História Karamel - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, Supergirl, The Flash
Personagens Alex Danvers, Barry Allen (Flash), Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost), Felicity Smoak, John Diggle, Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Roy Harper (Arsenal), Thea Queen
Tags Amor, Barry^^, Caitlin, Felicity, Imra, Kara, Karamel, Lenaluthor, Mon-el, Olicity, Oliver, Rhéa, Romance, Roy, Snowbarry, Thea, Theroy
Visualizações 87
Palavras 1.509
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente no último capítulo eu disse que aquele seria o último capítulo de hoje mas no wattpad me pediram para postar mais um hoje pq ainda estava e eu como eu sou muito legal e adoro ver os comentários nos capítulos eu postei lá e para ser justa eu decidi postar aqui também.
Lá eu disse que se o capítulo tiver cinco comentários ou mais eu iria postar o próximo capítulo amanhã de manhã assim que eu acordar.
E aqui eu digo a mesma coisa. Cinco comentários ou mais eu posto o próximo capítulo amanhã de manhã assim que eu acordar.
😘Beijos e fiquem com o capítulo.

Capítulo 11 - Um passeio em Família.


P.O.V Mon-el

                        Como a Kara pode esconder de mim uma filha de cinco anos, isso foi crueldade.

-Papai. –Maia diz e vem me abraçar, ser chamado de papai é maravilhoso

-Oi princesa. –Eu digo a abraçando

-Eu acho que vou deixar vocês três a sós. –A moça diz e sai da sala

-Tchau dinda. –Maia fala

-Papai que bom que você e a mamãe estão juntos de novo. –Maia diz pegando a minha mão e a da Kara

-Maia eu e o papai não estamos juntos querida. –Kara diz

-Isso é injusto. –Maia diz e faz um biquinho muito fofo.

-O princesa eu e a mamãe podemos não estar juntos mas te amamos mais que tudo nesse mundo. –Eu digo pegando na sua mãozinha pequeninha

-Por que todo mundo tem papai e mamãe juntos e eu não? Isso é injusto. –Maia diz e abraça a Kara

-Querida não importa se o papai e a mamãe estão juntos ou não o importante é que nós dois te amamos e queremos o melhor para você. –Kara diz

-Então fiquem juntos, eu ouvi você falando que ainda ama o papai. –Maia diz confesso que eu fiquei muito feliz de saber que a Kara  ainda me ama

-Querida não é tão fácil assim. –Kara diz pegando na mãozinha da Maia

-É fácil sim mamãe você ama o papai e o papai te ama eu sei disso, eu sinto é só vocês ficalem juntos. –Maia diz chorando

-Ei, o que você acha de irmos comer um lanche bem gostoso eu, você e a sua mamãe? –Eu digo

-Eu topo mas só se eu puder tomar refli. –Maia diz e olha para Kara ela não iria aceitar eu senti isso

-Tudo bem você pode tomar refrigerante e  eu também topo. –Kara diz

                      Kara, eu e Maia íamos sair juntos como uma família de verdade, eu estava muito feliz, além de ser meu primeiro passeio com a Maia ia ser meu primeiro passeio com a Kara em cinco anos.

                   Chegamos no shopping pedimos o lanche e fomos no sentar, Maia estava muito feliz e eu também, estou com as duas mulheres que eu amo, a mulher da minha vida, e a minha princesinha que nasceu de um grande amor verdadeiro.

-Tá bom princesa? –Eu pergunto

-Tá sim papai, mas tem uma coisinha ai na sua bochecha. –Maia diz apontando para onde estava sujo

-Deixa que eu limpo. –Kara diz e passa um guardanapo na minha bochecha, olho para Maia ela estava com uma carinha sapeca.

                    Nos divertimos muito naquela tarde, amei passar um momento com a minha esposa e com a minha filha.

                   Levei as duas para casa, já estava tarde e Maia estava quase dormindo.

-Obrigada pelo lanche. –Kara diz

-Obligada papai. –Maia diz e me dá um beijinho na bochecha

-De nada princesa. –Eu digo a apertando, é muito bom apertar a Maia, ela é muito fofa.

-Alguém aqui precisa dormir. –Kara diz apontando para Maia

-Só vou, se você e o papai me contalem uma histólinha. –Maia diz ai que chantagista.

-Tá bom nós te contamos uma história. –Kara diz

-Qual história? eu não conheço nenhuma –Eu sussurro no ouvido de Kara

-Cinderela. –Kara sussurra em meu ouvido

                     Nós três vamos para o quarto de Maia, Kara ajuda ela a se trocar enquanto eu fico observando o quarto dela, era lindo, de uma verdadeira princesa, depois Kara aparece com Maia já de pijama e a coloca na cama, nós dois sentamos na cama um de cada lado.

-Que histólinha vocês vão contar? –Maia pergunta

-Nós vamos contar a história da Cinderela. –Eu respondo

-Oba! É a minha história favorita. –Maia diz, então foi por isso que a Kara escolheu essa história.

-Todos os animais a adoravam, principalmente dois ratinhos chamados Tatá e Jaque. Eles fariam qualquer coisa por Cinderela. –Kara começa a contar a história,

-Cinderela vivia com sua madrasta e duas meias-irmãs, Anastácia e Drizela. –Eu continuo a história.

-Elas maltratavam Cinderela fazendo-a limpar, costurar e cozinhar o dia todo. Ela se esforçava para fazê-las felizes. –Kara continua a história

-A madrasta de Cinderela, Lady Tremaine, era fria, cruel e tinha inveja do charme e beleza da enteada. –Eu continuo a história

-Ela adorava dar tarefas adicionais para Cinderela, como dar banho em seu gato, Lucifer. –Kara continua a história

-Certo dia, um mensageiro levou um convite especial. Haveria um baile no palácio real! –Eu continuo a história

-O rei queria encontrar uma noiva para seu filho. Todas as jovens do reino estavam convidadas, inclusive Cinderela! –Kara continua a história

-Cinderela estava muito animada com o baile. No sótão, ela encontrou um vestido que pertenceu à sua mãe. –Eu continuo a história

-Era um pouco antiquado, mas Cinderela podia torna-lo deslumbrante! –Kara continua a história.

-Lady Tremaine não queria que Cinderela fosse ao baile. Ela queria que o príncipe conhecesse Anastácia e Drizela. Talvez ele se casasse com uma delas! –Eu continuo a história

-Lady Tremaine encheu Cinderela de tarefas que demorariam a noite toda. –Kara continua a história.

-Enquanto Cinderela trabalhava, os ratos e pássaros arrumaram seu vestido. Eles acrescentaram laços e miçangas que as duas irmãs haviam jogado fora. –Eu continuo a história

-Trabalhando juntos, os animais transformaram uma peça simples em um vestido fabuloso! –Kara continua a história.

-Cinderela ficou radiante ao ver seu vestido. Agora, ela poderia ir ao baile! –Eu continuo a história.

-“Oh, muito obrigada!” disse Cinderela a Tatá, Jaque e os pássaros. –Kara continuou a história

-Quando as irmãs viram seus antigos laços e miçangas no vestido de Cinderela, ficaram furiosas. –Eu continuo a história

-Elas rasgaram o vestido e arrancaram os enfeites. Lady Tremaine não as impediu. Para Cinderela, o sonho de ir ao baile chegou ao fim. –Kara continuou a história.

-Cinderela fugiu para chorar no jardim. De repente, sua fada madrinha apareceu. –Eu continuo a história

-Com sua varinha, ela transformou uma abóbora em uma elegante carruagem. Cinderela podia ir ao baile, mas seu vestido continuava arruinado. –Kara continuou a história.

-“Bibbidi- bobbidi- boo!”, disse a Fada Madrinha, usando a varinha novamente. Cinderela agora usava um belíssimo vestidos e sapatinhos de cristal. –Eu continuo a história

-Mas havia uma condição: o feitiço se encerraria à meia noite! –Kara continua a história

-Durante o baile, o Príncipe Encantado não conseguiu tirar os olhos de Cinderela. –Eu continuo a história.

-Ao som da orquestra, o Príncipe dançava com a garota incrível cujo nome ainda desconhecia. Para Cinderela, aquela noite era um sonho realizado. –Kara continua a história.

-De repente, começaram as doze badaladas do relógio. “Adeus!” disse Cinderela, apressada. –Eu continuo a história.

-“Volte!”, disse o Príncipe. “Eu nem sei o seu nome!” Enquanto Cinderela fugia, um de seus sapatos de cristal caiu. –Kara continua a história.

-O Príncipe enviou o Grão-Duque para encontrar a garota a quem servisse o sapato. Lady Tremaine trancou ela no sótão, mas seus amigos ratinhos conseguiram libertá-la. –Eu continuo a história.

-Então, Lady Tremaine fez o Grão-Duque tropeçar e quebrar o sapatinho de cristal... mas o outro pé estava no bolso de Cinderela. E ele serviu! –Kara continuou a história.

-Logo, Cinderela e o Príncipe se casaram. Todos comemoravam, inclusive os amigos ratos de Cinderela que usaram trajes especiais no casamento. –Eu continuo a história

-Cheios de alegria, Cinderela e o Príncipe Encantado viveram felizes para sempre. –Kara continuou a história.

-Fim. –Eu e Kara falamos juntos Maia estava quase dormindo

-Adolei, mamãe, adolei papai. –Maia fala

-Agora princesa que  já contamos a história, você vai dormir. –Eu digo

-Mamãe, papai eu amo vocês. –Maia diz e eu quase choro

-Nós também te amamos meu amor. –Eu e Kara falamos juntos

-Boa noite. –Maia diz

-Boa noite. –Eu e Kara falamos e eu dou um beijinho na bochecha de Maia e Kara faz o mesmo depois.

               Vocês devem estar se perguntando como eu Mon-el sei a história da Cinderela, bem a resposta é simples quando eu e Imra erámos pequenos minha babá contava essa história para gente, Imra sempre gostou dessa história.

-Como você sabia da história da Cinderela? –Kara me pergunta

-Bem senhora Matthew, caso você tenha se esquecido, eu tenho uma irmã mais nova, quando erámos  pequenos a nossa babá contava essa história para nós, a Imra sempre amou e eu tive que decorar. –Eu explico

-Acho que já esta tarde e que você precisa ir embora. –Kara diz, nossa que grosseria esta me mandando embora

-Esta tarde mesmo, eu já vou, mas antes de ir eu queria dizer que eu gostei muito do nosso passeio. –Eu digo

-Eu também. Boa noite. –Kara diz e me dá um beijinho na bochecha

-Boa noite senhora Matthew. –Eu digo e dou um beijo em sua bochecha

-Senhora Matthew é o... –Kara ia terminar e eu a interrompo

-Olha a boca. –Eu digo

-Tchau senhor Matthew. –Ela diz e bate com a porta na minha cara, que grosseria

                           Foi muito bom passear com a Kara e com a Maia.

                           Fui para minha casa estava tarde, Imra e minha mãe já estavam dormindo então eu fui direto para o quarto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...