1. Spirit Fanfics >
  2. Killer and Monster (Remake) >
  3. "Eu te amo"

História Killer and Monster (Remake) - Capítulo 16


Escrita por: Hyak792

Notas do Autor


Volteeeeeeeeeeeeeei!

Hj num tem cap de "Mentes" pq aconteceram uns paranaues loucos na minha vida e eu não consegui terminar, sorry :(
Não sei se amanhã eu posto ou só terça, vamo ver aí no que vai dar

Hj a roleta começa a girar, só um pequeno aviso

Sem mais enrolação, bora pro cap!

Lembrando que os personagens de InuYasha não me pertencem, mas sim a Rumiko Takahashi

E os personagens de Naruto também não me pertencem, mas sim a Masashi Kishimoto

Capítulo 16 - "Eu te amo"


Na floresta, Deidara já se encontra em terra, se recompondo do ataque dos Higurashi's.

— Malditos! Hm! — gruniu Deidara, completamente irritado, colocando a única mão restante no braço arrancado e gruniu de dor.

Não teve tempo para raciocinar, pois Steve chegou com:

— Katon: Honseka no Justu! — disse Steve, lançando um justu de fogo em Deidara, que o repeliu com uma aranha explosiva, a muito custo, já que não esperava aquele ataque.

— Raiton: Jibashi no justu — Kagome surgiu por trás de Deidara, mas dessa vez o loiro conseguiu desviar do ataque mortal da Kuroi Kaminari.

O loiro fez alguns bonecos de argila e jogou contra Kagome e Steve, que explodiu, mas não acertou nenhum dos dois, pois Kagome com a sua "velocidade" os tirou da mira do loiro.

— Apareçam, corvades! — gritou o loiro, com um sorriso psicopata no rosto.

Entre o emaranhados de árvores, Kagome e Steve tentavam regular a respiração ofegante. Não restava muito chakra para os dois, o que dificultava muito a situação.

"Se eu continuar a usar esse justu desse jeito, vou acabar morrendo" — pensou Kagome, preocupada e desesperada. Tinha noção que deixou o mais problemático com os demais e se remoia por isso, mas era mais racional ela e Steve derrotarem Deidara, já que o Raiton é superior ao Doton, e nenhum esquadrão tinha um Raiton mais forte que os dos dois: é mais prático deixar Deidara com eles do que com os demais.

Kagome olhou para Steve e o mesmo entendeu que ela já estava no limite e se forçasse mais poderia morrer. Steve parou e pensou.

Não poderiam ficar sem chakra naquela batalha pois ainda tinham os demais e Steve estava mais do que ciente da situação, sabia o quanto aqueles homens e mulheres eram dependentes de Kagome e dele e deixa-los na mão não parecia racional. Entretanto, teria que confiar neles, mesmo que essa confiança fosse falsa.

Com muita hesitação, olhou para Kagome e rezou para que ela entendesse o que queria. E ela notou.

"Confiar neles...", pensou com pesar. Confiar eles naquele momento parecia loucura, mas realmente não tinha jeito, parecia, ou mesmo que não, que confiar neles era a única solução para pelos menos um de seus problemas: Deidara.

Murmurou um "tsc" e sacou sua katana que tinha colocado na bainha até pouco tempo atrás, não tinha jeito, era a melhor opção que tinham no momento.

— Vamos com tudo, é o que nos resta — sussurou Kagome. Steve concordou e os dois saíram do emaranhados de árvores para cima de Deidara.

Minutos antes...

Sesshoumaru, Inuyasha, Sango, Miroku e os demais ninjas avançavam contra Byakuya, mas era tudo em vão. Byakuya não parecia real em todos os sentidos e isso era mais do que complicado para qualquer um, até mesmo o ser mais forte do mundo ninja.

Todos os seus esforços eram em vão, não conseguiam nem sequer tocar nele, quem dirá lhe proporcionar um arranhão. "No que a Kagome tava pensando quando deixou esse monstro com a gente?", pensou Inuyasha, avançando contra o inimigo.

Inuyasha não tinha idéia do quanto Kagome conhecia Deidara, o prateado em anos o enfrentando não sabia que natureza de chakra o loiro usava, diferente de Kagome e seu bando, que já o conheciam de longa data. Na sua cabeça, nada daquilo fazia real sentido.

Tentavam, tentavam e tentavam e nada adiantava.

 Sesshoumaru avançou contra Byakuya com sua garra venenosa, não adiantou. Sua guarda ficou desprotegida e Byakuya tentou o atacar, mas Inuyasha defendeu as costas do irmão, fazendo Byakuya desaparecer e reaparecer em outro lugar.

— Odeio dizer isso, mas obrigado — disse Sesshoumaru, renovando sua atenção.

— De nada — disse Inuyasha, com ar superior. Era muito raro se tirar um "obrigado" de Sesshoumaru, seja família ou não.

— Futon: Juusha Shou — disse Miroku, salvando Inuyasha do ataque de Byakuya. Byakuya fez o mesmo das outras vezes — não fiquem desatentos! — repreendeu Miroku, com um tom de voz alterado.

Inuyasha gritou algo com ele e Sesshoumaru ficou queito, inexpressivo, mas os dois sentiram o peso de serem repreendidos. Os dois voltaram para o combate.

Mas o ataque parou quando um enorme clarão se fez presente a vinte metros deles, todos desviaram a atenção para lá, até Byakuya.

O clarão tomou forma de dois enormes dragões de raios e eles tomaram a floresta por completo e a tensão do ar foi tão grande que a massa de ar chegou até eles, fazendo com que precisarem se segurar no chão para não voarem com a força do ar. A floresta que a pouco existia já não era mais vista e os dois dragões pareceram voltar aos céus.

"Kagome"

— Kagome! — berrou Inuyasha, não demorando nada para ele correr até lá, sua preocupação superava a razão, precisava saber se ela estava bem.

— Inu -

— Deixe ele ir, não podemos impedi-lo — disse Sesshoumaru, cortando Miroku. Realmente não adiantaria de nada tentar para-lo.

 Kagome e Steve...

A fumaça que foi feita após a colisão dos enormes dragões de raios contra as árvores e todo o resto estava se dissipando aos poucos. Por pouco, Steve e Kagome saíram vivos, porém não ilesos.

A rede de chakra de ambos se esgotou, se usasem mais algo com toda a absoluta certeza morreriam. Alguns ferimentos de batalhas anteriores abriram e seus braços direitos estavam com queimaduras das mãos até o começo dos ombros, não estavam conseguindo nem andar, não conseguiriam andar por dias.

Os dois estavam no chão, Steve desmaiado e Kagome ainda estava consciente, mas não duraria muito.

Deidara estava no chão, quase morto. O loiro estava entre as árvores quando os dois lançaram o jutsu, então o dano foi imensamente maior. Não duraria muito, ele praticamente não tinha salvação.

— Kagome! — Kagome com muita dificuldade olhou para onde o grito vinha.

— I-Inuyasha — aquilo não passou de um sussuro inaudível.

Inuyasha chegou ali e viu a destruição feita, estava impressionado, mas tinha maiores prioridades naquele momento: cuidar de Kagome e Steve. O prateado andou até os dois e com muito custo colocou os dois em suas costas e começou o trajeto de volta para o "acampamento", queria leva-los para algum lugar seguro, mas não tinha jeito.

— I-Inuyasha — sussurou Kagome.

— Shii, você tem que descansar — disse apenas, com tom de repreensão e preocupação. Kagome não disse nada, não tinha condições de protestar e só gastaria energia que não tem se fizesse.

Inuyasha carregou os dois com o maior cuidado até o "acampamento".

Enquanto na batalha com Byakuya, tudo estava no mesmo. Não importa o que fizessem, nunca atingiam ele diretamente. Toda aquela situação só servia para irritar Sesshoumaru.

Em um momento de impaciência, Sesshoumaru avançou contra Byakuya sem pensar em sua própria proteção ou a dos outros.

— Vamos acabar logo com isso — disse Byakuya, com certo tédio. Ele sacou uma espada e foi para cima de Sesshoumaru. Mas, ele apareceu atrás de Sesshoumaru.

Daí em diante, tudo se passou em câmera lenta.

Com um passo de desespero, Kagome usou suas forças já esgotadas para pular na frente da espada de Byakuya. Não se perdoaria se o deixasse morrer.

E quando esperou que a espada perfurace seu corpo, nada aconteceu. Sangue escorreu e olhou para trás e arregalou os olhos quando viu Sasori a protegendo, sorrindo para si. A espada acertou diretamente no coração do ruivo.

Em uma velocidade que não sabia que ainda tinha, segurou o corpo de Sasori. Não acretiva no que via. Seus olhos se encheram de água mas nenhuma lágrima cai.

Byakuya ia aproveitar a situação para matar dois coelhos em uma cajadada só. Avançou contra Kagome, mas paralisou quando ela levantou o olhar para si e viu seus olhos vermelhos de ódio: era a raposa. O moreno parecia está vendo a sua própria morte na sua frente, sabia que se desse um passo iria morrer de qualquer jeito. Não ousou dizer nada e se desmaterialisou dali e fugiu, sem dizer nada.

Kagome voltou a atenção para Sasori, que estava sangrando muito. Os ferimentos da batalha anterior tinham se abrido, ele estava tendo uma hemorragia, não tinha mais jeito. As lágrimas estavam ameaçando cair.

— Ei, não...chora — disse com a voz fraca.

— Calado — disse, com a voz embargada — você só tinha uma ordem para cumprir e mesmo assim não vai me obedecer? — o peso das palavras pesaram para si.

"Não morrarm", é...eu lembro — Sasori podia está morrendo, mas mesmo assim estava sorrindo.

— Por que tá sorrindo maldito?! — perguntou, meio alterada.

— Porque no final eu pude te ver, pra mim... isso já é suficiente p...pra mim — Kagome sentiu como se dez mil facas perfurace seu coração. Kagome também sorriu de canto e se aproximou do rosto de Sasori e selou seus lábios com os dele.

Sasori sentiu que tudo o que passou valeu no final, sentimento de dever comprido. Toda a sua vida teve um sentindo até aqui.

Inuyasha sentiu a dor daquele ato e de toda a cena em si, doeu, é óbvio que doeu o ato de Kagome e se sentia um lixo por se sentir mal por isso.

Steve queria xingar Sasori e dizer que ele não tinha o direito de ir embora e deixa-los aqui, mas sabia que Sasori só se sentiria em paz se a última pessoa que ele visse fosse Kagome. Sasori ama Kagome, e é a única pessoa que queria ver antes de morrer.

Kagome separou o beijo e olhou uma última vez para Sasori.

— Eu te amo — essas foram suas últimas palavras. E...






Sasori morreu sorrindo.

Continua...


Notas Finais


Iae, gostaram? Deixe a sua opinião nos comentários.

É isso, a roleta começou a rodar, preparem o coração que vai ser desgraça atrás de desgraça agora

Bem, nos vemos na próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...