História Kill This Love - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Jeon Jungkook, Park Jimin, Personagens Originais
Visualizações 9
Palavras 2.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie oie oie oieeeee
Demorei, mas voltei. Chega de enrolação e fique com esse cap quentinho.
Bjs até as notas ♡

Capítulo 22 - Capítulo XXII


Fanfic / Fanfiction Kill This Love - Capítulo 22 - Capítulo XXII


-Por causa de Park Jimin.

-Aquele que é filho do Senhor Park? – perguntei confuso.

-O próprio – disse Jk suspirando – eu odeio saber que ele magoou ela a esse ponto e ela é uma cabeça dura por sentir algo por ele, mas eu a entendo. Sei que é foda parar de ter sentimentos por alguém. Mas ainda acho que ela não devia ter fugido assim, Hoseok. Era só ela continuar em Seoul.

-Você já tentou pensar como ela? Talvez ela queira relaxar e conhecer novas coisas, acho que vai ser bom para ela – sorri e o mesmo deu um sorriso forçado e logo Tae apareceu.

-Quem morreu? – perguntou o mesmo parando de cantarolar uma música aleatória quando viu a cara de Jk.

-Ninguém Taehyung – respondi simples.

-E essa cara de enterro do Jungkook? – perguntou confuso.

-Não enche – Jk se levantou e saiu pisando duro.

-O que deu no Maknae? – perguntou V franzindo o cenho.

-Deixa ele Taehyung e me ajude com o motor – me levantei e o mesmo me seguiu até o meu carro.


HOSEOK OFF


MERY ON


Fazia umas duas semanas e meia que estava em Nova Iorque, me aproximei de Stefany e ela tinha me dito para fazer um curso de inglês e fazia exatamente 2 semanas que eu havia começado. Stefany sugeriu, pois ela estava com um caso muito importante e acabaria não sobrando tempo para que ela me ensinasse sobre a lingua. Conheci algumas pessoas e algumas eram colegas de classe do meu inglês e nesse meio tempo, decidi enviar a carta que havia feito para Jimin no aeroporto pelo correio. Se ele ia ver, eu já não sabia. Mas não custava tentar.

Estava numa lanchonete com uma de minhas colegas de inglês e estavamos fazendo a tarefa que o professor havia pedido, eu tinha pedido uma torta de queijo e um delicioso cappuccino. Assim que a torta chegou, eu salivei de fome e decidi parar de escrever e dar atenção a minha comida. Peguei o garfo, cortei um pedaço da torta que estava bem molhadinha e dei uma mordida. Mastiguei com gosto, estava deliciosa. Mas no segundo pedaço não senti mais que estava bom e me deu ânsia, tentei mastigar o resto, mas assim que vi que não dava, corri para o banheiro da lanchonete e dei graças aos céus por ter dado tempo de chegar ao sanitário. Vomitei tudo que tinha comido pela manhã e inclusive o pedaço de torta, depois que terminei dei descarga e fui lavar meu rosto e minha boca. Me olhei no espelho e percebi que estava mais pálida que o normal.

-Não é possível, porque estou tão pálida assim? – me perguntei sem entender, dei uma ultima olhada em meu rosto e sai indo até minha colega.

-Está tudo bem? – ela perguntou preocupada.

-Sim, acho que a torta não desceu bem no meu estômago, ou foi algo que eu comi de manhã – dei um meio sorriso a ela e deixei a minha comida de lado. Não queria correr o risco de vomitar de novo.

Depois de um tempo terminamos nossa tarefa e eu mandei embrulhar a torta para que eu possa come-la mais tarde. Não ia pagar por algo que nem comi. Cheguei na casa de Ste em 5 minutos de caminhada e resolvi descansar um pouco.


~♤~♤~♤~♤~♤~


Já estava na hora do jantar e Stefany foi me chamar para comer, descemos as escadas juntas enquanto conversávamos sobre o que ocorreu no nosso dia. Minha aproximação com Ste estava a cada dia melhor e já éramos praticamente melhores amigas, ela me contava tudo e inclusive me contou que sempre foi apaixonada pelo Yoongi e quando soube de tudo ela ficou furiosa e com o coração partido. Eu não a disse que ele sente o mesmo, porque acho que quem deve lhe dizer é o próprio. Mas nesse dia ela ficou surpresa ao saber que Suga é meu irmão mais velho e ela disse que nunca imaginou isso. Então lhe contei toda a história e ela fazia questão de me lembrar todos os dias apartir dai que ainda era impossível de acreditar que eu e Yoon éramos irmãos.

A comida estava deliciosa e eu estava com tanta fome que acabei comendo muito mais do que normalmente como e Stefany percebeu.

-Mery? – me chamou a mesmo e eu parei de comer para olha-la – está tudo bem? Você anda com um apetite bem grande – ela riu.

-É porque eu não ando me sentindo bem ultimamente e hoje acabei vomitando tudo o que estava em meu estômago – dei um sorriso azedo ao lembrar do ocorrido.

-Você tem enjoo com frequência? – ela comia sua sobremesa.

-Quando eu estava em Seoul eu tinha alguns, mas era mais tontura e logo se resolvia quando eu comia algo. Nessa semana ficou mais frequentes e sempre me da ânsia, porém hoje eu acabei vomitando – suspirei.

-Hum, você devia ir no médico – disse ela meio.... desconfiada? Porque ela estaria desconfiada?

-Não é nada demais, acho que foi por algo que eu comi e talvez um pouco de nervoso que eu passei no curso – sorri para ela.

-Porque anda tão nervosa? – Stefany não sabia da carta, ainda mais porque era para o irmão dela.

-É....bem, Stefany – suspirei – é que eu fiz uma carta para alguém muito especial no dia que estava no aeroporto e esses dias eu a enviei para a pessoa – baixei o olhar – não sei se essa pessoa irá ter contato ou quando souber que é minha, talvez nem queira saber o que eu disse.

-Para quem era o remetente? – ela perguntou e eu não sabia se podia lhe dizer agora, mas Stefany estava me ajudando muito e sendo uma amiga que eu nunca tive. Então resolvi conta-la.

-Jimin – olhei para a mulher a minha frente e ela pareceu um pouco surpresa – ele que é o remetente.

-Eu desconfiava, mas achei que era coisa da minha cabeça. Nunca os vi juntos – ela falou tentando se recordar de nos ter vistos juntos.

-Depois do que aconteceu, ele nunca ficaria perto de mim. Todos os laços que eu tive ou tinha com o Jimin, foram destruídos quando ele soube de tudo – pausei – foi ele quem denunciou e foi ele que prendeu a mim e Jungkook – ela arregalou os olhos e suspirou pesado.

-Jimin sempre agindo sem saber da história, não fique triste Mery. Jimin é um idiota as vezes, mas quando ele parar para pensar sobre, ele vai acabar querendo explicações – ela pegou em minhas mãos que estavam ao lado do meu prato já vazio e as apertou como se me passasse forças – Mas me diga Mery – pausou por um instante – você já teve algo com o Jimin? – arregalei os olhos e soltei minhas mãos da dela e ela percebeu meu desconforto, não adiantava mais inventar alguma mentira, eu teria que contá-la.

-Bem... – meus olhos vacilaram e eu os fechei para que não precisasse encara-la – Jimin e eu já passamos momentos juntos e também já nos beijamos, mesmo que tenha sido do momento que a culpada da sua dor era eu – me deu uma imensa vontade de chorar e apertei os olhos e os abri vendo que poderia controlar as lágrimas – a gente saiu no dia seguinte para um restaurante, eu estava positiva em dizer tudo o que eu sentia para ele. Mas Jungkook apareceu e interrompeu o que seu irmão iria me dizer e depois disso ele entendeu só a parte errada da história.

-Entendi, mas a minha pergunta foi direcionado a algo específico – ela me olhou cuidadosa – mas se não quiser dizer, eu não irei força-la.

-Não, tudo bem. Eu confio em você, você é a amiga que eu nunca tive e amigos compartilham segredos, não é? – dei um meio sorriso para ela e ela assentiu – Sim já transamos, mas não foi porque queríamos. Quer dizer, queríamos no momento. Ele não me reconheceu, estava bêbado no bar que eu havia ido para esquece-lo e antes que ppense que eu me aproveitei – pausei – eu também estava sobre efeito de álcool, mas sabia exatamente que era ele. Ele começou a me cantar e tomamos mais algumas doses. Logo já estavamos em um quarto se pegando e quando eu acordei de manhã ele estava dormindo e eu sai sem deixar nada para trás. Me senti muito mal por ter me deixado levar daquele jeito e até parece que eu sou uma aproveitadora, mas não é nada disso – suspirei – depois liguei para seu pai e disse que não queria mais ficar no mesmo ambiente que Jimin, porque uma hora eu teria que voltar para Busan e frenquetavamos a mesma cafeteria perto da minha casa. Então Senhor Park sugeriu que eu viesse passar um tempo com você e achei uma boa ideia.

-É complicado – ela suspirou – mas pode contar comigo para o que precisar, meu pai gosta muito de você Mery e eu também. Nunca que eu pensarei que você é uma aproveitadora, eu te entendo bem e já passei por isso na minha adolescência e por coincidência foi com seu irmão – ela confessou e eu fiquei surpresa ao reparar que a história se repetiu para mim. Yoongi tinha razão a gente era apaixonado pelas pessoas da mesma família, mas eu ainda não via de modo ruim e sim positivo – vá a médico caso esses enjoos persista ok? – eu sorri e ela se levantou se despedindo.

Eu me vi sozinha e comecei a pensar sobre tudo e até mesmo no dia que transei com o Jimin, logo fiquei assustada com a possível merda que eu havia feito. Fui para a cama depois de comer a sobremesa e fiquei pensando se isso poderia mesmo ser real.

Acordei exausta com o despertador para ir ao curso, não havia dormido direito na noite passada por causa dos meus pensamentos turbulentos. Me levantei, fiz minha higiene e coloquei uma roupa para sair. Stefany não estava em casa quando desci para comer algo e assim que terminei meu café fiquei meio enjoada, mas segui em frente. Após o curso eu estava indo a destino de um hospital e pensando se seria realmente possível.

Assim que cheguei fiz minha ficha e aguardei, não demorou muito e eu já estava dentro do consultório da doutora. Conversamos um pouco sobre o que eu estava sentindo e logo ela me fez sentar na maca.

-Bem, você tem algum problema em ver sangue? – ela perguntou enquanto apertava o meu braço com aquela borracha que facilitava em achar minha veia.

-Não problema algum – disse calma.

-Ok, vai ser só uma picadinha – ela estava com máscara, mas percebi que sorriu e eu retribui.

Em poucos segundos ela terminou e disse para mim aguardar que o resultado sairia em 20 minutos. Sai da sua sala e andei pelo hospital atrás de algo que eu poderia comer, já estava a umas 8 horas sem absolutamente nada no estômago, nem no intervalo do curso consegui comer algo, pois o cheiro me deu uma puta vontade de vomitar. Porém não o fiz, sai um pouco para tomar ar fresco e logo estava melhor, passei o restante do intervalo longe da cantina e depois fui para a sala novamente. Meu estômago roncou milhões de vezes, mas não tinha mais nada para comer.

Avistei a cantina do hospital e fui até a mocinha que atendia no balcão.

-Olá – sorri – quero um suco natural de laranja e um sanduíche natural – ela anotou e sorriu logo pegando o que eu havia pedido.

Paguei a mesma e fui me sentar em uma mesa, comi e bebi meu suco e estava delicioso e dei graças a Deus por não sentir enjoo. Acho que apartir de agora seria bom comer apenas sanduíches naturais, seria mais leve e não me faria botar tudo para fora. Fiquei ganhando tempo e logo faltava 5 minutos para pegar o resultado, andei mais devagar para que os minutos se passem e quando cheguei a doutora saiu e me chamou. Entrei em seu consultório e ela pegou meu exame.

-Então Mery, você me disse que não conseguia comer muitas coisas sem sentir enjoos – ela abriu o resultado – mesmo que eu já suspeite, acho melhor lhe mostrar – ela colocou o papel na minha frente e meus olhos correram pelas palavras escritas no papel. Arregalei os olhos mesmo que já suspeitasse e a doutora se pronunciou – parabéns você será mamãe....


Notas Finais


Gente se passou algum erro, relevem ok.
E leiam o Imagine do Jk que eu postei a pouco tempo atrás.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/amigo-colorido--imagine-jungkook-17658573

Até o prox cap, bjs d luz 😚☄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...