1. Spirit Fanfics >
  2. Just stay. >
  3. Outra metade de si.

História Just stay. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Outra metade de si.


         15 de junho de 2017 - Seul, Coréia do Sul

 

Chris estava exausto, não conseguia mais se aguentar em pé. Travava uma batalha intensa contra o próprio corpo e contra o melhor amigo que estava em sua frente, estavam nessa luta corporal a algumas horas, empatados sem nenhuma previsão de término.

Ambos sentiam os músculos doerem pedindo por socorro, absortos em ver o outro no chão. Não eram amigos que brincavam mais, seus olhos eram indiferentes a dor alheia, olhos assassinos.

Christopher não era mais uma criança remelenta e inocente, agora era Chan, herdeiro da Máfia mais temida da Coréia do Sul. Mudou seu nome pra proteger a si e a seu irmão, era perigoso deixar que os inimigos soubessem de sua existência e ligassem ele a Felix de uma maneira ruim.

Quando Chan desembarcou na Coréia após a adoção descobriu o porquê Jaebum exigia um herdeiro forte, afinal ele era chefe de uma máfia que havia herdado de seu pai.

Estava disposto a entrar de cabeça naquele mundo, mesmo não entendendo muito, mas quando começou a compreender, fez um pedido importante a seus pais, um pedido que até a atualidade é um peso em seu coração.

- Papai Jackson, eu sei que eu aceitei vir pra cá com vocês e eu quero de verdade ficar com vocês, tá? – disse com uma cara séria que só fazia os novos pais quererem o morder de tão fofo. – Eu queria que vocês voltassem com o Felix pra Austrália, não quero que ele veja as pessoas más que estão aqui.

Lembrava-se que depois deles concordarem em levar Felix de volta para a Austrália, ele chorou como nunca havia chorado antes, havia chorado agarrado ao irmão mais do que chorou quando viu seu pai cravar uma faca na barriga de sua mãe. Chorou, pois sabia que o que estava fazendo era o certo, que iria preservar o irmão de um mundo cruel.

Agora, com seus 20 anos, entendia que foi a decisão certa pedir aquilo a seus pais, quando menor ele só queria preservar o sorriso do irmão, mas agora sabia que fez mais do que preservar o sorriso inocente e sincero de Felix, preservou também a vida dele.

Estava tão perdido em pensamentos que nem percebeu Changbin lhe dando um rasteira e o jogando no chão, logo após sentiu o peso do amigo em cima de si e as mãos dele apertando seu pescoço.

- Não deveria se distrair assim tão fácil, Chan. – disse o garoto com um sorriso zombeteiro no rosto. – Posso não ser mais forte que você, mas eu sou bem mais astuto. Se isso fosse uma luta de vida ou morte, seu sangue já estaria escorrendo pelo chão.

- Se fosse uma luta de vida ou morte você já estaria morto desde a nossa primeira luta, ou você já esqueceu que eu já ganhei de você 98 vezes? – falou rindo logo em seguida do bico que o amigo fez, aproveitou a distração e o empurrou com força para o lado, estava com as costas doendo.

Quando Changbin estava prestes a retrucar a porta foi aberta com força por um garoto franzino de cabelos pintados de azul, ele era responsável por mantê-los avisados se o líder precisava ou não de auxílio em algo.

Chan o olhava com ternura, além do garoto ter a mesma idade de que irmão, ele fazia aniversário apenas um dia antes, mas não era só isso. Era apaixonado naquele garoto e não podia negar, era uma pena não ter tempo para coisas que pessoas de sua idade faziam, como flertar e namorar.

- O Líder quer vê-los, preparem-se porque dessa vez a missão vai ser complicada. – Disse olhando para o celular em sua mão. – Tome cuidado e não morra, por favor. – Disse baixo em tom de súplica olhando diretamente a Chan, que sorriu ternamente e assentiu.

- Pode deixar que eu não vou morrer e obrigada pela preocupação. – Disse Changbin com a voz carregada de deboche, logo rindo quando recebeu um dedo do meio como resposta a provocação, nunca perderia a graça irritar o garoto esquilo.

Olhou para Chan e o viu se levantar, fez o mesmo e ficaram de frente a Jisung para pegar os papéis de suas missões, quando leram arregalaram os olhos.

- É, nós vamos morrer com toda certeza. – Riu quando recebeu um tapa de forte de Jisung.

Chan via as provocações e as violências ali a sua frente como formas de carinho, pessoas que ele considerava como família, estavam sempre se provocando e se socando, ali era seu lugar, sua casa.

Faltava apenas a outra metade de si, que estava na Austrália com o garoto de sardas, que sentia a mesma falta que si, afinal eram irmãos.

 


Notas Finais


Voltei husahuhsas
Como tem estado a quarentena de vocês? Como estou em casa de férias do trabalho, tenho mais tempo para escrever, então vou postar algumas vezes durante a semana, farei uma capa provisória pq eu realmente não sei fazer capas boas.
Me digam o que acharam no comentário pra me incentivar, até a próxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...