1. Spirit Fanfics >
  2. Kamire no hero academia >
  3. Qual é a definição de amigo?

História Kamire no hero academia - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Foto: desenho feito pela autora para caracterizar Kamire. Em breve postarei uma colorida e o uniforme de herói hehe (ノ◕ヮ◕)ノ*.✧
Boa leitura!

Capítulo 5 - Qual é a definição de amigo?


Fanfic / Fanfiction Kamire no hero academia - Capítulo 5 - Qual é a definição de amigo?

Assim que cheguei em casa fui direto pro quarto arrumar as coisas.

Rapidamente seleciono as malas e abro o guarda roupa, mas não antes de colocar uma música da minha banda favorita, 420 segundoz. Logo que escolho o hit, o som começa a tocar e canto junto com Aérritê:

-- Do escuro entããão, com as unhas pintadinhas; criminosos estããão na sua vila. Renegados colecionando monstros, se ficar no nosso caminho não adianta fugir. Os ninjas mais perigosos do mundo: Akatchup!

Diante daquela maravilha, estava pronta para começar. Peguei todas as minhas roupas favoritas e as mais leves, pois sabia que iria trabalhar muito mais nos próximos dias. Também escolhi pijamas, acessórios e etc; não podia esquecer das escovas de dentes e cabelo, sem contar minha mochila. Eu tinha muito o que guardar em uma só noite, mas já estava acostumada a perder algumas.

Depois de separar o pessoal, minha próxima missão era preparar as "caixas de quarto". Nessas coloquei meu travesseiro, vídeo game e bonequinhos. Peguei todos os livros na prateleira, Notebook, celular, quadros e pôsteres. Eu tenho um pequeno quadro branco, onde anoto novas substâncias e teorizo maneiras de usá-las. Claro que não esqueceria meus halteres e saco de pancadas, pois eles me haviam sido dados por papai.

Dado um tempo, já tocava o rap do Deidara. Estava até me divertindo naquela arrumação e nem vi que as horas haviam passado tão rápido: marcavam 3:50 am. Eu iria mais cedo pra escola, assim poderia me instalar com mais eficiência. Fui a responsável por esse cronograma, então pode me chamar de idiota, e sou mesmo, porque só agora eu percebi que vou chegar esgotada na aula hoje... Acho melhor aproveitar as poucas horas que me restam, já terminei tudo mesmo. Boa noite!



Time Skip*

-- ASA GA KITA! ASA GA KITA! ASA GA KITA! ASA-

-- MAS QUE DROGA! -- eu disse, desligando a coisa, depois de passar horas procurando pelas caixas.

"Parece que dormi uma noite inteira..." Pensei enquanto me espreguiçava.

Me vesti e desci para a cozinha. Hoje era folga do treino matinal, então estava tudo bem com o horário (é que sempre fui meio perfeccionista). Tomei o café e dei uma merecida despedida para mamãe e vovó. Estava me mudando de novo, e achei que pelo menos desta vez, deveria ser de maneira decente.

Um pequeno caminhão estava em frente de casa; ele levaria a mim e as caixas, mas eu prefiri ir à pé, seria um ótimo aquecimento.

Estava com uma regata preta, que gosto pakas, uma calça de camuflagem meio larga e usava meu tênis preto, que parecia mais uma bota. Também tinha um bracelete preto no punho. Marcavam 5:13 em meu celular, que plugado nos fones, tocava "o poder da minha ira", rap que estou vicida no momento.

Assim que cheguei na U.A vi que o caminhão estava lá.

Os tiozinhos me ajudaram a levar as coisas pro novo quarto, e então comecei a tirar os objetos das caixas.

Eu tinha arrumado metade das tralhas, mas bateu a fome e fui para a cozinha. Analisei bem o lugar, enquanto mordia um sanduíche; àquela altura, pensei que só eu tava acordada. Mas uma silhueta se aproximava, provando o meu erro.

Aquele "ser", suado e sujo, parecia que tinha treinado lá fora. Quando me viu soltou um grunhido, fiquei meio assustada. Só depois da "criatura" passar por um raio de luz vindo da janela que pude ver quem era:

Bakugou Katsuki.

Me lembrei do dia de ontem e tudo o que aconteceu, então pensei que deveria pedir desculpas:

-- Bom dia, Bakugou! -- Falei sorrindo -- bem, eu-

-- Não tô interessado. -- respondeu, ainda andando

-- Eu só... Queria me desculpar por ontem... É que não tava raciocin-

-- Pensei que você fosse idiota, não surda. -- falou, olhando torto -- essa sua cara... Não, você inteira me deixa puto! -- aumentou o tom de voz -- agora me deixa em paz.

-- Eu só tentei pedir desculpas! Eu podia ter te matado! -- falei, brava

-- EU NÃO QUERO SABER, CARALHO! SE PODIA MESMO POR QUE NÃO MATOU!?

-- Porque eu não quero machucar ninguém, por isso tô pedindo desculpas!

-- E QUEM DISSE QUE VOU ACEITAR SEU PEDIDO?? EXTRAS DE MERDA COMO VOCÊ DEVEM CAIR DIANTE DE MIM! SE PODE MATAR QUALQUER UM, POR QUÊ NÃO ME MOSTRA? -- ele gritava, produzindo explosões nas mãos

-- Já que é isso que você quer...-- soltei, sorrindo igual um pescotapa.

Estávamos nos preparando pra quebrar o pau lá mesmo quando outras pessoas chegaram

-- Kasukariho-san! -- Midoriya gritou, cancelando o efeito de meus pensamentos -- não pode fazer isso aqui!

-- CALA A BOCA, DEKU DE MERDA!

-- Tem razão -- falou a bipolar -- obrigada Deku-kun! -- estava calma, porém o outro continuava gritando

-- NÃO ME IGNORA PORRA!

-- vermes como você não merecem minha atenção.

-- DESGRAÇADA!

-- Calma, Bakugou! -- Kirishima falou, entrando na frente dele.

De repente todos estavam lá, porque tinham sido acordados pelo escândalo de BakaKatsuki. A classe ficou feliz em me ver, e de uma hora pra outra, estava completamente cercada, como numa coletiva de imprensa.

Yaomomo -- Que bom que está aqui!

Mina -- Sim! Podemos ver seu quarto?

-- Espera, tá uma bagunça... -- (sorrio sem graça, coçando a cabeça) -- melhor fazer isso mais tarde!

Mina:-- Entendo... Mas não pense que vai escapar disso! -- sorriu. -- Ah! Você precisa ver o resto da turma!

Todos se apresentaram. Tinha alguns bem legais, e um baixinho pervertido, o qual as meninas disseram pra ter cuidado.

Sentia que era melhor experiência da minha vida. Isso é felicidade.

"Será que posso chamá-los de amigos?"

Foi quando me toquei: nem sabia o que é um amigo, como poderia dizê-lo com tanta confiança?

-- Ei...-- todos olharam pra mim -- qual a definição de um amigo?

Um profundo silêncio pairou sobre o hall, penso que estavam procurando o que dizer. Mas foi Uraraka quem começou a falar:

-- É alguém que gosta de você, que não liga pra quem é ou pro seu passado... Pra mim, amigos são pessoas importantes, as quais quero ter por perto, e sei que sentem isso por mim também... É como ter um irmão, só não de sangue. Alguém que te ama sem ser da sua família, que cuida de você... É isso que queremos ser pra você, Kamire-chan! 

Olhei em volta e toda a 1-A sorria pra mim. Meus olhos brilhavam e minhas bochechas estavam quentes. Hoje estava sendo um dia de muitas emoções, e me parecia ser a primeira vez que explodiria de alegria.

De repente, tocou o alarme do meu celular

-- Ei, nós não vamos pra escola? -- perguntei, sendo que o relógio marcava 8:00

-- Hoje é sábado! -- Jirou respondeu, e isso me fez ficar com um pouco de vergonha.

-- Desculpa... -- Falei com um sorrisinho torto, enquanto pensava:

"Eu sou mesmo idiota!"



Notas Finais


Eis o capítulo, colega!
Se vc é fã dos 7mz, deve ter entendido a referência ಡ ͜ ʖ ಡ
Quero avisar a possibilidade de os capítulos saírem menores. Também pretendo fazer o tempo passar mais rápido kkkkk
Obrigada por ler e até a próxima!
(。•̀ᴗ-)✧


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...