1. Spirit Fanfics >
  2. Kick it; changlix >
  3. No more drama.

História Kick it; changlix - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, meus amores! Assim como prometido, voltei com um bônus para vocês, dessa vez com o nosso ômega loirinho narrando. Aproveitem!

Capítulo 2 - No more drama.


Fanfic / Fanfiction Kick it; changlix - Capítulo 2 - No more drama.


Felix sentiu a grotesca mudança de temperatura ao entrar no pequeno apartamento mobiliado, ao qual foi convidado com tanto esmero. Porém, nem mesmo o clima frio, em conjunto com as luzes fortes e inebriantes da cidade, foram capazes de tirar a atenção do loiro como o alfa que estava em sua frente.

Seo Changbin era o único e verdadeiro motivo do ômega sardento ir naquela maldita academia todos os dias. Não era segredo para ninguém que Felix odiava exercitar-se, sendo a dança sua única fonte de serotonina diária. Ao menos, o pequeno poderia observar com cuidado os músculos bem trabalhados do lutador e suas expressões de força ao desferir golpes durante os treinos.

Desde que chegou de sua cidade natal, Felix não havia criado interesse em nenhum alfa coreano – todos eram sem graça e pareciam não ter pegada, na visão do Lee – até que seus olhos cruzaram-se com os do Seo por acaso, na frente da academia que o mais velho tanto frequentava. Rapidamente, o ômega tratou de inscrever-se para aulas diárias no local, e até mesmo fazia perguntas aparentemente despretensiosas sobre o alfa mais velho para os instrutores que acompanhavam-lhe em sua falsa jornada de treino pesado.

Felix não era nenhum santo, e tampouco agia como a maioria dos ômegas da sociedade: submisso e quieto. O loiro gostava de ter voz ativa em suas relações, uma vez que já havia sofrido muito por manter-se calado em situações desfavoráveis. Sendo assim, ele decidiu provocar Changbin até que o mais velho o procurasse – Felix sabia que tinha um corpo espetacular, sendo alvo de alfas desde o início de sua adolescência – e o fodesse tanto quanto o Lee merecia.

Após dias encarando o alfa e provocando-o das formas mais explícitas possíveis, Felix cansou-se de esperar uma atitude de Changbin e resolveu jogar sujo. Só assim o pequeno ômega finalmente teria o que tanto desejava.

Agora, parado em frente à sala do apartamento do alfa, sendo levado para uma segunda rodada logo após o maravilhoso boquete do banheiro (por Deus, o Seo tinha tamanhos imensuráveis), Felix olhava o mais velho, que trancava a porta de entrada, com ansiedade.

– Caramba, Seo. Dá pra ir logo com isso? Achei que você queria me foder, não brincar de casinha.

O alfa riu, com sua voz levemente mais grave e perigosa, na visão do ômega.

– Seo? Para onde foi seu respeito? Sou seu hyung, e sou um alfa.

Foi a vez do loiro rir, temendo que Changbin fosse o tipo de alfa que acredita fazer parte da classe mais importante da sociedade. Isso com certeza faria o pequeno broxar.

– Acha que merece respeito apenas por ser um alfa, Changbin?

O Seo finalmente virou-se em direção à Felix, aproximando-se e agarrando a cintura do ômega com força.

– Claro que não. Porém, eu gosto quando você me chama de hyung. Quando diz que sou seu alfa...

Enquanto Changbin aspirava o cheiro doce e forte de morangos do ômega, Felix sentia-se cada vez mais atraído pelo alfa musculoso de coração mole que estava em sua frente. O loiro considerava-se o homem mais sortudo do mundo por ter tido a oportunidade de conhecer o Seo.

– Então, hyung, vamos logo com isso. Quero sentir meu alfa dentro de mim.

E assim foi feito. Changbin, em um só movimento, trouxe Felix para seu colo, ao passo que o loirinho entrelaçou as pernas pela cintura do mais velho. O alfa guiou-se cegamente até seu quarto, logo colocando o Lee com delicadeza em cima dos lençóis brancos. O pequeno ômega tinha os cabelos loiros bagunçados, os olhos castanhos reluzentes e a pele suada levemente rubra exalando um odor de pura excitação, fazendo o alfa ter de controlar seu lobo para não acabar machucando Felix.

O alfa subiu na cama, distribuindo beijos nada castos pelo pescoço e ombros do ômega, deixando marcas que fariam Felix lembrar-se daquela noite por um bom tempo. O moreno logo tratou de retirar a regata do ômega, ao passo que também despia-se. Levou a boca até os mamilos rosados de Felix, sugando-os como se fossem o melhor doce que Seo já havia provado. O loirinho gemia manhoso, fazendo as calças de Changbin tornarem-se desconfortáveis pela segunda vez naquele dia.

Enquanto Changbin mordiscava a pele sensível do ômega e retirava sua minúscula peça de baixo, Felix levou suas pequenas mãos até a virilha do alfa, onde iniciou uma lenta masturbação por cima da boxer preta que o mais velho usava. Changbin soltou um rosnado de puro prazer ao sentir as mãozinhas macias do ômega fazerem mágica com seu corpo. Após uma série dos movimentos provocantes sobre o membro do alfa, Felix decidiu que era hora de parar com as preliminares e seguir com seu verdadeiro objetivo.

– A-alfa... eu preciso de você.

Changbin sorriu ladino e virou o rosto em direção ao ômega, enquanto lambia os lábios avermelhados. Seu rosto estava corado e seus olhos expressavam pura luxúria, como se o alfa estivesse esperando aquela transa por muito tempo.

– Mas já, bebê? Você não está sendo muito apressado? Quero brincar um pouco...

Desgraçado. Felix sabia que tudo isso não passava de uma pequena vingança do Seo, por tê-lo deixado de pau duro todos os dias no meio da área vasta da academia.

– Teremos tempo para brincar o quanto você quiser em outro dia, hyung. Agora, por favor, vá logo.

Mas o alfa ainda não estava satisfeito.

– Não entendi bem o que você quis dizer, bebê. Pode me dizer o que quer que eu faça com você e como faremos isso?

O loirinho sorriu. Ele era melhor do que qualquer ômega em dizer o que queria, não tinha um pingo de vergonha. Felix puxou o pescoço de Changbin para perto, sussurrando o que tanto imaginava com sua voz grossa no ouvido do alfa.

– Você sabe bem o que eu quero, alfa. Preciso que você meta em mim, fundo e forte, como só você pode fazer. Quero que foda meu cuzinho sem piedade, enquanto eu grito o seu nome para todos seus vizinhos ouvirem e saberem que eu sou um bom garoto que dá bem gostoso pro alfa dele. Vamos lá, hyung...

Changbin não segurou o rosnado esganiçado que saiu de sua garganta após ouvir aquelas palavras tão sujas saindo da boquinha de um garoto pequenino e delicado como Felix. Daria tudo o que o garoto pedira, e ainda mais.

– Eu vou fazer você ver estrelas, loirinho. – virou o corpo do Lee para baixo – Empina essa bunda gostosa pra mim.

Felix colocou-se apoiado em seus cotovelos enquanto empinava sua bunda com maestria para o alfa. Sentiu Changbin arrancar a boxer branca de seu corpo, e logo desferir um tapa estalado em uma de suas nádegas branquinhas.

– Você é gostoso demais, garoto.

O ômega sentiu uma das mãos do alfa acariciar a pele de suas coxas enquanto a outra abria o vão de sua bunda, expondo a entradinha molhada do pequeno. O buraquinho rosa que piscava e expelia lubrificante natural era hipnotizante na visão do Seo, que logo levou dois dedos para tocar a região sensível do mais novo.

Felix gemeu manhoso ao sentir o trabalho que os dedos grossos de Changbin faziam em sua entradinha. O alfa começou a estocar com vontade, até que o ômega começasse a rebolar contra a mão do moreno em busca de mais contato. Seo retirou os dedos e levou-os até sua própria boca, provando do gostinho que o ômega safado tinha a oferecer.

Felix soltou um resmungo ao sentir os dedos de Changbin deixarem seu interior, mas sorriu satisfeito ao ver o mais velho tirando um pote de lubrificante e um pacote de camisinha da gaveta presente na estante lateral à cama de casal. O alfa habilmente retirou a própria roupa íntima e colocou a camisinha com uma mão, enquanto a outra acariciava o até então esquecido membro de Felix.

– Certo, bebê. Me avise se doer muito.

Changbin posicionou-se contra a entrada gulosa de Felix, penetrando-o lentamente ao passo que gemia baixo e o loiro soltava um grito agudo. Ficou parado no interior quentinho e apertado do ômega, esperando um sinal verde.

Felix sentia-se nas nuvens apenas com aquela penetração. O pau grande do Seo deixava o pequeno ômega sem palavras e ações, e tudo o que o loirinho podia fazer era gemer e rebolar timidamente sobre a extensão enorme do alfa.

Changbin tomou a rebolada de Felix como uma permissão para começar a movimentar-se, e assim fez. Inicialmente com estocadas lentas e profundas, logo o alfa já afundava seu caralho com força dentro do Lee, que gritava manhoso.

– A-ah, Changbin! Não para!

O alfa movia-se rapidamente, acertando todos os pontos do pequeno ômega, até encontrar seu pontinho doce. Changbin soube que achara a próstata de Felix quando o loirinho gemeu mais alto, e conteve-se em acertar sua cabecinha apenas naquele lugar especial.

O ranger da cama era a trilha sonora daquela noite inesquecível, enquanto o cheiro inebriante do ômega deixava Changbin tonto. Os gritos de Felix, o suor saindo de seu corpo pequeno e suas expressões de prazer eram a vista mais linda que o alfa havia presenciado em seus anos de vida.

Mais algumas estocadas e Felix sentiu que estava perto. Iria gozar para o seu alfa.

– Changbin! E-eu to q-quase!

– Droga, Felix. Eu também.

Uma estocada, cinco estocadas, dez estocadas até o ômega gozar sobre os lençóis bagunçados de Seo, contraindo violentamente seu interior e fazendo o alfa gozar no mesmo instante. Felix gemeu alto ao sentir o nó atar, satisfeito ao conseguir a sensação que tanto almejava ao olhar para Changbin.

Quando o nó desfez-se, o alfa retirou seu membro do interior de Felix e levantou-se para descartar a camisinha. Logo após, deitou-se ao lado de um ômega exausto que tentava recuperar o ritmo de sua respiração, e puxou-o para um abraço apertado. Felix virou-se para Changbin, sorridente.

– Isso foi... uau.

O alfa riu divertido.

– Você é... uau. Eu acho que nunca vou encontrar outro ômega como você.

Felix puxou o alfa para um beijo demorado e apaixonado, buscando transmitir todos os fortes sentimentos que havia adquirido pelo mais velho naquela noite. Afinal, seu lobo havia escolhido Changbin.

– Você não precisa procurar por outro ômega. Eu estou na academia todos os dias.


Notas Finais


E foi isso. Eu espero de coração que eu tenha atingido as expectativas de vocês, e que Kick It tenha sido uma pwp bem legal de ler. Muito obrigada por todo o carinho. Até a próxima estória! Amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...