História Just One Night (Shortfic Namjoon - BTS) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sana
Tags Bangtan Boys, Bts, Coletânea Katrina, Imagine Namjoon, Kariina02, Kim Namjoon, Romance Proibido, Você
Visualizações 116
Palavras 2.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus xuxus <3
Sumi? Sim. Demorei? Demais. Vou explicar tudinho nas notas finais junto com um avisinho <3
Como eu disse, os capítulos serão longos por isso não vou enrolar muito aqui.

Boa leitura <3

Capítulo betado pela @layneschultz do HU <3 Muito obrigada meu anjo <3333

Capítulo 2 - The Proposal


Fanfic / Fanfiction Just One Night (Shortfic Namjoon - BTS) - Capítulo 2 - The Proposal


Just One Night — capítulo 01

"Às vezes o amor pode enganar, assim como os olhos às vezes se enganam com o que eu vêem. Você pode estar amando e nem... Perceber." Kya.

Pov’s S/n


Passaram-se duas semanas desde que Sana me apresentou ao cafajeste do seu namorado. A situação está cada vez pior, uma vez estávamos os três jantando em um restaurante qualquer, e ele literalmente me devorava com os olhos. Será que ele não tinha vergonha na cara? Não. Obviamente que não, como uma pessoa que joga uma cantada tosca em alguém que mal conhece, mesmo namorando, vai ter boa índole? Eu sou ingênua para acreditar que ele é um bom rapaz? Não, porque não sou idiota. Mas não adianta falar nada para Sana! Ela simplesmente não acredita, ela está cega. Cega de amor... Mas também, quem não ficaria? O desgraçado é lindo e gostoso, pena que é um babaca, Sana merecia coisa melhor. Mas vou ficar calada, assim não estrago a vida dela.


S/n! gritou no meu ouvido.


Ai, sua maluca! Queria me deixar surda? Conseguiu bufei e me sentei na beira da cama.


Lógico, você não estava me ouvindo — ela disse e eu revirei os olhos.


É claro que eu estava falei, e ela semicerrou os olhos.


Ah, estava? Então do que eu falava, Unnie? mordi o lábio.


É... Falava de... Fiquei forçando a minha cabeça a lembrar, mas era em vão, já que eu não tinha ouvido nada.


É... Falava de... ela estava me imitando. Viu? Não escutou nada.


Está bem! Esqueça isso, e me fale novamente. Ela suspirou fundo.


O que acha? me mostrou dois vestidos; um vermelho justo e decotado e um branco meio solto mais curto com corte “V” nas costas.


Os dois são lindos ditei.


Eu tenho a mesma opinião que você! Por isso queria uma ajudinha extra, vamos lá, Unnie, me ajude! Ri com o desespero da mais nova.


Está bem! Gosto do branco. Cruzei os braços e ela colocou o vestido na frente do corpo como se estivesse visualizando como ficaria dentro dele.


Esse? Não é meio sem graça? questionou, com um bico formado em seus lábios.


Não, Dogsaeng, você só vai jantar com o Namjoon, não vai dar pra ele. Ela mordeu o lábio inferior. Ai, meu Deus! Você vai dar pra ele? questionei, vendo a mais nova corar.


Yah! Yah! Quantas palavras sujas, eu não disse nada disso.


Semicerrei os olhos.


Olha aqui, Sana, você e eu sabemos que você não é nenhuma santa! E está querendo mentir na cara dura justamente pra mim? Aquela que te conhece desde criança? Assim me sinto magoada. Coloquei as mãos na cintura.


Não! Não fica chateada, não. É só que, eu não sei, só queria agradar ele.


Me aproximei dela.


Meu bem, você agrada a qualquer um. Você é linda! De qualquer jeito, e com qualquer vestido. ri e ela sorriu. Apenas o que eu te digo, é que não faça nada que se arrependa depois, está bem?


Mas eu não vou me arrepender. Joonie é um homem e tanto, eu o amo.


Respirei fundo.


Só procura não se deixar cegar, certo? Não te quero ver chorando depois a alertei.


Nunca entendi essa cisma que você tem com o Joonie, ele nunca fez nada pra você.


Conheço os tipos de homens como ele, só estou avisando. Afaguei seus cabelos. Mas já falou com a madre? Como vai sair?


Ela me olhou pidona.


Sabe eu estava que você me ajudasse, me desse cobertura. Sorriu amarelo.


Não! Definitivamente não. Vou acabar me metendo em confusão por culpa sua, pode tirar o cavalinho da chuva, senhorita Sana ditei firme e cruzei os braços.


Ah, por favor, Unnie! Juntou as mãos em uma forma de súplica. Eu faço o seu dever por essa semana que falta para acabarem as aulas. Não esbocei nenhuma reação. Aish... Já sei! Também lavo a sua roupa!


Sorri largamente.


Faço isso por você porque sou uma ótima amiga ditei sarcástica e ela me bateu com o pano do vestido. Ai, sua agressiva! Ri e ela me acompanhou. Vai tomar seu banho logo, antes que eu desista da minha bondade!


Dei tapinhas na sua bunda e ela riu, indo em direção ao banheiro logo em seguida. Respirei fundo e me joguei na cama, me esticando para pegar uma revista que estava em cima da cômoda ao lado. Comecei a folheá-la meio inerte ao seu conteúdo, quando ouvi três batidas na porta. Levantei-me e fui abrir a porta, minha boca se formou em um “o” e meus olhos quase saltaram das órbitas. Namjoon estava bem à minha frente, me encarando. Como ele estava aqui? E melhor, como ele entrou? O colégio não permite a entrada de homens, a não ser os pais ou familiares das alunas, então semicerrei os olhos.


Sana não está pronta ainda. soltei disparadamente.


Hein? Ah, é mesmo eu vou sair com ela hoje. Bufou.


Exato, ela ainda não está pronta! Então tchau! Tentei fechar a porta, mas ele me impediu.


Mas eu não vim falar com ela, e sim com você.


Minha face esboçou o que eu estava sentindo: surpresa.


Não tem nada o que falar comigo. Cruzei os braços.


Errado, eu tenho muito o que falar com você. Arqueei uma sobrancelha. E você vai falar comigo querendo... ou não. ditou convicto, e eu soltei uma gargalhada.


Você é meu pai? perguntei e ele negou. E muito menos é minha mãe, então você não manda em mim. Eu só faço o que eu quero, seu cafajeste, e eu não quero conversar com você.


Ele bufou e segundos depois estava me segurando pelo pulso e me arrastando pelos corredores do colégio.


Eu avisei.


Quem você pensa que é? Solte-me! Ouviu bem? Ou é surdo…? Me solta! Ou eu vou gritar! esbravejei.


Grite e todos verão um rapaz no colégio, e mais, o rapaz que namora a sua amiga, porém está com você, isso não pegaria bem, não é?


Bufei.


Você me paga!


Quando ele afrouxou o aperto em meu pulso, eu me soltei e corri, mas não fui tão longe.


SOCORRO! gritei, quando senti dois braços me rodearem a cintura e me jogarem no ombro alheio com certa facilidade.


Você é pior do que eu imaginei! Sua menina birrenta!


Soquei e esperneei nas costas dele.


Me põe no chão, Kim Namjoon! Seu escroto, idiota, imbecil, cafajeste! Você vai ver o que eu vou fazer com esse seu belo rostinho quando me pôr no chão!


Ele riu.


Bom saber que acha o meu rosto um belo rostinho.


Bufei.


Resolvi me acalmar, e depois de mais uns segundos a gente parou em uma sala, e ele abriu a porta, fechando e trancando a mesma logo que em seguida, e me pôs no chão. Corri até a porta e forcei a maçaneta, mas de nada adiantou.


Abre essa porta! Ele negou. Idiota murmurei, e me deixei escorregar pela porta até eu me sentar no chão. Ele andou até mim e sentou-se em minha frente. Diga logo o que quer.


Sabe, S/n, nunca fui de correr atrás de mulher. O que acontecia era bem o contrário, mas com você o assunto é bem diferente.


Talvez porque eu não seja idiota ditei irônica.


E muito menos fui de usar o que vou usar com você para conquistar uma mulher. Franziu o cenho. Eu queria muito saber por que você tem essa impressão tão errada sobre mim, eu não sou uma má pessoa, sabe?


Eu sou baseada em primeiras impressões, sabe? E a sua não foi das melhores. Dei de ombros.


Não devia julgar as pessoas assim, de cara, já ouviu aquele ditado popular? “Não julgue o livro pela capa”?


Ri e me sentei sobre meus joelhos.


O que está querendo com esse assunto todo? Gosta de ditados, não é? E que tal esse: “Essa figurinha não cola no meu álbum? Sorri irônica.


Por que não me dá uma chance?


Acha que eu sou uma cobra? Minha melhor amiga namora com você. Não vou ser idiota ao ponto de fazer uma besteira desse tamanho, eu tenho princípios. Me levantei e fui seguida por ele.


Uma noite, é o que eu peço.


Como ele era cara de pau a esse nível? E então Namjoon me pegou pela cintura colando nossos corpos.


Não mesmo, está fora de cogitação eu aceitar isso.


Ele torceu o nariz.


Eu acho que vou terminar com a Sana, o que acha disso, S/n?


Arregalei os olhos.


Você não faria isso! Iria magoar ela, seu imbecil, ela te ama.


Ele sorriu de canto.


Não vou ter você, então não vou ficar com ela também. Seria meio injusto com ela, não acha? Uma mulher que estou, sendo que não a almejo. Balançou a cabeça em negação e me soltou.


Ele foi até a porta e a abriu, indo em direção ao meu quarto novamente. Tentei o impedir, mas ele não me ouvia. Fiquei sem saber o que fazer quando ele bateu na porta e quem abriu foi Sana, apenas de toalha.


Joonie? O que faz aqui? Ainda está cedo. Franziu o cenho.


Temos que conversar ditou sério.


Por que está tão sério, Joonie? Está me assustando. Vi a aflição tomar conta da face da minha amiga.


É que…


Eu o interrompi.


É que eu e ele estávamos conversando, e ele queria falar com seus pais Dogsaeng, é isso ditei nervosa, e os dois me olharam confusos.


Era isso? disseram em uníssono.


Sim! Ora, Namjoon, lembre-se. Qualquer coisa, eu converso com você mais tarde deixei claro para ele que mais tarde eu falaria com ele e ele sorriu de lado. Vocês vão sair não vão?


Sim afirmou.


Então, Namjoon, a deixe se vestir com calma! Mais tarde vocês se falam! Empurrei o Namjoon para o lado e Sana para dentro do quarto para que eu entrasse, e então segurei a porta em minhas mãos.


Eu vou querer essa conversa. sussurrou para mim.


E você vai ter! sussurrei de volta. Agora tchau, Namjoon! fechei a porta.


Obrigada, Unnie.


Torci o nariz.


Obrigada? Pelo que?


Por estar se esforçando para se dar bem com ele, sabe como é importante para mim.


De nada. Agora vai terminar de se ajeitar, mulher! ela sorriu e voltou para o banheiro. E eu suspirei, tirando meus sapatos e me estirando na cama.


Namjoon era um cafajeste louco, mas eu era mais louca que ele só por cogitar aceitar essa ideia. Que tipo de pessoa eu era? Eu acabaria machucando a minha melhor amiga.


Certo tempo depois, Sana saiu do banheiro com o vestido branco que, digamos, ficou muito bom nela, indo direto para o espelho checar a maquiagem. Ajeitou o batom e se virou para me, olhar dando uma voltinha eufórica para mim.


Como estou? me levantei e fiquei à sua frente.


Está muito feia. Ri, mas ela não. Cadê seu senso de humor? Credo, está linda, Dogsaeng.


Sério, Unnie? Obrigada!


Foi em direção à cama e pegou sua bolsa, tomando em mãos os seus sapatos e passando em seguida pela janela.


Lembre-se do que eu lhe disse, não faça nada que se arrependa depois.


Ela me olhou.


Pode deixar, não vou e logo depois ela sumiu de minhas vistas.


Respirei fundo e me joguei na cama mais uma vez. Ali no colégio as coisas eram bem paradas, não tinha aparelho celular, nem ao menos um computador. Éramos como bicho do mato, mas eu já era acostumada, e nesses dias que eu geralmente ficava sem o que fazer, eu dormia. Aconcheguei-me no travesseiro e fechei meus olhos.


Estávamos eu e Namjoon andando de mãos dadas pelo parque, sorríamos um para o outro. Mas algo não estava certo, por que eu estava fazendo aquilo justamente com ele? Era tudo muito esquisito.


— O que estamos fazendo? — perguntei.


Ele franziu o cenho e sorriu logo em seguida.


— Caminhando pelo parque, amor.


Torci o nariz.


— Amor? Desde quando me chama assim? — eu estava confusa.


— Desde quando começamos a namorar, ué. — Ele me fitava como se eu estivesse ficando louca.


— Como? Namorar? E a Sana?


Ele cruzou os braços.


— Quem é Sana? — e de repente vieram vozes à minha cabeça.


Você o tirou de mim unnie... Você o fez se esquecer de mim.


— Sana... Não... — murmurei para mim mesma.


Você é um monstro, como tem coragem de se olhar no espelho?


— Não!


Então eu acordei atordoada, com o suor escorrendo, e a respiração desregulada.  Estava com as batidas do meu coração descompassadas. Aquilo havia sido um sonho? Que sonho horrível, eu acho que isso tudo o que estou sentindo é medo.


Medo de acabar machucando quem mais me ajudou em toda a minha vida.


O quarto estava no mais puro silêncio, o que indicava que Sana ainda não havia chegado. Sentei-me, respirei fundo, mas levei um susto ao ouvir três batidas na porta. Me levantei e fui vagarosamente até a porta.


Senhorita S/n? Arregalei os olhos ao ver a coordenadora do colégio, a sra. Wang, e tratei de fechar mais a porta para que ela não notasse que a Sana não estava ali.


Sim, senhora Wang? bocejei.


Vejo que estava dormindo. Desculpe lhe atrapalhar.


Franzi o cenho.


Ela estava sendo formal e educada comigo? Logo ela? A pessoa que eu apelidei gentilmente de “dragão”? Eu acho que ainda estou sonhando.


Eu já estava acordada, não se preocupe. Torci o nariz.


Venha, a madre quer falar com você.


Fiquei surpresa.


Eu não fiz nada! Ela só chamava quando eu fazia algo.


Não estou dizendo que fez, criança, mas ela quer falar com você.


Dei um passo à frente e fechei a porta.


Só estou adiantando afirmei.


E a senhorita Sana?


Engoli seco.


Ela... estava tão cansada que acabou dormindo cedo soltei rapidamente.


Entendo.


Começamos a caminhar até a sala da madre, o caminho foi bem silencioso. Não era algo ruim, até porque, nunca fui de trocar mais de duas palavras com a senhora Wang. Quando chegamos, ela abriu a porta para mim e eu entrei, me sentando à frente da madre, que me fitava atentamente.


O que eu fiz? perguntei.


Nada a madre disse.


Torci o nariz.


Então por que estou aqui? Cruzei os braços.


Porque quero falar com você. Fiquei calada para que ela prosseguisse. Como você sabe, há 18 anos, quando lhe deixaram aqui, não havia nada com você. Nada além de uma manta... Arqueei uma sobrancelha. Hoje isso mudou.


Por quê? Acharam uma chupeta também? disparei sarcasticamente.


Eu sei que isso é um assunto bem delicado para você, S/n, mas não é hora para ser sarcástica. O seu responsável veio aqui pela manhã. Arregalei os olhos. O seu pai, S/n, ele estava disposto a falar com você e lhe levar daqui.


Com se fosse fácil assim esbravejei. Mesmo não querendo, aquele assunto mexia mais comigo do que eu queria transparecer.


Eu não permiti por um motivo, aliás, dois. Você já é maior de idade, então já pode fazer o que quiser. Ele perdeu a sua tutela no dia que lhe deixou aqui, por isso eu queria falar com você. Para saber a sua opinião.


Olha aqui, Madre, não sei quem esse homem é, mas também não faço questão de saber. Ele poderia ter cuidado de mim, me visto crescer, mas não fez isso. Deixou-me no primeiro colégio/internato que viu, e agora depois de dezoito anos volta e quer falar comigo como se nada tivesse acontecido? Não. Eu senti falta de um pai e de uma mãe, mas aprendi a superar esse vazio. Coloquei na minha cabeça que, como vou sentir falta de uma coisa que eu nunca recebi? Então parei de sentir. Se ele vier outra vez, mande-o voltar para o lugar que veio, porque, se eu consegui viver esses anos todos sem ele, consigo viver a minha vida toda. Não faço questão de saber da existência de um pai que nunca ligou para a minha bradei, meus olhos já estavam marejados.


Levantei-me e comecei a andar até a porta, e passei por ela, batendo-a. Corri até o jardim do colégio e me sentei na grama, abraçando os meus joelhos. Afundei meu rosto ali, me permitindo chorar até soluçar. Quem esse cara pensava que era…? Passa anos sem dar as caras, e sem nem ao menos ligar para quando eu precisava mais dele. Passei anos da minha vida chorando pela falta dele, ou de uma figura materna. Quando estivera em minha puberdade, eu não tive uma mãe ou um pai para me orientar, eram as fases em que eu mais precisava deles. Se ele resolveu me deixar, não o critico. Mas que não voltasse mais também.


Eu queria sumir, como um cara que apareceu do nada estava conseguindo colocar minha vida de cabeça para baixo em questão de minutos? Eu não ia deixar que ele fizesse isso! Eu não podia deixar.


Vi alguém sentar ao meu lado, mas não fiz questão de levantar o rosto para fitar quem era, só continuei com o meu choro silencioso. Senti braços rodearem os meus ombros, e só assim levantei o meu rosto para ver quem era. Mesmo com os olhos cheio de lágrimas vi que era Namjoon, ele estava com um semblante preocupado e me fitava, me pegou pela cabeça e afagou o meu cabelo.


O que... está... um soluço involuntário escapou.


Shiii, não me julgue agora, certo? Apenas me deixe cuidar de você. Semicerrei os olhos. Por favor.


Acabei fazendo que sim com a cabeça, então ele me empurrou contra o seu peito. Aquele peito era tão aconchegante, me permiti me afogar em minhas lágrimas. Ele não sabia o motivo, mas estava me ajudando. Ele estava afagando minhas costas enquanto eu soluçava terrivelmente alto.


Eu vou cuidar de você, meu anjo.



Notas Finais


AAAAA EU NEM VOU MENTIR SHIPPO OS DOIS MESMO <3
só que tá me dando uma dózinha da Sana :'3 Mas segue o bonde.
EITA O PAI DELA TA ATRAS AAAAAAA o que será que vai dar? Merda, só adianto u.u

Vamos as explicações:
Não postei nenhuma das minhas fanfics ou melhor capítulos das mesmas, porque, primeiro meu notebook pifou e estou sem ele agora. Perdi capítulos, capas, fotos, etc. Isso me dxa triste mas tbm com muita raiva enfim. Ai eu estou usando o Computador da minha mãe, ta ele bom e pa só que gosto de escrever na madruga e ele faz mt barulho =_= Ai eu tenho que reescrever os capítulos, tipo esse foi um dos que eu consegui reescrever. E outra como não estou conseguindo escrever pela madruga, só posso escrever pelo dia. Ou seja, eu estudo e trabalho então o negócio pesa pra mim entendem? Vou tentar escrever os capítulos tudo bonitinho ai eu trago pra voces, então não me matem se eu atrasar :'3


AAAA E OBRIGADA PELOS +35 AAAAA MT OBRIGADA AMORES <3 E PELOS COMENTÁRIOS TAMBÉM!

Espero que tenham gostado <3 e até o próximo!
meu perfil: @taemotiva


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...