História Justice for the Island- Malvie - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Ally, Carlos de Vil, Chad, Dizzy, Doug, Dude, Evie, Freddie, Gil, Harry Gancho, Jane, Jay, Jordan, Lonnie, Mal, Princesa Audrey, Príncipe Ben, Ruby, Uma
Tags Brian, Dizzy Tremaine, Evie Is So Gay, Freddie Facilier, Ginny Gothel, Governo Ruim, Injustiça, Magia, Malvie, Mevie, Pais, Preconceito, Realidade, Ruby Lucas, Xenofobia
Visualizações 122
Palavras 3.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Informação: Aula de Línguas é tipo nossas aulas de português para nós ou nos EUA as aulas de Inglês, simples assim

Capítulo 24 - Xadrez



- Está frio- Freddie falou quase como uma bronca

Já era noite, o toque de recolher havia tocado a tempos, mas Ally havia proposto que ela e Freddie fossem dar uma volta pelo campo de Tourney mesmo assim, a Facilier não se opôs, sabia que estariam quebrando uma regra e por justamente esse motivo sentiu vontade de ir, pelo menos uma pequena sensação de fazer algo errado ela queria sentir, mesmo que tão pouco como isso, mas assim que elas se encontraram atrás das arquibancadas, a Facilier revirou os olhos ao ver a filha de Alice com nada além de uma regata azul e um short branco, estava frio de mais para tão pouca roupa

- Sei que não faz seu estilo- Freddie retirou seu casaco rapidamente- Mas coloca- Pediu com suas mãos ao redor da menina, para ajudá-la a colocar o casaco vinho listrado

- Não precisa- Ally tentou protesta, mas sabia que era perda de tempo, então logo colocou o casaco

Assim que a loira colocou o casaco que parecia uma fusão entre um paletó e um moletom, Freddie se conteve para não rir, havia ficado enorme em Ally, deixando ainda mais visível a diferença de tamanho entre elas, até houve uma pequena tentativa de arrumar o casaco, como dobrar as mangas algumas vezes, mas a Kingsleigh era muito pequena e mesmo assim ela parecia uma criança que roubou uma camisa de um adulto, algo que a Facilier não pode deixar de achar levemente fofo, mas que ela nunca se dignaria a admitir, se não admitia que acha Dizzy fofa, não seria Ally que ela iria admitir, era "durona" de mais para achar algo fofo

- Agora me diz o que viemos fazer aqui- Freddie pediu indo para o meio de campo

- Eu só queria passar um tempo com você- A loira deu de ombros pegando dois tacos que havia pegado no armário do selador- Ai pensei em a gente jogar um pouco- Falou mostrando os tacos

- Ah não- Freddie negou- Da última vez que você pegou nessa coisa você acertou minha cabeça- Continuou a negar, fazendo a outra rir corando

- E-eu… Já disse que foi sem querer- Ally desviou o olhar entregando um tanco a menina de cabelos negros e brancos- E foi você que resolveu entrar no gol- Deu de ombros

A filha do Dr. Facilier virou-se pronta para acertar a menor com seu taco, pela simples audácia de estar dizendo que ela era a errada da história, mas no meio do caminho ela se interrompeu respirando fundo, olhou a outra de cima a baixo e riu levemente, a filha da salvadora era tão pequena e fofa, mal se parecia com a mãe, além disso era tão gentil e amável, tinha belos olhos brilhantes e sonhadores, sem contar no constante sorriso acolhedor no rosto, ela se viu incapaz de poder bater naquela garota. Ainda analisando a loira, Freddie viu que ela ainda brincava com seus dedos e parecia ter se perdido de repente em seus pensamentos, Ally parecia ter essa constante perda de atenção, era tão fácil que as vezes chegava a incomodar a maior, um incomodo meio parecido com a falta de saber o que fazer, mas não era o suficiente para fazê-la se afastar

- Como se joga isso?- Freddie perguntou ao voltar a si

- Eu vou te ensinar- Ally garantiu

Ally poderia não ser uma Lonnie da vida, também não tinha vontade de participar do time, nem de Tourney, nem de R.O.A.R, o máximo que ela fazia era brincar com alguns amigos e com sua mãe, ela via tudo muito mais como uma grande brincadeira, não curtia muito o lado da competitividade, em saber que um ganha e o outro perde, tinha uma sensação ruim só de pensar que havia alguém que saia perdendo, por isso raramente assistia algum jogo do colégio, só ia quando tinha algum motivo maior para ir. A loira ficou um bom tempo explicando algumas coisas a Freddie, mostrando a ela como fazer cada passe e as vezes jogando uma bola para ela, na tentativa de ver ela acertar a bola e quem sabe acertar o gol

Em dado momento, Ally jogou a bola para a outra rapidamente, em puro reflexo a Facilier se virou, armou o taco a uma enorme velocidade e bateu-o na bola, tão rápido e violentamente que por pura sorte, ela conseguiu acertar o gol, o que chocou e muito a loira. Freddie se virou rapidamente para Ally com um sorriso orgulhoso no rosto

- Você conseguiu!- Ally falou transbordando orgulho em sua voz

Em questão de segundos a maior correu em direção a filha de Alice, abraçou a cintura da mesma, apenas para conseguir a girar e fazê-la cair do chão, mas acabando caindo junto ela em resultado, ambas gargalhavam alto, por pura besteira, como se aquilo fosse algo muito incrível

- Você está fria- Ally falou tocando os braços desnudos da outra

- Não se preocupe- Freddie pediu sentando no gramado- É só...- Ela estalou os dedos fazendo uma chama surgir nela- Fazer isso- Sorriu levemente

- Freddie- Ally negou fechando a mão da outra, assim apagando a chama- Você não pode controlar magia- Explicou carinhosamente

- Ally- Freddie chamou extremamente baixo, olhando sua mão que ainda estava entre as duas de Ally- Você realmente quer criar uma amizade comigo?- Perguntou e logo viu a outra assentir freneticamente- Então não me negue uma parte de mim- Pediu sorrindo de lado

- Como assim?- A AK perguntou levemente confusa

- Ally, eu sou filha de um feiticeiro voodoo, por vez eu também sou- Explicou calmamente, sentindo sua mão ser acariciada- Eu tenho magia e isso eu não posso tirar de mim, isso não é possível e mesmo que fosse, eu não gostaria de tirar porque essas sou eu- Sorriu de lado uma outra vez- Então por favor, não me negue uma parte de mim

- Eu...- Ally franziu o cenho- Então me ensina- Pediu de repente, confundindo a outra- Você quer que eu siga um caminho que minha vida inteira eu fui ensina a desviar, então me ensina a ir por ele- Falou rindo levemente com sua analogia um tanto confusa

- Então... vo...cê está... disposta realmente a me... Ahr... aceitar mesmo sendo uma feiticeira filha do Dr. Facilier?- Freddie perguntou lentamente, garantindo que a ficha da outra não finalmente caiu

Freddie por um momento se assustou consigo, não entendeu porque de repente, suas palavras saíram quase trêmulas, como se temesse que a menina finalmente tenha se tocado de quem ela era e que se afastasse de si, ela não gostava de admitir, nem mesmo a si, mas ela sabia que temeu que fosse negada pela menor, que ela a xingasse e nunca mais falasse com ela, e isso só a deixou mais confusa, ainda mais não sabendo do que temeu mais, se temia mais perder a loirinha, ou se temia mais sentir esse temor de a perder. O coração da Facilier por alguns segundos gelou dentro de si, mas sua respiração por sua vez esquentou, ela sentiu suas mãos formigarem e seu estomago inteiro revirou-se em si, ela nunca sentiu isso, sequer algo parecido já lhe ocorrera, mas ela não gostou, foi um sentimento e uma sensação horrível a qual ela não gostaria de sentir outra vez, uma vez já foi suficiente

- Eu tenho que entender, que essa é você, uma garota que veio da Ilha dos Perdidos, é filha do Doutor Facilier e tem magia- Deu de ombros se arrastando para sentar-se ao lado da outra- É só que eu nunca tive contato com isso, com esse mundo, então eu também preciso da sua paciência e compreensão- Deitou a cabeça no ombro da outra- A errada sou eu, então eu estou disposta a mudar, desde que você me ajude

- Você...- Freddie se interrompeu por alguns segundos, não sabendo se deveria ou não ditar tais palavras, mas por fim, apenas respirou fundo deitando sua cabeça sobre a da loira- É provavelmente a melhor coisa que já aconteceu na minha vida- Sussurrou, tentando não se arrepender tão de imediato, ainda mais ao escutar a risada gostosa de Ally

- As pessoas não costumam ter paciência comigo- Ally sussurrou de volta, outra vez tomando a mão da Facilier para si- E... Mesmo não sendo muito legal comigo no começo- Freddie fechou os olhos negando, se arrependera de já ter sido tão grossa com aquela garota- Você é a única que não me tratou diferente- Sorriu pequeno

- Está mentindo- Freddie rebateu virando-se levemente, assim podendo sentir o cheiro de rosas que a loira emanava- Eu te trato diferente- Falou olhando sua mão que estava sobre o domínio da Kingsleigh- Você é a primeira pessoa que chega tão perto de mim- Explicou, analisando toda aquela situação- Em todos os sentidos- Ally riu levemente

- E você é a primeira pessoa com quem mais falo- Ally contou, correndo seus dedos pelo pele negra da maior- É difícil... Falar as coisas que quero, as vezes me embaralho com as palavras...- A Facilier concordou rindo levemente- Mas mesmo assim você me entende

XxxxX

- Não, Dizzy- Ginny negou se aproximando da sua colega de quarto- Olhe aqui, você está esquecendo de trocar os sinais- Mostrou

Nas últimas duas horas Ginny estava ajudando em alguns deveres extras que Dizzy havia esquecido de pedir ajuda aos jovens filhos de Mulan, em sua maioria deveres de Bondade, a qual assim como Mal, a Gothel também descobriu alguns macetes para conseguir saber as respostas das atividades e estava repassando tais atalhos para a mais nova. A maior dificuldade era somente a falta de atenção da criança, chegando ao ponto em que a mais velha tinha que ditar algumas questões, principalmente as de Línguas, onde cada questão tinha um pequeno texto antecedido, a qual Dizzy sempre se perdia ou no final, mal sabia o que havia lido

Umas das grandes virtudes de Ginny eram duas, a qual ela havia claramente puxado de sua mãe, essas eram apenas algumas e dentre elas tinha uma importantíssima: Paciência. A jovem de cabelos cacheados saia esperar e se manter calma a toda situação, assim como estava tendo com a jovem Tremaine, mesmo com a mesma constantemente se perdendo e batendo a ponta do lápis na mesa, fazendo um barulho deveras irritante, Ginny ainda se mantinha calma e paciente, explicando cada pequena coisinha e tentando algumas formas de manter a atenção da criança, como pegar uma aparelho "magico" que haviam lhe dado e colocar música nele, ou então fazer de alguma forma algumas representações das coisas que estava lendo, não que estivesse tendo muito sucesso, mas ao menos ajudava

- Ah sim, obrigada- Dizzy agradeceu conseguindo enfim terminar a última questão- Ginny, você pode me fazer um favor?- A Gothel arqueou uma sobrancelha- Eu queria ir pro quarto da Evie, mas está escuro lá fora- Ginny riu levemente

- Eu te levo- Confirmou- Mas leva sua mochila com algumas roupas para amanhã- Aconselhou sentando-se na ponta da cama

Ginny assistiu a Tremaine pegar algumas de suas poucas roupas e colocar em uma mochila que ganhou aqui em Auradon, enquanto isso, a filha da Mother Gothel foi colocar seus tênis, garantindo que a criança não estava esquecendo nenhum material encima da mesa. Com tudo pronto as duas saíram do quarto, Dizzy apertando seus cadernos contra o tronco e Ginny com seus braços cruzados abaixo do seio, o quarto de Evie não era tão longe, era no outro corredor feminino apenas, então felizmente não demorou muito para chegarem

- Evie?- Dizzy chamou batendo a porta

Em alguns segundo Evie abriu a porta sorrindo grande, chegara a convidar Ginny a entrar, mas a mesma negou imediatamente, não queria interromper nada ali, então apenas entregou a Dizzy e se virou, voltando para seu quarto, mas não antes de ter percebido algo estranho em Evie, ela estava tremula e suando muito, algo muito incomum, ainda mais que aparentemente não havia motivos para ela ter tais ações, ela parecia até quase nervosa, o que nunca chegou a acontecer, suas respiração pendia ao ofegante e estava mais rígida do que costumava, realmente curioso

- Então era disso que Freddie vinha comentando- Ginny murmurou abrindo a porta de seu quarto- Evie tem um segredo, hum?- Se perguntou sentando-se a mesa do quarto- Interessante Grimhilde, eu gostaria de descobri-lo, mas deixarei esse trabalho para Freddie- Deu de ombros rindo consigo

Então a filha de Mother Gothel pegou em suas mãos o pequeno caderno de feitiços que lhe foi entregue, passou algumas páginas e riu, havia conjurações para praticamente de tudo, coisas grandes como maldições ou rematerialização, assim como tinha para coisas pequenas, como trocar a cor de suas roupas e quem sabe até seu corte de cabelo, mas não era assim tão simples, o final era simplório, mas os meios não, Ginny teria que se esforçar muito para conseguir se tornar uma bruxa, ou pelo menos, desenvolver magia suficiente para que possa envenenar uma maçã assim como a Rainha Má fez tempos atrás, a sua sorte é que sua mãe já teve magia correndo por seu corpo, não era sua, provinha dos mágicos cabelos de Rapunzel, mas ainda sim correram seu corpo, deixando nele algumas pequenas fagulhas magicas, que felizmente transpassaram para Ginny, então tudo o que ela precisava era pegar fogo

Não que isso facilitasse alguma coisa, ela ainda não era magica, ela só tinha capacidade para ser, então o caminho para aprender era muito mais longo e difícil, demoraria algum tempo e uma grande demanda de esforço para que conseguisse enfeitiçar uma maldita maçã, para sua felicidade, ela tinha outra grande virtude: Força de vontade. Se ela queria fazer aquilo, então ela iria até o fim, não importa o quanto demore, o que tenha que fazer, o quanto o caminho seja tortuoso, ela vai chegar ao fim e vai completar seu plano, independente de tudo

- Dizem que o rei é a peça mais importante do jogo- Ela sussurrou para si, puxando um tabuleiro de xadrez para perto de si- Mas não no meu jogo- Negou movendo um dos peões negros- Brian pode ser o rei do meu jogo- Falou movendo a peça citada- Mas definitivamente não é com ele que o jogo se encerra- Riu acertando um peteleco em um peão branco- No final eu posso até cair- Assentiu movendo várias peças de ambos os lados- Mas acredite, eu vou levar pelo menos metade do outro lado comigo- riu repartindo o tabuleiro branco ao meio com seu braço e arremessando a metade esquerda dele

Ginny viu o tabuleiro, vendo o mesmo com tão pouco pedras encima dele, mas em sua maioria as pedras eram brancas, mais ainda lhe faltavam o rei, quatro peões, um bispo, um cavalo e uma torre, metade de tais pedras estavam espalhadas pela mesa, caídas e algumas poucas até quebradas, já as que ficaram dentro do tabuleiro, estavam espalhadas por ele, algumas caídas, outra quase a cair do tabuleiro, outra fora do lugar e assim vai. Gothel só conseguia pensar em como aquela pequena representação não seria incrivelmente divertida na vida real, ela sabia que não haveriam só perdas, haveria confusão, haveria caos

- Ah, droga- Ela revirou os olhos quando viu uma lista de exercícios da aula de Bondade- Esqueci de fazer isso- Falou puxando seu caderno e a folha repleta de deveres- Deveres de bondade- Debochou pegando um lápis- Como se isso fosse realmente fazer efeito em um de nós

XxxxX

- Ben, eu quero ir embora- Mal falou trêmula

Estavam em um evento, mas depois de um tempo as coisas começaram a sair do controle, fotógrafos começaram a os rodear pouco a pouco até que quando Mal deu por si, eles dois estavam cercados de muitos fotógrafos e repórteres, flash’s brilhando em seus rostos, microfones apontados para suas bocas e muitas perguntas sendo dirigidos a eles, eram muitas coisas, a fada já estava ficando tonta com tanta coisa, seus olhos eram claros e sensíveis a luminosidade, então ela mal conseguia os manter aberto, sua audição aguçada estavam doendo pela enorme barulheira e suas mãos começavam a coçar, como leves mordidas sobre ela. Era sua magia, era sua magia implorando para se esvair de seu corpo, era sua magia querendo lhe proteger…

Mas a Lady Mal não pode controlar magia

- Tudo bem, tudo bem- Ben assentiu abraçando os ombros da namorada- Vem- Ele sussurrou começando a guiá-la

Os dois passaram pelo mar de pessoas com bastante dificuldade, o que estava deixando Mal cada vez mais agitada e nervosa, nem mesmo quando eles conseguiram chegar a limousine ela conseguiu acalmar-se, ela ainda estava nervosa ao extremo, suas mãos ainda imploravam para controlar sua magia, sua cabeça ainda girava diversas vezes, sua respiração bastante ofegante e seu corpo ficando cada vez mais quente. A filha de Malévola estava tendo que se controlar para que seus olhos não brilhassem, ela sabia que se acontecesse, teria prováveis problemas e definitivamente não era o que a jovem VK queria no momento

- Mal, você está bem?- Ben perguntou carinhosamente, ajudando a menor a sair do automóvel- O que você tem?- Insistiu

- Não é nada- Mal mentiu fechando os olhos- Apenas um mal estar- Deu de ombros, começando a entrar no palácio de Jasmine

- Eu posso fazer algo por você?- Ben perguntou preocupado- Eu vou pegar um remédio, ok?- Ele perguntou sorrindo pequeno- Enquanto você se troca eu vou preparar algumas coisas- Completou beijando a bochecha da namorada

Mal viu o namorado se apressar para fazer o que disse, já ela, dirigiu-se a seu quarto com pressa, praticamente arrancou as roupas de seu corpo, com pressa e brutalidade, escutando algumas partes se rasgaram ou cederem, o que a fez pensar em diversas desculpas para dar a Evie quando voltasse a Auradon. Depois de se trocar por completo, Mal olhou-se no espelho e respirou fundo, vendo uma média nuvem de fumaça sair de suas narinas enquanto seus olhos eram tomados pelos verdes intensos do dragão, mostrando que claramente ela estava perdendo o controle sobre o dragão e sua magia

- Mal?- Ben bateu a ponta

- Só um minuto- A fada pediu fechando os olhos com força

A garota balançou a cabeça diversas vezes enquanto pensava em milhões de formas para que seus olhos e sua respiração voltassem ao normal, suas mãos fechavam e abriam freneticamente assim como seus olhos começavam a piscar diversas vezes. Quando ela teve certeza que estava controlada, colocou um sorriso no rosto e correu até as portas, abrindo-as para que o rei Benjamin pudesse entrar

- Aqui, eu trouxe esse chá e esse remédio- Ele mostrou sorrindo de forma acolhedora- Vem cá- Ele puxou a mão da fada com a livre dele- Toma eles e eu vou fazer massagem em você- Falou ainda sorridente

Assim que Mal sentou-se a enorme cama, Ben entregou para ela a xícara com um chá de camomila e uma pílula de um relaxante, enquanto ela tomava tudo o que ele entregou, Benjamin sentou-se atrás dela cruzando suas pernas e começou a massagear os ombros dela, tentando ao máximo ver sua garota mais relaxa, algo que estava funcionando em partes, seu corpo até podia relaxar, mas sua mente estava a mil. Como ela queria poder dividir os seus pensamentos com o namorado, mas sabia que não seria uma conversa muito boa, então preferia manter seus pensamentos para si, apenas implorando para que as mãos quentes e carinhosas do seu namorado conseguisse a fazer se acalmar, em todos os sentidos

Ela não sabia, mas ela não aguentaria muito mais tempo, estava a ponto de explodir, não importava o quanto ela tentasse se segurar, logo sua magia iria começar a implorar para que fosse libertar, seu dragão clamava por liberdade, seu tempo estava acabando, ela não era tão forte para reter sua magia por muito mais tempo


Notas Finais


Esses ai é um dos motivos que eu falei para vocês ficarem tão atentos a Ally, para que vocês perceberem que ela sempre foi MUITO diferente de todo outro VK, ela é simplesmente ela, está disposta a aprender novas coisas e a honestidade dela é... Surreal, ela não esconde que tem medo de algumas coisas, também não esconde que foi criada para achar os VKs algum tipo de criatura horrenda, e... Ai gente, vou até parar, porque eu poderia ficar horas exaltando a Ally<3

Quanto a Ginny, então, no livro se interpreta que ela seja realmente uma pessoa bem desse nível ai, extremamente calculista e paciente, porque ela mesmo com um grande plano para acontecer, ela se mantinha calma e esperava o momento exato para fazer algo, tipo, bem friamente mesmo, calculando cada passo, não só, mas dos outros também. E eu realmente consigo imaginar Ginny Gothel com um tabuleiro de xadrez na frente, calculando cada coisinha como se tudo ao seu redor também fosse um grande jogo, um jogo em que ela sabe que vai perder, mas que ela vai levar alguém com ela

O legal é que só agora eu percebi que tô dando umas indiretas nesse capítulo, que vão se concretizar só oito capítulos na frente, mas ok, segue o baile

E ah, o que vocês leram (não disse aonde) é consequência de magia retraída<3

E seguinte, É O PRÓXIMO CAPÍTULO EM QUE A RAINHA UMA VAI SER VER COM A MAL, É ISSO AI MEU POVO, PODE GRITAR QUE ESSE MOMENTO É NOSSO
Eu tô com medo de ter esquecido e algo, mas eu acho que não, é que me acostumei tanto a escrever algum meio pesado, que quando faço um capítulo mais leve (pelo menos no primeiro núcleo e começo do segundo) eu estranho, mas acredito que é só isso que eu tenha que falar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...