História KamiShin - I'm Drowning - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Hanta Sero, Hitoshi Shinsou, Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mina Ashido, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais
Tags Boku No Hero, Hitoshi Shinsou, Kaminari Denki, Kamishin
Visualizações 124
Palavras 2.094
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, tudo bom?

Não sei se o capítulo vai atingir as expectativas de vocês mas espero que vocês gostem ❤❤❤❤

Capítulo 13 - Pela primeira vez...


Fanfic / Fanfiction KamiShin - I'm Drowning - Capítulo 13 - Pela primeira vez...

《Denki - dois meses depois》

" A escuridão ao meu redor é algo que chega a ser assustador... sinto que estou submerso, ou flutuando.. tento me mover, mas é como se meus movimentos estivessem em câmera lenta... minha boca se abre em um grito de desespero, mas nenhum som sai, ao invés disso, o ar nos meus pulmões é que saem, formando bolhas a minha frente, e água começa a invadir meu interior.. água.. Eu estou afundando?

Começo a nadar ao que seria em direção a saída, mas meus movimentos são lentos e mal consigo sair do lugar.. Sinto uma mão se fechando ao redor do meu tornozelo, e parece estar me segurando para me manter ali... Não consigo respirar...

- Denki..- ouço Bakugo me chamando - Você precisa sair daí.

Meus pulmões doem..

- Você não vai a lugar nenhum - uma voz grave e distorcida diz - seu lugar é aqui, você não merecer nada além de viver na agonizante escuridão.

- Segue minha voz - agora é Neito quem diz.

Uma luz forte de repente surge, meus olhos se fecham devida a claridade repentina.. paro de tentar me mover, a coisa já não segura mais, e meus pulmões já não doem. Agora estou mais leve. Lentamente minha mão se ergue em direção a luz, e através dela eu me vejo, como uma memória já esquecida. Saudável e sorridente, com as bochechas rosadas. Uma mão coberta por tatuagens atravessa a luz, e por trás dela eu vejo Shinsou. Ele não parece desesperado.. está sorrindo enquanto espera por mim. Esperando pacientemente que eu pegue sua mão.

- Sempre estarei aqui por você - Shinsou diz, e então seguro sua mão. " 


                《Narradora》


O feixe de luz que atravessava a cortina semi aberta acorda Denki naquela manhã de domingo. A sensação que presenciou no sonho de não poder respirar ainda incomodava o loiro.
Denki fechou os olhos mais uma vez, antes de sentir os braços que passaram a aquece-lo durante a noite o apertarem. Um beijo foi depositado em sua nuca e então o loiro se virou para olhar a pessoa que estava atrás de si.

Shinsou estava com os olhos semicerrados, ainda inerte ao sono, e um sorriso preguiçoso nos lábios. Denki levou a mão direita aos cabelos roxos, os jogando para trás antes de se aproximar e dar um selinho em Shinsou.

- Obrigado - disse, sem nem mesmo um bom dia, se aninhando ao corpo do maior.

- Pelo o que? - perguntou, o abraçando.

- Por ter me salvado.

Shinsou não entendeu aquele assunto que veio tão de repente, mas apenas respondeu:

- Eu faria quantas vezes fosse necessário para te ver bem. - foi sincero, apesar de que desejasse que esse salvamento não fosse mais necessário.

Denki estava melhor do que já fora desde que se conheceram. Sua relação com Katsuki também havia progredido e melhorado. Katsuki havia pedido para os outros amigos darem um tempo para Denki,  até ele se sentir pronto para voltar a conversar com eles -- caso se ele ainda quisesse. -- e contar sobre o que havia acontecido. Katsuki podia ser como era, mas respeitava o espaço e as decisões que não lhe diziam ao respeito. Denki também havia voltado a falar com Eijiro; desde uma tarde onde os dois amigos conversaram e desabafaram entre as lágrimas e os pedidos de desculpas. No mesmo dia, Denki contou para Eijiro sobre sua relação com Shinsou, e com isso veio as boas risadas com as dicas de Eijiro sobre o que o loiro deveria fazer na hora do sexo. Denki estava gostando de como as coisas estavam indo, e pretendia mantê-las assim.

Shinsou virou o corpo, deixando Denki por de baixo de si, dando diversos beijos em seu pescoço; causando arrepios em Denki. Seus lábios se encontraram em um beijo calmo, e seus corpos nus se entrelaçando um no outro.

- Tá se sentindo bem?

- Sim.. eu acho.. - respondeu com os lábios roçando os de Shinsou.

- Para sua primeira vez sua bandinha estava até rebolando bem ontem a noite.

- Você é impossível quando quer. - Denki retrucou, mordendo o lábio de Shinsou, em seguida o  empurrando de cima de sí e saindo da cama.

- Achei que você ia dizer que podia fazer melhor - respondeu se sentando no meio da cama e analisando as curvas do corpo nu de Denki. Na luz do dia era ainda melhor de se ver.

- Suas investidas para transar são péssimas. - disse rindo, envolvendo uma toalha no corpo. - Temos só duas horas, então levanta logo gatinho.

E com isso Denki saiu do quarto.

                                  ~~~~~~~

- Quer mesmo fazer isso? - Shinsou perguntou, entrando no quarto após o banho.

- Não.. mas preciso.

Denki já havia tomado seu banho e agora encarava uma camisa velha e amarrotada de Shinsou; tinha uma estampa gasta dos rostos dos quatro integrantes da banda KISS. Denki passou a mão para tirar um pouco do amassado e a vestiu.

- Espera, você vai usando minha camisa?

Apesar de ter ficado um pouco grande e do amassado, não tinha ficado ruim. Se passasse uma maquiagem no olho e colocasse spikes e correntes; Denki ficaria um típico adolescente roqueiro rebelde que acha uma idiotice seguir as regras de uma vestimenta formal para um casamento.

- Isso não importa gatinho.. - Denki riu e voltou a mexer no guarda roupa de Shinsou. Era difícil achar uma blusa preta específica no meio de tantas outras blusas pretas.

Shinsou usava apenas uma calça jeans preta bem  rasgada que Denki fez questão de obriga-lo a usar. O que estavam prestes a fazer não requeria passar nenhuma boa impressão.

- Aqui, usa essa. - disse, entregando uma regata preta, a lateral sendo um tanto aberta, deixando exposta diversas tatuagens que Shinsou possuía no corpo.

Shinsou vestiu a camisa sem pestanejar e abriu os braços para que Denki o analisasse. O loiro sorriu, satisfeito com o que via; pegaram o que lhes era necessário e saíram.

                                      ~~~~~~

Durante o caminho, Denki tentava não encarar de mais o convite perfeitamente delicado e feito a mão, estava perdido de mais em pensamentos sobre o que iria fazer que nem percebeu quando Shinsou estacionou em frente à enorme casa de seus tios.

- Você não precisa fazer isso, podemos ir para outro lugar. - Shinsou sugeriu

Denki negou com a cabeça enquanto removia o cinto de segurança; saiu do carro batendo a porta atrás de si, encarou a casa que lhe trazia lembranças da infância, onde muitas vezes brincou com os primos. Inspirou fundo, só soltando o ar quando teve a mão de Shinsou entrelaçada com a sua.

Caminharam juntos pelo gramado e contornaram a casa pelo beco na lateral, que dava acesso ao jardim.

A visão de Denki foi tomada pela impecável decoração que tomava todo o jardim; havia pequenos jarros de vidro transparente pendurados com algumas luzes nas árvores e arbustos que tinham espalhados pelo local. Cadeiras enfeitadas com flores rosas e brancas, postas dos dois lado do que seria o caminho por onde a noiva passaria. E a frente, onde seria o altar, estava um dessel, coberto por um tecido branco, e acima, mais flores rosas e brancas o enfeitavam.

Os convidados saiam de dentro da casa e iam para o jardim, alguns sentando em seus lugares e outros apenas se juntando para conversaram ou tirarem fotos. E no meio de um grupo de senhoras lá estava o alvo de Denki. Usando um vestido verde longo que realçava o loiro claro de seus cabelos que iam até o ombro. Sua mãe.

Denki apertou a mão de Shinsou e o puxou para que o acompanhasse. Um garçom transitava entre os convidados carregando uma bandeja com taças de champanhe. Ambos se serviram e brindaram; só então atrairam alguns olhares dos demais presentes. Shinsou sorria enquanto tomava do líquido borbulhante, sendo o mais alvejado dos olhares. Denki estava certo em mandá-lo se vestir daquela forma. As senhoras estavam horrorizadas -- principalmente com a quantidade de tatuagens visíveis. Outro garçom passou, dessa vez com petiscos de camarão. Denki não hesitou em lhe tomar a bandeja toda. E como se lesse a mente do outro, Shinsou se colocou em posição de defesa, como se fosse receber um saque de vôlei, e abriu a boca. Denki ria alto enquanto mirava e arremessava os petiscos; a maioria caindo mais na grama do que na boca de Shinsou.

- O que você pensa que está fazendo? - a mãe de Denki o segurou pelo braço, praticamente rosnava para evitar o escândalo.

- Mamãe - Denki sorriu, puxando seu braço com força. Colocou o que havia sobrado dos petiscos todos na boca. - Hum... isso aqui tá bom. - disse enquanto mastigava.

- Cadê seus modos garoto? 

- Desculpa, você tem razão - falou após engolir - Shin, vem cá.

Os olhos de sua mãe subiram e desceram lentamente, olhando cada detalhe no homem de cabelo roxo ao lado do filho, que virava uma taça de champanhe. Os olhos parando brevemente na pele exposta até de mais; seus olhos se arregalaram e sua expressão era algo impagável para Denki quando a mulher notou a tatuagem desenhada na coxa de Shinsou. Pelo rasgado da calça, dava para ver o rosto de um demônio tatuado ali. 

- Shinsou, essa é a minha não tão adorável mamãe. - a mulher o olhou irritada - Mamãe, esse é meu namorado, Shinsou. Claro, não espero que vocês se deem bem.

A mulher estava visivelmente chocada

- Namorado? - ela perguntou - Não, você não vai me dar esse desgosto também. Eu não criei um...

- Tem razão! - a cortou antes que ela dissesse algo que não deveria - Você não me criou. - elevou a voz, e todos no jardim fez silêncio - Você sempre me menosprezou e me tratou feito lixo, nunca me apoiou em nada, e tudo a troco de que? Queria que eu fosse um palhaço igual o Ken? Que faz tudo o que os outros querem e esperam só para agradar vocês? Você se quer alguma vez já me amou de verdade? - Denki abaixou o tom da voz, jogando a taça no chão e pegando na mão de Shinsou - Não me procura mais. Renunciou à essa família.

Ela não respondeu.


- Foi um prazer, sogrinha - Shinsou falou, enquanto era mais uma vez puxado por Denki. 


Diferente de antes, Denki guiou Shinsou pela entradas dos fundos, que dava acesso a cozinha. O cômodo era espaçoso e os funcionários do buffet organizava o que seria servido ali. Denki se encostou no balcão pegou uma taça de champanhe, bebendo o líquido em goles longos.

- Se sente melhor?

Denki se virou e seus olhos percorreram pelo balcão, parando em algumas bandejas de isopor com os petiscos que seriam servidos. Denki não ligou se alguém iria ver; pegou quatro bandejas e entregou para Shinsou, e outras quatro que ele mesmo levaria.

- Agora sim me sinto melhor.

Shinsou sorriu.

- Você é terrível... alias, estamos namorando?

- Não.. Pelo menos não até você melhorar suas investidas sexuais.

- É, você definitivamente é terrível.

                       ~~~~ 


- Caralho, esse é o melhor petiscos de camarão que já comi na vida. - Katsuki falou, com a boca cheia.

- Concordo, amor. - Eijiro respondeu, também de boca cheia.

- Vocês parecem ogros - Neito disse, bebendo uma cerveja

Após sair da casa dos tios, Denki convocou os amigos para se reunirem em sua casa. Estavam sentados no chão da sala, comendo e bebendo. Katsuki disse estar orgulhoso por Denki ter renegado a família e por se sentir bem com aquilo. Queria ter coragem para fazer o mesmo com a sua.

- Obrigado - Denki disse baixinho para Shinsou, aproveitando que Katsuki e Neito estavam se alfinetando.

- Pelo o que dessa vez?

- Por ter ido lá comigo. Por ter me estendido a mão e não me deixar afogar. Você é literalmente o sol que me aquece nos dias frios. 

- Eu faria qualquer coisa por você. Eu te amo

- Eu também te amo.

Denki se aproximou mais e deu um beijo rápido  em Shinsou,  e sua atenção voltou para os amigos. Apesar de estarem se alfinetando minutos antes, Katsuki e Neito agora riam de alguma coisa que não podiam discordar. E pela primeira vez em muito tempo, Denki estava onde queira estar. Estava com quem queria estar.  Rindo e se divertindo com aqueles que chamava de amigos.  

E pela primeira vez em muito tempo, Denki estava feliz.



Notas Finais


Primeiramente gostaria muito de agradecer a todos que me acompanharam mais uma vez. Essa fic tem um peso enorme em como eu vejo os personagens.. fiquei realmente feliz com vários comentários de vocês querendo dar todo o amor do mundo pro Neito, e ele realmente merece porque ele é um cara incrível.

Muito obrigada a todos que deram fav e os apoios para chegar até aqui..
Vocês são fodas ❤❤❤❤

E aproveitando a deixa, vou panfletar minha nova história 🤪

https://www.spiritfanfiction.com/historia/kiribaku--onde-eu-quero-estar-17596881

Nos vemos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...