao lado da cama.


O outro se remexeu um pouco, enquanto Jaebum ia devagar e silenciosamente até a cômoda ao lado da cama. Pegou seu celular virando-se em direção a porta, confiante de que sairia sem ter que se despedir do cara que estava sentado em cima na noite anterior.


— Ah, Jaebum, não acredito que você é desse tipo. — soltou uma risadinha, esfregando os olhos com as mãos. Jaebum o olhou e somente sorriu; nervoso, envergonhado e confuso. — Transa assim e depois vai embora sem nem se despedir?


— D-desculpe, não queria acordá-lo.


— Tudo bem, mas já que eu acordei, quer ir tomar café da manhã comigo?


— Pode ser, posso ir tomar um banho antes de você?


Youngjae sorriu, parando na porta do banheiro, fazendo o menor franzir o cenho; o que diabos ele estava pretendendo?


— Podemos tomar juntos. — vendo que o mais velho havia ficado sem palavras, corado e desviado o olhar, foi inevitável não sorrir mais ainda. — Brincadeira, pode ir, eu espero aqui. Só não demore muito.


Jaebum assentiu, pegando seu celular e entrando no cômodo. Colocou no aleatório, entrando debaixo do chuveiro, a água fria relaxou seus músculos meio doloridos por causa da noite anterior.



××××



— Nossa, então o Jin era assim! — Youngjae disse antes de começar a rir escandalosamente no restaurante quase vazio em que estavam. — Nunca imaginei que ele fosse pegador de meninas no ensino médio.


— Era até o segundo ano, aí ele conheceu o Yug do nono e o resto da história você já sabe; começaram a namorar, ele saiu de casa e me levou junto.


— Por quê?


— Nossa família insiste que eu sou alfa e blá blá blá, sabe? Não acho que seja verdade, afinal ninguém nunca notou algum cheiro em mim.  — suspirou pesadamente, dando um gole em seu suco.


— Achei que isso de ômega e alfa fosse coisa do passado.


— Realmente é, mas minha família é muito tradicional, então optaram por não “castrarem” os ômegas para que pudessem engravidar. Cá estou eu, com certeza de que sou ômega e posso engravidar. — completou, já juntando sua carteira e seu celular, para ir embora.


Youngjae ficou pensativo, chamando o mais velho baixinho.


— Você lembra se usamos camisinha ontem?


— Não se preocupe, vou tomar uma pílula. Bom... Até mais, Choi Youngjae.


Iria só se despedir assim, mas o maior se levantou o abraçando, sem perceber sua mão estava na cintura do outro. Se separaram envergonhados, em seguida indo cada um para seu próprio caminho, crentes de que nunca mais se veriam.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...