História KiM EMPiRE - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Seventeen
Personagens Kim Mingyu, Kim Taehyung (V)
Visualizações 4
Palavras 1.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction KiM EMPiRE - Capítulo 3 - Capítulo 3

Capítulo 3

Chegamos em casa era por volta de três da tarde, achei estranho o lugar estar em silêncio já que papai era bem barulhento.

-Onde está meu pai? -perguntei para um dos seguranças que ficavam na sala.

-Está em reunião, senhorita!

-Reunião? Sem mim?

-Não sei do que se trata, me desculpe -ele olhava diretamente para os seus pés.

-Tudo bem, Ming, pede pra alguém me levar algo pra comer no meu quarto? -vi que ele estava andando em direção a cozinha, com certeza pra caçar algo para pôr pra dentro.

Ele só balançou a cabeça e eu subi carregando aquela maleta pesada, não podia a deixar em qualquer lugar e se papai estava em reunião, era no escritório, só queria saber do que se tratava...

Fui direto para o banheiro, precisava tomar um banho, minha blusa tinha alguns respingos de sangue, preferi jogar ela fora, com certeza ia manchar...

Botei a banheira pra encher e joguei uns negócios que eu até hoje não sei pra que serve, mas Nancy vivia dizendo que fazia bem para a pele e tudo mais, e não se contradiz a palavra de uma mãe, então eu apenas jogo tudo na água e entro.

Botei no aleatório na playlist do Spotify e já começou a tocar a minha música do momento, Singularity, mas não queria ouvir a maldita voz de Kim Taehyung então só passei para a próxima!

Não contei o tempo que fiquei ali, era normal de acontecer todas as vezes que eu matava alguém, queria tirar qualquer resquício do meu corpo. Só me dei conta do tempo quando ouvi alguém batendo na porta do quarto.

Me enrolei na toalha e fui na ponta do pé até a porta e a destranquei, era um dos seguranças segurando uma bandeja de comida.

Quando deu de cara comigo apenas de toalha bem ali, ele quase virou seu pescoço em 180 graus.

-A senhora Nancy mandou lhe entregar!

-Pode deixar em cima da minha cama!

Eu particularmente não conseguia entrar e sair do meu quarto, segurando uma bandeja, na rapidez que ele fez.

[...]

Mais tarde, quase na hora do jantar, ouvi barulho de pneus do lado de fora, olhei pela janela do meu quarto e saíram da garagem uns 3 carros pretos, com certeza blindados, eu nem sequer tinha reparado eles ali quando cheguei, a tal da reunião devia ter acabado, finalmente!

Desci as escadas quase tropeçando no meu próprio pé e encontrei meu pai na cozinha, omma estava preparando o jantar e ele mexendo no celular.

-Oi minha filha, como foi hoje?

-Um concorrente ofereceu mais do que nós e comprou todo o estoque da 02 no fornecedor, marquei uma reunião com o próprio amanhã para resolver isso, ele devolveu nosso dinheiro também...

-Um concorrente? -ele ficou pensativo.

-Sim, não sei quem é, pelo menos não ainda...

-Não será um problema para nós, fique tranquila...

-Isso não me preocupa nem um pouco, o que está me deixando intrigada é essa reunião que você fez hoje, do que se tratava?

-Ahhh, isso, não foi nada demais filha, só alguns caras querendo fazer um acordo comigo...

-Acordo?

-Sim, um acordo -ele estava pensando muito antes de falar e também piscava mais do que o normal -Querem realizar um grande assalto e tudo mais... -Mentira, tudo mentira!

-Entendi, e você aceitou?

-Eu.... Ainda não dei a resposta!

-Mas a reunião demorou tanto, geralmente quando demora é porque o acordo já está feito né...

-Eles foram bem insistentes, queriam que eu assinasse a papelada hoje mesmo, mas ainda não o fiz!

-Entendi -Nancy começou a colocar as panelas na mesa -Meu querido -me dirigi a um segurança que estava ali -chame meu irmão pra jantar por favor!

Em menos de dois minutos ele já estava ali, sentado ao meu lado no balcão, sim, éramos apenas três, não havia necessidade de comer na sala de jantar, sujar uma mesa tão grande, o balcão da cozinha era suficiente para nós!

Enquanto comiamos, senti papai um tanto desconfortável, não entendia qual era a dele, mas sabia que estava me escondendo algo...

-Estava no YouTube um dia desses e vi um vídeo de um show daquele BTS -ele estava querendo quebrar o gelo falando dos meus meninos? -Tinha bastante gente né, eles são bem famosos...

-São sim...

-Arrisco dizer que são o grupo mais famoso do momento -Mingyu completou.

-O vídeo tinha milhões de visualizações -ele enfatizou o milhões.

-Sim, são milhões de visualizações mesmo -Mingyu continuou a completar com a boca cheia de comida.

-Esses meninos devem faturar milhões por mês também...

-Por mês? Acho pouco!

E assim o papo morreu, nunca havia tido uma conversa tão estranha como essa.

[...]

-Bom dia Seonsaeng -nos curvamos ao treinador.

-Sem moleza, já vão para o alongamento e depois direto pra esteira!

-Esteira? Iihhh Miyeon, você odeia esteira não é? -Mingyu riu pra mim.

-Não começa garoto chato, tô sem paciência pra você!

Sim, eu odiava esteira, era tão chato... Mas fazer o que, Teno não iria nos poupar nem um pouco hoje, por conta do dia anterior, e em falar no dia anterior, assim que sai da esteira vi um grupo de garotos entrando na sala de treinamento, eram 3, os mesmos do elevador, eu podia jurar que já estava roxa de vergonha quando eles olharam pra mim...

-Miyeon, coloque as luvas, quero você concentrada hoje, só sai daqui depois que me der um belo golpe -Esse treinador quer me matar só pode!

Enquanto eu colocava as luvas, o que sempre me deixava irritada pois eu só conseguia botar a da mão esquerda, Seonsaeng Teno foi até os 3, provavelmente dizer o que eles iriam fazer, e logo após eles já estavam no alongamento.

-Vamos lá, quero que ponha em prática todos os movimentos que aprendemos semana passada.

Fomos para o centro da sala, onde estava o tapete e então rapidamente eu já estava jogada nele devido a uma pernada que Teno me deu!

-Proteja seu corpo Miyeon, você precisa aprender a lutar sem armas, quando estiver numa situação, sem nenhum de seus brinquedos, não irá fazer nada? Se deixará ser vencida? Você não é nada sem uma faca...

Se ele queria excitar meus nervos, havia conseguido!

Mais que depressa o golpeei bem na barriga e acho que por uma fração de segundos ele ficou sem ar.

Antes que ele se recuperasse totalmente, chutei uma de suas pernas mas ele não caiu e veio pra cima de mim com todo vapor me pegando pelo pescoço e começando a prender minha respiração, não me desesperei, apenas fui me agachando até o corpo dele ficar por cima do meu e eu poder o levantar com as costas e jogar seu corpo no chão, respirava fundo tentando me recompor enquanto ele levantava.

Fiquei na posição de defesa, eu tinha o afetado, seu andar já não era mais o mesmo, sua respiração descompassada também o entregava, lutar era como analisar uma presa, eu gostava de minuciosamente observar cada movimento, saber onde a pessoa sentia mais dor, qual membro de seu corpo ela mais movimentava, geralmente esse era o primeiro que eu machucava, quando se machuca um membro do corpo que é muito ativo, a dor é muito maior, por exemplo, se você tem aquelas tique de balançar a perna e você machucar ela, vai ser muito pior pois quando você for balança-la, vai doer, na luta era bem parecido e agora eu só precisava da jogada final. Esperei que ele viesse até mim, fingi não saber o que fazer e deixei que ele me desse uns golpes, uns na perna, um soco não tão forte na cabeça e quando recebi uma joelhada, confesso que a dor foi muita, me curvei e fiquei por um momento gemendo bem baixinho, mas foi rápido, rápido o suficiente pra ele não se afastar de mim e eu lhe dar uma chave, todo o peso do meu corpo estava sobre o dele, minhas pernas prendiam as suas e ele mal conseguia se mover, não tinha como, eu era a vencedora!

-Você foi..... -ele nem conseguia respirar - Impecável!

Sorri satisfeita, Seonsaeng quase nunca me elogiava, pois eu não era muito boa na luta, ele tinha razão quando dizia que sem armas eu não era nada, mas isso iria mudar!


Notas Finais


Até o próximo, annyeong


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...