1. Spirit Fanfics >
  2. Killer B - Jikook >
  3. "Capítulo único"

História Killer B - Jikook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi, eu fiz essa Fic porque estava assistindo um filme com uma das frases que eu escrevi na história e quando eu ouvi me deu uma vontade imensa de escrever, e ficou assim.
É isso espero que gostem.

Amo vocês roxinhos💜

Capítulo 1 - "Capítulo único"


"Não há como parar meu amor, não há como dissipar a vontade que sente, não há como deixar tudo isso para trás... mas pode fazer isso por mim não pode? se me ama de verdade como me dizia todas as noites, faça isso Jeon"

O balcão amadeirado sujo de ferrugem velha com as gotículas coaguladas e avermelhadas escorridas..., a cadeira com o corpo sem vida e pálido..., o garoto escondido borbulhava em lágrimas de medo absoluto observando tudo atentamente cada movimento do moreno cortando vagarosamente o corpo do homem que gritava em desespero..., o amorenado que depois de toda a tortura e sadismo contra o senhor, se sentava no chão apoiando sua cabeça no joelho da vítima com a mandíbula arrancada sem olhos e língua com cortes por toda a extensão corporal, chorava gritando "sinto muito" em alto e bom som por varias vezes.

Park Jimin sentia o coração apertar, ao conseguir sentir a dor e a melancolia na voz do moreno de máscara branca, enfim saiu de trás das pilastras grossas e metálicas se aproximando sem medo e sem expressão em passos lentos..., o menino alto não mexeu um músculo sequer ao perceber a presença do garoto ruivo e baixinho com o rosto molhado, chegando muito perto, se abaixou abraçando o corpo do mascarado que ora outra soluçava depressiamente..., puxou o garotinho para seu colo retirando o material de acrílico que cobria todo seu rosto, observando os olhos amendoados se abrirem arregalados caindo sobre si sentindo um abraço mais forte com um leve carinho em suas madeixas escuras, Jimin reconheceria o garoto que tanto amava em qualquer lugar que o avistasse, haviam se conhecido à muito tempo atrás, seus olhares tinham uma ligação especial eram tudo um para o outro, Park jamais imaginária todo esse circo torturoso que o amado passara por tanto tempo sendo atormentado por alguém que só vivia em sua cabeça, Jeon matava homens, mas não qualquer um..., somente os que eram semelhantes ao caráter do pai falecido, Jungkook e sua mãe haviam sofrido tanto na mão do homem mais velho quando criança, e sentia que deveria punir todos os que se igualavam à ele.

-Porque disso tudo Jungkookie, porque não me contou...? por quanto tempo isso acontece?

- Ele me atormenta, e-eu não queria f-fazer, está doendo, faz parar de doer Jiminie por favor eu não quero mais fazer isso. - O moreno chorava desesperadamente abraçando mais forte o corpo pequenino afundando o rosto no pescoço branquinho.

- Não há como parar meu amor, não há como dissipar a vontade que sente, não há como deixar tudo isso para trás... mas pode fazer isso por mim não pode? se me ama de verdade como dizia todas as noites, faça isso Jeon... - Park proclamava calmo afim de acalmar o namorado.

- Eu posso fazer isso por você, eu posso fazer tudo por você, mas e se ele voltar? eu não gosto dessa sensação Jimin. - Citava o pai morto como vivo olhando para os olhinhos que tanto lhe trasmitiam paz, Jungkook dizia que o progenitor o mandava fazer coisas que não eram certas, ecoando em sua cabeça o deixando louco...

- Eu estou aqui para te ajudar meu amor, e sempre vou estar, você não é um monstro, é apenas alguém que sofreu e não sabe como lidar com a grande situação e eu vou permanecer aqui...ao seu lado.

- Eu te amo Chim, sinto muito por tudo que presenciou hoje...

O garotinho se mantinha firme sabia que não seria machucado, sabia que Jeon o amava demais para lhe fazer mal, Park não fazia ideia de que uma simples caminhada ao lado de um local abandonado pudesse lhe trazer tantas sensações, e que descobriria algo tão ruim, amava Jungkook com todo o seu interior, morreria por Jeon caso precisasse..., sabia que o moreno não se sentia bem psicologicamente só não imaginava o quanto, e faria de tudo para o ajudar.

-Eu também te amo, eu estou bem, vamos para casa, precisamos conversar, e você precisa de um banho.

[...]

- Sabe que precisa de ajuda não sabe? você é a droga do Serial Killer mais procurado da coreia Jungkook. - Park se encontrava apoiado em uma poltrona de couro avermelhada com as mãos entrelaçadas aos cabelos suspirando alto.

- Sinto muito, eu não gostaria que fosse desse jeito..., acho que preciso me entregar, tenho que pagar por tudo que fiz, não sei se conseguirei viver com a culpa de todos os que matei Jimin. - Jeon não se sentia culpado por todas as vítimas mas sentia a culpa de deixar o garoto que morava em seu coração triste e preocupado, achava ter decepcionado o namorado.

- Você não precisa, eu não aguentaria viver sem você, todas as pessoas que matou, seria perpétua na certa, e eu não posso perder você. - Sua súplica rondava os tímpanos do amorenado deixando a dúvida avoar sobre si.

- Oque faremos? uma hora vão me descobrir Jimin por mais cuidado e planejamento eu tivesse tido, alguma vez eu posso ter pisado na bola.

- Então a gente foge, depois da fronteira eles não podem fazer nada à menos que descubram onde estamos, eu só não posso ficar sem você por favor! - "Meu coração doía, minha cabeça latejava eu não viveria sequer um dia sem Jungkook ao meu lado... não teria forças, ele havia feito tantas coisas erradas mas ainda sim era humano, e todos os que morreram por suas mãos eram pessoas ruins, pessoas que machucavam os alheios, mas não como Jungkook, o mesmo assassinava homens que batiam, abusavam, maltratavam e algumas vezes matavam mulheres e crianças, nada justifica oque Jung fez mas pessoas como essas não tinham familiares ou seres humanos que os amaram sequer uma vez em suas vidas medíocres."

- Tudo bem fugimos, e se algo der errado eu quero que saiba que eu te amo muito e sinto por tudo oque eu fiz. - As mãos estavam juntas, beijaram-se por um breve segundo sentindo todo o amor e medo vindo um do outro.

- Não tem que se sentir culpado, eram pessoas ruins, já estavam mortas por dentro. - Park tinha o poder de acalmar Jung de um jeito inigualável.

"Tínhamos arrumado nossas malas, e depois de algumas horas já estávamos no aeroporto embarcando em nosso vôo para o Canadá, Jeon escolheu o lugar disse que tinha um sonho de conhecer o país, lá iríamos procurar um psicólogo para o moreno, sem que tivesse recaídas."

[...]

"Anos se passaram Jeon estava tão bem, tempos atrás ele simplesmente teve um choque tão grande que apagou tudo de mal que havia feito, médicos diziam que poderia acontecer caso uma ansiedade muito forte habitasse a cabeça do moreno, criando um bloqueio para memórias ruins, ele se lembrava de mim, mas quando perguntei sobre como estava lidando com o passado, a dúvida em seu rosto era nítida, e foi aí que percebi oque tinha acontecido, na verdade é bem normal que isso ocorra oque me deu alivio."

"2 anos depois dos acontecimentos da perda de memória, Jungkook me pediu em casamento, e claro eu aceitei, o amava tanto, fora um dos dias mais felizes de minha vida senão o único, 1 ano depois Jeon e eu pensávamos em adotar uma criança e adotamos...nosso pequeno Jeon Seomin ele era tão doce, não éramos seus pais biológicos mas ele tinha alguns traços em sua fisionomia, cabelos negros, nariz avantajado e quando sorria seus olhos se tornavam meias luas assim como os meus, eu tinha orgulho de tudo oque havia construido com Jungkook, não poderia estar mais feliz."

"21 de Setembro de 2017, nossa porta foi jogada no chão se espalhando por vários pedacinhos me fazendo pular da cama assustado, já imaginava oque seria todo aquele barulho, Jeon foi levado e sentenciado à 20 anos devido ao seu depoimento e seu estado mental presente e na época dos ocorridos, eu gritei tanto, chorei tanto, meu peito ardia com a dor inimaginável, Seomin me abraçava forte gritando como louco a palavra "pai" várias e várias vezes oque pouco à pouco fui parando de ouvir entrando apenas em meu mundo assistindo todas as memórias e todos os momentos que passei ao lado de Jeon, meu coração batia forte por Jungkook, sua respiração, seu cheiro e sua voz me acalmava e agora eu não tinha o moreno ao meu lado, depois de alguns meses não mudou nada Seomin dormia e tinha pesadelos chamando pelo o progenitor eu aguentaria a barra por Jungkook, esperaria por 20 anos, porém minha angústia só aumentava e a saudade cavava um buraco em meio ao meu peito e ao de Seomin, este que nunca deixaria se esquecer de Jeon sempre que podia lhe mostrava fotos do amorenado dizendo quem era seu pai."

Jung por outro lado não entendia muita coisa, não se lembrava de todo mal que fizera no passado, mas recebeu a pena de bom grado contava minutos, horas, dias, meses, e anos para se reencontrar com o marido e filho esses que nunca pararam de pensar no garoto um segundo.


_______________________________________________


"Jungkook tinha um rosto cansado mas ainda sim bonito e atraente o abracei com força, seu cheiro continuava o mesmo depois de 20 anos, sua voz era um pouco mais grossa, Jeon Seomin estava com seus 25 anos com lágrimas aos olhos e um sorriso bonito na boca, éramos uma família novamente e nada mudaria isso nunca porque eu amo Jeon Jungkook...

"Não imaginamos que alguém que conhecemos seja capaz disso, na nossa cabeça sempre uma criatura sem rosto e sem nome, as vezes a cidade parece estar cheia delas"

Fim...


Notas Finais


Espero que tenham gostado demorou um pouco pra fazer mas acho que valeu à pena.

Amo vocês roxinhos💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...